Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

medo de dirigir

Fiquei pensando com meus botões se essa pauta seria muito fora daquilo que a gente aborda por aqui, mas depois liguei aquele botãozinho mágico do f*d*-se porque sei que, apesar de ser um tema bastante específico, pode ajudar muita gente. Sim, vou falar sobre medo de dirigir! Se você é uma motorista nata, pode parar por aqui. Se estiver lidando com isso, fica comigo porque vai valer a pena!

Foi esses dias que a ideia me ocorreu. Estava dirigindo – veja só! – e me dei conta de que, hoje, faço isso com a maior naturalidade do mundo. Porém, nem sempre foi assim. Aliás, dirigir me deixava em pânico.

Mas vamos começar do começo. Com 18 anos, nem vislumbrava a possibilidade de tirar a carteira de motorista – sou de uma família de classe média onde o carro é sagrado e não se empresta para ninguém. Além do mais, ganhar um só para mim estava totalmente fora de cogitação na época.

Foi por isso que só comecei na autoescola bem mais tarde, lá com meus 20 e poucos anos. Já era até formada na faculdade! Com as aulas teóricas foi tudo ok. Passei no psicotécnico (ufa!) e no teste sobre leis de trânsito. Aí quando começaram as aulas práticas é que a coisa começou a complicar.

Tinha MUITA dificuldade em dirigir e morria de medo de fazer besteira – fora a falta de paciência dos motoristas com o pobre carrinho da autoescola, né! Completei as aulas do pacote indo pouquíssimas vezes da sede de treinamento às ruas calminhas da região. Quem dirigia quase sempre até lá era o instrutor, tamanho meu desespero! Chegava a suar frio, era péssimo.

Aí chegou o dia do teste do Detran. Fui lá rezando para todos os santos e, logo na baliza, fui reprovada por uma coisa bem besta (encostei de leve o para-choque no protótipo). Beleza, lá fui eu remarcar e fazer umas aulinhas extras. Quando chegou o dia do novo teste, estava absolutamente na corda bamba: se não passasse ali, teria que refazer TODAS AS AULAS, desde as teóricas. Imagina a tensão!

Milagrosamente, passei na baliza. Parte 1 concluída com sucesso! Então tive que ir pra rua, o cara do teste sem dizer uma palavra, me mandando fazer coisas aqui, coisas lá, incluindo encarar uma subida super íngreme. Em cinco minutos, me fez voltar para o pátio. Pensei: “pronto, reprovei!”, hahahaha!

Mas não: tinha passado, sob a seguinte – e absurda – condição: “Thais, você me prometa que não vai fazer muita c*g*d* no trânsito” – HAHAHAHA. Dei graças a Deus. Acontece que a carteira ficou ali só de bonita por anos – e por anos não peguei num volante. Quando finalmente tinha um dinheirinho para comprar meu primeiro carro à vista, me deparei com o problema: parecia que tinha esquecido tudo e que estava novamente desabilitada a dirigir!

Descobri isso fazendo um test drive no carro de um conhecido que estava à venda. Meus pais estavam comigo e lembro de ter entrado em pânico, dizendo que não servia para aquilo. Não conseguia controlar os espelhos, a direção e a marcha ao mesmo tempo. Parecia impossível.

Foi então que meu pai me trouxe o que seria a solução para meus problemas. Ele sugeriu que eu tentasse um carro automático. Encontramos um usado (que está comigo até hoje, aliás!) e, quando fui experimentar, era outra pessoa. Demorou um pouquinho para lembrar de usar só a perna direita para frear e acelerar, mas só de não ter que trocar a marcha já queria chorar de emoção.

Comprei e cada dia mais fiquei confiante! Hoje vejo que talvez eu não seja uma boa motorista manual, mas sou uma excelente motorista automática. E, sério, isso não me faz menos motorista do que ninguém, apenas diferente! Só de poder pegar o carro e fazer o que eu quiser, na hora em que quiser, me sinto super livre, independente mesmo.

Por isso, de coração, eu digo para quem está sem muita esperança de dirigir um dia: tem solução, sim! Mesmo que não dê para comprar um carro automático (que na minha opinião é a oitava maravilha do mundo – marcha pra quê?), sempre tem como fazer mais umas aulas, respeitando seu tempo e, claro, ficando de olho nos prazos do Detran – não seja como eu! hahahaha

É claro que estou falando do medo de dirigir – mas só aquele medinho mesmo, não o pânico! Se é isso que te acontece, sugiro que busque ajuda profissional, porque insistir pode não fazer nada bem!

Nossa, ter superado essa fase mexeu muito comigo e com a minha autoestima como um todo! Como é bom poder provar para si que é capaz de fazer algo antes julgado impossível. Já são mais de quatro anos dirigindo direto para lá e para cá, cada dia melhor!

Não que eu goste de pegar trânsito ou de ver gente lenta/louca no meu caminho, mas é sobre essa liberdade gostosa de ir e vir tranquilamente! Você ainda pode ser bater no começo, mas quando menos perceber, estará lá, ouvindo música ou dando caronas em agradecimento ao universo por todas que já ganhou! Como é bom, sério! E melhor ainda é poder exercitar a civilidade no trânsito: busque ter paciência, respeitar os pedestres/ciclistas e dar a vez para as pessoas!

HAHAHAHA, esse papo tá muito minha visita ao Detran com 10 anos de idade, mas é tudo real! E, amiga, eu juro pra você que tem jeito, sou prova viva! NÃO DESANIME!

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
87 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. eu tenho muito medo, insegura ate para andar de bicicleta rsrrss
    texto maravilhoso
    beijos

  2. Marcela

    Amei o texto!!! Precisava desse incentivo, muito bom saber que somos capazes de enfrentar nossos medos, estou na situação de perder o medo e comprar o carro, mas tenho fé que vou conseguir!!! Parabéns meninas pelo Blog continuem assim, eu adoro ler os textos que vocês postam!!! Bjos

  3. Valéria

    Nossa, tenho horror a trânsito! Tenho carteira, já dirigi, mas agora, só em caso de vida ou morte (ou só de morte mesmo rsrsrrs).
    Até procurei ajuda nesses cursos para quem tem medo de dirigir, mas o preço fez aumentar o meu pânico do volante !
    Vai q um dia eu crio coragem e pego no carro de novo…
    Bjos Thaís!

  4. Célia

    Thais, precisava ler isso. Muito obrigada. Fiz a CNH há alguns anos (mesma situação – dps de formada) e não me sinto confortável em pegar o carro. Ainda há esperança. hehehe

  5. Laura

    Thais, adorei o tema…

    Comigo a situação foi um pouco diferente, passei numa boa (amém) na auto escola (claro que suava frio e tremia no dia do exame), mas terminei o processo relativamente confiante. Cerca de 1 mês depois eu bati o carro (não foi nada sério) mas amassou bastante o parachoque, mas mesmo assim continuei dirigindo um pouco depois disso. Porém meu namorado da época era um tosco e ficava me dizendo que eu tinha confiança demais, que queria dar o passo maior que a perna e bla bla bla e eu fui pegando um medo imenso de dirigir (chegava a sonhar com isso) e fiquei vários anos sem dirigir, pois tinha quem me levasse nos lugares (meu namorado e meu pai).

    Até que terminamos o namoro, meu pai ficou doente e não podia mais dirigir, e eu tive que enfrentar meu medo. Na cidade eu consigo dirigir numa boa, algumas situações (como estacionar ou passar em lugares muito movimentados ou estreitos) ainda me deixam nervosa.

    Hoje em dia meu maior medo é dirigir em estrada, não vou por nada… Os pequenos trechos que peguei (sério, nem 10km) me deixaram suando de medo… Também nunca mais fiz baliza desde que saí da auto escola. São coisas que espero superar, especialmente dirigir na pista, mas por enquanto…

  6. Márcia Teixeir

    Eu quase não comento, mas gostei tanto do texto e me identifiquei com a historia que precisei comentar. Também aprendi a dirigir com quase trinta anos, somente quando consegui comprar o meu carro (usado, por sinal). Tinha muito medo de transito e para piorar a situação a rua que eu morava era muito íngreme, que dificultava as manobras.
    Com a ajuda de uma grande amiga, que perdeu seu tempo e sua paciência (rss) comigo foi que eu consegui quebrar essa barreira. Hoje dirijo para qualquer lugar e a qualquer hora sem nenhum problema. Uma verdadeira vitória.

  7. Eluana Hermes

    Adorei o texto! Viu só como foi bom o tema?! Quantas estão na mesmas situação. Eu também fiz a CNH depois dos 20, e nunca tinha dirigido antes. Fiquei 3 anos só andando de moto depois da CNH, e sem embreagem (Honda Biz), tinha medo do carro, não tinha noção de espaço, um pavor. Quando pude comprar meu carro, e me obriguei a dirigir, aos poucos o medo foi passando, e a sensação de ir e vir, sem depender de ninguém é algo absurdo de bom. Há uns 3 anos atrás (tenho a CNH a 7 anos) pude testar um carro automático, e lembro de ter falado para o meu marido: toda mulher merece um desses! Demorou um pouquinho, mas hoje tenho o meu, comprei no início do ano. Aí esse negócio de dirigir fica melhor ainda! Dica meninas: tenham calma, tracem o destino mentalmente antes de sair, procurem ruas de menor movimento, não tentem estacionar onde está difícil, sempre vai ter uma vaguinha mais fácil, prefiro andar a pé um pouco a me arriscar. E não deixem de tentar, desistir nunca! Beijos.

  8. Juliana

    Também tive problemas para começar a dirigir, tirei a carteira de motorista com 18, mas só fui sair com o carro mesmo com 26 anos.
    Morria de medo, ficava preocupada com coisas que iam desde achar que poderia acontecer um acidente grave, até alguém dar uma buzinadinha.
    Como moro em um lugar que não tem muitas opções de transporte público, não tem metrô, não tem trem e o ônibus passa a cada copa do mundo, ficava dependente de carona e boa vontade dos outros.
    Só fui buscar ajuda quando ficou realmente insuportável para mim, não dirigir estava me atrapalhando pessoal e profissionalmente.
    Fui em uma escola que que ensina pessoas habilitadas a dirigir e também tem acompanhamento psicológico
    Hoje em dia eu dirijo normalmente, não vou dizer que tenho prazer em dirigir (se alguém se oferecer para dirigir, eu aceito e prefiro ir no banco do carona de boa… haha), mas não sinto mais aquele medo paralisante.
    E como disse a Thais, isso mexeu muito com a minha autoestima tb, pq dirigir era uma coisa que eu achava que não era pra mim, que eu nunca iria aprender, e ter conseguido me fez ver que eu posso muito mais do que eu imagino.

  9. Carolina

    Eu também sofro desse mal. Passei sem problemas na prova da autoescola, comprei meu carro quando consegui e sai dirigindo por ai. Já dirigia há uns 4 anos (pegando estrada e tudo mais) quando desenvolvi síndrome do pânico por conta de um stress no trabalho e a primeira crise foi justamente dirigindo. Tive que parar no posto e pedir para meus pais irem me buscar.
    Desde então já controlei o pânico, mas nunca mais consegui dirigir com a mesma naturalidade.
    Estou tentando retomar aos poucos, mas desistir, nunca!

  10. Rebeca

    Nossa! Me abraça!

  11. Sarah Vissotto Junkes Perussolo

    Guria, um dia, quando a gente marcar aquele barzinho pra bater papo sobre filmes (eu dei a ideia e vc aceitou, to disponível! haha) eu te conto sobre as CINCO provas de carro (uma delas eu tava batizada com um tranquilizante da minha amiga #migasualoka) e as TRÊS de moto que eu fiz ano passado! discordo de vc qdo vc dia que não deve forçar, pq eu sou dessas que vai até acontecer. sempre enfiei na cabeça o seguinte: se um monte de gente tem carteira e dirige pq eu não? ta bom que eu já bati tanto o carro como a moto mas ah… faz parte! o que eu sempre digo é: só bate carro quem tem carro! mas enfim, minhas histórias de direção são diversas e engraçadas… bora tomar uma que eu conto! hahaha beijoooo!

  12. Que delícia ler esse texto <3
    Eu tirei minha habilitação aos 18, quase 19. Foi tranquilo, passei super de boa no exame, sem perder nem um pontinho sequer. A questão é que eu não tinha um carro para treinar (mas nunca que meu pai me daria um carro, gente, malemá dava pra pagar o combustível e o seguro do dele). Algumas vezes eu dirigi o carro dele, mas tinha direção hidráulica das antigas, que ficava extremamente mole. Fiz algumas cagadas e ouvi vários sermões, aí perdi a confiança.
    Só fui dirigir de novo depois de uns 4 anos, por insistência de um ex-namorado, que teve muita paciência comigo (mesmo). Foram algumas semanas de aula prática no carro dele (ele era extremamente tranquilo, até demais, então eu fazia o que queria com o carro heh) e decidi usar meu dinheirinho pra comprar um carro. Até então só tinha dirigido com alguém do meu lado e a primeira vez que fiz isso sozinha foi para tirar meu carro da concessionária. Que emoção! E a primeira baliza na vida real? E a primeira vez que você entre no shopping e morre de medo de levar a cancela junto? O primeiro semáforo na subida? Gente, hoje isso é tão natural… mas houve tempos em que era meu pior pesadelo.
    A questão é que o meu lindo Livsmóvel é só meu, foi pago com o meu dinheiro, então se eu fizer alguma besteira grande no trânsito, o problema é todo meu, sabe? Já destruí a frente do carro em uma placa, já bati no portão de casa, já derrubei motoqueiro, enfim… mas quem arca com tudo (psicologica e financeiramente) sou eu, por isso tenho confiança.
    Hoje vou pra tudo quando é lado dirigindo (inclusive São Paulo em horário de pico heh), ainda mais que meu namorado é de outra cidade, acabo pegando 100km de estrada quase toda semana. Eu gostaria de usar mais transporte público mas acaba que várias vezes simplesmente não compensa… e, convenhamos: realmente é uma delícia essa liberdade de ir e vir! Sei que ter carro é um luxo e sou privilegiada, mas eu adoro mesmo meu vermelhinho <3
    Ah! nunca dirigi um automático, adoro de verdade a troca de marchas manual, saber quando meu bonitinho pede mais fôlego heh nasci pra dirigi 🙂
    Um beijo e obrigada por compartilhar!

  13. Laís

    Aconteceu comigo também esse medo. Só passei na 3ª prova, quando liguei o foda-se para aquilo e fiz todo o teste do jeito mais devagar possível, prestando atenção em tudo, e sem me importar se quem me aplicasse a prova me achasse uma lerda.
    Depois eu dirigia suando e tremendo, mas tive que fazer pela minha vida profissional (ir em audiências frequentes em cantos diferentes da cidade).
    Três anos depois dirigir é muito natural para mim, e inclusive eu gosto bastante atualmente. Meu próximo desafio é dirigir bem em estradas (por enquanto ando muito devagar).
    Para quem está passando por isso, o que posso dizer é que apesar de terrível no começo, todo esse medo passará se você o enfrentar e praticar a direção.

  14. Danielle

    Essa também sou eu Thais! Quando fiz 18 anos minha mãe disse que não poderia me dar um carro, mas daria a habilitação. Foi tudo bem pareci: do com seu caso, pouca prática, e no teste da baliza reprovei antes de ligar o carro, pois esbarrei no limpa vidros e não sabia onde desligar. O avaliador foi taxativo: Se não sabe nem desligar o limpa vidros pode descer do carro e ir estudar mais. Fiz o teste novamente e passei, mas meu pai nunca, nunquinha deixou eu pegar o carro. Pra piorar 6 anos depois sofri um grave acidente de carro, o que me deixava em pânico, não queria machucar alguém como fizeram comigo. Até que eu engravidei, e vi que precisaria enfrentar este medo pra poder sair com meu bebê, então convenci meu marido que se tivesse um carro automático eu dirigia… Ele comprou e por toda a licença maternidade fui adiando o momento de pegar o carro, até o dia em que tive que voltar ao trabalho, aí não teve jeito, peguei, foi tenso, mas agora estou tendo essa sensação de liberdade. Sou habilitada há 17 anos, mas dirijo há apenas 10 meses. ainda não faço baliza, tenho medo de estragar os outros carros, mas agora até ligo o som do carro, algo impensável até dezembro por exemplo. Estou sentindo a liberdade de poder ir ao mercado a noite sozinha, de levar meu filho ao médico. Tive tanto medo que achava que nem era tão importante dirigir, me limitava com meu marido me levando quando estava disponível. Meu empoderamento feminino e pessoal se deu através do automático também.

  15. Ana Paula

    Também passei pela mesma situação. Tirei a carteira aos 18 e fiquei anos com ela só de enfeite. Meu sonho era ter um carro automático, mas “herdei” o carro antigo e manual da minha irmã. Acho que saí com ele duas vezes, depois nunca mais. Não conseguia nem tirar o carro da garagem, tamanho o pânico de fazer tudo errado.
    Até que comecei a trabalhar e meu trabalho exigia que eu fosse visitar clientes. Meus pais viram que não dava mais para ficar dependendo de transporte público e carona e que eu tinha que dirigir.
    Eles sugeriram que eu fizesse um curso para pessoas habilitadas com medo de dirigir. Foi a melhor coisa que fiz.
    O curso é totalmente diferente da auto escola. Pelo menos o que eu fiz envolvia conversas, terapia em grupo e aos poucos eu ia pegando o carro. No começo com instrutor, depois eu tinha que fazer percursos sozinha, perto de casa e anotar o que eu sentia, para conversar depois na terapia. Aos poucos ia aumentando a distância.
    E assim eu fui ganhando cada vez mais confiança. Eu que achava que nunca ia conseguir dirigir e ficava mal sempre que via pessoas mais novas que eu tirando carta e já dirigindo.
    O importante é entender seus medos e não ter vergonha de procurar ajuda. Existem muitas pessoas na mesma situação. Bjos

  16. Carolina

    Que texto maravilhoso! Super me identifiquei!! Obrigada por essas palavras de incentivo, estava precisando disso hoje!!

  17. Lilian

    E como lidar quando vc é uma pessoa que dirige numa boa na cidade, há mais de 10 anos, mas tem crise de pânico se tentar pegar qualquer br ou estrada? as pessoas acham que é falta de costume, mas não. Não me dá coragem, e toda vez que tento pegar algum trecho de rodovia, eu sinto como se fosse ter um infarto, falta de ar, suor frio, taquicardia. Não é frescura, mas pouca gente compreende isso.

    • Nossa, guria, que tenso! Você já sofreu algum acidente na estrada ou algo do tipo? 🙁

  18. Andy

    Eu tive a oportunidade de tirar minha carteira assim que completei 18. Sempre fui bem, passei de primeira em tudo. Quando minha PPD chegou, fiquei louca para dirigir e peguei o carro do meu pai, mas ele fazia questão de sempre ir junto para ver como eu dirigia. Não sei se é um pouco de machismo, mas ele achava que eu não sabia ainda dirigir e que precisava aprender – era isso que ele dizia, que eu tinha que aprender, mesmo depois de quase gabaritar a prova e passar de primeira com elogios no prático. Um dia fui dirigir numa rodovia e ele se assustou com um carro que tentou fazer uma manobra perigosa, eu tive que reduzir a velocidade para o sujeito passar, pois na via tinha algumas pessoas andando (bem no meio da rua); meu pai achou que eu não sabia o que estava fazendo, puxou o volante com a maior loucura e quase atropelei um piazinho, só não atropelei porque tinha reduzido a velocidade e puxei o volante de volta. Estacionei no primeiro lugar que achei e depois disso toda vez que sento no banco do motorista meu corpo treme. Isso faz seis anos, e ainda sinto o mesmo. Acho que nunca vou superar.

  19. Marina Teixeira

    Thais, amei seu texto! Parece que veio na hora exata para mim! Minha situação é um pouco diferente: quando fiz 18 não tinha nenhuma condição de bancar a autoescola, e também nunca fiz muita questão… fui começar o processo só aos 25, isso pq fui muito pressionada pelo meu pai, que é o único que dirige aqui em casa. Tudo foi bem tranquilo, inclusive as aulas práticas. Agora, quando chega a vez de fazer o exame é outra história!! Já fui reprovada 4 vezes por diferentes motivos, já teve um examinador que me afetou psicologicamente, já errei bobagens que nunca errei nas aulas… teve uma vez que chorei ao final do exame pq senti que decepcionei o examinador (!!!!), que tinha sido muito bonzinho comigo e me deixado repetir a manobra q errei, e consegui errar pior q da primeira vez hahahahaha. Com isso minha pauta venceu, já reabri e falta fazer o exame prático novamente, mas vou só adiando por um medo bobo…

    Se servir de incentivo, continue postando esses temas mais específicos sim!! Sempre vai ter alguém que se identifica, e é bom saber que a gente não está sozinha com aquela insegurança que fica martelando na nossa cabeça! 🙂

  20. karoline rocha

    Que Post tudo !!
    falou com meu coração, estou tirando a minha carteira e tenho tido muito muito muito medo!
    ajudou muito esse texto!

  21. Nani

    Oi Thais, td bem?
    Apesar de acompanhar vcs diariamente raramente comento.
    Me identifiquei mtoo com vc, mas ainda não cheguei na parte do “perder o medo” de dirigir.
    Tb tinhei minha carta mais tarde, com 21/22 anos e ao contrário de vc, só fiquei com medinho de dirigir na 1ª aula. A coisa td fluiu lindamente e nas aulas eu já dirigia naturalmente, conversando com meu instrutor coisas aleatórias. Claro que na prova prática tb tava super tensa, mas consegui passar de primeira e fiquei feliz da vida!
    O problema foi depois disso. Como não tinha carro nem moto, fiquei sem praticar e hoje tenho pânico total! Meu medo é tanto que tenho uma moto à minha disposição na minha garagem (do meu irmão) e se precisar ir no mercado, vou a pé mas não a uso.
    Isso é muito frustrante e dá uma sensação de incapaz / inútil 🙁
    Mas tenho fé q um dia vou perder esse medo e vou rir de toda essa insegurança q sinto hj em relação a isso.
    Obrigada por compartilhar com a gte.
    Beijos.

  22. Denise Mendes

    Eu também tinha muito medo, até hoje não ando muito perto de caminhão e ônibus. Foram muitas aulas até perder o medo. Minha história é um pouco parecida com a sua, mas no meu caso dirijo carro comum mesmo. Quando comprei meu carro fiz aula para habilitados, só dirigia aos domingos e feriados. Demorei um tempo até ir pro trabalho de carro (cerca de 20 km de casa). Quando alguém me diz que tem medo de dirigir sempre digo: Se eu consegui, você também consegue! (Já tem uns 9 anos que dirijo e nunca bati)

  23. Jéssica

    Eu também estou no time que precisava ler isso, as vezes parece que é só a gente que tem dificuldade, que todo o resto da humanidade saiu da auto escola dirigindo!

  24. Graciela

    Olá Thais,

    Pensei no começo que você estava narrando minha estoria, mas eu reprovei 3 vezes ate passar kkkk
    e bem já tenho a CNH a 10 anos, e sem nem um pingo de vontade de dirigir, todos falam para tentar que é bom, que tem liberdade, e quando dirigir vai ver o tempo que perdi, mas não tenho vontade de dirigir um manual, to esperando para trocar nosso carro num automatico, acho que você está certa, quando tiver um automatico, quem sabe não me inspire…

    Bjoss

  25. Taís

    Acho esse tema muito importante, pois também já fui uma ”motorista” com cnh engavetada.
    Moro fora da casa dos meus pais desde os 19 anos, quando saí para fazer faculdade. Então sempre me virei com transporte público. Mas chegou um momento que eu, morando numa cidade não tão grande, demorava 1h ou mais pra chegar no serviço. Comecei a me sentir muito limitada e, então, quando pude comprei meu carro (mesmo sem dirigir há uns 5 anos – digo sem dirigir mesmo, nem sentava no banco do motorista).
    Meu carro, diferente do seu, não é automático, e eu também sentia que não conseguiria dar conta de tudo. O bom é que a gente sempre se engana rs…NÃO EXISTE PERFEIÇÃO SEM PRÁTICA…Como eu queria ser uma boa motorista se eu não dirigia?
    Todo “recém-motorista” faz “cagada”…Eu tive que encarar rodovia no primeiro dia que vim para o serviço, suava frio, tremia, não conseguia olhar do lado…mas isso durou pouco tempo…Hoje quando eu lembro da noite não dormida na véspera em que iria ter que dirigir eu fico muito feliz. É muito bom superar um medo!!!!
    E é muito bom fazer outras pessoas perceberam que elas também podem!!!

  26. Ariane

    Thais, me explica uma coisa: vc mora dentro da minha cabeça???
    Sério!!! Toda vez que eu fico pensando num assunto aleatório, é so entrar aqui que tem post seu sobre o mesmo assunto!!!
    Senta que la vem textão: nunca fiz questão de tirar carteira. Meu pai sempre teve carro, nunca foi mão de vaca com gasolina, nunca foi apegado o suficiente pra não emprestar pra ninguem. Minha irmã (mais velha) tirou carteira com uns 18-19, não dirigia. Ai acho que meus pais focaram tanto nela, pra que ela dirigisse, que não falavam nada comigo, pra eu começar a tirar a carteira.
    O tempo passou, ela ja dirige pra la e pra ca, eu ja fiz faculdade, ai começaram a focar em mim.. Falavam pra eu tirar, falavam ‘pelo menos começa, se não quiser, não termina’ e quanto mais a pressão aumentava, mais o medo aumentava tbm. Cheguei num ponto de ficar com medo sentada no banco do carona!!
    Ai.. chegou num ponto que eu liguei aqueeele botaozinho mágico e falei: se não for agora, não vai ser nunca!
    Aí, agora, ja passei dos 25, to no meio do processo pra tirar minha carteira de habilitação, tremendo so de pensar hahahaha
    maaaass.. confiante (eu acho!)

    • Ariane

      Ahhh e fale sempre sobre esses assuntos ‘aleatórios’!!! Adoro!! ja vou pensar no próximo assunto aleatorio que vai passar na minha cabeça e q vc vai falar rsrsrs

  27. Iara

    Por um momento achei engraçado, porque eu não tenho problemas com isso. Tirei a carteira aos 18 anos sempre dirigi carro e moto, amo e nunca tive medo. Mas tenho uma amiga que sempre teve medo, e acho que mesmo um carro automático não adiantaria. É bastante tenso.
    Desde que tirou a carteira ela não sai de carro além da nossa rua, isso porque ela só usa pra ir de casa até a manicure e volta não dá mais de 1km. Mesmo assim nesse trajeto sem lombadas, sem semáforo, sem nenhum obstáculo ou placa que obrigue parar, ela conseguiu perder o controle outro dia e bater em uma cerca sozinha. Ela não dirige mal, é puro medo, nervosismo, etc. Acho que o caso dela é mais sério.

  28. Patrícia

    Eu também tive medo de dirigir no início. Não tive muitos problemas em tirar a habilitação, passei na segunda tentativa, aos 18 anos. O problema veio depois. Assim que consegui a CNH, comprei um carro usado com a ajuda da minha mãe. Mas ainda não me sentia segura e pedi ao meu pai para me dar umas “aulas”. Mas paciência nunca foi uma das virtudes do meu pai e isso me deixou meio traumatizada.
    Aí resolvi que ia aprender sozinha mesmo. Comecei fazendo pequenos trajetos em horários em que o trânsito é mais tranquilo, como em finais de semana ou à noite. Com o tempo fui ganhando confiança e aumentando os meus trajetos. Hoje enfrento o trânsito com tranquilidade e até viajo sozinha dirigindo.
    Acredito que enfrentar os nossos medos é a melhor forma de vencê-los. É um processo longo e trabalhoso, mas que vale muito a pena!

  29. Daiane

    Noooossa!! A primeira vez que vejo uma matéria sobre medo de dirigir. Estou passando por isso, já fazem 4 anos que tenho carteira e muitooooo medoooo de dirigir, fico em pânico só de pensar em dirigir. Quando eu estava fazendo aulas eu até ia bem, mais foi só as aulas terminarem que me bateu um pânico terrível de assumir um volante. Obrigada mesma por esta matéria, é um incentivo a mais, vou sempre me lembrar dela, olha que quando eu perder este medo e já estiver dirigindo vou te contar. Valeuu!!

  30. Marcia Daniella

    Tenho pânico de dirigir! Tirei carteira, mas faltou coragem de treinar mais e enfrentar o medo. Acho que já esqueci tudo. Já faz tanto tempo

  31. victória

    Me visualizei!! hahahaha Tenho carteira alguns meses,minha mãe pensa em me dar um carro mas sempre adio a ideia imaginando os acidentes que podem acontecer.

  32. Michelle Flor

    Thais, quase nunca comento, mas tive que passar aqui para dizer que ótimo que você trouxe esse tema! Muita gente passa por isso e não consegue admitir, por causa da pressão que sofre.

    Às vezes o medo não vem do ato de dirigir, mas outras questões na vida que podem estar atrapalhando a pessoa. Passei por isso e tive que buscar ajuda profissional para entender o motivo do medo, que na verdade não tinha muita relação com o carro ou com o trânsito. Depois de um tempo superei esse problema.

    Beijos!

  33. Claudia

    Três dicas: 1) Não enfrente o trânsito com co-piloto, vá sozinha. No começo vai levar buzinada e fazer barbeiragens mesmo, isso é absolutamente natural, mas ter carona só piora a situação pq vc fica embaraçada, envergonhada e com mais medo que o normal. E sozinha vc não tem direito de se apavorar e ‘colar as placas’, vc tem que andar… e vai. Acredite. 2) Não se aprende a dirigir de outro jeito, a não ser dirigindo. No começo pegue o carro nos domingos pela manhã, por exemplo, que é mais calmo. Depois, se comprometa a sair todo dia, é assim que a direção vai se automatizando e vc cria memória muscular. 3) Conheça o seu caminho. O melhor dos motoristas vira um barbeiro quando não sabe onde entrar, as manhas do caminho, etc. É isso, se quer ser uma motorista habitual, dirija. Eu moro em Curitiba e vou tranquila a São Paulo, a Foz do Iguaçu, ao litoral catarinense dirigindo, mas antes disso eu passei por todos esses medos. Vai lá, umas buzinadas no trânsito não matam ninguém.

    • Claudia

      Ah! Não se encolha diante de uma raspada no espelho, uma batida leve… isso acontece todos os dias com motoristas ultra experientes e até profissionais também. Pense que para dirigir não existe nenhuma exigência especial, e se qualquer pessoa alfabetizada pode, é evidente que você também pode.

  34. Karina

    Oi Thais, tudo bem? Sei muito bem como é isso. Muito bom saber que não estou sozinha. Tirei carta muito tarde, com 25 anos, não dirigi depois disso. Com 30 anos decidi que estava na hora de ter mais liberdade e comprei um carro. Pânico! Eu transpirava na possibilidade de sair com o carro, rsrsrs. Mas comecei devagar, primeiro sempre andava com alguém que me passasse confiança e tivesse paciência, só no bairro mesmo. Depois indo para lugares mais distantes, como da casa para o trabalho. Agora, depois de 2 anos, pego até rodovia! Foi sofrido, foi difícil, até hoje tenho receio de ladeira, baliza, lugares que não conheço, deixo morrer… Mas, nada impossível! 😀

  35. Alkysa

    Thaiissss, Filhaaa ! Bate aqui ! Carro automático foi a solução dos meus problemas!!!
    E to com você….marcha pra quê!?!?!?

    ahhaha amei sua história, me identifiquei SUPER!

  36. Valéria

    Primeira vez que comento, me identifiquei tanto que não teve como rs. Eu tirei minha carteira bem mais tarde, só aos 40 anos. E tipo, só eu não dirigia, praticamente todo mundo à minha volta dirigia. Um dia uma amiga falou, “aff, vc não bebe e não dirige e eu só te trouxe pq vc não bebe e achei que podia dirigir pra mim”. Claro que ele não falou por mal, mas como eu já estava super incomodada de ficar dependendo de carona toda hora. Antes disso, fui a um show e aconteceu um lance lá que me deu vontade de ir embora na mesma hora. Mas não podia, pois estava de carona. A grana curta, mas coloquei na cabeça que precisava dirigir.
    Fiz a auto escola, quis logo fazer carro e moto. Pra resumir: uma semana antes, caí com a moto no campo de treinamento, fiquei super envergonhada diante dos outros alunos e ainda machuquei a perna e quebrei os retrovisores da moto. No dia achei que não conseguiria. Via as pessoas reprovando outras passando e de posse de uma garrafa de suco de maracujá (fiz isso no vestibular e no mestrado, olha o nível do nervoso na pessoa), chegou minha vez e eu só tremia. Passei. Mas o pior foi o dia do teste pra carro. As pessoas reprovando seguidamente na balisa, eu era uma das últimas e ninguém passava e tremia dos pés à cabeça, literalmente. Só vi uma menina conseguir sair para o trajeto, não sei se ela passou. Quando chegou minha vez, só pensava: “mais de 40 alunos e ninguém passou, não vou passar também….” Apesar do avaliador ter tentado me sacanear, consegui fazer a balisa e saí pra fazer o trajeto, sem acreditar que tinha saído da balisa e mais apavorada ainda. Logo depois da ladeira um motoqueiro quase bateu no carro 2x, porque tava brigando com a namorada e devia estar drogado, ou sei lá. Até o avaliador se assustou e eu fiquei paralisada. Só ouvi ele dizer: “vai, sai fora desse cara, ele tá louco”. Eu tremia tanto! Os dedos dos pés, os joelhos as orelhas, tudo! Nunca senti tanto nervoso! Nem sei como completei o trajeto, o carro nem morreu na maldita ladeira e morria todos os dias. Estacionei em choque. O avaliador me deu o papel de aprovação e as pessoas vinham me abraçar e dar parabéns e eu parecia que tava em outro planeta. Fui a única a passar no dia (se a outra menina não passou, né rsrs).
    Mas o medo persiste. Tenho que respirar fundo, estacionar então, prefiro andar quilômetros do que fazer baliza, veja só a ironia. Mas estou indo. Eu sei que uma hora, vai passar. Obrigada pelo seu incentivo!

  37. Gabriele

    Obrigada pelo texto Thais!
    Me fez refletir que não sou a única com esse medo! E que sim, eu não devo desistir!

  38. Polly Chaves

    Thais nem tenho como agradecer a postagem desse texto maravilhoso. Tirei a carteira há dois anos e não peguei num carro desde então, sofria só de pensar em dirigir, batia um medo desesperador toda vez. Hoje tento criar a coragem de pegar o carro e sair pra dirigir pra ganhar confiança e começar a ter liberdade pra sair, mas nunca exerci de fato esse pensamento, mas essa postagem me deu a motivação que precisava pois achava que tava sozinha nessa situação. Muito obrigada por dividir essa história aqui!

  39. vaness

    Lembrei do meu teste qdo o avaliador disse: ” vc tem consciência que precisa melhorar, né?”

  40. Melissa Hills

    Dou maior apoio para que nenhuma motorista desista ! Agora vou confessar, depois de 25 anos aguentando trânsito, engarrafamento e risco de assalto, TUDO o que eu quero é um motorista ou um metrô que me leve aonde eu quiser ir 😉

  41. Monica

    Muitoooooo EU!
    Meu pânico de dirigir era tanto que nem falava sobre o assunto!
    fiz a cnh com 21 anos e voltei a dirigir com 29..apenas tirando o carro da garagem por semanas…fui aumentando meus trajetos…sempre acompanhada.. depois me arrisquei a ir sozinha…mas SÉRIO odeio reduzir marchas…e agora realizei o sonho da vida meu carro automático na garagem…com persistência e dedicação vencemos nossos maiores medos…bjs

  42. Ingrid

    Noooossa parece que me vi em vc!! Kkkkkk sério! Sem falar que não consegui (desisti) tirar carteira de moto pq eu só caia nas aulas e me machucava toda afff eu odiava moto! Mas não é esse o tema do post né kkk… Enfim… Eu tirei a carteira tem uns 3anos e quem disse que eu pego o carro?! Não dou conta de dirigir esse carro duro! Fora o medo né de bater em alguém! Mas vc me mostrou uma luz no fim do túnel e quando for gente grande que nem vc… Eu Vou comprar um carro automático e sair por aí kkkkk bjooo Thais te adoro!

  43. Daniele Rosa

    Uma dica que serviu pra mim: ir dirigindo aos poucos, por exemplo, sair com o carro e dar uma volta de quarteirão, fazer isso por varios dias até se sentir segura de aumentar o percurso, ai aumenta e vai fazendo por varios dias, depois escolhe um destino, por exemplo ir ao mercado ou a padaria e repete alguns dias, quando a gente percebe ja esta dirigindo naturalmente! Eu fiz algo parecido so que a distancia era maior, comecei a ir trabalhar de carro, todo o dia pelo mesmo caminho ate que comecei a me sentir segura, hoje sinto prazer em dirigir, a sensaçao de liberdade e maravilhosa, detalhe meu carro e cambio manual e do meu marido e automatico e eu dirijo os 2, mas concordo carro automatico e vida kkkkk

  44. Fabiana Rodrigues

    Que texto maravilhoso! A minha história não é diferente. Peguei minha habilitação com 20 e dirigi poucas vezes, meu marido me levava para todos os lugares. Depois de 14 anos, vi a necessidade de dirigir,meu marido faleceu e eu tinha 2 filhos. Voltei a dirigir, me ajuda em tudo, levo as crianças na escola, vou ao mercado e outros lugares que preciso. Fico pensando que poderia ter feito isso bem antes. Hoje me sinto mais livre.

  45. THAIS

    Nossa, sei bem como é isso, Thais, tb fui tirar carteira com 20 anos e peguei a transição das mudanças da Lei, por sorte, pois tive que fazer 3 exames práticos, tamanho o pavor… a primeira vez fomos para o lado do subidão do Paraná Clube, eu, o intrutor e mais dois marmanjos, só eu consegui arrancar, mas no nervosismo esqueci de por o cinto e depois achei que o carro não andava, passei pra segunda marcha… huahuahua… nenhuma das vezes teve baliza pois o pátio estava em reforma, pode isso? Bom, eu fiquei toda feliz quando comprei meu Kazinho que subia todas as ladeiras sem precisar usar freio de mão, daí resolvi trocar por um Fox, por ser mais pesadinho, comecei a ter pavor de qualquer subida, mas em outros pontos fui melhorando e ganhando confiança, mas nunca fazia baliza, não conseguia e não sabia fazer… Bati o Fox umas 3x de pura c*g*d* e aí aprendi a andar mais devagar, pois nesse trânsito correr não resolve nada, vejo o povo me ultrapassar e dou risada pois sempre paramos no mesmo sinal logo à frente. Bom, agora estou com um Marchizinho e estou amando, voltei a subir ladeiras com confiança e só agora depois de quase 20 anos de carteira acho que dirijo bem e faço baliza na boa com o sensor de estacionamento… \o/ muitas vezes pensei em desistir… bjo

  46. Nalian

    Eu reprovei 5 vezes pra tirar cnh de carrro e duas no exame de moto dai esperei um tempo e fiz tudo de novo e passei… gracas a Deus kkkk

  47. Fernanda

    Nossa, pelos comentários não sabia que tanta gente tinha esse medinho, achava que era só eu… aliás eu tenho pavor!! kkk tanto que estou fazendo auto escola agora, com quase 33 anos na cara! Ainda estou nas teóricas.. mas.. vai dar certo! Força na peruca!!

  48. Débora

    Também estou nessa, infelizmente tenho medo de dirigir e sou habilitada, estou pensando seriamente em comprar um automático, qual é o seu Thaís? Indica?

    • Débora, meu carro é um Honda Fit – sério, que carrinho bom! Raramente dá problema. A única chatice dele é que a bateria, por ser pequena, acaba rápido se eu fico com ele parado muito tempo, mas nada mais!

  49. Alice Neubert

    Nossa Thaís, me identifiquei muito!! Eu ainda não perdi o medo, e meu marido vive falando que quando tivermos condições devemos comprar uma automático pra mim (já que ele usa o nosso carro pra trabalhar), que ele tem certeza que eu iria ter mais facilidade e ia acabar perdendo o medo, mas nunca acreditei muito nele, hehehehe Sempre achei que não iria fazer diferença, mas lendo o teu relato mudei de ideia, já fiquei com um pouco mais de esperança de um dia ser eu a dar caronas por aí, hehehehe Um beijo querida, e obrigada por dividir isso com a gente!!

  50. Mariane

    Poxa fiquei decepcionada com o post, pois fui me identificando a cada palavra até a solução que foi o carro automático, achei que teria uma solução dentro da minha realidade rs.

  51. Renata

    Eu tirei carta com 18 anos, passei de primeira no teste, mas nunca me senti confortável para dirigir pq meu pai e meu ex me cobravam uma experiência q era impossível para qualquer um ter àquela altura. Sempre evitei pq não aguentava as piadinhas q eu estava devagar, q eu fiz uma curva muito aberta, etc… com 23 anos eu morava sozinha e estava com um carro q nao era meu quando acabei sofrendo um acidente relativamente sério (que foi causado por outro motorista, mas enfim…). Fiquei quase 4 anos com panico de sentar no banco do motorista – uma vez estava com uma amiga no posto, ela desceu pra ir na conveniência e o atendente me pediu andar 1 metro com o carro pra ele conseguir chegar mais perto da bomba – nem isso eu consegui!!
    Decidi depois de um tempo q eu PRECISAVA superar aquilo, seja pela comodidade de não ter q pegar onibus, pela independência, mas principalmente como vitória pessoal, Meu atual namorado foi quem mais me incentivou e me indicou um apoio especializado – no meu caso foi um daqueles cursos q liderança q duram um final de semana e me deu coragem de enfrentar meu medo. Na semana seguinte eu fiz uma aula para motoristas habilitados e com 15 minutos o instrutor me disse que não havia entendido pq eu havia o contratado! Eu peguei a marginal pinheiros, uma rodovia e uma ladeira enquanto conversava tranquilamente com ele.
    Entendi com a ajuda profissional e com essa aula q meu medo estava ligado à expectativa q eu tinha em relação à aprovação das outras pessoas: medo do motorista ao lado me chamar de barbeira, medo das pessoas no carro comigo acharem q eu dirigia mal… mas quer saber, e daí? O q importava é q eu ia levar 20 minutos para ir ao trabalho ao inves da 1:30 e dois onibus, q eu poderia sair em dias de chuva, q eu nao dependeria de ninguem e q poderia voltar a hora q eu quisesse!
    Na época já estava pagando um consorcio e pouco tempo depois consegui finalizar a compra do meu carro (manual pq eu sou raiz! hahaha). No começo fiz muita barberagem (chegava meia hora antes do marcado em qualquer lugar pra poder estacionar! hhaha), mas coloquei na minha cabeça q eu estava APRENDENDO! Hj eu ainda pego várias guias na hora de estacionar na rua, caio em buraco, mas consigo ver esses pequenos erros em motoristas muito mais experientes q eu! E é isso gente, ninguém é perfeito! Vc não vai ser uma motorista perfeita (como tb nao vai ser perfeita em muitas coisas) e ta tudo bem! Hj ja faz 3 anos e meio q eu dirijo e me considero muito boa motorista 🙂
    Ano passado meu namorado teve uma crise de ansiedade no meio da rua e eu tive q tomar o volante enquanto cuidava dele de volta pra casa – ter esse poder de ajudar quem vc ama é indescritível e nós nunca sabemos qdo essa ajuda será imprescindível! Quando vc conquistar a sua independência, seu conforto vai ver q bater de frente com essas inseguranças vai ter valido a pena demais! Procure a ajuda q for necessária, não eh vergonha NENHUMA!

  52. Josy

    Foi reconfortante ler esse texto ontem, estava muitooo nervosa pois meu exame era no dia seguinte (no caso hoje 06/04). Me sentia a pior de todas e muito insegura, pois já tinha feito o exame de direção e sido reprovada logo de início na baliza e ler esse texto foi tão bom…Achamos que temos obrigação de passar de primeira em tudo e não é bem assim, as pessoas erram, tem suas dificuldades e tudo isso faz parte…não precisamos nos pressionar pra conseguir tudo sempre de primeira, já temos tanta coisa pra preocupar..tudo acontece no seu devido tempo, se não foi dessa vez será da próxima, e da próxima e da próxima…Mas enfim, no final das contas passei, tô muito feliz!!! Mas se alguém estiver na mesma situação, vamos nos cobrar menos..a sociedade já nos cobra tanto…Thais, muito pertinente o seu texto, excelente tema..fique à vontade para trazer pautas diferentes e muito obrigadaaaaaa!

  53. Aline

    Eu tô na fase de estar com a carteira parada tb.
    Não tenho coragem de dirigir e o pior é que acabei de ganhar minha bebê, é péssimo ficar dependendo dos outros.
    Minha ideia tb era comprar um carro automático (assim que possível, pq eles são bem mais caros ne); mas, me diz Thaís, como é andar na lomba com esse carro (pq esse é meu maior medo)?

  54. Vanessa

    E eu q to com 30 e coragem nenhuma nem de tirar carta? Só de pensar em ter que fazer uma prova no Detran já me deixa completamente nervosa e me sinto mal, no dia acho que não conseguiria. Fora dirigir depois, hj em dia me dá nervoso até de carona na hora q o carro vai mudar de faixa em lugar movimentado. Não sei pq desenvolvi esse medo, antes eu nao tinha, porém conforme fico mais velha, ele aumenta.

  55. Cassia

    Eu tinha um medo absurdo de dirigir. Fiz tratamento na clínica Cecília Belina, que é especializada nisso. Mudou minha vida! Hoje dirijo para qualquer lugar, na maior tranquilidade. AMO dirigir, aliás. Antes era uma tortura. Recomendo demais o tratamento para todo mundo.

  56. Alba

    O negócio é nao se deixar dominar pelo medo. Eu aprendi a dirigir aos 25 anos, quando passei a ter dinheiro para isso, depois de comprar meu apartamento. Rezei muito, muito mesmo, para dar conta de tudo, e passei de primeira em todos os exames do DETRAN. Levei uns anos juntando dinheiro para o apartamento, três, e depois eu fiz o mesmo para comprar o carro. Meu marido tinha o dele, e passei a ter o meu porque preciso para trabalhar.
    No início eu não conseguia dirigir, por pavor de morrer da mesma forma que o meu irmão, mais novo, que se foi aos 18 anos, há vinte anos atrás, por uma batida de ônibus pirata contra a traseira do carro dele.
    Isso me assombrou por um tempo. Um dia, eu sentei para assistir à missa dominical, e pedi muito a Deus que me tirasse o medo para eu cuidar da minha vida, e quando me dei conta, estava dirigindo!
    Carro é tudo carro! Ter ou não embreagem não é importante. O seu limite, Thaís, parece ter sido o medo de subir ruas inclinadas. Não deixe que nada te impeça! Eu particularmente adoro passar as marchas, e não tenho vontade alguma de gastar mais com um carro automático, até porque eles também têm seus desafios.
    Aprenda a conhecer o veículo, e qualquer um estará bom. Pense assim: e se vc precisar dirigir um carro com embreagem?
    Um beijo!

  57. Thais! Cada vez mais venho me identificando com seus posts hahahaha
    Mostrei aquele vídeo sobre sua decisão de ficar solteira por um tempo pras minhas amigas e elas perguntaram: “nossa, é você que gravou?” HAHAHAHA Também conheci uns caras pelos aplicativos da vida e o último era, de fato, bem maluco. Então, vem cá que eu vou te contar a história do meu medo de dirigir! hahaha
    Você descreveu a minha situação, parece que eu estava revivendo a época que tirei carteira de habilitação (mas não reprovei na baliza – reprovei no percurso haha)
    Ainda estou na faculdade, então continua dificil bancar um carro pra mim (até por que são meus pais que me sustentam até agora), mas estou pra me formar em breve e já tinha pensado nessa possibilidade do carro automático… agora ela parece MUITO mais atraente!

    Obrigada por esse e pelos outros posts!
    Beijos!

  58. Estella

    olá Thais! me identifiquei com sua historia porque eu tambem tirei carta com 20 e poucos – reprovei 2 vezes e ainda não tenho coragem de dirigir e comprar um carro. Quem sabe um automatico seja mesmo a solução. Obrigada por dividir esse tema conosco.
    Acho super importante. Beijos

  59. Geisi

    Oi Thaís, adorei o texto! Passei pela mesma situação… consegui minha CNH com muitooo esforço mas não dirijo por medo! obrigado por compartilhar sua experiência. Beijos.

  60. Cy

    Eu quase nunca comento nada por preguiça mesmo, mas desta vez tive que parar aqui e te parabenizar pelo post! Hoje eu digo que se eu consegui dirigir numa boa qualquer pessoa consegue, sério!!! 🙂 Eu tirei a CNH bem tarde, com 24 anos e saí pouquíssimo pois peguei muito medo. Trauminha mesmo. Só de pensar em dirigir suava frio, entrava em pânico, não conseguir nem imaginar entrando no carro e acertando os espelhos… só isso me dava náuseas! Aí, depois de 7 anos sem pegar num volante, resolvi mudar de vida: fiz 20 (sim, vinte!) aula para habilitados com uma instrutora do meu bairro que é um amor! Fui perdendo o medo e hoje dirijo tranquilo e feliz. Ontem foi a primeira vez que saí pra bem longe sozinha – fui em uma festa num município vizinho sozinha, peguei estrada e tudo! Me senti muito orgulhosinha de mim mesma! Coragem, meninas! Há luz no fim do túnel! 🙂

  61. Bruna Lima

    Muito legal vc compartilhar sua vida pessoal conosco, isso pode sim ajudar muita gente na mesma situação! Eu também não tirei CNH com 18 anos, minhas amigas todas não viam a hora de tirar carta, mas eu ia dirigir o que? Não tinha dinheiro para comprar carro, e o carro do meu pai era tão velho que só ele sabia como dirigir …kkk. Tirei carta com uns 21/22 anos mas foi terrível, passei raspando, ficava tensa e nervosa nas aulas, um horror. E continuava sem dinheiro para o carro, então a cnh ficou engavetada por um tempão. Depois de uns 2 anos eu troquei de emprego por um bem distante da minha casa, e ficar dependendo de ônibus já não dava mais com meus horários. Financiei um carrinho bem velho e rodado mesmo sem saber dirigir, e procurei uma auto escola que dava aulas para habilitados com dificuldade em direção. Por sorte o instrutor era muito calmo e paciente, me ajudou muito. No começo foi terrível, só sofrimento, mas com o tempo fui pegando o jeito, pois não tinha outra solução, precisava do carro para ir trabalhar e ir para a faculdade. Não tinha dinheiro para automático infelizmente. Mas sim é uma boa opção para quem tem esse problema com troca de marchas do carro. Mas acredita que até hoje não sei fazer baliza, preciso aprender, não consigo estacionar direito … kkkk. Não é fácil, mas não é impossível tb. Beijos a todas!!!

  62. Renata

    Eu tô nessa! Demorei pra tirar carta tbm e demorei pra começar a dirigir moto. Passei um perrengue com outra moto que eu tive, aí fiz um consorcio e consegui trocar! Agora eu ando de boa com a minha bizinha por aí, mas carro… Ainda não consegui pegar e nem “desapegar” pq não gosto de dirigir o carro dos outros pq tenho medo de fazer cagada mesmo. Que merda né? Obrigada por compartilhar sua história, dá mais alívio saber que tanta gente passa por isso pelos mesmos motivos e que podemos reverter isso. Bjos

  63. Stephanie

    Thais, que bom ler esse texto.
    Depois que tirei a carteira não peguei mais no carro.
    Tudo porque quando eu estava aprendendo ia com a minha mãe buscar minha irmã na faculdade, que me deixava ainda mais nervosa, fui ficando com medo. Então uma lição: não aprendam com pessoas impacientes do lado.
    Espero que até meus 31, em agosto, eu já dirija 😀
    Vou fazer as aulas na direção para habilitados.
    Volto depois para contar a minha vitória

    Um beijo

  64. Alessandra

    Thaís, muito importante você escrever sobre esse assunto, acho ótimo blogs que acompanhamos abordarem vários temas além de maquiagem e moda( que adoramos também..rs), mas muita gente tem medo de dirigir e acha que está sozinha no mundo, se sente um “ET”, foi assim comigo por muitos, muitos anos, me sentia até diminuida quando via uma mulher dirigindo, tinha pânico. Tentei perder o medo algumas vezes de maneiras diferentes e nada dava certo, então pensava que aquilo não era pra mim, era um bloqueio que eu tinha e precisa me conformar. Somente após mais de dez anos que estava habilitada tomei a decisão de fazer uma última tentativa e resolvi guardar segredo, apenas meu marido e meu filho sabiam que eu procurei um treinamento especializado em pessoas que tem medo de dirigir, é um treinamento sério, diferente das auto escolas, e depois de quatro meses comecei a dirigir sozinha, o pânico , o mal estar e o sentimento de derrota foram embora, aquilo que eu me julgava incapaz de fazer hoje faço de maneira cada vez mais natural, com isso incentivei minha tia a fazer o mesmo e hoje ela também dirige. Desculpe, mas escrevi esse texto enorme porque sei que muita gente tem o mesmo problema, embora para muitos pareça uma bobagem, mas tenham certeza que tem solução. E vocês meninas do “CDD” não sintam receio de abordar algum assunto, vocês poderão ajudar muito mais gente do que imaginam…bjs, Adoro vocês.

  65. Monique França

    Thais, você não imagina como esse texto é importante para pessoas que passam pela mesma situação. E eu sou uma delas. Tenho 30 anos e tirei minha carteira com 21. Passei de primeira, mas sabe como é a maioria das autoescolas, né? Te ensinam a passar na prova. Uma semana depois de pegar minha carteira, casei e mudei de uma cidade relatividade pequena, com trânsito um pouco difícil, para uma grande capital com trânsito super complicado. Foram 4 anos sem dirigir. Aí mudei pra Brasília, que é um paraíso para dirigir se comparada com outras cidades. Estava muito frustrada, pois eu tinha um carro só pra mim, manual, mas eu morria de medo, tinha pânico mesmo. Suava, tremia, chorava. Até que contratei um serviço de treinamento para habilitados, que me ajudou a reaprender a dirigir, mas não me tirou o medo. Passei a ter crises de ansiedade, dessas de abandonar o carro na rua e sair correndo chorando. Eu sofria muito. Sentia medo de tudo, medo de fazer uma besteira, sempre achava que provocaria um acidente e que mataria alguém. Meus pensamentos eram horríveis, eu não me sentia capaz. Precisei tomar remédios para a ansiedade e fiquei novamente mais de 1 ano sem dirigir. Até que troquei o meu carro manual por um automático e contratei novamente uma empresa especialista em treinamento para habilitados. Foi aí que tudo mudou. O instrutor era excelente, me incentivava e a cada aula me fazia ultrapassar limites, mas sem desrespeitar o meus próprios limites emocionais. Ele sabia exatamente até onde poderia ir comigo. O mais importante foi que ele se desprendeu totalmente daquelas regras de prova de auto-escola e me ensinou o que eu precisava saber de verdade para sobreviver ao transito. Até como funcionava os botões do meu carro e ele me ensinou! Foram apenas 2 treinos no carro da autoescola e todos os outros no meu carro. Uma coisa muito importante foi o fato dele fazer comigo todos os caminhos que eu mais precisava no dia a dia: o da pós, do trabalho, do shopping, do salão, etc. Para que eu pudesse ganhar confiança e aos poucos ir aumentando os percursos. Minha vida mudou! Ainda fico tensa as vezes, tenho algumas questões a serem trabalhadas, mas já dirijo sozinha, sem a necessidade de ter alguém do lado e vou e volto dos principais lugares que eu preciso. É, de fato, uma liberdade que não tem preço. Não tenho dúvidas de que as duas coisas mais importantes para a minha evolução foram o treinamento especializado (não uma auto-escola comum) e o carro automático. Como você mesma disse, marcha pra quê? Parabéns pelo texto! E obrigada!

  66. Sylvia Aline Peinado

    Sou assim também. Meu primeiro carro comprei junto com meu marido e é automático, dá mais confiança. Meu problema não é dirigir, é estacionar. Às vezes deixo de dirigir para não ter que fazer manobra para estacionar

  67. Camilla Moyses

    Nossa, Thaís, também agradeço por meus pais terem condições de comprarem um carro automático para mim e meu irmão (tenho 22 anose ele 20) .Mudou completamente minha vida, antes eu ficava tensa o dia todo se eu soubesse que teria que dirigir mais tarde, por exemplo. Hoje fico mais tranquila e presto mais atenção no transito em si (mudar de faixa ficou muito mais fácil haha). Obvio que tudo é treno e sempre tem outros desafios (estacionar, ex), mas o que eu senti foi como se eu tivesse “menos um peso nas costas” haha. Hoje em dia acho muito difícil largar o automático, é um vício e aí esquece mesmo a dirigir o manual. Beijos

  68. Gisleia

    Ahahahaha..menina, eu reprovei quatro vezes. Os examinadores aqui da minha cidade são uns cavalos de tão grossos. Tratam as pessoas muito mal. Mas enfim, passei. Também suava de medo, mas era exigência do trabalho. No começo parecia uma maluca, mas agora dirijo até q muito bem, faço uma baliza, q olha, tiro o chapéu. Agora estou me aventurando pra comprar um automático, apesar de esse negócio de esquecer a perna esquerda estar me dando trabalho. Mas vou seguindo firme. Próximo passo: fazer uma viagem. Pq sim, eu tenho 10 anos de cnh, mas nunca viajei, só peguei pequenos trechos de rodovias..mas td bem, tudo a seu tempo. Se não me sinto preparada, não vou, não quero estragar a vida de ninguém..

  69. Amanda Cardoso

    Nossa Thais, vou te contar minha história! Na verdade, história da família toda! hahahaha
    Também sou de familia de classe média, mas meus pais nunca dirigiram. Meu pai tem medo real, ele sofreu alguns acidentes e tem medo de carro até como passageiro. Minha mãe teve um problema que afetou a vista e ela teve que parar de dirigir. Como sempre moramos numa região de são paulo que tem ônibus e metro para todos os lados, nunca sentimos falta de carro. Quando meu irmão fez 18 anos também não tirou carta, não tinha ninguem pra ensinar… foi tirar carta com uns 22 anos, depois de muito reprovar kkkk.
    Eu tenho 28 anos, até hoje não tirei a bendita carta e as vezes morro de vergonha. Na vdd eu já cresci com a idéia de que eu não ia conseguir, eu tenho 1,48m e todo mundo sempre me falava: nossa como vai ser pra você dirigir? E eu fiquei com isso na cabeça. Além do medo de ter que coordenar tudo ao mesmo tempo, direção, cambio, espelhos. Eu vivo pensando em tirar carta, mas também não sei quando poderei comprar um carro. Só pra completar, meu namorado tem 32 anos e também não dirige, os pais dele não tinham dinheiro e ele sempre empurrou isso com a barriga.
    Eu morro de vergonha de não dirigir aos 28 anos, mas também não quero tirar a carta sem a possibilidade de comprar um carro e vou empurrando isso pra frente.
    Já conversei até na terapia sobre isso e sempre penso que é possível sim, pessoas com as mais variadas dificuldades físicas dirigem, pq eu não conseguiria? E ainda mais que hoje os carros automáticos não são tão caros como antigamente né?!
    Quem sabe esse ano consigo tirar esse plano do papel!

  70. Dani

    Amei o texto Thaís, tirei a carteira, o carro fica na garagem mas eu não tenho coragem. Assim como vc tenho certeza que preciso de um carro automático mas por enquanto ainda não deu pra trocar. O assunto foi ótimo!!!!

  71. Cecilia

    Estou nessa fase, tentando vencer o medo absurdo!! Estou há uns 7 anos com a carta na mão e travo, suo frio, tenho dor de barriga…e não consigo dirigir sozinha, mas estou na terapia e mentalizando que vou conseguir! Até o final desse ano vou estar dirigindo!!
    Thais, acho muito legal esse tipo de post, pois parece que nós leitoras nos aproximamos mais de vocês e nesse caso vejo que não sou um ET e que meu caso tem solução!! Bjs

  72. Larissa Horta

    Thais, esse post foi maravilhoso! Adoro o blog de vcs e quando tem posts mais pessoais assim ou que fogem um pouco ao tema do blog (resenhas, make, etc) eu sempre corro pra ler! Porque dessa forma nós leitoras conhecemos mais vcs.
    Eu também tirei minha carteira depois de formada, eu iniciei o processo das aulas com 25 anos e só tirei a carteira aos 26. Fiz todas as aulas da parte teórica o mais rápido que pude, e foi a melhor coisa pq precisei de 6 provas pra conseguir passar! Aos 18 eu estava entrando na faculdade, em uma cidade universitária e cheia de diversões, então minha última preocupação era tirar carteira de motorista. E sempre tive em casa alguém que pudesse me dar carona, e se não podiam, eu pegava o ônibus ou ia a pé mesmo, sem drama. Como não tinha também a previsão de ter um carro só meu tão cedo (como ainda não tenho), não me interessava em dirigir. Mas a coisa mudou depois que me formei. Estava começando minha profissão (sou dentista e trabalho de forma autônoma, podendo fazer meus horários) e tinha mais tempo livre. O primeiro dinheiro em maior quantidade que entrou eu já reservei pra minha carteira e iniciei as aulas… com isso levei minha irmã comigo, pra servir de estímulo pra não desistirmos. Como contei, fiz minha parte teórica o mais rápido que pude, e fui pras aulas de rua. Como era possível escolher o carro pra ter as aulas na minha auto-escola, eu escolhi um modelo que meus pais tinham em casa tbm, pra poder praticar (embora não seja permitido praticar sem o instrutor ao lado). E com isso, acabei dando a maior sorte pois o instrutor era muito bom e tinha muita paciência! Já saí da primeira aula amando dirigir (hahaha) e ansiosa pelas próximas aulas. Meu instrutor sempre dava a maior força pra eu vencer minhas dificuldades e era um condutor muito correto e habilidoso. Claro que reprovei na primeira prova, na baliza mesmo, como praticamente todo mundo que tenta tirar carteira na minha cidade. A partir daí, não desisti e sempre ia fazendo aulas antes das provas. Mas sempre tinha alguma coisa que me atrapalhava no dia da prova, principalmente ansiedade. Resumindo: na 6ª tentativa que fui conseguir minha tão sonhada CNH, e já era minha última tentativa antes de ter que começar todo o processo novamente. Já tenho a carteira há 1 ano e 2 meses, e no último final de semana peguei a estrada pela primeira vez, com meus pais no carro pra me darem confiança e me ajudarem com conselhos. 🙂
    Beijos!

  73. Cecília

    Também passei por isso, só que não tive a mesma sorte que você. Reprovei na segunda e alguns anos depois tive que fazer tuuuudddoo de novo. Até que consegui juntar o dinheiro e o carro passou a ser necessário pra me locomover de um trabalho a outro a tempo. Mas me obriguei a comprar o manual. Determinei a mim mesma que eu precisava aprender e perder o medo dele pra só depois passar pro automático. No começo era horrível, meus pais tinham que ir comigo e dormir em hotel pq eu morria de medo de fazer as coisas sozinha (sim, já comprei o carro direto pra estrada). Hoje, pouco mais de 1 ano depois não consigo nem lembrar daquele medo todo!

  74. Que post legal, adoro a diversidade de posts de vocês e a troca de experiências de vida!!! Sinto que vocês são blogueiras reais, tão próximas à gente!!!

    E obrigada Thaís! Não dirijo há mais de 10 anos e já passei situações muito difíceis por conta disso. Nunca tinha cogitado carro automático como opção. Agora parece bem interessante, vou pensar nisso… embora não tenha muito $$$, poderia fazer como você, um carro usado pode ser viável. Obrigada!

  75. Andrea

    Oi, meninas! Oi, Thais! Nossa, que post MARAVILHOSO!!!! Estava me achando a diferentona, só eu que não consigo dirigir — ou melhor, só eu que não consigo tirar a bendita carteira, mas olha só, é uma coisa normal, pelo visto!

    Eu também sou do time das que nunca tiveram essa vontade e preferiria ter segurança e um transporte público de qualidade a dirigir meu próprio carro. Só que a necessidade falou mais alto e estou eu aqui, passada dos 30 anos, tentando conseguir minha carteira. Fiz o dobro das aulas necessárias e amanhã tenho exame novamente, já que reprovei no primeiro. Fiquei extremamente nervosa, a ponto de meu instrutor ter que me ajudar a atravessar a rua. Me acho a pessoa mais incompetente do mundo e que nunca vou ser uma boa motorista.

    Muito obrigada, meninas! Suas mensagens me deram força, peguei várias dicas ótimas e, mesmo que não dê certo amanhã, terei forças pra continuar, pois sei que isso acontece e o importante é não desistir!!

    • Andrea

      Gente, só queria deixar registrado que pff, acabei reprovando no meu segundo exame e quis desistir definitivamente, afinal, duas vezes já era demais! Mas daí que de férias da faculdade e agora do trabalho, com a cabeça mais tranquila, encarei pela terceira vez e fui aprovada!! Estou muito feliz (e aliviada!).

      YES A GENTE PODE!! 😀

  76. Mabel

    Poxa, Thais, obrigada por seu relato!! Isso me dá um pouco de esperança de um dia superar meu medo de dirigir. Tenho habilitação há anos e nunca tive coragem de sair conduzindo o carro por aí. Meio que tinha deixado pra lá, mas talvez valha tentar mais uma vez.

  77. Franciene Araújo

    Também tenho carro automático e não troco por nada nesse mundo por um manual!! Pra quem tem medo de dirigir ajuda muito!!!

  78. Fernanda

    Estou passando pela fase de tirar carteira ainda, já bombei várias vezes, fico bem nervosa na hora.. nas aulas faço tudo certinho, mas na hora dos vamos ver xiiii.. não vejo a hora de me sentir livre como vc citou.. e vc tem razão, como isso mexe com a nossa autoestima, putz.. eu que o diga!!

  79. Miriã Andrade

    Amei o texto! Eu tirei a carteira com 28 anos, haha, estou com a provisória ainda. Sempre tive pavor só de pensar em fazer o exame do detran, me dava todos os tipos possíveis de calafrio, mas milagrosamente fui com a cara e com a coragem e passei de primeira, hehe, um dos dias mais felizes da minha vida! 😀

  80. SUAS MARAVILHOSAS! Eu sei que demorei, mas estou aqui e li os comentários de vocês hoje, finalmente. Muito feliz em saber que ajudei de alguma forma (teve menina que me mandou mensagem contando que passou!) e mais ainda em ler as histórias de superação de vocês! A gente pode tudo nessa vida, mas precisa de muito carinho com a gente mesma e paciência! <3