Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Sempre fui uma pessoa muito desorganizada e com tendências acumuladoras – e essas eram características que nunca tinham me incomodado de fato, até uns três anos atrás. Isso porque nesse período eu me mudei muitas vezes – saí de uma casa para um apartamento, logo em seguida me mudei de Curitiba para uma casa em Paris, da casa fui para outro apartamento também em Paris, de lá voltei para a primeira casa, em Curitiba de novo. Isso sem contar que minha principal meta atual é me mudar de novo. Eita! 

E em cada uma dessas mudanças eu ficava mais e mais irritada com a quantidade de coisas que eu tinha, sendo que grande parte delas eu nem usava ou eram só tralhas que eu transportava de um lado para o outro. Até que minha mudança em Paris – da casa para o apartamento – foi a gota d’água. Os dois lugares eram super próximos um do outro, então levei tudo a pé. Levei horas, parecia que não ia acabar nunca. Eu tinha ido pra França com duas malas, como tinha chegado àquela situação? Hahaha. Me prometi que iria voltar com as mesmas duas malas e consegui – doei ou joguei fora tudo que não coube nelas.

Desde que voltei, coloquei isso de viver com menos, viver mais leve, como meu objetivo principal. Há meses tenho me esforçado para organizar e selecionar tudo que eu tenho e pra me livrar de tudo que não uso ou que não tem serventia. Se consegui? Olha, uns 100% acho que ainda não, mas uns 85% eu garanto haha – acho que a Marina de uns anos atrás nem me reconheceria, então acho que estou no caminho certo.

E o resumo de toda essa ópera é que resolvi fazer um post sobre o assunto porque pensei que né, como eu precisei passar por todo esse processo de ~renovação, talvez tenha gente por aí que precise também e se empolgue com algumas dicas. Vamos?

como viver com menos

Como viver com menos

Faça uma limpa no guarda-roupa

Sabe aquele sentimento de “o armário está cheio, mas não tenho o que usar”? Então, era justamente com isso que eu queria acabar – ultimamente estava com a sensação de que eu tinha milhões de peças que eram lindas, mas não combinavam mais comigo (ou nunca combinaram e eu comprei por impulso mesmo). O resultado? Elas ficavam no armário ocupando espaço sem serem usadas. 

Tirei toneladas de coisas para doar e algumas outras para vender, tendo em mente o armário das amigas francesas que moram em apartamentos de 20 metros quadrados (às vezes com mais uma pessoa) e têm uma portinha de armário para guardar tudo – e elas sobrevivem, juro! Pela primeira vez meu armário não está abarrotado, pelo contrário, está até que bem arejado. Ainda tenho coisas meio sem uso das quais não desapeguei, mas sinto que já fiz um progresso enorme. 

Suas peças tem história, sim!

Essa é uma outra lição que aprendi no meu tempo em Paris – e que está ligada com o item anterior, afinal a maioria dos franceses mora em apartamentos super pequenos (bem menores que os nossos apartamentos super pequenos). O que acontece é o seguinte: eu muitas vezes tinha vários itens de uma mesma categoria sem necessidade. Vamos pegar um exemplo: uma bota preta. Botas pretas realmente estão entre as peças que eu mais uso e com essa desculpa eu ia comprando, comprando, comprando… Quando vi tinha muitas. E precisamos mesmo de 186 (esse número é só uma piadinha, hein, gente, eu não tinha 186 botas haha) botas pretas parecidas?

como viver com menos

Muitas das meninas com quem convivi na França tinham poucos itens de cada, mas eram itens queridos, muito usados… Passavam a fazer parte do estilo da pessoa, sabem como? Aquele sentimento de “nossa, mas essa bolsa é realmente sua cara!” e eu acho isso demais!

Aceite o seu estilo como ele é

Hoje em dia, as meninas mais jovens tem milhões de fontes de informação sobre moda – elas já cresceram com a internet, blogs, Instagram, Youtube… Mas se você tem mais ou menos a mesma faixa de idade que eu, ou seja, 30 anos, e gosta de moda, é bem provável que você tenha crescido lendo revistas. 

E revistas que falavam de forma homogênea com um público totalmente heterogêneo – o que significa que eu (assim como muitas de vocês) cresci lendo coisas como “todo mundo PRECISA ter uma sandália de salto alto e tiras finas”. Ou seja, quando comecei a ganhar meu próprio dinheiro, comecei também a gastá-lo de forma equivocada em coisas que eu achava que precisava – acontece quando a gente ainda está descobrindo do que gosta. 

Mas depois de um tempo passei a me questionar – oras, por que eu preciso da tal sandália se vou de tênis para todo lugar? Não deixe que ninguém defina o que você precisa ter – isso quem tem que dizer é você mesma, tudo baseado no seu gosto, no seu estilo de vida, na praticidade, conforto, preço, beleza… 

Seja desapegada com cacarecos e coisas supérfluas

como viver com menos

Fotos: Shutterstock

Já fui muito acumuladora, guardava qualquer papelzinho que eu achava que seria importante e os efeitos disso ao longo dos anos foram terríveis – tinha gavetas abarrotadas de coisas inúteis e levei horas limpando, separando, arrumando, jogando tudo fora… Lógico que tem coisas que são realmente importantes e que queremos guardar – e o mais essencial é saber diferenciar essas coisas das demais. 

Hoje acho que consigo fazer isso bem melhor – guardo documentos ou coisas que tenham alguma lembrança querida atrelada, mas é só. E hoje tá tudo organizadinho em pastas e caixas – algo que soaria completamente absurdo para minha versão de alguns anos atrás. E é bem nessas horas que vejo o quanto mudei haha, tenho amiga que guarda até caixinha de batom e isso me dá calafrios, juro!

Acredite na energia das coisas!

Esse é meio que um lema meu dos últimos tempos, meio baseado naquela regra da Marie Kondo, a ~mágica da organização~, que diz que você deve ficar apenas com as coisas que te trazem alegria. Realmente acho que guardar milhões de coisas sem uso, abarrotando a casa, o guarda-roupa, as gavetas, é algo que traz uma certa energia negativa – seja para o ambiente, seja para você.

Ufa, acho que é isso! Espero que meu ~textaum da organização e desapego seja útil para alguém :).

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
41 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Marina Torres

    Ei Marina!
    Eu me casei tem 9 meses e me mudei pra Curitiba, como morava com meus pais e tinha um quarto e guarda roupa só pra mim e tb acabava acumulando muito.
    Quando me mudei doei muitaaaaa coisa é foi libertador.
    Hoje procuro só comprar coisas que realmente gosto e ficam bem em mim, prefiro ter duas calças jeans lindas, que realmente uso do que ter sete que gosto mais ou menos.
    Isso que vc falou sobre aquele sentimento de “não ter nada pra usar” esta diretamente ligado com o consumismo e acumulação e se livrar disto não é fácil mas é recompensador.
    Adorei o post.

  2. Rita

    Coisas de Diva é especial, rola uma identificação com estas três gurias…
    Esse diferencial de vocês é muito bom!!! São gente como a gente, sem deslumbrar, sem pregar glamour, marcas caras, e são acessíveis as suas leitoras!!
    Este processo da Marina é maravilhoso, é na contra-mão de toda a indústria de beleza e moda, e que boa parte das bloqueiras continuam a exercem, nos incentivando à acumular e consumir porque nos dizem que precisamos, e não é verdade!!!!
    Parabéns Marina, e as gurias Divas, ao excelente blog de vocês!!! Bjoooos

  3. Priscila

    Ótima postagem, Marina! O que você escreveu só veio reforçar uma ideia que não sai da minha cabeça há alguns meses: tenho coisas demais e sempre utilizo as mesmas. Ou seja: não preciso de 2/3 do que tenho em meus armários e a quantidade de itens absurda tem me deixado irritada e incomodada. Seja de itens de vestuários ou até mesmo cosméticos e maquiagem. Tenho lido muito sobre minimalismo e organização e me identifico muito com qualquer postagem que aborde o consumo consciente.
    Essa foi uma das postagens que mais amei e, se tiver oportunidade, por favor escreva mais sobre o assunto!

  4. Daniele

    Concordo totalmente com você, Rita! Gente como a gente, que rala para ter as coisas, que gosta de coisas boas – independente do seu preço, e principalmente com conteúdo. Eu leio os posts todo dia! São dicas excelentes de beleza, moda, artesanato, viagens, rola até um desabafo, conselhos, enfim como a vida realmente é! Sou fã das três é o melhor, cada uma a seu jeito. O CDD não tem cara de empresa e sim de pessoas. Parabéns Marina, Sabrina e Thais.

  5. Márcia Daniella

    Amei seu post. Sou uma viciada em compras on-line em recuperação. Como vc bem pode imaginar, esse vício me trouxe grandes problemas no campo da acumulação e da falta de organização. Estou na fase de criar coragem e abrir o guarda-roupas pra tentar organizar. Confesso que tenho calafrios só de imaginar a trabalhadeira, rs, rs. Mas vou conseguir! Meu objetivo é esse. Comprar menos e de forma mais inteligente. Tentar não ceder ao impulso.

  6. Laura

    Nossa, Thaís! Amei seu post e venho me sentindo da mesma maneira já faz um tempo. Conforme vou encontrando, vou me desfazendo, desde caneta sem tampa até presentes que não agregam nada pra mim (além do sentimento bom no momento de receber). Eu percebi a mudança de mentalidade esse dias quando tava vendo o tour pelo closet da Thássia Naves e me senti angustiada pela quantidade de coisas que ela tinha! Esse closet seria meu objeto de desejo há um tempo e agora não mais 🙂

    • Laura

      Mil desculpas, errei a blogueira! Desculpa, Marina!

    • Ana

      menina, eu vi esse video! vi muitas meninas comentando “que sonho”, mas tudo o que eu conseguia pensar era: “socorrooooo, quanta coisa, dá pra vender tudo isso e tirar o brasil da crise”. tem uma gaveta com sapatos iguais, IGUAIS! fiquei chocada!!

  7. Isabela

    Nossa Marina, fico muito feliz que pelo menos um blogueira famosa como vc pense assim! Ha mais ou menos 1 ano atrás me deparei com a minha realidade consumista e horrível e resolvi tentar um estilo de vida mais minimalista. Me desapeguei de mais de metade do meu guarda roupas e foi maravilhoso, mas ainda me pego salvando fotos de coisas que quero comprar, fazendo wish list.. poxa, ainda tenho muito mais do que eu preciso, temos que pensar o tempo todo no quanto temos a melhorar. Ontem assisti ao tour do closet da thassia e logo em seguida a um doc do netflix chamado LIVING ON ONE DOLLAR, assista, é maravilhoso! Me peguei chorando por querer mais um brinco, quando perto de nós existe alguém que vive com 1 dolar por dia e luta apenas pra sobreviver. Enfim, acredito com força que devemos ser pessoas melhores e valorizar td que temos e parar com esse consumismo desenfreado que nos faz deixar de ajudar pessoas que precisam e ainda poluem muito o meio ambiente.

  8. Erika

    Hoje mesmo dei uma arrumada no meu guarda roupa separei coisas que não uso mais, o problema é que minha mãe vive brigando comigo, mas se a roupa não serve ou não uso a um ano não é agora que vou começar a usar. Dai da aquela confusão e nem falo pra ela, acredite se quiser ela já pegou roupa daquele monte que separei para doar guardou “escondido” não sei pra que, acho que para as traças, quando peguei não acreditei.
    Minha mãe guarda peças de roupas que nem servem mais kkkk

    • ahaha minha mãe era justamente o contrário, queria doar tudo mesmo que eu ainda usasse

  9. Myrian

    Oi Marina. Eu sou uma dessas pessoas que precisa dar uma organizada na casa. O meu armário até que está decente. Fiz uma limpa e tirei tudo que eu não usava. O problema são as gavetas de todo o resto da casa, abarrotadas de papéis, contas velhas. Eu já tentei começar a arrumar, mas percebi que fico horas em uma única gaveta e no final só fiz mais bagunça. Decididamente eu Não sei organizar papéis. Me dá uma preguiça louca… Acabo desistindo e voltando com os papéis pra gaveta…. Talvez um dia eu consiga superar essa dificuldade.

  10. Natalie Vivekananda

    Oi Marina, muito legal como vc abordou o assunto. Acho que muita gente passa por isso, de ter milhões de coisas que nem usa mas acumula achando que algum dia vai precisar.
    Desde criança tenho costume de me desfazer de roupas e sapatos que não uso/gosto mais. Nunca tive taaaanta coisa pq sou chata qdo vou comprar, se implico com alguma coisa, sei que não vou usar por causa daquilo e não levo, mas mesmo assim estava sempre com uma quantidade considerável de coisas…me mudei algumas vezes também e nessas mudanças sempre separava algumas sacolas pra doação e isso sempre me fez muito bem. Dá uma leveza na vida se desfazer de coisas que não preciso sabendo que outras pessoas vão aproveitar! Atualmente, procuro ficar com coisas que realmente uso e gosto e só compro quando gosto muito e não tenho nada igual. Além, é claro daquelas peças que tem alguma história importante. Mas como vc, tb acumulava muito papel, bilhete e afins…terminei uma faculdade em 2010 (jornalismo, também!) e até esse ano tinha coisas que nem usava mais e não me desfazia…até que minha mãe resolveu isso por mim e pela minha irmã e jogou tudo fora e confesso que não fez diferença nenhuma na vida…há anos não usava mais nada, não fazia sentido guardar ainda. Hj também tenho procurado viver com menos e só com o que preciso. A energia realmente muda e parece que tudo fica melhor!!! Bjos!

  11. Aline

    Adorei o post Marina!! 😀

  12. Vanessa

    Excelente post, Marina!
    Já fui uma acumuladora…nunca fui consumista, mas eu pegava mta roupa dos outros (minha cunhada é estilista e sempre me doou mta coisa), guardava mto papel, objeto inutil, essas coisas…Não me lembro exatamente qdo começou, mas fui tomando consciência e fui me livrando aos poucos. Hj posso dizer que é qse doença pq chego a doar e ficar sem nada hahaha. Às vezes toco de casa e preciso depois, mas nunca me arrependo. Odeio acumulação do que quer que seja, odeio mesas cheias de coisa em cima, sapato pelo chão ou jogado dentro do guarda roupa, roupa revirada fazendo volume, gaveta que quando vc abre as coisas pulam, tenho horror a isso. Hj vivo com mto pouco e estou plenamente satisfeita, compro algo quando preciso (90% das vezes, né…). Vi que estava no caminho certo qdo fui viajar durante 1 mês e um amigo levou mais bagagem que eu.
    Hj a luta é pra ajudar a minha mãe a ser assim tbm, pois ela é desorganizada e acumuladora, isso me causa mto nervoso. Ela tem entrado na minha de vez em quando e já tem rolado uns dias de doação aqui em casa, pra minha felicidade.

    • Hahaha também acontece comigo, especialmente depois da minha viagem de um mês só com mala de mão!

  13. Estava converçando sobre isso com uma amiga ontem
    aprender viver com o necessario
    GRANDE BEIJ

  14. Eu fiz um post no meu blog esses dias falando sobre esse mesmo assunto, e olha realmente é difícil começar, mas depois o sentimento é tão bom que você quer que continue. Aí você passa a olhar com outros olhos para tudo o que tem, é muito bom! Ainda assim, tenho os meus dias de impulso, que são difíceis de controlar. Ainda tenho coisas que preciso desapegar, que comprei nessa vibe de achar que precisava mas na verdade não. Mas concordo que a gente tem que manter apenas o que traz alegria e o que a gente ama, se não acabamos ficando sufocados por tanta coisa!

    http://www.simpleness.com.br

  15. […] 1 – 5 dicas de como viver com menos […]

  16. Gostei demais do texto, Marina!
    No meu caso, viajar me fez menos consumista. Aquela coisa de reclamar que não tem dinheiro pra bancar uma viagem mas sair todo final de semana e torrar rios de dinheiro não rola comigo. São escolhas e eu já fiz a minha.
    Acho que além de não deixar ninguém definir o que devemos ou não TER, a coisa toda tem que ir além: não podemos deixar ninguém (principalmente a ~mídia~) definir aquilo que devemos SER. E quando a gente entende isso, tudo muda!
    Tem uma frase que li em uma Capricho lááááá em 2001 que guardo comigo até hoje: para o novo vir, o velho deve ir. Acredito demais nisso!
    Um beijo.

  17. Ana

    concordo totalmente! estou nessa de vida simples há um tempo e me sinto muito mais leve, organizada além de, é claro, econômica.
    eu tenho tentado levar a simplicidade para vários aspectos da minha vida, não só a parte fashion.
    por exemplo, escrevi no texto de lembranças que a thais fez há um tempo que, na contramão dela, eu tenho justamente me aproveitado das tecnologias para guardar minhas memórias sem causar acúmulos que eu achava desnecessários. então gosto de ter minhas fotos digitais, livros digitais, diário digitais, post its digitais… assim acho que gero menos lixo e eu não perco as cisas (antes eu sempre perdia muitas coisas hahaha)
    duas coisas me ajudaram a pensar assim: uma viagem que eu fiz apenas com mala de mão para a europa e o fato de eu ter comprado um apê bem pequeno. ele ainda não está pronto, mas acho que quando ficar já vou estar adaptada com esse novo espaço!

  18. Obg pelas dicas. Amei. Vou tentar segui-las.

  19. Maíra S.

    Ótimos seus comentários e as dicas, Marina! Eu até não acumulo muita roupa, porque tenho um estilo muito clássico, então não sigo cada tendência de moda que aparece e nunca fez muito sentido para mim ter mais de um sapato de cada tipo, por exemplo. Meu problema são objetos e bugigangas que tem algum valor sentimental ou que eu acho que posso vir a precisar depois. Ontem mesmo precisei abrir o maleiro e achei meus ursinhos de pelúcia embalados em plástico e guardados lá em cima, além de vários cadernos da escola e de uma cortina que usei numa casa anterior. E para quê?? Vou ver se sigo suas dicas no próximo fim de semana!!

  20. Isa

    Gostei muito do texto, muito pertinente à atual situação mundial…. Quando comecei a acompanhar blogs de moda, queria TUDO que via, tinha listas imensas! Acumulava 5 batons vermelhos exatamente iguais, blush que nunca usava, sapato que não me sentia confortável. Depois de um tempo comecei a ler sobre minimalismo, e me dei conta que estava gastando dinheiro com coisas que não tinham sentido pra mim, que eu não precisava de fato. Fiz uma limpa grande, tirei tudo que não tinha usado no ultimo ano, e sempre que posso tiro algo. Não é fácil se manter sem comprar quando se vive numa cultura extremamente consumista, a gente olha, quer comprar, mas para, vai pra casa e pensa mesmo “preciso daquilo???” e acaba não comprando! (Aconteceu isso nesse fds: eu, uma bota, e um batom da MAC kkkk)

  21. Mariana Serafini

    Que maravilha de texto! Caiu como uma luva no meu dilema de tentar me desapegar e entender que eu não preciso ter 186 botas pretas parecidas, que uma só dá conta de esquentar meu pé, proteger da chuva e só assim “vai ter a minha cara”. =)

    É muito bom ver isso acontecendo por aqui, vocês tem feito mais esses posts, e isso mostra uma evolução. Eu praticamente “cresci” com o Coisas de Diva e só me dá alegrias ver que estamos todas tomando um rumo consciente sobre a vida, o universo e tudo mais <3

    Obrigada por essa reflexão, Marina!

  22. Nossa Marina, me identifiquei total com o post! Também estou tentando levar uma vida mais simples e estou me desfazendo de muitas coisas. Meu armário já está bem mais livre, mas ainda tenho muitos papéis acumulados. Eles devem ser o meu próximo ponto de ataque, haha. Parabéns pelo post, maravilhoso!
    eunaosoutodomundo.wordpress.com

  23. Fernanda Gabriela

    Amei o post e me identifico assim 200% com tudo. Hoje me considero uma expert em desapegar e jogar para fora tudo que eu nao sei pra que serve… Pode ser lindo, caro, raro… Não serve? Tchau. Venceu? Tchau. Preciso disso até para poder ter coisas novas, pois eu deixei de acumular muito, mas não deixei de comprar muito… Aí são oooooutros temas compleeeexos. Hahaha Uma vitória de cada vez.
    Bjs!

  24. Mudança sempre faz a gente se reorganizar, né… eu acabo me desfazendo de muita coisa. Sou muito desorganizada e isso também atrapalha porque perco as coisas e muitas vezes não consigo visualizar deireito o que tenho (não só de roupas, mas de tudo). Aí de vez em quando não tem jeito, preciso parar e fazer grandes arrumações com resultado de muitos sacos de lixo e outros tantos de doação.
    http://www.issoaquiloetal.wordpress.com

  25. […] 5 dicas de como viver com menos […]

  26. Letícia Cavalho

    Marina você vai publicar mais coisas para vender? Tipo mais alguma bota? 😀

  27. Adorei a leitura!
    Juro que me deu vontade de ir correndo organizar minhas coisas, mas se fizer isso perco o trabalho, então vou esperar para fazer quando chegar….rsrsrs
    Brincadeiras a parte, concordo com vc, tem coisa que é besteira guardar, e estou a tempos para fazer essa “limpa” no guarda roupas, vejo tanta roupa e sempre uso as mesmas, acho que uma peça que não tenha sido usada em um ano não sera usada nunca mais então pra que guardar?
    Parabéns pelo blog.
    Venham conhecer meu canal “TPM de 30 dias”.
    bjos

  28. Gabriela R. Salomon

    Sim! Por favor, vamos nos desapegar das coisas! Ultimamente é sempre VC TEM QUE TER!! Não preciso mesmo. Preciso é guardar meu money e gastar com coisas que realmente precisamos 🙂 Já fui de gastar dinheiro em bobagens, ou roupas baratíssimas que nem duravam um ano. Agora, gasto com algo bom mas que dure e que não preciso comprar mais kkkk

  29. Miriã Andrade

    Vou levar esse seu post pra vida, Marina! <3

  30. Victoria

    Marina! Acompanho o blog diariamente faz mais ou menos 5 anos e nunca me canso de vocês <3
    Por favor, faz mais posts sobre esse assunto! Comecei a aderir ao minimalismo graças à ti e quanto mais dicas tu puder nos dar, melhor! Hehe
    Beijos!

  31. Eita Blog Maravilhoso …

    Parabéns Meninas… Vocês mandam muito bem !

  32. […] 5 DICAS DE COMO VIVER COM MENOS […]

  33. Luana

    Muito legal o post!

    Semana passada dei início a um processo de virada na vida… voltei a treinar, voltei pra terapia e cortei o cabelo (cortei muito mesmo!) e fiz doação para pacientes com câncer.

    Atualmente tenho sentido meu quarto uma bagunça com muitas coisas acumuladas e amontoadas. Avalio sempre que preciso para para organizar lá para otimizar meu espaço que é usado para trabalho e dormir. Seu post me ajudou a pensar que posso fazer isso e posso fazer aos poucos…

    Obrigada por compartilhar sua experiência!

  34. Marly Soares

    Gostei muito do post, pois me deu inspiração e motivação para tomar uma atitude. Achar um tempo e me desfazer de tantos objetos que eu não uso, além de roupas e calçados. Muito bom o seu depoimento. Acredito sim que posso viver mais com menos.