Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Quem acompanha a gente por aqui, no nosso canal do Youtube e nas redes sociais sabe que, desde 27 de maio, eu mudei a forma com a qual me alimento. Independentemente de qualquer rótulo dado a esse processo, coisas importantes aconteceram desde que comecei – e não estou falando apenas de ter emagrecido, não. Minha cabeça também está diferente, minha relação com a comida está.

Como já relatei antes, nunca tive nenhuma questão séria em relação a esse assunto – e vocês sabem que transtornos alimentares são algo extremamente importante, que deve sempre ser considerado antes de qualquer mudança na alimentação. De qualquer maneira, por muitos anos, eu vivi com um sentimento péssimo chamado CULPA. E isso só foi mudar de uns tempos para cá.

Comecei muitas dietas durante a vida, sim, especialmente durante a adolescência. Restringia muito o que comia e, claro, o desespero frente a qualquer possibilidade de “furar” era imenso. Vivia me culpando por isso. Hoje minha mentalidade – essa peça tão fundamental do nosso quebra-cabeça – é outra. E não tem nada nesse mundo que me deixe mais feliz, de verdade.

Passei um segundo mês diferente do primeiro. Me permiti flutuar mais entre as possibilidades. E não houve o menor sentimento de culpa – houve consciência! Eu sabia o que estava fazendo, mas isso não foi um fator de fracasso dentro do que me propus a abraçar enquanto estilo de vida. Eu estou bem, estou ciente, estou inteira. E como é bom me sentir assim! <3

Conforme relatei no vídeo acima, tenho noção de que qualquer alteração na forma de comer traz consequências – para melhor ou para pior. No meu caso, foi para melhor porque me inseri completamente no processo, mesmo que, nesse segundo mês, ele não tenha sido uma constante absoluta. Existe mesmo uma capacidade para cada uma de nós – é possível usá-la de 0 a 100%. Talvez eu tenha usado menos do que o máximo e estou bem com isso.

Afinal, a pressa é de quem?

Nada na vida vem rápido. Seja ver a saúde melhorar, abandonar um hábito ou perceber resultados. Vejo que trilho um caminho individual, que não pode ser comparado com o de ninguém! É por isso que acho tão importante mostrar a verdade para vocês e sempre deixar claro que a gente não pode, jamais, ficar se comparando. Falar do assunto não é tanto sobre os quilos perdidos, mas sobre o processo.

Estou feliz com o que completei até aqui, afinal, foram 7 quilos de gordura em dois meses e uma alimentação muito mais natural, bem diferente do que estava fazendo antes. Eu sei que ainda tenho um tanto para caminhar – e que bom! Porque é justamente a caminhada quem me fortalece e acompanha. Ela não é aquela parte chata pra quem busca somente a realização.

Por tudo isso, se pudesse dar apenas uma dica para quem está no mesmo processo que eu, ela seria a seguinte: pegue leve com você mesma. Não tem coisa pior nesse mundo do que viver culpada.

Beijo procês!

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
7 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Já que pintou por aqui nesse domingão maroto, que tal dar umas risadas comigo? Me lembrei de algo curioso: quando comecei a ver MTV, na pré-adolescência (um pouco antes dos anos 2000), adorava pescar umas referências de clipes para implementar no meu ~estilo~ pessoal. Ficava encantada com absolutamente tudo e dava meu jeito pra imitar descaradamente.

Como recordar é viver, separei 5 clipes, dentre muitos, para mostrar por aqui. Quem sabe você não vem me confessar nos comentários que quis usar a mesma coisa que eu na época? Então bora ver o que chamava minha atenção dentro daquilo que via na TV!

Esse clipe é quase dos anos 2000 (mais precisamente, de 1999) e sério, eu queria o look inteirinho da MARAIA. Primeiro, o top de crochê – que pedi para uma tia avó horrorizada com a ideia fazer para mim. Depois, o jeans que começava a ficar de cós baixo graças aos rasgos ~estratégicos. E aí, pra completar, esse tic-tac no cabelo divido ao meio. Eu estava certa de que era amor.

ESSE. FOI. O. PRIMEIRO. CLIPE. DA. BRÍTINÊI. QUE. EU. VI. Juro, nunca vou esquecer do meu encantamento – aquela pirralha de 13 anos, em 1999. Simplesmente amei a ideia de voltar a mostrar a barriga com top cropped, mas mais ainda de usar calça cargo junto com ela. Vi e revi esse clipe 500 vezes, ficava torcendo pra passar no DISK MTV (#idosa) só pra me afogar em tanta belezura.

Gente, como não amar a Christina Aguilera ROLANDO na areia em Genie In A Bottle? O grande sonho da minha vida era ter o repicado no cabelo dela. E a jaqueta jeans tipo ~bolero? Eu queria uma pra ontem, muito embora só tenha realizado esse grande sonho anos depois. Ah, claramente eu não entendia o duplo sentido dessa música na época, então cantava/dançava ela loucamente na sala de casa.

Eu apenas gostaria de dizer que J.Lo me inspirou absurdamente em cada clipe que ela lançava – era um tiro atrás do outro! Tenho lembranças maravilhosas dos visuais dela em If You Had My Love, Jenny From The Block e All I Have, mas escolhi Love Don’t Cost a Thing porque até hoje não consegui superar tanto dourado. E olha que o clipe foi lançado em 2001! Os brincos de argola eu fui comprar aproximadamente 5 segundos após ser exposta a essa maravilhosidade.

Sim, até em clipe do Aerosmith eu me inspirava, hahahaha! E veja bem, esse bem famoso, de 2001, tem quase 4 minutos e eu consegui pescar ideias em alguns frames. Logicamente, é na personagem principal da história, que usa uma maquiagem DOURADA COM ROSA nos olhos que me encantou. E o que dizer dos lábios metalizados, tipo rainha do gelo? Fiquei louca querendo procurar um gloss daquele jeito.

Ai, gente, como é bom lembrar dessas coisas (ascendente em câncer, oi)! E pior é ver que, tirando algumas coisas muito absurdas, eu ainda acho essas referências de clipes esteticamente belas! E você, me conta aí: lembra de ter se inspirado em algum deles – ou outros! – na adolescência?

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
19 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Tem dias em que eu sento para gravar os vídeos do nosso canal sem muita ideia do que fazer, até que surge um estalo e eu mando bala em algum tema! Com o 5 maquiagens que eu não voltaria a usar foi assim – o que não esperava é que fosse fazer sucesso tão rápido! <3

Para quem ainda não assistiu ao vídeo, aí vai. Nele, comento sobre produtos e técnicas que faziam a minha cabeça na adolescência e no começo da fase adulta, quando passei a escrever o Coisas de Diva com as meninas. Se puder, dá o play, vai gostar do momento relembrar é viver! hahahaha

Mas se não está dando para ver agora, tudo bem, porque falo a seguir quais são as tais maquiagens que eu não voltaria a usar. Ah, e ainda tem um bônus que não pude incluir no vídeo por questão de tamanho (algumas ficariam minúsculas!): as fotos com os links de posts que fiz a respeito dos produtos e técnicas na época! Se você acompanha a gente desde o comecinho, vai adorar! Bora lá:

5 maquiagens que eu não voltaria a usar

maquiagens que eu não voltaria a usar

Essa foto é a prova de que a gente só melhora com o tempo, hahahaha!

Ahhh, o Snob, a febre na maquiagem de quase 10 anos atrás! Só Deus sabe a alegria que eu fiquei quando finalmente pude comprar o meu (inclusive, esse foi meu primeiro batom da MAC)! Usava com tudo, toda hora, sem dó. Foi bom enquanto durou, porque hoje vejo que ele não tinha NADA a ver comigo – não passo batom rosa claro de fundo azulado assim mais não!

Pérolas: o post da Marina de janeiro/2009 sobre o Snob e um Hoje Fui Assim! – lembra dessa seção? – de abril/2009 comigo usando o batom toda felizinha, hahahaha!

maquiagens que eu não voltaria a usar

Nossa, lembro direitinho que eu achava esse formato geométrico de passar a sombra o máximo!

Foi a Marina quem me apresentou as sombras tipo asa de borboleta muitos anos atrás – eu passei a adorá-las e tacava aquele brilho todo na pálpebra móvel como se não houvesse amanhã! hahahaha Ainda acho que esse tipo de pigmento com bastante glitter é bacana pra um toque na maquiagem de quem curte investir nos olhos. Contudo, eu não usaria hoje – prefiro mil vezes um batom colorido!

Pérolas: eu extremamente empolgada com a descoberta dessas sombras, em junho/2009, e um tutorial da mesma época de como fazer um ~olho puxadinho~ com asa de borboleta!

maquiagens que eu não voltaria a usar

Minha maquiagem de balada em 2009 tinha que ter lápis preto na linha d’água!

O terceiro item da lista não é exatamente uma maquiagem, mas uma técnica: lápis preto na linha d’água! Passei muitos anos da minha vida acreditando que esse ~truque~ era ótimo pra mim. A verdade é que já tenho os olhos pequenos e eles ficavam ainda menores dessa maneira. Aproveitando, devo dizer que não tenho nada contra diminuir essa região, mas pro meu rosto não combina MESMO!

Pérolas: o tal Hoje Fui Assim! versão balada que fiz com as meninas em junho/2009 e outro post da mesma seção, também na época, em que estou de lápis preto na linha d’água.

maquiagens que eu não voltaria a usar

Essa foto é da última resenha que aparece sobre o produto aqui no blog, de 2014!

Curiosamente, não tenho nenhuma resenha de base em bastão aqui no blog porque tem mesmo muitos anos que parei de usar esse tipo de produto. Minha questão com ela é o peso que dá para minha pele mista e a dificuldade de passar no inverno, quando resseca. Usei pra caramba na adolescência e no começo da fase adulta, mas depois simplesmente abandonei.

Pérola: Sabrina mostrando as diferenças entre bases em pó, em bastão e líquidas. O post é um dos primeiros do Coisas de Diva, de dezembro/2008!

maquiagens que eu não voltaria a usar

Foto ~ilustrativa~ de gloss com glitter tirada em 2012!

Finalizando essa belíssima lista, a quinta maquiagem que eu não voltaria a usar (a tal polêmica, porque a febre dela voltou com tudo e tem muita gente adorando): gloss com glitter! Acho que o trauma da adolescência foi grande demais pra que eu curta novamente esse acabamento. Fico ainda com meus batons matte ou, no máximo, com alguma cor sólida de efeito verniz.

Pérola: teve uma época em que a gente tinha um produto do Boticário que chamava de gloss da amizade, hahahaha! Isso foi lá em 2009.

E NÃO, eu não me arrependo de nada disso não! hahahaha Se eu me sentia bem na época em que usava essas maquiagens tá valendo! O grande lance é que meu gosto amadureceu – hoje experimento coisas diferentes ainda, mas já tenho uma ideia melhor do que vai ficar bom pra mim.

Me conta nos comentários a sua listinha de maquiagens que não voltaria a usar?

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
31 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Eu sei que o tal batom líquido com efeito vinílico anda bombando por aí, mas a bem da verdade é que há sempre alguém, como eu, que ainda prefere o confiável batom líquido matte! Nesse post, apresento 3 opções que tenho usado bastante, com cores que são a cara do inverno 2017!

Coloquei essas belezinhas no vídeo aqui em cima – tá curtinho (#milagre) e você não vai precisar de áudio para assisti-lo, já que fiz num formato diferente do usual. Espero que goste e, se quiser ver mais desse tipo lá no nosso canal do Youtube, deixa seu like? E já que é a primeira vez que peço isso pra você (cof, cof, hahahaha), aproveita pra se inscrever também! Fazemos 6 vídeos por semana!

Como muita gente me pede, no mesmo vídeo ensino também a passar batom líquido matte com a ~técnica~ que fui desenvolvendo ao longo do tempo. Tem alguma dúvida? Me deixa aqui nos comentários que eu respondo tranquilo! <3

Batom líquido matte no inverno 2017

batom líquido matte inverno 2017

batom líquido matte inverno 2017

Esse é o Chocolili, da quem disse, berenice?, um lançamento para o inverno 2017, inclusive. E vai dizer que não é a cara dos dias frios? A cor, como o próprio nome já sugere, é de chocolate – mas, pelo menos na minha boca, ele ganha uma coisa meio puxada para o pinhão (#bichodoparaná), mais avermelhada. Fica lindo, lindo! A resenha completa você lê aqui. E o link para comprar é esse!

batom líquido matte inverno 2017

batom líquido matte inverno 2017

O batom número 11 da coleção Lip Matte Latika é descrito como um coral, mas eu HEI de discordar: aos meus olhos, está mais para tijolo por conter bastante pigmento laranja. A cor é maravilhosa e, toda vez que uso, alguém vem me perguntar qual é. Esse é o exemplo perfeito de que laranjado não fica bem só pro verão – no inverno também acende o visual! A resenha está aqui e o link para comprar é esse.

batom líquido matte inverno 2017

batom líquido matte inverno 2017

Eu fiquei apaixonada quando VI COM AS MÃOS a gama de vermelhos dos batons líquidos matte da MAC – amo todos e vivo variando! Mas, pensando em trazer aquele clássico, coloquei na seleção o Feels So Grand, que tenho usado loucamente. Ele é chamado de “vermelho verdadeiro profundo” pela marca, ou seja: tem tudo a ver com o clima que o frio traz! A resenha você vê aqui. O link para comprar é esse!

Seleção extra!

E, como se não bastassem as 3 dicas que coloquei aqui em cima, ainda deixo uma seleção extra com um batom líquido matte mais perfeito pro inverno 2017 do que o outro! Confira!

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
13 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários