Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Minha viagem pela Ásia está quase fazendo aniversário, haha, mas juro que não esqueci – e agora, além desse post sobre Singapura, só falta mais um, sobre as praias tailandesas! De resto, já falei sobre todos os meus destinos por aqui – e os links estão todos lá embaixo.

singapura

Para saber mais sobre meu roteiro certinho, preços e mais algumas dicas gerais sobre a Ásia, aquitem meu primeiro post sobre o assunto.

Viagem pela Ásia: Singapura

singapura

A Área Central de Singapura, que é o centro financeiro do país, é uma cidade toda planejada – de verdade, parece que tudo está exatamente em seu lugar o tempo todo, mesmo sendo uma cidade enorme, super cosmopolita. E por isso mesmo, parece que Singapura contrasta muito com o restante da nossa viagem. Mas falo mais sobre isso já já….

Se você perdeu meus posts sobre minha mala pra essa viagem, clica aqui e aqui pra conferir!

Chegando

singapura

Fomos de avião de Bali, na Indonésia, para Singapura de avião. O trajeto dura pouco mais de duas horas e fomos de Tigerair, a melhor companhia que usamos para voos internos na Ásia – para quem for para lá, super recomendo.

Minhas impressões

singapura

Se eu fosse fazer outra viagem pela região, não incluiria Singapura num roteiro como o que a gente fez – não porque não gostei de lá, mas porque acho que não combinou com as outras cidades que escolhemos. Chegamos da Indonésia numa vibe total relax hipponga de humanas direto em Singapura, a cidade onde é proibido mascar chicletes, não tem um papel de bala no chão e onde também é proibido atravessar a rua fora da faixa (e ninguém atravessa). Aliás, falar sobre essas leis é uma piadinha bem comum a respeito de Singapura – já que pra gente várias delas parecem até engraçadas, mas todo mundo respeita (até porque se não respeitar leva multa haha).

Enfim, como Singapura é totalmente planejada, ela parece quase uma Disney das cidades – tudo é sempre muito limpo, organizado e megalomaníaco. Culturalmente, é um encontro de povos diferentes – tem muita gente da Malásia, Índia, China… Justamente por ser essa aglomeração de tantas etnias, achei que íamos passar meio batido, já que as pessoas reparavam muito na gente nos outros países. Ledo engano, muita gente tirava fotos nossas meio escondidinho no metrô (juro hahaha).

O que fazer

singapura

Não tem muito como escapar do complexo que rodeia o Marina Bay Sands, o hotel mais icônico da cidade – ali em volta tem de tudo, jardins, roda gigante, museu, cassino, shoppings, estufas, a pista onde os pilotos correm na Fórmula 1… Se você curte esse estilo de turismo meio ~Dubai, prepare-se, você vai adorar. Tudo é imenso, mesmo, parece que uma coisa é do lado uma da outra, mas tem que andar quilômetros no sol escaldante haha. Nessa região, eu amei o museu de ciência e os jardins Gardens by the Bay, que são maravilhosos. Fomos nas estufas mas meio que não achei nada de mais, mais uma vez, parece meio que uma Disney, tudo meio de plástico.

singapura

Também demos uma volta por Little India (que foi onde ficamos, um bairro bem simpático e, como indica o nome, bem indiano) e Chinatown, que é divertidíssima, cheia de lojinhas e com um dos templos budistas mais lindos que eu já vi, o Buda Tooth Relic. Outro lugar fofo, porém ultra turístico, é o bairro de Clarke Quay, que tem muitos bares, restaurantes e casinhas coloridas fofas.

Comida

Sempre que vou para um lugar, me esforço para comer apenas comidas típicas – definitivamente não sou o tipo de pessoa que vai ao Mc Donalds em outros países, mas confesso que não comi nada de extraordinário em Singapura. Apenas algumas coisas que são tradicionais de outros países – tipo comida indiana (já que lá tem muitos indianos) ou tailandesa. Mas, se tem algo que acho que não pode faltar é tomar um drink lá no alto, no bar do Marina Bay, que é aberto ao público em geral, no por do sol – de preferência o Singapore Sling, que foi inventado na cidade. O visual é lindo (mas tudo sem preço, os drinks custam entre US$ 20 e US$ 30 cada!).

Transporte

singapura

Andamos só de metrô e é super tranquilo se entender por lá, os trens são ótimos, novinhos e seguros.

Comunicação

Bom, aqui, diferente do restante dos países que eu visitei, a maioria das pessoas fala inglês, já que essa é uma das línguas oficiais de Singapura (junto com malaio, mandarim e tâmil!). Não tivemos nenhum problema de comunicação por lá, foi tudo super tranquilo.

Onde ficar

Em todos os demais países que visitamos, ficamos em hotéis. Singapura foi o único lugar da Ásia em que ficamos em um hostel – e isso foi basicamente porque tudo lá é muito caro, mas honestamente não sei se valeu muito a economia. Não achei o hostel ruim (especialmente porque depois da primeira noite, ficamos sozinhos em um quarto para seis pessoas) mas também não amei. Acho que valeria mais a pena ter procurado uma promoção e ficado no Marina Bay Sands (dizem que pesquisando dá para encontrar quartos por preços bem dignos).

Mais sobre meus destinos na Ásia:

Tailândia – parte 1

Camboja

Vietnã

Indonésia

– Singapura

– Tailândia – parte 2 (em breve!)

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
5 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Márcia Daniella

    Que imagens mais belas!!! Viagem de sonhos

  2. Fernanda Gabriela

    Surpreendente!

  3. Carolina

    Marina, eu adoro quando você mostra suas viagens pra gente! Todas incríveis e que passam a ocupar mais um lugarzinho na minha wish list…hehe.. Só não concordei com uma coisa..haha… eu AMO ficar em hostel, mesmo com os perrengues que estão incluídos (e sei que tem que estar numa vibe desapego imensa algumas vezes, então não te critico…hehe). Mas acho que é o lugar perfeito pra conhecer gente do mundo todo e viver boas histórias. Quero mais posts de viagens hein! Beijos!!

  4. Miriã Andrade

    Adoro ler sobre as suas viagens, me imagino em seu lugar! <3

  5. Fotos lindas, Marina! Mas acho que não é meu tipo de viagem… Adoro cidade grande e tals, mas isso de ser milimetricamente organizado, quase que de plástico e ainda por cima caro… acho que não me sentiria muito confortável.
    http://www.issoaquiloetal.wordpress.com