Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Devo confessar que, inicialmente, meu tema de post seria outro. Mas aí, durante a pesquisa, me deparei com fotos da atriz Maria Casadevall, que algumas pessoas já comentaram que se parece comigo. Quando me escreveram isso, aqui mesmo no blog, fiquei lisonjeada porque, afinal, é uma mulher que considero linda. Minha admiração por ela só foi crescendo e atingiu o ápice durante a estreia de Lili, A Ex, que já está na segunda temporada e eu sigo adorando, aliás. Tanto que, na época, fui ao salão com uma foto da personagem e pedi pra cortar o cabelo daquele jeito.

Lembro que, justamente no post em que mostrei o novo corte, uma leitora disse que eu estava obcecada pela atriz, querendo parecer com ela a todo custo. Foi então que expliquei o que vou dizer nesse texto hoje (só que agora de uma forma mais abrangente). Na época, fiquei feliz com a comparação que fizeram, mas, em momento nenhum, quis me transformar em outra pessoa. É que há um bom tempo tenho para mim que, quando decido fazer alguma mudança no visual, devo pesquisar mulheres que, de alguma forma, possuam as mesmas características que tenho.

E a Maria é – mesmo que eu discorde de que somos assim tão parecidas – uma delas: rosto quadrado, cabelos escuros, fios finos. Poderia ser uma menina passando na rua, não uma atriz conhecida, e ainda assim me chamaria a atenção como possibilidade. Tenho a impressão de que, quanto mais perto da minha realidade física estiver aquela referência, mais fácil é de eu sair contente com o resultado. E digo isso não somente em termos de cabelo, mas também em questões como formato dos olhos, tipo de rosto, tom de pele… E por aí vai.

Referencias

Sei que muita gente tem perfil de se arriscar, radicalizar, fazer o novo. E acho realmente o máximo. Mas, pessoalmente, não sou assim. Penso muito antes de mudar algo em mim – e é aí que as inspirações possíveis entram. Por isso, estou sempre coletando mentalmente ideias antes de decidir por alguma transformação. E não acho que exista nada de errado nisso. Porém, mudei bastante minha forma de pensar nos últimos anos: já tive musas que nada tinham a ver com o meu estilo, minha personalidade e, em especial, minhas características físicas.

Não acho errado a gente admirar e ter como referências as pessoas que, de alguma forma, se parecem conosco. Mas uma coisa é tentar, a todo custo, chegar em naquele padrão. Nunca vou ter a cinturinha fina da Maria, por exemplo. E tá tudo bem! Mas quando era adolescente não pensava assim. E me frustrava pra caramba. Estava linda como eu era, no entanto, me cobrava pensando que aquelas mulheres que via nas revistas é que eram maravilhosas (lembro de ter como inspiração o tipo mignon da Sarah Oliveira, veja bem, hahahaha).

Achava minhas costas largas demais, minhas mãos e meus pés grandes demais, minha cintura grossa demais… E aí simplesmente não olhava para as outras coisas que tinha de bom. Vivia presa num mar de referências impossíveis. Foi só com a maturidade que percebi que há certas coisas em mim que não posso mudar, pelo contrário: tenho mais é que amar cada uma, porque fazem de mim o que sou: única, como todo mundo é. E, acredite, esse sentimento é muito mais legal do que ser comparada (ou me comparar a alguém)! <3

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
50 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Polly

    Esse texto me fez refletir, nunca tive uma musa, quando adolescente achava maquiagem e academia coisa de gente que não tinha o que fazer (agora adoro rs), achava o cúmulo assinar Capricho (modinha da galera quando eu tinha 15 anos), como mudei rsrs, eu lia muito, tinha meus ídolos em livros, total viciada em Harry Potter, o que ainda sou mesmo quase chegando aos 30 😉

  2. Luciana

    Thaís, às vezes tenho vontade de te abraçar… Você faz um trabalho lindo falando de autoaceitação e até mesmo mostrando os seus próprios conflitos às vezes.
    Não sei se você já viu esse texto: https://www.facebook.com/fernanda.brunkow/posts/1744919789073948?fref=nf
    Acho que ele tem muito com a filosofia que tento trazer pra minha vida. Tento, porque muitas vezes é difícil a gente se libertar de imposições da sociedade (o cabelo tem que ser liso) sem criar outras formas de opressão (o cabelo tem que ser natural).
    A gente não tem que nada… Não tem nada de errado em buscar referencias antes de fazer uma mudança drástica no nosso visual. Não quer dizer que queremos nos transformar em outra pessoa.
    Eu sou super “caçadora de referências” e ao mesmo tempo sou super autêntica e super eu mesma… e não tem nenhuma contradição nisso!
    Beijos, um abraço bem forte, e obrigada!

    • Queriiida! Eu é que te agradeço pelo comentário. Já li esse texto e assino embaixo! Equilíbrio, sempre! <3

  3. Lívia

    Oi Thais! Seus posts sobre autoaceitação são inspiradores!
    Muito obrigada por escrever sobre o assunto e partilhar com a gente.
    Pelo que você descreve, tenho o mesmo biotipo que você (costas largas, cintura reta, …) e ainda não consigo me aceitar. 🙁

  4. Que texto lindoo
    ameiii
    bjs sua linda

  5. Layne Cris

    Thaís, vc me deu uma ótima ideia!! Amo seus post inspiradores!!!

  6. Rê Moraes

    Esse eu tinha que comentar! Tb já passei por essa fase de me referenciar em pessoas que não tinham nada a ver comigo..mas passou..hj tb consigo enxergar que quanto mais parecidas as características, maior a probabilidade da inspiração funcionar!E quer saber? das 3 divas, vc é minha referência! Tanto que quando vc cortou o cabelo (tipo da Maria), super animei..mas ai que percebi que o meu cabelo é diferente (mais grosso e volumoso) e talvez não fosse funcionar. Amei o texto! Tá mandando bem demais nas reflexões! Bjão!

    • <3 <3 <3 Só amor! Mas sabe que teu tipo de cabelo dá pano pra manga pra mais um monte de coisa que o meu não permite? Aproveita, se joga! :)

  7. Fernanda Gabriela

    Referências, para em pode se comparar a alguém são uma mão na roda!!! Mesmo que se tente, nunca ninguém será igual a outro… qual o problema??
    Quem falou isso de vc thais deve ter como referencia um ideal inatingível de beleza e morrer de sofrer por isso.
    Eu tenho as minhas e adoro! E podem vir mais que estamos absorvendo tudo de bom que aparecer. rsrsrs
    bjs

  8. Cecília Wanderley

    A tirar pela pessoa que comentou isso, que vc estava querendo copiar a atriz em tudo, e por pessoas como a que te insultou no snap, tem-se uma ideia do quanto as pessoas tem necessidade de criticar tudo e todos, mesmo sem fazer o mínimo de esforço pra conhecer, ter informação sobre o que se passa.
    E isso é muito triste.
    Mas que maravilha ter pessoas como vc, Thais! Que tem opinião, mas também dúvidas, e inseguranças, e compartilha conosco tudo isso!!

  9. Heloisa Carvalho

    Também acho super normal ter referências, o ruim é se anular pra tentar ser outra pessoa. Já inspiração é outra coisa, você pode usar as referências que quiser, como quiser!
    Por exemplo, eu acho a Ciara maravilhosa, mas minha vida seria um mar de frustração se eu decidisse ter um corpo igual ao dela. Não dá. Mas ainda posso usar ela como referência de estilo, mesmo tendo um tipo físico diferente.
    Mas acho, sim , que é melhor a gente procurar alguém parecido pra se inspirar, dá pra ter melhor noção do resultado final.

  10. Ana Carolina Santos

    Tô amando muito essa fase de auto conhecimento, Thaís! Me identificando horrores, sempre fui acima do peso e nunca me importei, até chegar a abençoada adolescência, as paixonites, as frustrações, e comecei a me achar feia, errada. Hoje com 25 anos, não digo que sou totalmente dona de mim, mas cada dia aprendo mais e mais a me gostar do meu jeitinho.

    • Que legal, Ana! Fico feliz em saber disso. Aos poucos, tudo se acerta! 🙂

  11. Myrian

    Sinceramente acho que as pessoas que têm o hábito de apontar o dedo para os outros e criticar de uma forma pejorativa e nada construtiva têm muito o que crescer e conhecer de si mesmas. Já pessoas que, como você Thaís, são transparentes, verdadeiras, mostram como se sentem e nos inspiram e até mesmo nos ajudam a nos aceitar, são pessoas que eu escolho ter na minha vida. Não é por acaso que o Coisas de Diva é um dos blogs mais lidos e respeitados. Vocês são nota mil.
    Bjos

  12. erica

    Numa blogosfera onde todo mundo se imita, eu sigo vocês no insta, vejo os cabelos, looks e penso: que bom que tem gente que se mantem original. Referência é uma coisa não tem nada demais em copiar o corte da atriz, as pessoas vão criticar logo quem se mantem fiel a si, vocês postam beleza mas tbm postam looks, adoro o estilo da sá sabe pq? Não vejo ela adotando todas as modinhas que as blogueiras afora vou dar um exemplo, aqui vejo maturidade de ser o que é, já to na casa dos 30 e detesto abrir blog e ver 30 garotas diferentes com o look: vestido listrado com camisa jeans amarrada, vestido com parka verde, se a moda é cabelo vermelho temos um “exército das ariel” se a moda é loira é todas platinadas, se a moda é cabelo médio geral mete a tesoura. Sério e não vejo nada disso por aqui, todas as transformações de vocês são de acordo com a personalidade, o corte da thais super combina, o ombre discreto da sá, o cabelon grande da marina, isso é ter identidade, claro que andar na moda, copiar aquele look não mata ninguém, mas tirando coisas de diva, cinthya rachel e mais meia duzia de blogs, a maioria é um bando de clone de cabelo vermelho/ loiro e os looks da moda tem algo errado nisso? não mas tbm não existe personalidade.

    • Erica, ficamos felizes que mantivemos a nossa essência e isso faz com que estejamos com leitoras fiéis há mais de sete anos! <3

  13. Sabe o que vou começar a fazer? Quando for post da Thais eu leio com lencinho do lado viu rs
    Brincadeiras a parte…adorei seu texto e SIIIIM tu parece a Maria e me desculpe o ser que disse que você quer copiar ela, mas tá falando bosta! Você ser parecida é uma coisa,usar como referência mas copiar não tem nada a ver…você é parecida mas tem o seu jeitinho Thais que a gente tanto gosta (a que não lava o cabelo,que fala demais no Snap e todas aquelas mentiras de hoje mais cedo que não resisti)
    Quanto a parte de ter alguém como referência, eu acho super importante. Seja uma famosa ou até mesmo uma amiga,prima,irmã…desde que nos faça bem e que não vire obsessão por ser igual acho super válido.
    Ainda estou no processo de encontrar alguém “parecido” para se inspirar…com cachinhos parecidos e biotipo também mas vou me encontrar.
    Parabéns mais uma vez pelo post reflexão que ajuda muito nós leitoras viu.
    Beijãoo

  14. Sulene C. Souza

    Engraçado como alguém como fazer uma análise tão profunda sobre outra pessoa (como disser que essa pessoa tá obcecada por alguém) baseando-se apenas em um corte de cabelo e na comparação feita por terceiros.

    À parte disso, muito legal o texto.

  15. Regeane Nogueira

    Meninas, quero muito um post sobre capinhas de celular divertidas…
    Eu tenho um iPhone 6, e moro no interior do interior do interior de São Paulo, rsrs
    Minha cidade é pequena e não tem muitas opções de lojas, compro muito por sites…
    Ficaria MUITOOOOO agradecida e satisfeita se vcs postassem alguma coisa sobre e os sites seguros de compras.
    Muito Obrigada pela a atenção
    Beijinhos para todas.
    Regeane Nogueira

    • Oi, Regeane! Já pensou em encomendar pela internet? Demora pra chegar, mas o Aliexpress é um verdadeiro mar de capinhas! hahahaha

  16. Márcia Daniella

    já segui referências e aprendi muito com a experiência. Algumas vezes o resultado foi bom, noutras não.

  17. Letícia Larcher

    Tá.. Dai você tá la num lugar onde não pode se expressar em voz alta e sua referência senta do seu lado. Em pessoa. Como lidar? Diz baixinho (mas com cara de stalker-maluca): Vo-cê é a Tha-is do Coi-sas de Di-va! hahahahahaha Se podemos nos “inspirar” em decorações pra casa nova, em uma atitude legal que uma amiga teve, em novo exercício que a academia trouxe e agora parece trazer diversas outras possibilidades de modalidades, por que não “inspirar” seu estilo em alguém? Deveria ser mais natural poder fazer o que você fez hoje, demonstrar sua admiração e dizer que pessoa te inspira! É um elogio! 🙂 Beijo!

    • Lê linda! Que saudades de você! Pô, tenta aparecer pro baralhinho de quinta… <3

    • Letícia Larcher

      Baralhinho só se for online! hahaha To morando no meio do mato, em Corumbá. 😛 Mas continuo seguindo o Coisas de Diva e amaando o trabalho de vocês! <3 Beeeeeijo!

  18. Naty

    Gosto dessa ideia de “referência” ao invés de “padrão de beleza”. Acredito que os canais de comunicação – como este blog – tem muito potencial em contribuir para a divulgação de um leque maior de referências!

  19. Clari

    Com referencia ou não, parecida com a Maria ou não, vc é linda Thais!!!

  20. Regina Celia

    Bom dia, linda
    Mais um texto perfeito. Vc é boa nisso, viu?
    Acho bem complicado alguém te julgar diante de um simples corte de cabelo. Bem típico da blogosfera atual. Muitos acham que, por que te seguem no Insta ou Face, leem o seu blog diariamente, te conhecem ou são seus amigos. Ledo engano.
    Acho legal termos algumas referências de estilo. Não há nada demais nisso, desde que sejamos nós mesmas, coisa que eu penso que vc estâ conseguindo!
    Um grande beijo, gata!

  21. Nunca tive uma pessoa em quem me inspiro sempre esteticamente falando, sou do tipo que curte um cabelo e copia mesmo se ela não tiver nada a ver comigo hahaha. Ainda não me arrependi, mas acho que porque sou bem eclética com cabelo e acho que não existe curto demais.
    http://www.issoaquiloetal.wordpress.com

    • Adoro! Acho que esse platinadão mara fala por si, né! 🙂

  22. Luiza Diaz

    Vc nao é parecida com a casadevall. Nadica. São bem diferentes na vdd.
    Mas muito é bonita tb! =)

  23. Miriã Andrade

    Acho super normal nós termos essas referências em nossas vidas, pra um corte de cabelo, coloração, estilo, e isso faz bem, só não pode passar do ponto mesmo! Thais, admiro muito essa sua sinceridade, você nos inspira! 😉

  24. Grace Guedes

    Thais, boa noite !!!
    Achei inspirador o seu texto e os comentários das leitoras sobre ele.
    Está cada vez mais difícil conviver com os rótulos impostos por uma sociedade que exige perfeição; sendo que,nem ela própria possui. São muitas as pessoas que se deprimem em não alcançar “o amor de todos”, mesmo elas possuindo características que as tornem únicas e por esse motivo especiais e não “enlatados”.
    Beijos e aguardo mais textos como este de tamanho carinho.

  25. Ingrid

    Vcs são maravilhosas. Diferente dos outros blogs, o CDD nos entrega referências possíveis. Gratidão por problematizar os padrões de beleza.

  26. M Fernanda

    Que site é esse da foto?

  27. Mais uma vez vc zerou a internet com seu post!
    Caramba como eles tem tudo a ver comigo e como são inspiradores!!

    Parabéns!!!