Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Você conhece um carinha novo em algum desses aplicativos de ~paquera. A conversa desenvolve e vocês combinam de sair: data, local e horário marcados. A pressão começa. É aquela velha agitação interna já conhecida. Você já descolou o mapa astral inteiro do boy (quem nunca? hahahaha), já imaginou vocês dois juntos preparando um café da manhã em casa, já pensou nele conversando sobre música com seu pai. OPA, PERAÍ, MIGA, CÊ TÁ FAZENDO ISSO ERRADO. Cê tá fazendo isso que nem eu fazia.

Sim, porque eu era dessas. E depois de passar vários dias pensando em mil possibilidades, chegava na hora e… Não era nada daquilo. Quer dizer, era o que era, mas não o que eu tinha imaginado. Voltava para casa super frustrada, me sentindo a última bolacha molenga do pacote, a azarada das galáxias. Era péssimo ter que lidar com a realidade – o mundo de fantasia interno parecia muito mais legal. Só que, convenhamos, fácil é se deixar levar por ele, difícil é viver desamarrada.

Tive que aprender isso a duras penas. Desde muito novinha, era tomada por uma onda de sonhos absurdos sobre absolutamente qualquer coisa. Isso desencadeava em mim a ideia de que nada seria bom se não fosse exatamente como imaginei. Ou seja, qualquer coisinha (mínima que fosse) que estivesse fora da curva era motivo para eu surtar. Queria, além do cenário perfeito, o controle magnânimo sobre os fatos. Jamais consegui, claro. E percebi que estava dando voltas sobre algo que na verdade é simples.

criar expectativas

Alguns fatos recentes só me mostram que bom mesmo é mergulhar no que a vida nos traz – no exato momento em que cada coisa acontece. Teve um dia lá no Rio em que uma amiga nossa nos chamou pra ir num karaokê com banda no centro da cidade. Fomos do jeito que estávamos e sem saber o que esperar, mas abertas ao que viesse. E, sério, até agora essa foi a noite mais legal da minha vida. Fiz tudo o que me deu vontade: cantei, performei, conversei com estranhos, dei risada, dancei. Vivi o presente.

Quanto tempo a gente é capaz de gastar colocando a cabeça no futuro, algo que não se pode controlar? E no passado, rememorando experiências e comparando-as com as que estão acontecendo naquele minuto? Não tem ponto nenhum em fazer essas coisas. O negócio é viver o aqui, o agora. Toda vez que minha mente insiste em criar expectativas, respiro fundo e penso: as coisas aconteceram/acontecem/acontecerão do jeitinho que tem que ser. <3

Bom domingo reflexivo pra você! E nada de pirar no rapaz do Tinder, combinado? hahahahaha

Foto: Shutterstock

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
38 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Maria Luiza

    Adorei o texto Thais! Adoro esses textos que nos fazem pensar na vida para momentos de reflexão e até auto conhecimento! Viver o presente é essencial, o futuro a Deus pertence! Bjos

  2. Márcia Daniella

    Tenho Vênus em Peixes, apesar de ser capricorniana. Meus pés sempre estiveram fora do chão quando o assunto é amor, rs, rs. Amei o post

  3. Marcia

    Oi Thaís, que belo texto! Eu sou canceriana com ascendente em touro, uma romântica teimosa! Acho que me apaixonei profundamente, sei lá, umas 7 vezes na vida? Aí como eu só levava fora atrás de fora, passei um bom tempo melancólica. Depois que desapeguei, conheci o meu companheiro atual. Estamos juntos a 10 anos e tem sido ótimo. Mas posso dizer uma coisa bem verdadeira? Ser feliz com alguém dá um trabalho desgraçado. E a rotina é uma megera. Pensa em todos os sonhos românticos, então, construir um relacionamento com alguém implica em desconstruir um por um. Eu sou feliz, bem feliz no meu casamento, mas oh, deixa eu ser sincera com você:

  4. Marcia

    Cont. (a lesada deu enter sem querer)

    estar com alguém é só mais uma opção de felicidade, não é essencial, não é a única. E é tão difícil como qualquer outra grande projeto da vida. Viva um grande amor se ele aparecer, viva mil se eles chegarem, mas viva um magnífico e do tamanho do universo com você mesma, por que é esse relacionamento único que te faz ser feliz. Viver com alguém, é só mais uma opção, nem de longe a mais fácil.

    • viviane

      Márcia, vc e a Thaís arrasaram! Depois de tantas desilusões percebi que não vale a pena criar nenhum tipo de expectativa mesmo. O problema é que elas surgem meio que involuntariamente e aí o estrago tá feito. No momento tô magoada com algo que aconteceu já há um tempo e que ainda resiste em passar… Aí, resolvi mudar. Mudei o cabelo, comecei a usar um batom diferente, a me cuidar e a me gostar mais. Realmente estou vivendo um caso de amor comigo mesma. Farei de tudo para não deixar esse sentimento morrer. O engraçado disso foi que, o tonto (mané, pra não dizer outra coisa) que causou todo o estrago apareceu do nada notando toda minha mudança e me enchendo de elogios kkkk Sério, foi muito engraçado e também não era a minha intenção, é claro. Mas confesso que adorei, ele não sabe o que perdeu <3 Sambei na cara dele! Autoestima é tudo meninas!

    • ISSO AÍ, VIVIANE, SAMBA MESMO! E continua nessa relação linda e duradoura com você mesma! <3

    • Marcia

      É isso Viviane, goste de você. Seja cuidando da imagem, seja cuidando da alma, os dois juntos quando a vida maluca deixa, o importante é se sentir bem com você. Não é tarefa das mais fáceis, oh mundo véio que gosto de fazer a gente se odiar, mas aos poucos, a maturidade chega e a gente vai se gostando mais.

    • Nossa, Marcia, que lindo o que escreveu. Tô aqui com lagriminhas nos olhos. Parabéns. <3

      E, sobre ser canceriana: MIGA, SOU GEMINIANA COM ASCENDENTE E VÊNUS EM CÂNCER - SOS

  5. Carolina

    Vc está certissíma! Ainda mais sobre relacionamentos. Eu tbm era mega encanada e imaginava mil coisas. Na minha quinta tentativa em caras de aplicativos (juro que era a última), desencanei, cheguei no bar sem maquiagem e pedindo porção de frango frito (sério). Final da história, estamos namorando a mais de um ano!
    Não encane tanto (dá cabelo branco e rugas hahaahahahaha), todo mundo tem o seu destino para ser feliz! 🙂

    • HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA, CHORANDO DE RIR ATÉ 2025 – sério, que história mais maravilhosa. <3

  6. Tiemy

    Thais, me abraça!! hahaha
    Era o que eu precisava ler… Acabei de mudar para Curitiba, e instalei um desses aplicativos para conhecer pessoas novas. Ao mesmo tempo que acho legal, sinto uma pressão muito grande em mim mesma para que dê tudo certo, nem que for na amizade.
    Ainda me sinto um pouco perdida nesse aplicativo haahah… Até pensei em desinstalar, mas me falaram que é normal sentir assim no começo. Então vamos ver né!
    De qualquer forma, adorei o post! É sempre bom saber que não estamos sozinhas =D

    • SINTA-SE ABRAÇADA! É difícil se mudar de cidade mesmo, eu entendo. Mas aproveite as ocasiões offline também para se comunicar e quem sabe fazer amigos. Ajuda bastante! Insira-se em grupos de interesse verdadeiro seu, é uma mão na roda dividir coisas que a gente gosta com os outros. Beijo! <3

  7. mari

    já falei e repito, seus textos estão muito bons! bj

  8. Não te conheço, mas sabe quando a gente precisa comentar? Então, parece que eu escrevi isso ai. Porque as minhas noites cariocas com karaokê têm sido o meu melhor presente! 🙂

  9. Renata

    Ah, eu sou a rainha da imaginação. Já tive um amor platônico e, por mto tempo, me iludi mto. Passou, mas ainda tenho a mania de idealizar td. Mal conheço a pessoa e já imagino o casamento, filhos rsrs.
    Sempre que saio cheia de expectativa a noite é péssima. Tb tive a noite mais legal da minha vida no dia que não idealizei nada, simplesmente vivi o momento…

  10. Carina

    Ah, seria tão bom!

    Juro que já tentei, mas ela brota, cresce, se alimenta dos sentimentos bons, e vira um monstro, essa tal de “Expectativa”. =/

    • É duro lidar com ela mesmo, Carina! Mas a gente precisa começar de algum jeito, logo no primeiro pensamento. É respirar, contar até mil, se distrair… E deixar passar. Boa sorte! <3

  11. Camila

    Thais, se você se sente confortável com a área de exatas, leia o livro “O Andar do bêbado”. Lembrei dele porque você escreveu :” Quanto tempo a gente é capaz de gastar colocando a cabeça no futuro, algo que não se pode controlar?”, porque trata justamente da dificuldade que temos em lidar com o aleatório (é um livro que fala muito de probabilidade, mas´é legal, juro!)
    Enfim, o livro reduziu minha ansiedade.. espero que possa te ajudar nesse lado tbm..

    • Não me sinto confortável com a área de exatas (#humanas4ever, hahahahaha), mas gostei bastante do tema e vou procurar, Camila! Valeu! 🙂

  12. Morgana

    Thais, que texto ótimo! Me senti verdadeiramente tocada com ele, porque faço exatamente isso. E preciso aprender a aceitar o jeito que as coisas vem, e vão e vieram, parar de remoer o passado e tentar controlar o presente e o futuro. É muito difícil ser tão sonhadora rs

  13. Ana Paula Lins

    Que lindas!! Todas vcs, juro que não achava que isso era normal, super me identifiquei, mas achava que era só eu hahaha
    Eu também crio expectativas com os boys dos app, mas o que mais me incomoda é remoer o passado 🙁 🙁 🙁 não saber controlar o que sinto com relação ao que passou.. ser humano é difícil né.. haja terapia kkk
    Adorei o depoimento da Marcia, sou muito feliz sozinha, já sou mãe, divorciada e me sinto super realizada, meu filho me completa e eu não preciso me preocupar mais com isso, já que sempre sonhei em ser mãe.. mas sempre rola umas carências e nessas horas que a dita expectativa vem pra estragar o que podia até dar certo hahaha
    amei o seu ponto de vista Thais.. vou tentar seguir a risca para ambos os casos hhaha
    viver o hoje, o agora (L)

    • Isso aí, Ana Paula! Te desejo sempre o melhor <3

  14. Thaís Pedretti

    Adoro seus textos, Thaís! Tento ao máximo não criar expectativas, assim a vida fica mais leve.

  15. Jaqueline Peres

    Nossa, ótimo texto! A pisciana viaja tanto e cria expectativas demais também, e daí, já sabe né?! Sofrimento desnecessário. No momento estou numa fase difícil mas o problema não esta em relacionamento, mas sim em nossa mudança de país. Eu e meu marido decidimos sair do Brasil, mas sofro com mudanças, ainda mais essa tão drástica. Estou a flor da pele, coisas bobas me irritam, fico pensando o dia todo em algo que poderia deixar passar, a família pressiona pra não ir, penso nos casamentos das amigas que perderei…enfim…ta sendo o pior momento da minha vida. Será bom pra nós, só que estou tão mal agora. Marquei psicólogo, preciso sair bem daqui, ou será um desastre lá fora.

  16. adorei texto!!! me identifiquei muito gostei das suas reflexões muito inteligentes!!!

  17. […] Texto mara Sobre não criar expectativas. […]

  18. Sobre essa coisa de não planejar muito e sair indo e curtir como for, fui esse mês pra belém sozinha. Comprei a passagem no impulso, aí desanimei total da viagem quase me arrependi de ter comprado, reservei o hostel dois dias antes de embarcar e não planejei mais nada. Nossa, foi uma das melhores viagens, sério. Conheci pessoas novas, lugares novos, venci barreiras sozinha, dediquei um tempão pra mim mesma, enfim… foi incrível. Me permiti curtir o momento, sem muitas expectativas (na verdade não tinha nenhuma, já tava achando que a viagem ia ser chata) e viver mesmo o que apareceu pra mim.
    http://www.issoaquiloetal.wordpress.com

  19. Leticia

    Amey o texto, Thaís! Era o q eu precisava ouvir, nossa, como eu ando viajandona! Tô idealizando demais e quebrando a cara demais too!
    Vou colocar os pés no chão, começou a imaginação rolar, vou contar carneirinhos! Bj vc é ótima!

  20. Depois de um dia triste, ler esse texto foi um abraço no coração <3 Nós vivemos tão entulhadas pelos problemas do dia a dia que fantasiar sobre as situações perfeitas acaba se tornando um escape, e nisso nos esquecemos de aproveitar "a vida como ela é"…

    Um beijo <3

  21. Miriã Andrade

    Seus textos sempre muito inspiradores, reflito muito e sempre! <3

  22. Gabriela R. Salomon

    Sempre criei expectativas (ainda hoje, mas um pouco menos kk) e sempre caí de bunda no chão :/ Mas isso é aprendizado! Sempre!
    Amei o texto, Thais 😀