Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Esses dias recebi pelo direct do meu Insta pessoal (@thaismarques86) a seguinte dúvida de uma seguidora nossa: “o que devo pensar de um ex (do qual ainda gosto) que fica me bloqueando/desbloqueando toda hora das redes sociais?”.

Ah, os dramas do século 21! Mas quem sou eu para comentar, afinal, assim como a colega aqui de cima, já passei por algo parecido. Aliás, acho que você que está lendo também!

Ok, segura essa história e corta pra mim. Por muito tempo, quis tentar penetrar no universo impenetrável da cabeça das pessoas – especialmente pessoas do sexo masculino, pelo qual me interesso amorosamente. Gastava um tempão buscando entender o que levava a pessoa X a agir do modo Y. Elucubrava todas as variáveis possíveis e, ainda assim, ficava sem uma resposta definitiva.

E é claro que ficava sem resposta: afinal, a única maneira de saber seria perguntando para o cara, por exemplo, coisa que: 1) em MUITOS casos não dava para fazer; 2) mesmo que desse, até que ponto a pessoa responderia com pura honestidade?; e, finalmente, 3) talvez nem o próprio alvo dos questionamentos soubesse seus próprios porquês – o que tem de gente que não se conhece não tá no gibi!

Ou seja: nem eu, nem você somos capazes de entrar na cabeça de alguém. Simplesmente não tem como. Pessoas são imprevisíveis e motivadas por tantas variáveis que demoraria uma eternidade para catalogar. Por isso, repito o que respondi à amiga lá de cima: o melhor mesmo, nesses casos, é dar um jeito de seguir em frente.

Vamos dizer que um cara que você conheceu pela internet, num desses aplicativos de ~paquera, simplesmente desapareceu e nunca mais falou contigo, aparentemente sem nenhuma razão concreta. Em vez de se debater inteira pensando nos possíveis motivos, você tem algumas opções:

 

  1. Inventar um motivo não-embasado (ou parcialmente embasado) que faça você se sentir melhor, mas que tenha a ver com um possível problema dele, não com você – chega de se sentir insuficiente, insegura e para baixo, mulher!
  2. Pensar que quem saiu perdendo foi o rapaz. Eu JURO pra você que, mesmo com forças negativas do além me puxando para baixo muitas vezes, me sinto infinitamente mais tranquila quando penso assim – nem que forçadamente! Procuro reforçar minhas próprias qualidades em vez de procurar onde eu “errei”.
  3. Entender que o que você sabe é que, por alguma razão, ele simplesmente não quis mais falar, oras. E tá tudo bem, é do direito dele! De acordo com pesquisas informais, em apenas 0,1% dos casos o cara perdeu o celular, apagou seu número sem querer e blablablá – e ainda assim, bem procuradinho, dá-se um jeito!

 

Isso tudo não serve, claro, apenas para relacionamentos românticos – é para todo e qualquer tipo de relacionamento! Evidentemente, dá para buscar compreender os pontos de vista e atitudes de quem você convive (e saber disso pode ajudar imensamente na relação). Porém, não se esqueça: mesmo que tente muito, você JAMAIS vai saber 100% o que se passa com aquela pessoa.

Aceitar isso é fundamental – e poupa a gente de muita coisa. Bom domingo! <3

Foto: Shutterstock 

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
6 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Carina

    Bom lembra também que a gente nunca sabe realmente pelo que o outro está passando.
    À colega que não sabe o que pensar sobre o ex que bloqueia/desbloqueia, esse pode ser o modo que ele arranjou pra tentar esquecer ou entender o que deu errado. Eu mesmo já fiz isso ahueiaheauha

    Mas Thaís tá bem certa: Não dá pra entrar na cabeça do outro pra saber. Então bola pra frente!

  2. Márcia Daniella

    Tem gente que bloqueia/desbloqueia até os amigos em comum do casal. É muito delicado isso, mas vá saber o que tá se passando mesmo na cabeça da pessoa?

  3. Clarisse

    Concordo demais com você, Thaís! Ele que saiu perdendo, esse pensamento ajuda muito. Outra coisa que sugiro é transferir a energia gasta pensando nos motivos do outro para coisas que nos façam bem, ou seja, investir em nós mesmas e seguir. Ao invés de pensar corra, estude, veja um filme, se cuide, passe um hidratante bem perfumado, coma um brigadeiro…rs
    Auto-estima e saúde mental agradecem!

  4. Heloisa Carvalho

    Olha, no caso de homem, eu prefiro pensar o pior mesmo que é pra desapegar logo, haha. Tipo esse cara aí, ele fica fazendo isso porque é um bocó! Tenta chamar a atenção, quer manipular seus sentimentos…
    Mas, no geral, eu busco sempre a resposta mais óbvia. Exemplo: se a pessoa não responde, é porque não quer responder. Só isso. Não tem nada de errado.

  5. Fernanda

    Eu sei que é difícil desapegar e não olhar as redes sociais, mas me diz…pra quê buscar sofrimento?? A primeira coisa é entender que cada um age de uma forma e nem sempre a culpa é nossa, a segunda é que ninguém muda ninguém, por mais que a gente queira e reze, e a terceira é que se o cara se mandou, é sinal a fila tá andando pra vc tbm!! Hahaha
    Vai se cuidar, se arrumar, passear (mesmo que sozinha), e se sinta bem com vc mesma…pq isso só atrai coisas boas. Meu único apego na vida é meu filho, o resto…deixa pra lá, mas sou aquariana, então isso é normal pra mim rsrs

  6. Lela

    acredito que hoje isso aconteça com a maioria das pessoas que utilizam de aplicativos, só acho injusto pq de uma certa forma sempre fui sincera com todos e acabo criando vínculos e depois percebo que a outra pessoa não, ainda que demonstrasse que sim. É como estar ali para suprir ausência de algo e quando o real aparecer não precisar mais do “virtual”.