Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

E aí, meninas! Tudo certinho com vocês?

Uns dias atrás, compartilhei essa foto no nosso Instagram (se alguma de vocês não segue a gente, tá perdendo!) em que contei algo bacana que comecei a fazer por mim mesma: fui a uma nutróloga, a Dra. Debora Froehner, da NutroDerma, uma clínica daqui de Curitiba voltada à saúde do corpo e da pele.

Antes de desenrolar o texto, acho importante colocar que a treta nutrologia x nutrição é algo que não está em pauta aqui. Respeito ambos os profissionais da saúde e não acho nem pior, nem melhor, escolher uma médica para cuidar de mim. Todos têm estudo e capacidade para o atendimento! E o importante é isso: estar em boas mãos!

Bom, voltando ao post. Na primeira consulta, que foi no dia 23 de maio, fiz uma bioimpedância e o resultado me deixou em choque: 40% de gordura corporal. Eu tinha consciência de que meu corpo mudou bastante ao longo dos últimos anos, mas não imaginava que estava num grupo de risco para algumas doenças relacionadas ao sobrepeso, de acordo com o diagnóstico da Dra.

Opa, outro disclaimer – e esse é importante: com isso, não estou dizendo que quem é magra é saudável e quem é gorda não é. Cada caso é um caso! É com o médico que isso é avaliado. Tô aqui falando apenas e tão somente de mim. Aliás, ouve um tempo da minha vida (uns 3 anos atrás!) em que cheguei a 60 quilos (tenho 1,72 m/1,73 m de altura, varia). Vivia doente e minha relação com a comida era péssima. Mas isso é assunto pra outra hora.

Não vou dizer que chegar aos 82 quilos me incomodava zero. Me incomodava um pouco, sim, por uma razão bastante clara: esse é, mas ao mesmo tempo não é, o meu corpo. Explico: se 60 quilos era pouco peso, 82 é algo bastante distante do meu ponto de equilíbrio. Eu andava comendo muito – e mal – desde que vim morar sozinha, há mais de 2 anos. E sabia que isso não era uma atitude sustentável pro meu corpo e pra minha saúde, algo sentido não apenas no ganho de peso, mas também no meu fôlego e disposição, que só pioraram. É aquela história: o que a gente coloca pra dentro reflete lá fora!

Pois bem. Conversei longamente com a Dra. Debora na consulta (quase 2 horas!) e tenho exames variados para fazer em breve que devo retornar a ela. Mas um passo foi dado: recebi um programa de alimentação para iniciar a trajetória em busca de me alimentar melhor, com comida de verdade, melhorar minha saúde e – porque não? – voltar a um peso mais equilibrado, sem pirações.

estilo de vida

Low carb?

E aí, minhas queridas, o fato é que eu agora estou na low carb. E eu vou falar a real: tinha o maior preconceito com essa estratégia alimentar! Via a Lara Nesteruk (cara, como adoro ela!), que é nutri, contando sobre esse estilo de vida e ficava tipo “eu JAMAIS conseguiria isso”. Thais, parabéns, você está pagando a língua. DE TODAS as mudanças alimentares que já fiz, essa é, de longe, a que me deixa menos encanada, mais saciada e muito menos ansiosa. Sério.

A low carb é polêmica porque coloca abaixo uma série de mitos da alimentação que eu – e tenho certeza de que vocês também – já ouvi muito, do tipo: “tem que comer de 3 em 3 horas pra acelerar o metabolismo”, “quanto mais integral, melhor” ou “sacie sua vontade de doce com essa gelatina light aqui”. Sabem do que eu tô falando, né? E com isso não estou dizendo que as outras correntes da nutrição estão erradas, mas que há um jeito efetivo de melhorar a constituição corporal que quebra paradigmas!

Confesso que eu também achava estranho eliminar boa parte dos carboidratos de uma alimentação, mesmo os integrais, ricos em fibras, etc. Mas depois de conversar com a média e ouvir DE VERDADE os snaps da Lara, passei a entender o funcionamento da low carb. Daria um blog inteiro se eu tentasse explicar tintim por tintim como ela faz o corpo trabalhar, mas o que digo é que existem inúmeras evidências científicas e pessoas especialistas que falam a respeito do tema (a própria Lara no Snapchat/Instagram – @laranesteruk – e alguns de seus colegas, o Dr. Souto e o Dr. Barakat. Sem falar na minha nutróloga, que dá dicas volta e meia em seu Insta: @dradeboranutrologa).

As informações sempre estiveram ao meu redor, o que estava faltando era eu ter mais fé em mim, motivação e alguém especialista para me acompanhar (conheço toda essa galera já tem mais de 1 ano, mas quem disse que eu mexia em alguma coisa do que comia?). Comecei NUM SÁBADO (dia 27 de maio, como um presente para meu ano novo) e hoje a reeducação completa 6 dias.

O que posso dizer é que não fico roendo a unha de vontade de comer doce ou massa, como sempre fiz enquanto comia MUITOS carboidratos, me sinto saciada a cada refeição e não tenho aquela pira de ter que pensar em me alimentar em intervalos de 3 horas. A low carb compreende uma variedade grande de alimentos (mais para frente posso contar o que ando comendo) e defende a diminuição nos industrializados – só de eles quase não estarem presentes já sinto diferença!

Se eu nunca mais vou comer carboidratos? Claro que vou comer! Afinal, comida é também fonte de felicidade, de encontro, de satisfação, oras! Mas eu acredito que preciso mudar minha forma de enxergar o carboidratos que, sem zoeira, estavam constituindo uns 85% da minha alimentação. Equilíbrio é um treco super importante! E não, não vou negar daqui a algum tempo, quando estiver onde quero chegar, uma pizza/massa/pão de vez em quando!

Falando nisso, tal qual contei no Insta Stories de hoje, nesses 6 dias minha barriga desinchou pra caramba! Não estou me pesando, até porque PESO NÃO É NADA, mas visualmente já me sinto mais fininha nessa região abdominal, que sempre foi meu ponto crítico (puxei o corpo do meu pai).

Ufa, esse post já está enorme. Mas é isso! Vim compartilhar com vocês tudo isso não porque estou virando fitness ou porque quero ficar falando de dieta toda hora. É pra inspirar quem está buscando mudar o estilo de vida, melhorar a energia vital, dar um um up na saúde, afinar a silhueta, enfim! O que motiva cada pessoa é muito pessoal – e o importante é estar de bem com a gente mesma, né?

Pretendo continuar esse papo lá no nosso canal no Youtube (inscrevam-se!), mas com uma frequência baixa para não comprometer outros assuntos. Quem quiser me acompanhar está convidada! Super beijo!

Fotos: Shutterstock

PS: Meninas, estou de olho nos comentários e logo responderei individualmente alguns. Acho importante colocar que sempre haverá discrepância nas pesquisas científicas sobre efeitos e consequências de qualquer estilo de alimentação: uma diz x, outra diz y. E isso varia de pessoa para pessoa. Porque, no fim, qualquer coisa pode ter resultados e riscos – mesmo que sejam diferentes entre si! Agradeço a preocupação de vocês de qualquer modo. Sigo com o que me propus a fazer porque, se eu for me prender a isso, nunca mais como nada, hahahaha!

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
84 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Catarine

    Bem vinda a sua nova vida!
    Tô fazendo low carb faz 2 semanas… é pouco também, mas sinto como se fosse outra pessoa. Minha relação com a comida mudou completamente!
    É muito bom comer comida de verdade! E se sentir bem!

    • Que bacana, Catarine (aliás, acho lindo esse nome e variações)! Fico feliz por você ter encontrado seu caminho! <3

  2. Bianca

    Thaís, a cada dia me identifico mais com vc! Nesta semana me consultei com uma nutricionista, fiz a temida bioimpedância e estou com o mesmíssimo % de gordura que vc, o que me incomodou bastante! O que tenho em mente é que não adquiri esses quilos a mais de um dia para o outro, e é claro que eles não irão embora (de uma maneira saudável) de um dia para o outro também.
    Força pra nós, que tenho certeza que conseguiremos atingir nosso objetivo, sempre com mta clareza e determinação! Mudar a maneira com que enxergamos a comida, e, mais que isso, aceitarmos que ela pode ter benefícios e malefícios, pra mim é o mais importante.
    Vou adorar acompanhar esse seu novo estilo de vida, e com certeza também irá me ajudar mto a seguir com o meu!
    Peço desculpas pelo textão hahahahaha
    Bjoos <3

    • Não peça desculpas não, Bianca! Tamo junta nessa empreitada! Gostei do que disse sobre não esperar mágica para eliminar aquilo que foi acumulado durante anos. Só a gente pode saber o que funciona pro nosso caso e experimentar é uma chave para o caminho! 🙂

  3. Carla Viveiros Neves

    Thais, você conhece o insta e o trabalho da Míriam Bottan? Senão, dá uma olhadinha no insta dela. Ela lutou e ainda luta contra distúrbios alimentares e fala muito sobre ativismo corporal. O insta dela é o @mbottan. E eu JURO que eu não quero ser aquela pessoa chata que fica xoxando o que os outros fazem com a sua vida, eu sei que vc tem um acompanhamento médico, não me parece ser uma pessoa inconsequente, mas cuidado com essa questão do low carb. A falta de carboidratos pode ser bem perigosa para o seu cérebro. Existem alguns estudos sobre isso, aumento de depressão, ansiedade, cansaço… Mas, fico muito feliz que você tá querendo cuidar da sua saúde. Comigo foi ao contrário, sair da casa dos meus pais me fez comer melhor porque eu passei a cozinhar mais e esse pra mim foi um ponto de mudança da minha saúde. Beijo!

    • Paloma

      Ia fazer um comentário, mas a Carla falou tudo o que penso 🙂 Sou adepta do “comida de verdade”, da minha musa inspiradora, Rita Lobo rs. Mas cada um faz aquilo que acredita e funciona né. Bjo!

    • Heloisa Carvalho

      Concordo com a Carla, a lowcarb pode ser perigosa (e sinceramente, meu olhos reviram com esses doutores aí, Souto e Barakat).
      Lembra quando a gente se encontrou naquele evento da Tanara e falamos sobre a relação com a comida? Pois então, eu não acho que aderir a esse ou aquele estilo de dieta ajude nessa questão do relacionamento com a comida, pelo contrário, pode até piorar. A Miriam é realmente incrível! Além dela também adoro a Nathalia Petry (@debemcommeuprato) e a Paola Altheia (@naosouexposicao) que falam muito sobre nutrição comportamental – elas também são nutricionistas.
      No mais, sei que só você mesma pode saber o que é melhor pra sua vida e espero que logo você encontre seu ponto de equilíbrio.

    • Vanessa Oliveira

      Agora fiquei confusa pq li o livro “A dieta da mente” que afirma justamente o contrário – carboidratos são péssimos para o cérebro e iniciam uma ação de inflamação no nosso corpo, no geral. É por isso que toda vez que penso em começar a cuidar da alimentação, me bate desânimo pq cada um fala uma coisa e isso me irrita NO ÚLTIMO. Não tenho saco pra começar uma coisa e depois vir alguém e “desmentir” tudo. Cada médico fala o que quer, cada pesquisa fala o que quer e é tudo contraditório.

    • Julie

      Olha faço low carb desde outubro do ano passado e nunca me alimentei de maneira tão saudável, minha disposição é outra!
      Esse discurso que a low carb pode ser perigosa pro cérebro? Perigo é excesso de carboidrato isso sim, que aliás atinge diretamente o cérebro!
      Meus exames TODOS melhoraram, minha glicose na faixa de 90 ficou na casa dos 70, meu colesterol baixou (sim comendo uma média de 4 ovos por dia), meu triglicerídeos nem se fala, com a eliminação das farinhas refinadas!
      A low carb é baseada em VEGETAIS, não é zerar carboidrato, é usar os carboidratos dos legumes e frutas, gente!
      Informem-se antes de dizer certas coisas, ninguém é obrigado a gostar ou seguir isso!

    • Andréa

      Meninas, também acho que deve haver MUITO cuidado com a low-carb. Todo mundo que começa essa dieta acha que a mágica está em simplesmente não ativar a insulina (lembrando que apenas a gordura não ativa o hormônio, já proteínas ativam ainda mais que carboidratos… pois é). Eu já fiz low-carb e foi a época que desenvolvi compulsão alimentar. A gente finge que tá feliz comendo só as “gorduras boas”, acha que aquele pão feito com farinha de linhaça e outras oleaginosas é maravilhoso! Eu acho muito positivo a ideia de comer comida de verdade, mas pq low-carb? Aliás, o que é lowcarb? É tudo muito relativo, uma dieta com 40% das calorias vindas de carboidratos pode ser lowcarb. Para mim essa porcentagem significa cerca de 190g de carboidratos, o que dá pra comer arroz, banana e muito pão, fora as raízes como batata.

      De qualquer maneira, Thais, fico feliz que tenha tomado a iniciativa para iniciar uma vida saudável! Mas por favor, não corte nenhum macronutriente da sua vida, carboidratos são essenciais. Por favor, não fique com medo de comer arroz, pão, batata, mandioca, aveia e principalmente FRUTAS. Por favor não caia nas balelas que Dr Souto ou Dr Barakat ficam impondo. Tenha uma alimentação equilibrada e torço muito para que consiga fazer dessa dieta um estilo de vida, com saúde física e psicológica <3

    • Keyla

      Tbm aconteceu comigo de ter me alimentado melhor depois que saí da casa dos meus pais, Carla. Comecei a cozinhar, a tomar consciência e minha relação com a comida mudou.
      E como a Paloma, a minha musa tb é a Rita Lobo que me incentiva a descobrir a “comida de verdade”.

    • Oi, meninas! Li as opiniões de vocês e respeito todas, porque vejo que estão preocupadas comigo. Mas peço que fiquem tranquilas, pois não tem piração por aqui! Tenho uma médica cuidando do meu caso e não vou passar por cima de quem eu sou o daquilo em que acredito em nome de uma estratégia específica. Enquanto ela funcionar como mudança e for tranquila de seguir – como está sendo! – é assim que vai ser. Meu único apego é com a minha saúde, então se ela estiver melhorando e se eu estiver me sentindo bem com a alimentação assim será! Sobre os efeitos/consequências da low carb, coloquei um PS ali em cima, no texto, com meu ponto de vista. Beijos para todas!

  4. Oi Thais, aderi a esse estilo de vida low carb desde que realizei uma cirurgia para retirada da tireoide, por conta de uma câncer na tireóide com invasão nos gânglios linfáticos. No inicio foi difícil, hoje, meu corpo se acostumou, e só como carboidratos de raiz, ou arroz integral, mas, muito pouco. Mesmo sem tireóide, meu metabolismo hoje é igual a de uma pessoa que tem essa glândula. Diminui 16 kgs do mês de novembro para cá, e agora quero ganhar músculos. Tenho acompanhamento com endocrinologista, nutrólogo e nutricionista, e realizei uma série de exames e minha glicemia está ótima. O meu insta é @emanuella_oliveirarocha.

    • Manu, você teve que lutar contra uma doença e tanto! Fico feliz em ler que o problema está superado e que, bem acompanhada, você está cuidando da sua saúde. Um super beijo procê!

  5. Fabi

    Olá, sigo a alguns anos o blog, mas nunca comentei, sou da área da ed. Física e acredito que nesse nosso meio tem alguns tipos diferentes de pensamentos, sinceramente, posso falar com certeza que o melhor mesmo é você ir a um nutricionista que entenda do assunto, cada corpo é um corpo diferente, a dieta por aí começa pela organização de pensamentos, se você não se educa para os alimentos, você não consegue seguir em uma dieta efetivamente! Siga ig de pessoas que entendam tipo: @fisherbruno @felipenassau e leia sobre a dieta low carb, como eles colocam! Beijos

    • Obrigada pelas dicas, Fabi! É sempre importante ler a respeito do assunto!

  6. Heloisa Carvalho

    Eita que esse avocado chega a estar pornográfico de tão lindo! Amo comer ele num sanduíche com molho de tomate e ovo (salivando horrores).
    Te digo que é um caminho um pouco longo pra gente entender melhor a comida e o nosso corpo, mas depois que mudamos o nosso relacionamento com os alimentos, tudo flui!

    • Verdade, desconstruir algumas coisas enraizadas não é necessariamente fácil, mas é um caminho individual e bastante gratificante! 🙂

    • Keyla

      Oooo Ehloisa, passa essa receita de abacate! rsrsrs Como que faz?

    • Heloisa Carvalho

      Oi, Keyla! Nem dá pra chamar de receita, rsrs. Eu costumo tostar de leve o pão, passar uma camada de molho de tomate, colocar o abacate em tirinha (nessa etapa pode temperar com sal, pimenta, páprica, o que preferir) e um ovo por cima – eu gosto com a gema mole. Pronto! É o sanduíche mais fácil e delicioso que já fiz!

    • Keyla

      Muito obrigada pela dica, Heloisa. Vou testar!

  7. Márcia Daniella

    É muito interessante . Vou gostar muito de ler seus posts sobre o assunto

    • Vou fazer em vídeo a partir de agora, mas mantenho geral informada! 🙂

  8. Sacha Dourado

    Relutei bastante para iniciar a LowCarb por também achar que não era pra mim. Estou a 2 meses nela e olha também dei uma desinchada de prima. Agora é perder as graxas acumuladas ao longo dos anos.

  9. Niziane

    Taís, há indícios que a dieta low carb, a longo prazo, promove aumento do percentual de gordura corporal. Procure conhecer o trabalho da Sophie Deran. Indico seu excelente livro. “O peso das dietas”.

  10. Maria

    Comecei a minha nova relação com a comida (reeducação alimentar low carb) há dois meses, tive ansiedade depois do primeiro mês mas estou tomando um suplemento (por um mês) que resolveu essa questão, eu estou muito feliz com o meu corpo é com os resultados obtidos até agora. Só foi ruim um incomodo que senti mas estou tratando com uma endocrinologista, no meu caso foi necessário, senti fortes dores abdominais e não sabia do que se tratava, aguardo meus exames e continuo com a reeducação.
    Não me arrependo em nenhum momento de ter iniciado, é uma “dieta” que faz você reavaliar a sua relação com a comida e o saldo é muito positivo! Recomendo!

    • Maria, bacana que você está sendo acompanhada por nutri e endócrino! É importante observar qualquer alteração no corpo mesmo. Boa caminhada para nós!

  11. Julie

    E Thaissss, boa sorte na sua nova escolha! 🙂

  12. Alessandra

    Eu sai de um quadro de obesidade grau 3 120 quilos em 1,70 de altura, para obesidade grau 1, 90 quilos , eliminei 30 quilos em 8 meses com a low carb, estou muito feliz e continuo meu processo as vezes deslizo como uma besteirinha no fim de semana e sei que ainda estou gorda,mas sei que já sou uma vitoriosa e minha caminhada continua.

    • Alessandra, parabéns! Continue firme na sua caminhada. Você consegue! <3

  13. Isabela

    Thais do céu, chega aqui amiga e vamos sair para tomar um suco! kkkkk
    Fiz minha consulta com a nutricionista semana passada e comecei a dieta essa semana.
    Bom, meu % de gordura esta em 45,7% e a idade corporal esta avaliado em uma mulher de 45 anos.
    Detalhe: tenho 24 anos.
    Eu tenho 1,70 de altura e meu peso médio sempre foi 74, 75, ja cheguei a pesar 66 com a dieta dukan, mas Deus me livre, aquilo é dukão isso sim!
    Bom, em um mês engordei, fui dos 78 ao 84, e jurava pra mim mesma que nunca chegaria aos 80, e cheguei e passei que nem vi..
    To seguindo certinho a dieta, e ja vi uma boa desinchada, mas é difícil, eu sempre vivi de dieta, e ouço “voce nao ta gorda” desde sempre, mas não é isso que meu corpo fala, vivo sem animo, sem pique e com falta de ar, fora que perdi todas as minhas calças, porque nunca passei dos 78, e 6kg, meu Deus, da uma p* diferença!
    Enfim, força para você, para nós e compartilhe seus resultados, suas dificuldades, suas alegrias durante essa nova fase! Estou torcendo por você!! Um super beijo!

    • Isa, força para nós! E não ligue para o que os outros dizem. Cuide de você – melhor ainda porque está acompanhada por um profissional da saúde, para analisar o comportamento do seu corpo de um jeito mais assertivo. Super beijo!

  14. Estou tentando essa dieta tem quase duas semanas e meia, mas não fui tão ao extremo, reduzi cerca de 70% dos carboidratos que eu comia e notei que parei de inchar tanto assim na fase da TPM e até minha pele melhorou. Força nessa nova fase!

    http://www.ziperchique.com.br/2017/06/dia-dos-namorados-presentes-para-ela.html

  15. Myrian

    Também preciso tomar providências enérgicas a respeito do meu peso, antes que se torne irreversível. Vou procurar saber sobre essa dieta.

    • Isso, Myrian! Além de ler a respeito, procure também um profissional da saúde para te orientar, fazer exames, acompanhamento… É importante! 🙂

  16. JUliana

    Fico muito feliz que você aderiu a esse novo estilo. Estou há 1 ano e meio na low carb e eliminei 10 kgs, dei uma estagnada mas minha saúde é outra, ainda tenho uns 4 kgs pra perder e esses ultimos são chatinhos de eliminar mas eu não abro mão desse estilo por nada! Me sinto muito confortável com as comidas e minha compulsão alimentar foi domada. Desejo muito sucesso a você nessa nova jornada!

    • Que massa, Juliana, adorei! Você chega lá sim! <3

  17. Isabella

    É como a Lara sempre fala: low carb é uma estratégia, e não é a única, claro. Cada um se adapta a um estilo de vida, e parar de encarar alimentação como “dieta” faz parte disso.

    Com o conhecimento que tenho hoje, acho que nunca voltaria a comer como comia antes. Não costumo rotular o que faço como LCHF (low carb high fat), mas como comer comida de verdade, sem medo da gordura natural dos alimentos.

    Basta estudar um pouco pra ver que essas “pesquisas” que falam dos malefícios dessa estratégia não foram bem conduzidas, porém, se não querem seguir esse estilo de vida, é simples: não siga. Há estudos para corroborar o que quer que seja, mas quem deve ficar confortável com sua escolha é você mesmo. Se o que estava fazendo não estava adiantando, porque não tentar algo diferente?

    O que está me irritando ultimamente é que low carb, jejum, etc., virou modinha, e tudo que vira modinha gera um preconceito sem tamanho e, além disso, gera mercado. É a tal “dieta do jejum”, “dieta 0 carb”, produtos low carb sem fim, enfim, pessoas que se aproveitam de quem está realmente querendo melhorar a saúde. Que bom que você encontrou uma profissional capacitada, e que juntas vocês decidiram por essa estratégia.

    Mês que vem completo 2 anos da minha mudança, e nunca estive mais saudável. Ainda tenho um longo processo pela frente, mas mudar minha relação com a comida é algo que me fez muito bem. Você vai ver que nada é tão fácil quanto as mudanças radicais do instagram mostram, nem todo mundo tem essa velocidade de perder gordura, nem sempre a cabeça colabora, mas com o tempo, tudo vai se encaixando.

    Boa sorte nessa nova jornada e nos vemos por aí, nos fóruns do face (melhores: https://www.facebook.com/groups/524620751016517, pra discutir sobre ciência, e https://www.facebook.com/groups/1677996842435837/, pra ter ideias de comidas, especialmente pra quem está começando) ou aqui no site.

    • Isa, onde assina embaixo desse comentário? Falou e disse. Sério, obrigada por entender! E valeu mesmo pelas dicas de grupos! 🙂

  18. Tatti

    Thais, low carb é excelente! De tudo que já experimentei, foi a melhor. Nada de passar fome. Eu nunca me imaginei comendo ovos de manhã e hoje, se não como, sinto falta! Torcendo por vc! Bjs

  19. MELINA B

    Low carb, se realizada de forma balanceada, é uma excelente estratégia. Nossa alimentação tem aminoácidos e ácidos graxos essenciais, mas não existem carboidratos essenciais. Reduzir industrializados e priorizar a ingestão de carboidratos não refinados, que estejam em sua forma natural nos alimentos, junto com fibras e vitaminas (como nas saladas, vegetais e frutas) só melhora a nossa saúde. Não faz sentido tanta histeria conta esse tipo de dieta, ninguém vai morrer se evitar comer massas, pães, bolos, tortas, doces e biscoitos.

  20. Joyce

    Como nutricionista devo dizer que o que A MAIORIA das pessoas fazem não é uma dieta low carb, mas como consumiam uma quantidade maior que a necessária para seu corpo, a redução para um dieta com quantidade normal de carboidrato faz muita diferença sim!
    Esse é o ponto, atualmente o pessoal come muito carboidrato então o low carb é na verdade uma quantidade ok.
    Nunca defini para meus pacientes como low carb, mas como alimentação balanceada para a individualidade de cada um!
    Low carb oficialmente é considerada restritiva e não deve ser encarada como DIETA, mas pode ser uma ESTRATÉGIA TEMPORÁRIA feita por um nutricionista, pois a longo prazo aumenta o risco de transtornos alimentares e compulsão. Lembrando que a quantidade da low carb na verdade é muito menor do que vemos por ai!

    • Joyce, obrigada por dividir conosco seu parecer profissional! Vou me informar sobre a redução de carboidratos nessa minha mudança em específico. 🙂

    • Vânia

      Sem contar que o ÚNICO profissional habilitado para prescrição dietética é o nutricionista. É lei.

  21. Keyla

    Me parece que hoje a comida virou uma vilã. Não pode comer arroz, feijão, batata ou tubérculos… Glúten, lactose e o pãozinho? Danou-se!
    Não é uma crítica à vc , viu Thaís! Inclusive, parabéns por sua iniciativa de cuidar da sua saúde.
    Mas faço uma reflexão que, ao meu ver, com equilíbrio a comida não industrializada não deveria ser tão “endemonizada” . Vejo minha avó na cozinha: desde o molho aos temperos, td natural… Acho que a grande questão é motivação e determinação para uma vida equilibrada.
    Bjo com carinho e sucesso nessa nova fase!!!!

    • Oi, Keyla! Eu acho que a comida virou vilã a partir do momento em que a gente perdeu o jeito com ela, sabe? Exagerou demais, ignorou as versões melhores pra saúde, enfim, perdeu a mão (eu inclusa!). Precisamos nos alimentar – e precisamos nos alimentar, sim, com prazer! Na low carb tenho sentido esse prazer de me alimentar também. Mas, como disse, não vou abrir mão mais para frente do que eu tenho deixado de fora, só que quero fazer isso com mais consciência, sabe? Super beijo!

  22. RAQUEL ALVES CAMARGO

    Thais … parabéns pela iniciativa !!!
    é sempre muito difícil começar ….. mas qndo começamos a ver os resultados …. é maravilhoso …. e pensamos prq … não comecei antes
    eu iniciei o estilo low carb em 17/10/16 com 17 kg acima do meu peso atual ……
    muitos criticaram …. mas eu consegui enxergar os benefícios de se alimentar melhor …. e ter uma qualidade de vida melhor …. e consequentemente baixar meu peso …. e só aumentar minha autoestima…. então me mantive firme ….. no foco ….
    concordo plenamente com vc qndo fala “Se eu nunca mais vou comer carboidratos? Claro que vou comer! Afinal, comida é também fonte de felicidade, de encontro, de satisfação, oras!”
    hj abro minhas exceções …. nas ocasiões especiais ….
    hoje me sinto uma vitoriosa …… muito mais feliz …..
    Low Carb é vida ….. amoooo

  23. Karina

    Thais, sou leitora do blog há anos, adoro vocês, mas acho que você mexeu num vespeiro. Eu pessoalmente dou adepta do low carb, mas sempre tive peso normal, só emagreci um pouco. O propósito bo caso foi retirar a comida industrializada w reinados do cardápio para cuidar da saúde a um.longo prazo, já que esse tipo de alimentos está ligado a tantos problemas, como diabetes, coração alzhaimer, etc. Mas eu pessoalmente tenho conhecimento conhecimento em.metodologia científica e pesquisei muito os site das publicações, para entender o que tinha sido testado em humanos, ou eram só obsevscionais, etc. A ciência de fato da sustentação para quem.quiser adotar o estilo de vida, inclive o Nobel de medicina me fez adotar o jejum. Mas não é para todos e existem muitas formas de se perder peso e levar um estilo de ida saudável, comendo carboidratos naturais como turbeculos, raízes, etc. Mas farinha refinada, açúcar e esses óleos aberrações não deviam fazer parte do nosso dia a dia. Eu prefiro.comer abobrinha ao invés de arroz pq é muito.mais nutritivo, e isso que me importa: qualidade nutricional.
    Mas o pessoal vê isso como religião e se sentem desconfortáveis com quem contradiz o status quo, por mais que a ciência prove, embora a ciência mude com novas evidências que vão surgindo …. mas a dieta ocidental foi baseada totalmente num palpite. Acho que você foi muito corajosa, eu não teria coragem de me expor assim, é como dizer que não acredita em Deus, causa muito espanto.

    • Oi, Karina! Entendo tudinho o que você escreveu e concordo contigo. Trabalhar na internet é se expor – e se expor também é mexer num vespeiro! Toda vez que sento pra escrever, faço absolutamente o meu melhor. Procuro colocar as coisas de uma forma democrática, enfatizando que as escolhas que faço pertencem a mim, não são infundadas e jamais obrigatórias para quem lê. O intuito é mostrar um caminho entre tantos, que não são nem melhores, nem piores, apenas diferentes! Uma pena que, para qualquer assunto ~polêmico~ (on e offline), quem pensa diferente precise se colocar numa posição de embate, fique ofendido com facilidade e até invalide o que se diz. Paciência, né?

  24. Viviane

    A low carb como deve ser eh uma estratégia bem interessada, afinal não zera carbos, só retira aqueles que não precisamos como pães, massas e biscoitos! Emagreci 9kg em dois meses e foi ótimo, porem no meu caso que tenho uma relação complicada com a comida, com uma certa compulsão, acabei engordando 6kg e agora me vejo perdida pois parece que desaprendi a comer, antes de estava de dieta e minha mãe fazia um bolo eu comia um pedaço e pronto! Agora eu resisto mas fico na neura e qdo como exagero! Criei um medo dos carboidratos que só está me prejudicando! Vou ir atras de uma terapia pra me ajudar a reaprender a comer de tudo, mas com moderação! Boa sorte pra vc Thaís, tomara que dê tudo certo!

    • Isso, Viviane, você precisa cuidar da sua mente primeiro, antes de começar qualquer coisa. É importante, aliás, pra todas que começam a se alimentar diferente estarem com o psicológico no lugar, especialmente no que diz respeito à comida. Desejo, de coração, que você encontre seu caminho – que não precisa ser x ou y, mas o melhor pra você! <3

  25. Karina Angelucci de Oliveira

    Oi Thais!

    Parei de comer pãozinho francês há um ano e senti muita diferença, parece que realmente desinchei. Estou tentando tirar algumas outras coisas aos poucos, mas ADORO comer, aí já viu né…kkkk
    Beijo e bom fds!

    • Perfeito – é no seu tempo! E se puder buscar ajuda profissional, melhor ainda! 🙂

  26. Cristiana marques

    Olha, cai aqui sem querer, mas só queria dizer: VAI FUNDO!!!! Estou na LC há um ano, emagreci 20kg. Mudança de vida total, absoluta e maravilhosa!!! Exames ótimos como nunca haviam estado. Sigo a Lara faz 1 ano, foi com ela que conheci esse estilo de vida e ela é, sem duvida nenhuma, a pessoa mais iluminada que existe nessa vida! O segredo é fugir dos industrializados. A LC é uma estratégia de emagrecimento, no começo precisamos abrir mão de muitas coisas, mas depois vai facil… Tamo junto aí!!!

  27. Gente como é que se alimentar a base de comida de verdade, vegetais, proteínas e gorduras boas pode fazer mal, e comer as mesmas coisas somadas a açúcar, farinha de trigo e industrializados não. Quem muda de estilo de vida, com a ‘low carb’ só tem a ganhar, não é excluir carboidratos da dieta, é escolher adequadamente bons carboidratos. Hoje com a low carb eu me alimento muito melhor, não passo fome, pelo contrário, me alimento até me dar saciedade, como quando tenho fome, como eventualmente bacon, que é uma delícia, sem medo ou vergonha, como quantos ovos eu desejar, sem o equivocado medo de aumentar o meu colesterol, mas também não tenho medo de comer algo que não é low carb quando me dá vontade, sabendo que depois posso voltar a me alimentar da forma que sei que é melhor pra mim. Eu, na realidade, estou – com a low carb – tratando a minha compulsão alimentar, compulsão mesmo, não tinha meros impulsos, antes em um sábado como este já teria comido as paredes da minha casa, comia qualquer coisa, só parava quando estava passando mal, era pré diabética, tinha colesterol alto, tenho esteatose hepática, conheci a low carb no começo do ano, tinha exames recentes que comprovaram todos esses problemas de saúde, até agora perdi 12 quilos de 88, me sinto muito mais disposta, comecei a malhar, e fiz novos exames há duas semanas e meus exames mostraram que eu estou muito melhor, meu TGO e TGP (esteatose) que eram 4 vezes o normal e agora estão muito pertinho do valor de referência, não estou mais na faixa de risco para contrair diabetes e o meu colesterol bom, que era bem baixinho, dobrou, o ruim que era bem alto, reduziu quase a metade, só não sei o meu percentual de gordura no momento pq nao voltei a nutri. Mas os resultados que já tenho demonstram que comer comida de verdade, sem dúvida, não faz mal. Agora, fazer qualquer dieta da moda, sem orientação, sem buscar conhecimento, de forma restritiva, a denominado de low carb, realmente pode não ser interessante. Thaís espero que você possa se apaixonar por esse novo estilo de vida assim como eu, e que consiga alcançar os seus objetivos, como estou conseguindo alcançar os meus. Ainda tenho alguns quilos a perder, pq só tenho 1,60, então ainda estou acima do meu peso ideal, mas vou sem pressa, assim como vc deve ir, pq sem duvida podemos chegar lá, apenas comendo comida de verdade.

    • Onde é que eu assino? Caramba, parabéns pelo bom-senso! É exatamente assim que enxergo a questão!

  28. Luciana

    Eu faço a dieta cetogênica (uma dieta um pouco mais restrita que a low carb) e nunca comi tão bem. Contudo, toda vez que comento sobre o assunto, recebo críticas ferozes, inclusive de médicos mal informados.
    Infelizmente, todos pensam que a restrição de calorias é a melhor opção para dietas restritivas, mas quando se corta o carboidrato é que se nota o quanto o consumimos. Eu comia glúten todo dia, todo santo dia.
    Atualmente faço um “dia do lixo” a cada 3 semanas e tô bem feliz assim.
    Além de perder medidas, me sinto muito mais disposta e saudável.
    Continue firme e não dê muito ouvidos às criticas. Sua nutróloga sabe o que está fazendo.
    Beijão

    • O importante é ser SEMPRE acompanhada por um profissional, independente da escolha! 🙂

  29. Elaine

    Thais, que legal!
    Please please please fala maos desse assunto, tenho pesquisado sobre isso, vou na nutricionista essa semana, quero saber mais!
    Boa sorte nessa mudança, vamos juntas 🙂

  30. Miriã Andrade

    Adorei seu post, Thais! Acho que o mais difícil mesmo é começar a mudar, ter coragem de mudar e ter foco. Eu já ouvi falar nesse estilo de dita low carb, e agora com o seu relato fiquei ainda mais interessada e já estou lendo e procurando mais a respeito. Continue compartilhando com a gente os resultados! 😉

  31. Vilma

    Esse negócio de low carb é só mais uma modinha de dieta, como tantas outras. As pessoas simplesmente não entendem que a chave para uma vida saudável é a moderação. Os carboidratos são extremamente importantes para o organismo e se fosse só isso que causasse obesidade pq os povos orientais são magros? Eles comem arroz o dia todo. Isso sem contar que se não fosse o desenvolvimento da agricultura e o cultivo de grãos, ninguém iria estar aqui para falar esse monte de besteiras.A verdade é que ninguém quer mudar seus hábitos aí na hora do desespero adotam essas dietas ditas “milagrosas”, mas no final sempre voltam aos seus antigos vícios.

    • Vilma, talvez na entrevista que eu colocar com a minha médica você vai entender que, apesar do nome low carb ter virado mesmo modinha, é um estilo de alimentação estudado há décadas. Meus exames só estão melhorando com a mudança e a dieta é não cetogênica, ou seja, há carboidratos sim, só que em menor quantidade do que eu própria costumava comer (porque né, minha alimentação antes era 80% carboidratos, sem brincadeira). Enfim, respeito sua opinião, espero que respeite a minha.

  32. Soninha

    Força aí Thais,,,, eu também engordei bastante (uns 20 quilos), mas já perdi 10 com a “minha dieta”.
    Alimentação é algo muito pessoal. É igual religião.
    Só que cada um acha q a sua forma de se alimentar é a melhor, a mais perfeita, as mais saudável.
    Então será impossível agradar a todos (até os especialistas discordam entre si, não é mesmo ?!)
    Para evitar “polêmicas” não conto prá ninguém (nem para as amigas) qual a minha dieta e assim estou seguindo perdendo meus quilinhos pouco a pouco. Devagar e sempre,
    Quando alguém comenta que estou emagrecendo, explico que intensifiquei as atividades físicas.
    Bjs e fico aqui na torcida por vc.

    • É, Soninha, essa “guerra” criada diante da alimentação é complicada mesmo, viu? Uma pena que a gente não possa mais concordar em discordar…

  33. Camila

    Thais, querer mudar para melhor com certeza já é um passo maravilhoso! Eu me encontro também muito incomodada com meu peso e você me estimulou a procurar ajuda. Continue compartilhando com a gente sua mudança. Adoro demais o blog! bjs

  34. Fabiana

    Oi Thais,
    Fico feliz que você esteja cuidando da saúde, acho que é o ponto mais importante para uma vida saudável, eu sigo low carb também e vou ficar muito feliz em ler textos sobre o assunto.
    Principalmente sobre as dificuldades e duvidas do começo, porque eu também ainda tenho, pois sigo há apenas 2 meses.
    Posso te dizer que sempre procurei ser bem saudável e cuidadosa com a alimentação, mas com a low carb consegui abandonar o vício nos doces e pães e me sinto muito melhor.
    Penso que é um estilo de vida e não uma dieta.
    Beijos e sucesso para você.
    Fabiana

  35. larissa vasconcelos

    Eu tbm estou começando a fazer a lowcarb, mas to sem dica de alimentos para cafe da manha e lanche. o que foi indicado para vc?
    pois ai eu confirmo com a minha nutri, pois to sem nenhuma ideia.

    • Deborah

      Eu não consigo fazer dieta tradicional…comer de 3 em 3 horas, essas coisas. Se fizer, passo o dia pensando em comida, é muito chato!!! com a low carb eu não tenho mais fome durante o dia….

      meu cardápio base é assim:

      * 7h00 – 2 ovos batidos com 2 colheres de tapioca; faço um panqueca e recheio com pasta de amendoim integral (café da manhã com carbo porque vou na academia logo depois).
      * 12h00 – almoço – carne + salada + legumes + 1 concha de feijão polvilhada com 1 colher de linhaça dourada (faz milagres para o intestino!!!)
      * 18h – carne + salada + legumes
      * 21h – 1 avocado ou 1 iogurte grego normal (evitem os lights da vida…)

      não fico com fome! e parei de fazer lanches no meio do dia….

      ** deixem ovos cozidos dentro da geladeira (sem descascar). Se bater uma fome é só comer…

    • Larissa, de café da manhã eu como omelete/ovo cozido e às vezes um pãozinho low carb com manteiga – conheci uma marca chamada Holy Nuts com uma mistura pronta pro pão que fica bem gostosa, viu? Se eu tenho fome à tarde, o que tem sido raro, como a mesma coisa. 🙂

  36. Deborah

    Adorei a novidade Thaís! Bom, já li muitos comentários aqui e queria dizer que a melhor dieta é aquela que você faz! (risos!)
    Sobre as críticas, acho importante dizer que dieta low carb não é uma dieta com ausência de carboidratos! Não mesmo! É apenas um redução deles….
    Eu já fiz várias dietas e a única que deu certo pra mim foi essa. Recomecei semana passada e já se foram 2 kg. (não sei se vc se lembra mas conversamos no privado do instagram). Outra mudança imediata no meu organismo é o intestino, que passou a funcionar lindamente….
    Eu já tenho 39 anos e é quase impossível perder peso…me mato na academia e nada acontece! Só mesmo fechando a boca. Claro que não sou xiita… de vez em quando eu como pão e tal, tem dia que dá vontade e eu como mesmo. Só que isso está virando algo bemmmm esporádico. A gente vai se acostumando à dieta.

    Eu te recomendaria a ler o livro “A dieta da mente”, achei incrível.
    Também uso o aplicativo FatSecret para controlar os carboidratos consumidos diariamente (não deixo ultrapassar 50 g).
    No momento estou sem ir na nutricionista…estou by myself porque não aguento nutricionistas kkkkk

    Eu segui a Lara Nesteruk no snap mas um dia ela estava dando um escândalo (que pessoa nervosa) dizendo que não podia responder as pessoas no snap… que não tinha como….então eu mandei uma mensagem sugerindo que ela fechasse o chat já que não tinha tempo…assim as pessoas deixariam apenas perguntas no instagram. A maluca me deu block kkkkkkkkkkk poxa! eu adorava ela!

    • Eu, hein? Credo! Acho a Lara meio doidinha também, mas não esperava essa dela não! :\

  37. Estou adorando ver no instasnap sobre sua evolução..
    quero muito fazer a low carb (na verdade já me policio para diminuir os carboidratos) e agora na gravidez isso tem sido constante…

    Espero que logo tenha uma entrevista com ela para ela explicar quem pode e quem não pode fazer a low carb (gravidinhas inclusive)..

    Parabéns pela decisão de melhorar sua alimentação!!!!

    • Mi, acho importante você procurar orientação profissional pro seu caso em específico – é sempre importante, mas na gravidez mais ainda! 🙂