Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Uma das melhores partes de amadurecer é poder olhar para o próprio corpo com mais carinho e menos desejo de uma perfeição inatingível. Quando era mais nova, bancava a rainha das comparações – mesmo que veladas, me faziam sofrer e me achar uma porcaria de pessoa. Que triste isso, né.

O tempo – essa entidade maravilhosa – passou e comecei a me perceber melhor, entendendo que determinadas coisas fazem de mim quem eu sou e não há motivos para querer mudar (ou são impossíveis de mudar, o que me fez parar de dar murro em ponta de faca).

Acho que todas nós já passamos por uma fase estranha dessas e, hoje, divido 5 pontos de incômodo que já não se fazem presentes na minha vida – ainda bem, porque estou bem mais feliz depois de abraçá-los!

5 coisas sobre meu corpo que já me deixaram encanada

#1 As bolinhas dos meus braços

Minha mãe tem, uma das minhas primas tem, eu tenho. É uma parada genética, mas que já me incomodou muito. Estou falando daquelas bolinhas vermelhas nos braços, sabem? O nome correto disso é queratose pilar, que dá à pele um aspecto mais grosseiro e é um SACO de tratar. Teve uma época em que era tão encanada com isso que cheguei ao cúmulo de só sair de casa passando um pó/base para ficar com os braços mais lisos. Peloamor, né? Hoje, simplesmente desisti de tratar e tô super de boa – afinal, não é nada ~contagioso e pô, são só bolinhas na pele, nada mais.

#2 Minhas pernas

Sim, eu já encanei com o que hoje considero uma das melhores partes do meu corpo – quem nunca? Quando era adolescente, JAMAIS saía usando um vestido ou uma saia. Estava sempre de calça jeans. Achava meu joelho esquisito (vejam bem, joelho é joelho, não tem que ser bonito ou feio), odiava os pelos constantemente encravados pela depilação (esses resolvi com a bênção do laser) e pensava que minhas pernas eram finas demais. Parei com a palhaçada e tem uns bons anos que adoro colocar elas de fora. Não tô nem aí com o comprimento da roupa, uso mesmo!

#3 Minha falta de cintura

Ficava louca de tanto reparar nas cinturinhas esculturais das minhas amigas e das famosas por aí. Achava que ser ~feminina era ser estreita, coisa que nunca fui. Cheguei a usar cintas noite e dia para ver se adiantava – e é claro que não rolou, né. Sou um triângulo invertido e não há nada que possa fazer, minha estrutura na parte das costas e do abdome é reta mesmo! Então, a melhor opção foi aprender a conviver e ficar de boa. Afinal, nunca que iria, sei lá, TIRAR UMA COSTELA para ficar com a cintura menor (numa vibe assim, meio Thalía, hahahaha).

#4 Os meus seios pequenos

Nossa, pensei em colocar silicone um trilhão de vezes quando era mais nova – ainda bem que não o fiz por pura falta de dinheiro na época. Nada contra esse tipo de cirurgia, mas é que eu já fui altamente influenciada pela mídia e por amigas que fizeram. E isso não é lá um bom motivo, vai! No fim das contas, engordei bastante nos últimos anos e, sério, eles estão MARAVILHOSOS (estou falando de #tetas bem abertamente porque, afinal, todas nós temos, certo?). Para mim, chegaram no tamanho ideal, aquele que eu sempre quis. Se emagrecer e perdê-los tá tudo bem também, porque tenho achado super bonitos os peitos tipo ~limãozinho, a la anos 70, hahahahaha!

#5 Meus ombros largos

offline

Como comentei ali em cima, meu corpo é um triângulo invertido, ou seja, ombros > cintura > quadris. Somando-se a isso, fiz muitos anos de natação, que aumenta ainda mais os membros superiores, na minha fase de desenvolvimento. O resultado são ombros largos mesmo, que eu já odiei profundamente. Queria ser pequeninha e ~delicada, vejam bem, algo impossível. Hoje, estou super ok com o fato de ser uma mulher alta e grande. Ué, esse é o corpo que Deus me deu, vou fazer o que? Serrar as costas? E é isso aí, bola pra frente e sempre colocando os ombros pra jogo porque agora acho eles bem bonitos.

Coloquei exemplos muito específicos meus para mostrar que, no fim das contas, corpo é uma questão extremamente íntima – talvez alguns desses itens sejam o sonho dourado de alguém que está lendo (e vice-versa). Mas, assim, se alguma coisa ainda incomoda vocês, parem para pensar no motivo: até que ponto essa insatisfação é pessoal ou fruto de uma ideia de perfeição colocada pela sociedade?

Vamos nos olhar com mais respeito, com mais amor! Contem para mim nos comentários suas histórias também. Vou adorar ler e, quem sabe, mais gente pode se identificar! <3

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
76 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Sacha Dourado

    Para mim fala-se em Thais, fala-se em PERNAS. Eu acho elas lindas. Tinha complexo com a minha mas pelo motivo contrario, são grossas e roliças, mas a muito tempo liguei o f*da-se (exceto quando elas roçam e chegam a ficar esfoladas kkkkk).

    • Miga, mas vem cá que depois que engordei as minhas ROÇAM uma na outra também, hahahaha! Uma dica boa que vi a respeito é colocar aqueles shortinhos com tecido de calcinha Trifil, sabe? Quero tentar!

    • Aline

      Meninas, a melhor dica pra isso é desodorante spray nas pernas! n roça nadinha! kkkk ou um creminho que vende em loja de esportes, pra corredores, que se chama “zero atrito – safe runners”!

    • Sacha Dourado

      Super uso, mas quando está muito quente bate a preguiça!
      Já ouvi dizer que usar desodorante em spray na parte que roça faz o truque

  2. Eliara Rosario

    Thais eu amo seus textos!! Me identifico muito com sua forma de pensar, as vezes parece que você leu meus pensamentos rs, incrível como chegar aos trinta muda a gente né, depois que passei pela temida crise dos 30 e quase surtei literalmente os dias se passaram e eu fui vendo que as minhas inseguranças não eram assim tão importantes, e você tem pernas lindas!!!

  3. Gabrielly

    Olha, sempre leio o blog mas acho que nunca comentei, dessa vez não podia deixar passar rsrsrs.
    Também tenho esse tipo de corpo, porém com 1,58m de altura, se eu te disser que já aceitei e que está tudo bem esterei mentindo, mas um dia chego lá!
    Até tinha seios de um bom tamanho mas emagreci e eles foram os primeiros a dizer adeus hahaha

    • Gabrielly, volte sempre para compartilhar conosco! 🙂 O que te digo é que nada acontece do dia para a noite, sabe? É um exercício constante, e nem sempre tão prazeroso, mas que leva a resultados melhores para a gente! Boa jornada para você, de coração! <3

  4. Regiane

    Nossa Thais, eu acho a coisa mais cool essa foto na praia, de costas, mas sempre apago as minhas por motivos de: ombro largo! Mas na próxima visita vou tentar tirar de novo!
    Em alguma parte do meu cérebro eu sou maravilhosa e totalmente de bem com quem eu sou, mas às vezes essa confiança some e o espelho não colabora… Ando tentando aceitar algumas coisas em relação ao meu corpo também, e é difícil descobrir o por quê de algumas coisas que sentimos, se vem da gente ou se vem de tanto ver/ouvir os outros.

    • É verdade, Regiane. Somos pressionadas de muitos lados desde novinhas – e se despir desses julgamentos para ver o que sobra verdadeiramente é bem complicado, eu sei. Não é uma caminhada simples, mas aos poucos a gente consegue! E sim, nada de deixar de fazer as fotos como você gosta por causa do ombrão! Olha eu aí, hahahaha! Beijo!

  5. Sou gorda, aliás sempre fui!!!!!
    Eu tinha vergonha das minhas pernas grossas, da bunda grande e dos seios fartos…
    Além de claro não curtir minha pança…rs
    Usava jeans e camiseta comprida pra esconder tudo isso…

    Até que aos poucos, passei a usar camisetas mais curtas (nada de cropped ou coisa assim), mas de forma que eu conseguia usar o jeans, mostrando o bumbum…
    E isso foi acontecendo conforme fui desencanando (na adolescencia é que comecei a gostar mais de mim, eu acho)…

    Até que vieram os decotes e os vestidos mais curtos pra botas as pernas pra jogo…

    Minha redenção foi lá por uns 18anos (eu acho), quando fui pra praia com minha família, e tava lá, deitada no chão, com meu maio de vovózinha quase cavando um buraco pra me enfiar porque tinha vergonha de ‘ficar assim tão exposta’..

    Eis que saí pra caminhar um pouco na beira do mar (toda enrolada na canga, quase que como se fosse uma burca – braços, pernas, colo, tudo enrolado e escondido pelo tecido preto da canga)
    Afinal preto emagrece (!!!!!)..

    Então foi quando uma senhora (não lembro a idade… mas pode ser até que seja uma de 36 anos – minha idade hoje), que até sendo mais gordinha que eu, estava lá, caminhando e rindo com suas amigas…
    De biquini laranja/amarelo (sim, lembro claramente como se fosse hoje), com seus seios fartos, suas pernas grossas, sua bunda grande, com sua barriga bronzeada (coisa que a minha não estava, pois usava o maio de vovózinha :/ )

    E foi aí que minha ficha caiu,…. que se ela podia eu também podia…
    Que o importante era eu me sentir linda… eu me divertir,… eu bronzear e salgar todo o corpinho…

    Ninguém paga minhas contas a não ser eu mesma (e isso desde aquela época.. veja bem)

    E que no fundo, ninguém repara tanto na gente assim…

    Em resumo: Comprei um biquini naquelas férias e jurei pra mim mesma que nunca mais colocaria um maiô por vergonha do meu corpo (posso usar por outros motivos, mas não por vergonha)

    Que meu corpo é um presente de Deus, é um templo que tenho que cuidar..

    Sabe que eu ainda vou fazer uma tattoo ‘#UseOQueTeFazFeliz’
    porque é isso que tento seguir por todos os dias da minha vida…

    • SUA LINDA!!! Adorei o relato. Tem gente que cruza nosso caminho por uma razão maravilhosa! Imagina onde essa mulher está hoje? Muito legal! <3

  6. Raquel

    Eeeee Thaisinhaaa!!

    Sempre você falando de assuntos pertinentes!

    Cheguei a conclusão que, as vezes nos incomodamos mais pelo julgamento das pessoas, do que o “problema” propriamente dito.

    Aprendi que, quem está próximo e realmente me ama, não liga pra minhas bolinhas no braço, minha língua presa, ou outra coisa.

    Quem me ama, ama, pelo conjunto da obra! hahaha.

    Sorte a nossa em ter uma amiga como vc, para compartilhar essas coisas!! 🙂

    • Sorte a minha de ter vocês para me ler e me acrescentar tanto! Lindo o que escreveu! <3

  7. viviane

    Menina, já fui encanada com tanta da coisa que não caberia numa lista!

    Mas sem dúvida o que o que mais me incomodou por muuuuitos anos foi o lance do nariz. Tinha planos de fazer uma correção assim que arranjasse um emprego e tal mas, graças a Deus, hoje nem penso nisso.
    Até gosto do meu narizinho… acho que tem personalidade e que combina comigo. O tempo é mesmo uma dádiva dos céus!!! Bjos

    • Viviane, posso falar? Adoro narizes de personalidade (em homens e mulheres)! <3

  8. Ixii.. também tenho minha lista e também já superei vários dos “traumas”.

    Pernas

    Eu sou magrela, então, assim como você, tinha pavor das minhas pernas… super finas. Esse eu já superei, ando de pernas livres e sou muito feliz <3

    Nariz

    Meu nariz não é enorme, mas não é esse nariz padrão cirúrgico, sabe? Ele tem aquela ondinha no meio..um nariz meio judeu/árabe, sabe? No ensino médio meu sonho era fazer cirurgia, chegava em casa chorando… Depois de um tempo eu comecei a perceber que meu nariz era tão autêntico, tão necessário para meu rosto, tão único… atualmente até tiro foto de perfil feliz. Esquecer o padrão é maravilhoso, a beleza individual é única. <3

    Mãos

    Tenho mãos de bruxinha.. super magrinha, sabe? Sei lá pq eu era grilada, hoje em dia acho mô legal ter mão de bruxinha hahahahahaha

    Orelha

    O único dilema que ainda vivo são as orelhas, ainda não superei totalmente a vontade de fazer cirurgia. É meio chato, amarro o cabelo e fico achando que o povo só tá olhando para minhas orelhas… Ainda estou tentando desgrilar, mas caso não role, vou fazer a cirurgia sim. Acho que o importante é que a vontade seja pessoal…. temos mais é que ser felizes 😀

    E vc é linda…. sinta-se sempre assim 😀

    • Querida! Adorei seus apontamentos. Olha só como está tudo na nossa cabeça: sempre quis mãos mais magrinhas (de “bruxinha”, como você disse)! As minhas são grandes, quadradas e têm até aquelas “covinhas” de neném entre o começo dos dedos, sabe? hahahaha Mas né, mão é mão, não tem como mudar – então bora aceitar! Sobre as suas orelhas, acho super válido pensar se isso é um incômodo bem pessoal mesmo ou se é pelos outros. Se você perceber que é uma coisa sua, vá em frente e mude, não há problema! Beijo grande para você!

  9. Marcia

    Hoje, com 1,78m, 80 kilos e peito 50, tô super de boa comigo mesma. Já pesei 63 kilos, e imagina você que os quase 20 kilos que ganhei na última década não forma fáceis de aceitar, especialmente a pança, tenho quadril largo e uma bela e fofa pochete natural. E a celulite no bumbum também me incomodava. E os dentes, os braços que ficaram fofos e cheios de bolinhas, assim como os seus…Jesus, como é difícil ser mulher e se amar, não é mesmo?

    Aprendi, aos poucos, que poxa vida, sou linda sim senhora e ainda por cima, super acochegante. Qualquer pessoa que precise de um cole meu, vai ser bem atendida no quesito conforto! E assim a vida segue, esse verão comprei vestidos justos, tubinhos, aqueles de malha e abracei com vontade o movimento free pança! Por que olha, a minha barriga positiva merece ser devidamente delineada e não escondida, tomei sim um monte de chopp, comi chocolate e deixei ela maravilhosa nesse tamanho, portanto, sem piração em tentar esconder o que é muito do visível.

    De dificuldade, vou falar para você Thais, o que enfrento agora é conseguir comprar roupas para o meu tamanho. Gente, tem de tudo no meu guarda-roupa. Tenho calças do 44 ao 50, e comprar roupa é sempre um martírio… Quando é que vamos ter uma indústria padronizada? E, vem cá, só por que a calça é 48, ela precisa, obrigatoriamente, custar 3 dígitos?

    ‘Mulherões’ do Coisas de Diva, alguém tá conseguindo garimpar boas coisas em lojas de departamento? Preciso provar trocentas peças antes de achar uma que fique bem…

    • Márcia, dá uma olhada em lojas Renner, Riachuelo, Marisa e Pernambucanas (não sei de onde vc é, mas no Paraná tem)…
      Procurando bem, roupas de banho vc encontra na Riachuelo,Renner e Carrefour…

      On line, ótimas opções são Posthaus, Bon Prix e Quintess…

      Roupas lindas e em conta.. e são modelos modernos sabe?

    • MARCIA, ESTOU APAIXONADA POR VOCÊ! <3 Adorei sua leveza e bom humor, que delícia de ler!

      E Mi, obrigada por ajudá-la indicando as lojas. Acho que seriam essas as que conheço. Infelizmente, ainda temos um problema sério de padronização aqui no Brasil, então é aquela coisa: se for comprar online, fica bem de olho nas medidas da peça para escolher certinho! E, nas lojas, melhor ir no olhômetro mesmo, porque o que vem escrito na etiqueta geralmente não está com nada não.

  10. Camila

    Thaís, quem tem essa sua cara de boneca não tem que encanar com nada e só sair sorrindo por aí. Gata!

  11. Ana Flavia

    Amei!!! Sempre melhoramos com a maturidade, pena que sempre sofremos antes para descobrir né.

    • Ana, não é fácil mesmo, mas acho que faz parte do processo, né! Nos cabe agora plantar essa sementinha boa para as próximas gerações! 🙂

  12. Nossa Thais! Tirando as bolinhas no braço, me identifiquei com todas! Ombro largo, seio pequeno, pernas (que hoje eu amo tbm) e falta de cintura (sou super quadrada). Como a gente acha defeito né? Sorte que hoje nos aceitamos hahahaha a vida é muita curta para não mostrar as pernas, para se achar larga ou sem cintura. Somos lindas assim mesmo! Beijosssssssssss, vc é demais

  13. Renata

    Que texto maravilhoso!
    Estou em processo de ~desencanamento~ das bolinhas causadas pela queratose pilar (a textura me incomoda mais que a aparência) e esse ano já assumi de vez que tenho vasinhos nas pernas e isso não deve me impedir de usar saias mais curtas. No meu caso é genético e, mesmo tratando, eles voltam de novo. Enquanto não oferecer risco à saúde, vou esquecer que eles existem. =)
    Outra questão que resolvi nos últimos tempos foi em relação aos seios pequenos. Estou, aos poucos, substituindo todos os sutiãs com enchimento – que me davam um peito super artificial – pelos sem bojo. Encontrar várias opções bonitas desse tipo de lingerie nas lojas me ajudou horrores com isso.
    É tão gratificante conseguir se libertar dessas inseguranças!

    • Nem me fale, Renata! Ainda bem que hoje as opções estão mais diversificadas, né? Antigamente, usar sutiã com bojo era uma febre tão grande que quase não achávamos alternativas!

  14. Ilka

    Quando era adolescente eu tinha vergonha das minhas pernas por serem muito brancas, mesmo morando em Recife só usava calça comprida ou legging. Também era louca para por silicone e fazer cirurgia no nariz. Não fiz nada disso por não ter dinheiro, e olha, foi uma benção, hoje amo meus seios pequenos do jeito que são (engordei 10kg e eles não cresceram, hahaha) e nem sei porque queria mudar meu nariz. Pensando bem, eu sei, insegurança, era como se tudo em mim estivesse feio ou errado, ficava me comparando a outras garotas e às modelos/atrizes e não enxergava minha beleza, única e exclusiva.

    • Isso mesmo, Ilka, nossa beleza é única! Que bom que você se ama muito mais hoje! <3

  15. Mariana

    Olha, crescer (e amadurecer!) junto de vocês tem sido uma experiência incrível! Adoro a maneira com naturalidade com que o blog como um todo tem lidado com questões muito próprias da feminilidade, e como isso é importante pra gente ser mulher sem ser encanada com todas essas imposições sociais chatas que nos fazem!
    Já fui louca com minhas bolinhas nos braços tb, com minhas pernas grossas, até por ser mais morena que minhas amigas… com o tempo, a gente vÊ que tudo isso é besteira, e que todo mundo tem peito, defeitos, pernas e que cada uma é um universo em si!
    Gratidão por ter uma vibe tão positiva exalando dos posts de vocês <3

    p.s.: vc é linda, Thais!

    • Mariana, eu é que fico grata por poder compartilhar e ler os pensamentos de vocês! <3

  16. Tyeme

    Amei o post, acho super válido percebemos que todas temos neuras, mas que o importante mesmo é se amar e ser feliz.

    Na adolescência tinha complexo com:

    1 – Pernas Finas – eu era muito magrela e achava minhas pernas super finas, apesar de várias pessoas sempre me dizerem que minhas pernas eram bonitas. Para se ter uma ideia eu usava uma calça legging por baixo da calça jeans para ir para as festinhas…

    2 – Gordinho da axila – apesar de sempre ter sido magra tenho um “segundo seio” acima dos meus seios, perto da axila. Eles ainda não aceitei totalmente. Por conta deles não uso nada tomara que caia.

    3 – Seios Pequenos – por muito tempo senti uma vontade gigante de colocar silicone, e hoje agradeço por nunca ter tido dinheiro, assim como você. Hoje acho mais bonito pequeno e natural.

    4 – Pés de pato – tenho pés larguinhos e chatos. Já tive muita neura, não usava nenhuma sandália de dedo, mas hoje em dia to desencanada.

    5 – Mãos de Velha – minhas mãos são bem enrugadinhas. Quando tinha uns 11 anos de idade uma menina me perguntou por que minhas mãos pareciam de velha, dai em diante percebi isso e fiquei traumatizada. Graças a Deus essa neura também passou, afinal a funcionalidade delas está perfeita.

    • Tyeme, BATE AQUI com o lance dos pés de pato! Os meus também são, hahahaha! Mas é como você disse: tá tudo funcionando, e que bom! <3

  17. Veronica

    Tb tenho o corpo triângulo invertido (como a maioria das modelos de passarela, neam?) e tb acho DIVINO o corpo tipo sereia haha. Parece que é como cabelo: quem tem cachos quer liso e vice-versa…

    Mas aprendi a valorizar minha beleza, a assumir as feiuras (não somos enfeites!) e a valorizar meu corpo do jeito que é. Acho o fim falar em ‘corpo da moda’, como se gens fossem assim maleáveis através de chás milagrosos e exercícios terríveis. Alô, revistas: braço fino, barriga negativa, peitinho/peitão etc. são características genéticas!

    O ballet foi fundamental nesse processo de me valorizar: me acho a deusa do alongamento e equilíbrio, amo as coisas que meu corpo pode fazer! Recomendo se jogar em atividades físicas que se gosta para ver/sentir a maravilha do corpo para muito além dos padrões de beleza!

    • Veronica, que palavras MARAVILHOSAS! Adorei o que você escreveu. 🙂

  18. Bru~~

    Obrigada, obrigada mesmo por não ter colocado a imagem das tais bolinhas. <3 tenho tripofobia. Dependendo das bolinhas, a vida fica meio terrível. :/

    • Bru, eu já li sobre isso na internet mas achei que não existiam de fato pessoas com tripofobia! Caraca, vivendo e aprendendo! E fique tranquila que você passou ilesa da imagem! hahahaha 🙂

  19. Melissa Brito

    Thais, você conhece o canal da Daiana Garbin no youtube? Chama-se Eu Vejo. Daiana é uma pessoa maravilhosa que tive o privilégio de conhecer. Inclusive dei uma entrevista para ela falando de bulimia e anorexia, doenças que me assolaram. Ela tem o discurso de empedramento e de aceitação, que me lembrou muito seu texto. Daiana também é bem ativa nas redes sociais sempre incentivando as mulheres a se aceitarem como são, pararem de julgar a coleguinha e serem felizes como o corpo que têm. Tendo um tempinho, visita o canal, as redes sociais dela. É motivante, inspirador, libertador!

    • Melissa, já tinha ouvido falar mas confesso que não acompanho! Vou olhar com carinho os conteúdos dela lá. 🙂

  20. Keyla

    Taíss!!!

    Que doidera que essas bolinhas têm nome: queratose pilar!!! Toca aqui kkkkkkkkkk Sempre achei que isso era coisa de quem tem pele branca e era super normal. Encanei um montão com essas malditas bolinhas na adolescência tbm, tinha nos braços e nas pernas.
    Hj já sumiram bastante, não sei pq. Nunca fiz nenhum tratamento, mas tbm não encano com elas.

    O que me deixava muito louca na adolescência é umas manchas brancas que apareceram sobre minhas “belezinhas” (pintinhas) após a despigmentação destas. Morria de vergonha. Até pq tinha uma pintinha na sobrancelha e ela despigmentou, tanto a pele qto os pelinhos 🙁 Moral, desde os 13 comecei a pintar a sobrancelha. Numa época que no máximo havia tinta de cabelo. Hj se eu não pintar meu tufinho na sobrancelha tudo bem… Está tudo certo. É o meu diferencial.

    A maturidade nos traz tantas coisas lindas, né. Super beijo!

    • Keyla

      Olha só. Nunca tive curiosidade de procurar o nome das minhas pintas despigmentadas. Dei um google e encontrei: nevo halo!!! Chique 😛 Lembro que a dermato disse que não havia tratamento e um dia poderiam se pigmentar novamente e diminuir as manchas. Hj ainda tenho, mas nem ligo… 🙂

    • Interessante porque não sabia que as pintas podiam despigmentar assim! Mas se não é nada grave e está sendo acompanhado pela dermato, tem que deixar rolar, não é? Está certa você! Super beijo!

  21. Marjorie

    Mais um belo texto, Thais!!! Eu já tive muuuitas neuras com o corpo. Mas, principalmente, por conta dos comentários e comparações alheias, que começaram na adolescência e deixaram marcas por muito tempo. Era o nariz, a barriguinha, seios pequenos, o cabelo rebelde… Hoje já me liberei de muitas (quase todas) elas! Ainda me incomodo com as pernas fininhas, mas pelo menos já me liberei dá tentativa de estar sempre tentando esconde-las e usando calça jeans constantemente mesmo num calor infernal. Hoje uso meus vestidinhos e bermudinhas sem dó e sou muito mais feliz! E como é bom perceber que cada beleza é única e nada tem a ver com padrões. Vamos ser felizes com nossos corpinhos! É uma benção que tenhamos saúde para usufruir deles. Isto é o mais importante! E que o desejo por mudanças venha sempre de dentro.

    P.S.: Também tenho a ceratose pilar!!! Hahaha

    • Marjorie

      Liberei = libertei hahaha

      Corretor sacana. 😀

    • Menina, que belas palavras! Gostei muito da parte em que falou sobre saúde – quer coisa mais preciosa que essa? <3

  22. Cris

    Sempre me incomodei com meu joelho esquerdo torto, poderia ter operado, ,mas como não dói,nem me impede de andar,é assim q vai ficar……usava calca o tempo todo,agora uso shorts,vestidos e não ligo se alguém reparara ele. Tenho dermatites seborreica (caspa ) mas tratei e não aparece mais, tenho umas pintas brancas desipgmentadas,iguais às q minha mãe tinha,é até gosto delas por isso. Eu era magrela na adolescência,48 kg,1,81. Hoje em dia engordei tô com 80 kg,e todos da família ficaram me criticando por ter engordado. Mandei todos à m…..pq quando tava magra ninguém elogiava,ago querem dar opinião. Seios pequenos não pus silicone por falta de grana,e hoje dou graça à Deus por não ter posto. Hoje em dia me amo como sou,quem for me amar tem q me aceitar como sou.obrigada pelo seu postado.

    • <3 Imagina, Cris. Estamos aqui para nos ajudar mesmo!!!

  23. Andreia

    Engraçado… de todas as coisas q vc citou q te incomodavam eu nunca tinha reparado nelas! rsrsrs Pra vc ver q só incomodam a nós mesmas…

    Sempre estive acima do peso, dakelas gordinhas, não obesas e não magras… dakela q em lojas comuns é dificil achar a roupa q fica boa, mas em lojas plus size as roupas ficam grandes… nunca me incomodou isso… mas depois q casei ganhei uns 8 kilos, em 1 ano e meio… e agora isso começou a me incomodar… tenho dificuldade demais em fazer dieta mas estou tentando aos poucos mudar meus hábitos alimentares… acho q só tenho a ganhar com essas mudanças de hábito…

    E meus cabelos? Posso ser grisalha??? rsrsrs Fui fazendo luzes, luzes, luzes… de repente fikei mto loira!!! Não me identificava mais… olhava no espelho e perguntava quem era akela pessoa??? Pintei o cabelo de castanho denovo… aí foi crescendo e o branco aparecendo e proliferando… todo mundo pergunta se não vou pintar… ah! Não quero! Ô mundo, posso ser grisalha???

    E os ombros largos? Tenho tb! Formação corporal e contribuição da natação… a única coisa q não faço é usar tomara q caia… de resto tô nem aí!

    Mas é isso aí! Vamos amadurecendo e aceitando…

    • Isso mesmo, Andreia! Estamos todas juntas e seguindo em frente sempre. <3

  24. Francielle

    Oi Thais, adorei o post (:

    Sempre fui mto magra e não gostava do meu corpo por isso, vivia insatisfeita, com a auto estima baixa…
    aí um dia me veio esse pensamento, se estou infeliz tenho que fazer algo para mudar, já que não consigo me aceitar do jeito q eu sou.
    Entrei para musculação e consegui ganhar 10kg. Não vou dizer que amo praticar esse tipo de atividade, mas foi a solução (:

    Gostaria de ter me aceitado como eu era, mas como não conseguir tive que achar outra solução e isso que importa, pois amo o meu corpo e me sinto plena.

    Bjos!

    • Fico feliz, Fran! 🙂 Fora que para a sua saúde deve ter sido ótimo também!

  25. Márcia Daniella

    EU era super encanada com meus pés na infância e adolescência. Tenho mindinhos bem tortos e tinha vergonha. Não conseguia usar sandálias abertas. Com o tempo desencanei e aceitei meus pés como são. Hoje uso todo tipo de calçado e ando feliz da vida por aí! 🙂

  26. Luciane
    • SHOW! Que bom ver as mídias ajudando a desconstruir esses padrões tão bobos… 🙂

  27. Nataly Migoranci Serret

    Nossa Thais! Também tenho essas bolinhas, e agora que consegui aceitar viu… lutei anos contra isso.
    Mas se tem uma coisa que me incomoda muuuuuuuito são os meus dentes… fazer o que né. Ninguém é perfeito!

  28. Nathalia Boni

    Não sou de comentar, apesar de acompanhar todos os posts por e-mail, mas dessa vez queria dizer que me senti “acolhida” com tanta coisa em comum que temos! Eu tenho bolinhas nos braços, sou larga, peitos pequenos, zero cintura e a única diferença é que ao invés de finas, minhas pernas são grossas até demais – outro ponto que me incomoda bastante. Infelizmente ainda não me aceitei totalmente e vivo escrava de dietas pra tentar mudar coisas que talvez não vão ficar muito diferentes assim, mas me sinto melhor em saber que é possível se sentir mais feliz aceitando coisas que não vamos conseguir mudar (pelo menos não sem cirurgias plásticas, né?). Obrigada por nos representar em todos os posts, sendo tão autêntica e mostrando que não precisamos seguir o padrão de blogueiras magras e lindas e ricas e que vivem uma realidade que não é nossa. Sou sua fã!

    • Nathalia, que querida! Obrigada por compartilhar sua história com a gente. Volte sempre que quiser, viu? <3 TAMO JUNTA!!!

  29. Ana Nery

    O que dizer depois desse post? sem palavras!! Obrigada Thais

    • Não tem o que agradecer, estamos aqui para isso mesmo: nos ajudar! <3

  30. Gabriela

    Thais, sou bem encanada com os pelos encravados e as manchinhas que eles deixam! Você disse sobre depilação a laser… Ajudou bastante? E as manchinhas diminuíram?
    Adoro seus textos…Continue sempre. Beijos Gabi

    • Muito, Gabriela! A depilação a laser foi um investimento muito certeiro que fiz. Hoje tenho meia dúzia de pelos nas pernas e olhe lá! Tiro tudo com gilete mesmo e não ficam aquelas bolinhas da depilação com cera. É ótimo! 🙂

  31. Thaís

    s2 Mt amor por esse post!

  32. Dani

    Thais, nossas “paranóias” com beleza são tão iguais que até me assustei, haha
    Você é maravilhosa, por dentro e por fora!
    Obrigada por fazer eu me aceitar mais facilmente…
    Mil beijos no seu coração <3

  33. Mikaelly Santos

    Thais salvei o link assim que vi, mas só pude ler agora.
    Tooooodo mundo na terra já foi encanado com algo no corpo.
    Desde de criança sempre fui mto magra, muuuuuuito mesmo, tinha 18 anos e comprava roupa na sessão infantil. Era triste, pq as roupas lindas mesmo tamanho PP ou 34 ficavam folgadas e compridas em mim [tenho 1,60m].
    Segui a adolescência toda com vergonha do meu corpo.
    Raramente usava saia ou short pra sair pq as pernas eram finas, e sempre tive mtos pelos :'(.
    Não usava blusinha de alça pra passear pq além dos ossinhos saltados, tinha as costas manchada de marcas de espinhas :/
    Além de magra, pequena, seios bem pequenos e com aparência de adolescente.
    Cheguei aos 23 anos com 50kg, mas ainda era bem magra.
    Depois que comecei a trabalhar foi que engordei um tiquinho, logo me casei e ganhei mais uns 3 kg.
    Tava num peso bom, já tinha desencanado da magreza, pq meu corpo estava mais bonito e eu me sentia mais bonita.
    Maaaaaas, precisei passar por uma cirurgia abdominal de emergência e fiquei exatos 21 dias em repouso absoluto, só podia levantar pra usar o banheiro, tomar banho e andar um pouquinho pra não ter gases rsrs. Além do repouso, tomei suplementação oral e venosa, associada a uma dieta caprichada, pq meu corpo estava se recuperando e precisava de energia pra isso.
    Além disso, minha barriga que inchou horrores antes da cirurgia [hemorragia interna no abdome], ficou enorme de inchada mesmo depois do procedimento.
    Faça a conta comigo
    ‘repouso absoluto+dieta ~de engorda~+suplementação+barriga previamente inchada+impossibilidade de usar cinta [a cicatriz estava fechando direitinho, mas estava super sensível ao toque]= 2 kg em 1 mês e meio+uma barriguinha saliente
    Sempre tive a barriga chapada, mas terminei 2015 pançudinha.
    Como engordei uns bons kg nos últimos 3 anos, tudo deu uma aumentadinha, seios, bunda, pernas, só a barriga que eu dispensaria ter aumentado rsrs
    Hoje em dia, tô bem com meu corpo, apesar do desgosto com a pancinha hahaha
    Tô me exercitando na esperança dela diminuir, pq voltar a ser chapada como antes eu sei que só cortando fora, mas isso não faço de jeito nenhum kkkkkkkk
    A verdade é que ninguém está satisfeito com o próprio corpo, sempre tem uma coisinha que se pudesse, mudaríamos, mas amar nosso corpitcho e aceitá-lo como se ele fosse do jeitinho da nossa vontade deixa ele ainda mais lindo!
    🙂

  34. THAIS, ME ABRAÇA! Hoje eu AMO minhas pernas mas já encanei muito com elas. Sou alta (1m75, acho que próximo da sua altura) e achava horrível minhas pernas compridonas e coxas grossas. Gente, hoje sou apaixonadíssima por isso tudo. E nem ligo mais pros pêlos encravadinhos ou compridinhos, encho a boca de verdade pra dizer que esse trauma eu consegui superar heh (e as coxas grossas só me “atrapalham” quando ando muito de vestido, porque assa, mas resolvo fácil, fácil colocando um shortinho por baixo).
    ME ABRAÇA DE NOVO COM SEUS OMBROS LARGOS PELOS ANOS DE NATAÇÃO <3 ahahaha "sofro" do mesmo, mas hoje acho que é parte de mim, não me incomodo nem um pouquinho com eles. Já sonhei em ser mignonzinha, medir 1m50, ter cinturinha e peitão mas, nah, não é o que eu sou, sabe?
    Um beijo e obrigada pelo post!

  35. Miriã Andrade

    Você é linda, Thais! E eu ainda serei leve e desencanada assim como você, tenho fé, hehe.

  36. Mari

    Thais, também sou triângulo invertido e até hoje tenho dificuldade em aceitar. Acho lindo cinturinha fina! Agora o que eu tô tentando fazer é malhar pra realçar o que eu tenho de melhor, que são a pernas, ombro e colo. Faz um post sobre isso, sobre como valorizar, roupas e tal, porque eu por exemplo me sinto MEGA excluída em um país onde 90% das mulheres têm o corpo totalmente diferente do meu. Hoje em dia eu sei o que veste bem em mim, e do que eu tenho que correr, mas quando eu era novinha era sofrido 🙁

  37. Eu já me odiei muito por inteiro, me achava feia, que qqr pessoa era melhor e tals, mas ainda bem, mudei muito e hoje me amo muito, sei que sou linda e quero mudar nada não, obrigada. Tô nem aí se me acharem metida, passei muito tempo me odiando e agora é tempo de me amar sim hahahahha Eu não consigo separar o que realmente incomoda a gente e o que a sociedade os impõe, a gente vive na ditadura da beleza desde que nascemos, nossos gostos (a respeito de tudo) são moldados socialmente. Não acredito em defeitos ou corpos feios, acredito só no que o modelo padrão nos impõe (que é inalcançável) e a nossa realidade.

  38. Como assim?! Tu é tão cute molier!
    Mas te entendo.Durante MUITOS MUITOS anos eu não usava shorts, mini saia nem pensar e vestido só se fosse abaixo do joelho! Tudo isso por ter as coxas grossas e elas ficarem “roçando” uma na outra ou por achar que ficava estranho as coxas á mostra.
    Os seios eu acho que todo mundo tem algum tipo de neura…eu uso nº48/50 e já tive complexo de achar que eram pequenos e que não eram atraentes!OLHA O NÍVEL DA NEURA! Mas aprendi a me aceitar mais e ver que cada um é de um jeito e tá ótimo assim, pois que graça teria todo mundo igual?
    Adoro seus posts reflexão…me ajudam muito viu,NÃO PARE porque tu tá no caminho certo.
    Beeeijo

  39. Iasmim Lucena

    Ah, oi! Sou Iasmim e estou super insatisfeita com meu corpo, chego a chorar por causa disso. Tenho certeza que deve ser alguma fase de adolescente, pois tenho só dezesseis anos. Meu corpo ele é como posso dizer? Como as pessoas chamam: “sou tipuda”, tenho seios grande, coxa grande, bunda grande, não exageradamente. Não me incomodo tanto de ser assim, eu acho legal minhas curvas e qualquer outro tipo de corpo, porém, eu odeio, odeio, odeio muito meus seios. Eles são moles e flácidos, bem feios mesmo e não falo só porque estou insatisfeita com meu corpo. Minha mãe acha feio e teve uma época que ela me atingia muito com comentários maldosos sobre eles, porque eu só tinha doze anos e eles já eram assim. Não sei se é génetico isso, acho que não por que a maior parte da minha família mulher tiveram peitos durinhos quando adolescente. Sem contar que sou cheia de estrias no peito, na bunda e na coxa. A estria eu já superei, adoro minhas estrias e não me vejo sem elas, não que eu fique procurando ter mais, já ta bom. Só estou conformada com elas mesmo. Mas as estrias acabam deixando meu peito com um aspecto nojento por eles já serem moles e isso me deixa triste, tenho vergonha de olhar meus seios no espelho. Então meio que minhas primas ficam passando na cara o corpo bonitos delas, porque elas acabaram vendo eu trocando de roupa sem querer e fizeram cara de surpresa e nojo por eu ser nova e ter peitos feios. Até a minha avó já acabou me pegando trocando de roupa e ficou com nojo do meu peito. Meu irmão nunca viu, só sabe que eu tenho e fala na minha cara que tem nojo disso. Hoje ele parou mais de falar essas coisas. Porém sou muito insegura com isso. Eu não tenho problema nem com a minha tendência de engordar nem nada, são só meios seios.

  40. natalia

    Muito bacana seu post. Eu também tinha muitas questões com meu corpo. O que mais me incomodava depois das espinhas era o meu nariz. Mas hoje gosto dele do jeito que é. Também tinha muitas bolinhas no braço, quadril.. e descobri por acaso, que era o consumo alto de leite, queijos.. Ao suspender estes alimentos, as bolinhas sumiram. Não sei se é a mesma bolinha que estamos falando.. mas enfim, talvez possa indicar alguma coisa pra quem tem. Já li sobre o gluten tb pode dar bolinhas na pele. No meu caso, eu parei com estes alimentos mais por conta das crises respiratórias e descobri que também sumiram minhas bolinhas. um abraço.