Como comentei, tenho o rosto cheio de cicatrizes de espinhas, e com isso tenho recebido comentários de meninas pedindo dicas de produtos e também comentários de mulheres me ofendendo por não “cuidar” da minha pele.

Quando era adolescente tive muitas espinhas, na época fiz milhares de tratamentos e acredite, isso me incomodava demais. A única coisa que funcionou foi começar a tomar anticoncepcional, provando que meu problema sempre foi hormonal e não “falta de cuidado com a pele”.

Como consequência disso, tenho a pele marcada. Isso me incomoda? Sim. Faço disso o maior problema da minha vida? Não.

Frequento dermatologista, uso produtos indicados para mim e estou de olho em tratamentos a laser. Porém são todos caros e tem pouca eficácia*. Os produtos que uso variam com o tempo. Hoje uso um creme manipulado com fórmula para clarear as manchas e diminuir a oleosidade da pele. Na maquiagem, uso bases que tenham cobertura um pouco maior para esconder as manchinhas, mas infelizmente não existe produto que cubra os furinhos das cicatrizes. E olha, nem tento esconder o problema tanto assim, pois o resultado geralmente fica ainda pior.

As vezes fico tristinha por ter a pele assim, mas por outro lado sinto um grande alívio pela fase das espinhas ter passado. E quer saber? Sou mais que isso. Tenho cicatriz no rosto, tenho celulite nas pernas, estou acima do peso, meu cabelo é muito fino. Mas por outro lado sou educada, inteligente, responsável, confiável, divertida, ótima amiga, boa profissional. Quando alguém falar de mim pode até citar o fato de ter o rosto marcado, mas além disso vai lembrar de quem eu sou e do sorriso que tenho.

Defeitos todos tem, mas o que fica é o que somos e não o que aparentamos ser. E é isso que me importa.

Se você tem algo que te incomode, tente consultar um profissional e ver se é possível amenizar a situação. Mas lembre sempre que a vida é mais que isso, que a gente é mais que isso e assim como temos defeitos, temos outras tantas qualidades.

E para quem acha bacana dar “toques” sobre a aparência dos outros, só posso dizer que sinto vergonha por você.

*Atualização: Agora, em dezembro de 2012 estou fazendo sessões de laser e o problema amenizou um pouco. 🙂

Compartilhe