Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Me deu vontade de falar por aqui sobre dois temas que estão intimamente entrelaçados: consumo e dinheiro! Talvez porque esse ano estou ainda mais atenta a essas questões – acho que quanto mais velha fico, mais cautelosa me torno. Normal, né? Deve ser assim para você também.

Achei super interessante que esses assuntos vieram à tona com força para a internet ano passado, especialmente no Youtube, por meio daquela tag sobre dinheiro. Inclusive, a própria Sá fez um vídeo muito legal em que conta sua relação com isso – para assistir, é só dar o play aqui embaixo.

Antes de mais nada, um pouco da minha história

Comecei a trabalhar com 18 anos, no início da faculdade – era assistente de cerimonial de casamento, acredite ou não! hahahaha Eu adorava meu trabalho mas ele era bem cansativo (ficava em cima do salto por 12 horas seguidas). Além de tudo, ganhava 60 reais por evento. Pode parecer super pouco, mas para mim era maravilhoso ter meu próprio dinheirinho.

Depois, comecei a fazer estágios em jornalismo (que me pagavam de 250 a 300 reais, no máximo) e também trabalhei duas vezes em lojas no período do Natal, que correspondia às minhas férias da faculdade. Enfim, desde nova dei meu jeito para ter as coisas que desejava. Mas, como as quantias eram pequenas, gastava tudo, sem guardar – e fazia parcelamentos também, mas sempre pagando tudo.

Quando finalmente me formei e consegui meu primeiro emprego, como assessora de imprensa, ganhei meu primeiro salário alto (claro, comparado ao que tinha antes, né). Fiquei doida. Queria comprar qualquer besteirinha que via pela frente, queria ir jantar em lugares bons, queria renovar o guarda-roupa. Mas isso não durou muito. Caiu um raio na minha cabeça dizendo que devia guardar dinheiro.

Previdência privada e poupança

O senhor meu pai foi o grande responsável pela minha educação financeira. Tanto que me enchia a cabeça para fazer uma previdência privada no banco, já que em meu primeiro emprego não tinha carteira assinada (ou seja, nada de INSS). E assim a fiz, em 2008! Pago até hoje e fui aumentando o valor conforme o salário foi melhorando. Foi uma excelente sacada porque mal sabia eu que depois me tornaria blogueira, o que significa também ser empresária e não ter um emprego nos moldes formais.

A história da minha poupança é bem bonitinha e devo ela a um cara muito querido (que não foi meu pai não! hahahaha). Uma vez, um cliente da assessoria de imprensa me pediu ajuda para escrever um publieditorial de revista para ele, algo que não fazia parte do escopo de trabalho da empresa em que estava. Fiz porque 1) sou solícita com as coisas e 2) estava num momento tranquilo de trabalho.

Ele adorou e ficou tudo certo – em momento nenhum considerei ganhar dinheiro com isso, entendi como um favor mesmo. Imagine o tamanho da minha surpresa quando recebi dias depois uma caixa de chocolates, um cartão de agradecimento e 500 reais no envelope! Eu chorei até. No cartão, estava escrito para usar o dinheiro no que me fizesse feliz – lembro até hoje. Decidi colocar todo o extra na poupança. Hoje, fico toda emocionada quando penso que ela começou como fruto de tamanha gentileza e já me proporcionou experiências muito, muito legais. <3

Meus últimos anos

Graças a Deus, minha vida financeira foi melhorando com o passar dos anos e atingiu um ponto alto quando trabalhava como editora de revistas e o blog começou a ser mais reconhecido. Guardava TODO meu salário do blog na poupança e vivia somente com aquilo que ganhava no meu emprego formal, digamos assim (mas, atenção: o blog já era um trabalho também).

Paguei uma pós-graduação, comprei à vista meu carrinho e estava muito feliz. Porém, a rotina extenuante me fez escolher ficar apenas com o blog, em 2013. Mesmo morando com meus pais, vi a quantidade de grana que ia pra poupança diminuir – claro, afinal minha única fonte de renda era o blog (tirando alguns freelas que já fiz e meu ex-trabalho como professora, é assim até hoje).

Foi então que decidi ir morar sozinha. FACADA TOTAL. Se guardar dinheiro já estava difícil, ficou ainda mais a partir de 2015, quando passei a pagar aluguel e uma infinidade de boletos – dizem que ser adulta é só pagar boleto, né? hahahaha Concordo. Além de tudo, ainda tive que comprar a mobília e os eletrodomésticos da casa nova. Ah, e ainda inventei de viajar, pois: V1D4 L0K4.

Dinheiro é vigilância

Ou seja, vi minhas reservas abaixarem drasticamente e ainda estou me recuperando dessa gastança toda. Porém, veja bem: consigo me sustentar sozinha e ainda viajar! Fico super orgulhosa de mim mesma por isso, além do que vejo que usei meu dinheirinho de forma sábia, para coisas que, como o cara querido lá de cima me orientou, me fizeram muito feliz.

Apesar de ser uma pessoa bem ciente com o dinheiro, vejo também que já perdi a mão em algumas épocas querendo tudo-ao-mesmo-tempo-agora. Por exemplo: viajar pra Itália no ano da minha mudança foi uma coisa bem impensada que me resultou num considerável rombo no orçamento. Mas agora, em 2017, sinto que aprendi a lição e estou mais vigilante com os meus gastos – até mesmo os pequenos.

Hoje, uma boa parte do que recebo vai para pagar as contas da casa e do carro (incluindo aluguel, comida, luz, NET, IPVA, seguro). Uma outra quantia vai direto para a poupança/previdência e o que sobra é para eu aproveitar a vida – afinal, como diz aquele velho ditado que sempre me faz lembrar da Paula, nossa amiga querida, “caixão não tem gaveta”.

Mas o mais importante de tudo isso é saber qual a real motivação de eu estar poupando. Ela já variou muito ao longo da minha vida: o primeiro carro, montar uma casa, uma viagem legal. E de nada adianta, na minha opinião, ter dinheiro guardado sem saber o porquê. Hoje eu tenho um sonho muito maior, que é o de comprar a casa própria (como todo brasileiro, hahahaha). Para isso, sei que vou ter que segurar muita coisa com a qual estava acostumada.

Toda vez que estou desanimada, dou um clique nesse vídeo da Sá e lembro de que tudo é possível, sim!

Uma lição importante

Então, se você também tem um sonho, seja ele pequeno ou grande, passe a olhar com mais carinho para o processo de chegar lá. Tal qual a Sabrina explicou em seu vídeo sobre dinheiro, não tem milagre se você vai fazer isso sozinha. Tem é muito esforço – e saber dizer não (mesmo que o desejo de gastar com outra coisa aprazível seja forte).

O que eu acho mais válido – ganhe você 200 ou 20 mil reais por mês – é entender quais são de fato suas necessidades e aquilo que quer fazer com o restante do dinheiro. E isso cabe única e exclusivamente a você. Se seu sonho é tirar um ano sabático, ótimo. Se é comprar um carro, tudo bem. Se é ter muitas maquiagens boas, perfeito. Mas permita-se sonhar – e, mais importante, planejar.

Foto: Shutterstock

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
24 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Márcia Daniella

    Minha primeira poupança começou quando eu tinha 7 anos, rs, rs. Abri com meu cofrinho e ajuda da mãe pra ir ao banco assinar a papelada autorizando. QUando fui comprar meu apê, até essa poupança ajudou. Desde pequena, economizo um pouco todo mês.

  2. Denise Mendes

    Adorei o texto, confesso que demorou muito para eu ter uma certa disciplina com dinheiro, aliás começou recentemente. Eu vim de uma realidade muito pobre infância/adolescência, ai estudei, passei num concurso… aí já viu? Esbanjava muito, porque pensava todo mês vai entrar… Há dois anos parei respirei fundo e pensei não posso viver desse jeito é hora de tentar voos mais altos, casa própria, ano sabático etc. Educação financeira é pra vida e é um aprendizado mensal!

  3. Fofolete! Obrigada por compartilhar da minha felicidade, você sabe bem como estou. hahahaha

  4. Karla

    Nunca fui de família rica, mas quando precisava de $$ para qualquer coisa quando criança/adolescente, meu pai, como jornalista e trabalhando em 4 lugares dava um jeito de suprir as “necessidades” (que muitas vezes eram supérfluas), dos 3 filhos. Nem dentro de casa me ensinaram a guardar dinheiro. Quando comecei a trabalhar aos 20 anos, gastava todo meu sálário em bobagens. Meu pai vendo isso, me fez fazer um consórcio de carro, para minha sorte!!!! Mas mesmo assim, depois de anos e de muitas “barbeiragens financieras”, foi aprender a guardar dinheiro. Hoje, sou super cuidadosa. Moro sozinha, pago contas da casa, consigo guardar uns trocos e tenho como objetivo de vida fazer, pelo menos, 1 viagem “grande” ao ano (td bem que essas são no “modus operandis mendigus”!!!! hahhaha). Tem como fazer isso e ainda ter vida. Tem. Não é facil e o consumo tem que ser consciente. Como vc mesmo disse Tais: cada um sabe do seus sonhos!!! Mas é tão legal quando conseguimos. Um prazer de conquista “impagável”!!!! Bjs

  5. Jade

    Ri demais com “Hoje eu tenho um sonho muito maior, que é o de comprar a casa própria (como todo brasileiro)” hahahah. Como o seu, meu pai também me ajudou a ter consciência de economizar e ainda me fez uma previdência privada há uns 10 anos! Como só passei a ganhar um salário de verdade nos últimos meses, mantive a ideia e guardo na poupança metade do que sobra depois de pagar as contas. Boa parte direcionada pra grandes viagens se tudo der certo. Adorei o texto =)

  6. Lele

    Thais, vou ser bem sincera com vc: poupança não é o jeito inteligente de guardar dinheiro! Poupança perde pra inflação, ou seja, vc guarda dinheiro lá e ele desvaloriza! Mulher, existem diversos investimentos bem fáceis de fazer que rendem juros!! ou seja, faz o teu dinheiro crescer (renda fixa, tesouro direto, etc). Estude mais sobre isso. E outra coisa, previdencia privada só vale a pena se vc não pagar taxa de carregamento, caso contrário, vc pode pegar esse mesmo dinheiro e investir (que é o que o banco faz com o teu dinheiro)… Não estou falando de investimentos de risco, tem muita opção de investimento seguro por aí, de curto prazo e que faz o dinheiro crescer…

    • Simone

      Thais, concordo com o comentario da Lele! Recentemente comecei a ver uns videos do canal me Poupe!! Vai la ver! alem de aprender da pra se divertir

  7. Parabéns pelo artigo, Thais. Adoro ler suas reflexões aqui no Coisas de DIva. Identifico-me muito com meu momento atual. Grande beijo, e sucesso a vocês!!

  8. Thaís

    Gostei mt do texto. Também sou adepta de guardar uma parte do $$ todo mês, que geralmente uso pra viajar 1x por ano. Ainda pretende fazer algo pra guardar $$ a longo prazo.

  9. muito bom abordar esse assunto
    ultimamente estou bem contida
    abrindo mao de muita coisa
    bjs

  10. Bruna

    Thais, super pertinente esse assunto, eu sinto que blogs femininos em geral não abordam muito esse tema! E concordo com o que as meninas falaram aqui em cima, poupança e previdência privada não são as melhores opções. Para quem é disciplinada, recomendo abrir conta em alguma corretora (xp, rico), é super simples (como abrir uma conta em banco, e vc faz tudo on line), e as taxas de renda fixa são bem melhores que nos bancos. Pela corretora vc tb pode investir no tesouro direto, investimento seguro que tem um rendimento bem legal! Deveríamos ter educação financeira nas escolas, vejo como isso faz falta na vida das pessoas! Acabamos sendo enganadas pelos bancos e não tendo conhecimento de como fazer nosso dinheiro render mais!

  11. Atualmente eu guardo na poupança mesmo… mas penso seriamente em fazer algo com tesouro direto…

  12. Sempre fui de ter poupança, desde os 17 anos. Hoje estou mudando para Tesouro Direto, que parece ser bem mais vantajoso. http://www.alemdolookdodia.com

  13. Lourdes Leal

    Meninas, que post mais fofo, me identifiquei com tanta coisa!!!
    É inacreditável quando a gente faz esses sacrifícios e vê as recompensas no final. Eu e o boy (futuro marido kkkk) acabamos de comprar nosso apê, e isso só foi possível com muita economia e sacrifícios. Mas olha vale a pena viu!!! Ainda temos muitas coisas pra fazer no apê e tbm pra comprar, mas isso tudo vai ser com calma… e é tão legal entrar e ver que aquele lugarzinho é nosso!!!!

  14. Carolina

    Ah Thais, seu texto veio na hora certa!!! To num mar de gastos tentadores e não consigo me controlar. Vivo dizendo que preciso de um carro e não paro pra pensar nisto com coerência porque não tenho reservas para comprar. Enfim, quero ser mais vigilante nas despesas e sou muito grata por dividir conosco este texto maravilhoso 🙂

  15. Fernanda de Oliveira

    Obrigada por compartilhar. Sucesso!

  16. Renata

    No começo a gente se empolga mesmo, poucos conseguem manter um foco desde cedo (não foi o meu caso).
    Texto show!!! vamos manter os sonhos e buscar realiza-los 🙂

  17. Marina

    Adorei seu texto, Thais. Guardo boa parte do meu salário desde meu primeiro emprego (2010 – 17 anos), quando ganhava míseros R$ 500,00 haha. Tive meus estudos e casamento pagos por meus pais, porém minha casinha é fruto do meu esforço. Na hora de financiar, tinha o dinheiro da entrada e de toda a mobília. Sou até chata demais, de tão “mão fechada” rsrs. Não deixo de comprar nada que eu quero (muito). Penso durante uns 5 dias antes de comprar, na maioria das vezes vejo que nem quero, era só empolgação haha. Bjss!!

  18. Excelente texto! Estou exatamente nesse momento, já conquistei algumas coisas que tanto desejei mas por algumas decisões impensadas preciso agora repensar toda minha vida financeira para conquistar outros sonhos! Obrigada por me lembrar da necessidade da espera! Vai dar tudo certo! Torço por vocês! Bjs

  19. Miriã Andrade

    Esse ano minha meta é organizar minha vida financeira bem certinho, tenho muitos planos, de viagem principalmente, e só assim vou conseguir realizá-los, adorei o texto! 😉

  20. Eu sempre fui bem controlada com dinheiro, mas ultimamente tem sido difícil… não porque tenho gasto mais, mas porque tenho ganhado menos mesmo… Mas acho bem importante a gente se planejar com questão de dinheiro sim, ainda mais pq às vezes dá vontade de sair comprando tudo e acabamos gastando no que a gente nem precisa…

  21. Dayane

    Comecei minha poupança com 11 anos, e depois de poupar bastante dinheiro, consegui comprar meu terreno com 25 anos (tenho 27 agora). Mas entrei em um serviço que me fez muito triste por quase 3 anos, e descontei tudo isso em compras. Até hoje estou tentando controlar esse consumismo que entrei, e espero em breve conseguir melhorar dessa “doença”. Quero ver outros posts sobre esse assunto hehe.

  22. EDIANA CONCEIÇÃO

    Mulher, era e ainda sou um pouco desregrada com a minha grana, tirando as obrigações mensais (cartão, investimento e previdência), o resto que não é muito, eu torro todo. Amei o post, e me vi com uma vontade louca de me programar pra viajar ou até mesmo para tirar um ano sabático.

  23. Juliane Soares

    Oi Thais, como vai? Adoro esta parte do blog sobre reflexão. Me identifico muito com o que você escreve 🙂 gostaria de compartilhar uma dica com você.. já trabalho ha quase vinte anos e sempre gostei de guardar dinheiro na poupança desde então. Tenho um amigo, muito mais novo, super antenado e quando disse que eu guardava na poupança ele achou engraçado e disse que eu parecia a mãe dele. Me senti uma velhinha ultrapassada rs. Então segui a dica dele e fui conversar no mês passado com meu gerente do banco sobre investimento. Super receosa e preconceituosa, ouvi as possibilidades e tomei coragem! Passei todo meu rico dinheirinho da poupança para um investimento de baixíssimo risco. Apesar do pouco tempo, já acompanho pelo aplicativo do banco mesmo e anima muito ver o dinheiro aumentar de valor! Fico com a sensação de que está com fermento!! Agora me sinto a moderna! Já estou pensando até em viver de renda! Rs (brincadeirinha, ainda falta muito!).
    Ah, gostaria de te dar outra dica relacionada a este tema, o estilo de vida minimalista. Assisti na Netflix um documentário maravilhoso sobre o tema, “Os Minimalistas”. Fantástico! Acho que você vai gostar. Um abraço!!