Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Hoje é dia de dicas de filmes, séries, livros e de muitas comidinhas por aqui!

The Cakery: Conhecer novas confeitarias nunca é demais, né? Pois estive na The Cakery, que abriu perto da Igreja dos Passarinhos, ali no Champagnat, recentemente e adorei. O ambiente é uma graça, mas o que curti mesmo foram os brigadeiros, minha nossa senhora! Se for dar um pulinho lá, não deixe de experimentar o de churros (sim, eu disse churros) e o bicho de pé (pera que babei aqui sem querer).

Documentário Innsæi: Essa palavra engraçada tem origem islandesa (melhores pessoas, aliás) e fala sobre o nosso poder de nos conectarmos mutuamente por meio da empatia e da intuição. O documentário também traz pontos de vista sobre trabalho, criatividade, aprendizados, nosso papel no mundo e por aí vai. Assisti no comecinho do mês pelo Netflix e adorei. Trailer aqui.

Filme Casamento de Verdade: “MAIS UM FILME DE NOIVA COM A KATHERINE HEIGL” – foi o que pensei quando o vi na seleção do NET Now. Mas aí fui ler a sinopse e me interessei, inicialmente pela abordagem relacionada ao casamento homoafetivo. Essa é uma parte sensível do filme, claro, só que aquilo que me emocionou de verdade foi a postura do pai da personagem em determinado momento da história. Chorei de soluçar por ver que, infelizmente, ainda temos muitos homens que não sabem lidar com os próprios sentimentos. Eles se fecham e represam tudo em si. Sofrem demais com isso. Como é triste! A sociedade ainda repreende a sensibilidade masculina e isso precisa mudar. Trailer aqui.

Série American Gods: essa série é baseada no livro de mesmo nome do Neil Gaiman – como gosto bastante dele, resolvi assistir, mas meio achando que não gostaria… Que nada, a série é super bem feita e muito legal! É sobre um ex-presidiário que sai da cadeia depois que a mulher dele morre – enquanto tenta chegar ao funeral, começa a conviver com alguns deuses, que vivem normalmente da sociedade. É uma série um pouco violenta (quem curte esses como Game of Thrones e Westworld vai curtir, apesar do tema não tem nada em comum). Dá pra ver no Amazon Prime, que é tipo uma Netflix da Amazon, e ainda não foram liberados todos os episódios.

Estado Puro, de Paco Roncero: esse restaurante fica dentro do NH The Five, um hotel que abriu há pouco tempo aqui em Curitiba (Nunes Machado, 68, Centro). O restaurante abre oficialmente hoje, mas fui convidada para ir lá antes provar algumas tapas – ele é de um chef espanhol super premiado, o Paco Roncero, que assina o cardápio. Para quem gosta de tapas, porçõezinhas menores de pratos ou petiscos, é uma boa: gostei do bolinho de marisco e da sobremesa com quatro texturas de chocolate.

História da Menina Perdida, Elena Ferrante: NÃO TINHA COMO NÃO FALAR DELA, ELENA <3. No início do mês, foi lançado o quarto livro da série napolitana, da autora italiana Elena Ferrante. Se você presta atenção nas minhas dicas de livros, já me viu falando dela mil vezes aqui no blog, no Youtube e até postando trechos do livro lá no Instagram (segue lá: @marinafabri). Pois bem, terminei o quarto, e último, da saga que conta a história de vida de duas amigas e olha: que livro! Agora tô triste e aguardando a série de TV que vai sair baseada nos livros, mas infelizmente só ano que vem :(. Para quem quiser ler (recomendo muitíssimo!), aqui tem o primeiro, o segundo, o terceiro e o quarto. Leio sempre no Kindle.

Filme Corra!: é um filme de terror/suspense bem feito, cheio de momentos tensos e que deixa a gente grudado na cadeira. Sabe aquele filme que ficamos esperando o próximo minuto para ver o que vai acontecer? Mas, além disso, é um longa que fala de racismo e nos faz ficar pensando depois. O final é diferente e também surpreendente. Você já viu? Me conta.

Livro Vestido de Noivo do Pierre Lemaitre:  a dica vai para quem adora livros de histórias policiais, que nem eu. Ele fala de uma moça que possivelmente comete alguns assassinatos enquanto sofre uns apagões. Mas o interessante desse livro é que, assim como o Garota Exemplar, ele dá uma virada lá pelo meio da história. Gostei demais, mas já aviso que é bem sanguinolento.

Café Papola: dia desses conhecei o restaurante e café Papola, que fica ali no Juvevê, aqui em Curitiba. Sabe aquele centrinho comercial onde tem a feira no sábado? Ali! O lugar é pequenininho mas super charmoso. Em dias de semana, tem almoço e café e nos finais de semana, tem o brunch que é gostoso pra caramba. Mas oh, final de semana precisa reservar mesa porque o negócio anda concorrido que só. Ah, o brunch é R$42 por pessoa.
Categorias
Compartilhe nas redes sociais
13 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Precisamos falar sobre Handmaid's Tale

Depois de ler algumas críticas positivas, resolvi assistir à série Handmaid’s Tale neste final de semana. Não quis nem ler muito a sinopse para não estragar a surpresa. Acho que foi a melhor coisa que fiz, porque a série me deu um soco bem no meio da cara. A história foi inspirada no livro escrito em 1985 por Margaret Atwood e no Brasil ganhou o nome de o Conto de Aia, que já está devidamente encomendado e espero que chegue logo.

Não quero dar muitos spoilers para que você tenha a mesma experiência envolvente que eu, mas a série mostra um futuro não muito distante onde os Estados Unidos é governado por um regime totalitário teocrático e as mulheres perdem seus direitos para poderem viver seu “destino biológico”. A história fica nesse futuro bizarro e também em flashes do passado que contam como as coisas chegaram nesse ponto. E acho que já estou contando demais mas no final do texto tem uns spoilers.

Precisamos falar sobre Handmaid's Tale

A série é bizarra, chocante, revoltante e ao mesmo tempo, muitíssimo possível de acontecer. Talvez não nessas proporções, mas muito possível. Senti que a liberdade de todos nós, homens e mulheres, é algo bastante frágil.  Diria que é a maior série de terror que vi na vida. Como falei ali em cima, é um soco na cara.

Elisabeth Moss está maravilhosa como Offred (literalmente Of Fred) e dá para sentir o desespero da personagem sem ela precisar dizer nada. É muito fácil se colocar na pele dela e entender, ou tentar entender, tudo aquilo que está acontecendo. É claustrofóbico e desesperador. A série tem ainda Alexis Bledel num papel que leva ela bem longe da Rory. Veja!

Até agora foram 6 episódios ao ar, cada um com 50 minutos no serviço de streaming Hulu, que não está disponível aqui. Ao todo serão  8 10 episódios com a segunda temporada já confirmada. Diz que no segundo semestre, a série será transmitida pela Fox Premium aqui no Brasil.

Precisamos falar sobre Handmaid's Tale

SPOILERS

Nesse futuro próximo, os Estados Unidos está numa Guerra Civil e é governado por um grupo totalitário e teocrático onde a mulher perde todos os seus direitos. Tudo começa com um “ataque terrorista” que vai evoluindo aos poucos. Primeiro as mulheres perdem o direito de trabalhar, todas são demitidas e tem suas contas bloqueadas.

É interessante ver a cena onde June e Moira entram sorridentes num café onde o atendente, homem, trata elas com a maior grosseria do mundo. Na sequência o cartão delas não é aceito no caixa e eles acabam discutindo na loja. Na cena seguindo sabemos que esse foi o primeiro passo da “nova lei” e que o rapaz se sentiu no direito de ser estupido com elas por causa do novo governo totalitário. Alguém ai consegue fazer uma relação com o Estados Unidos atual?

Essa nova lei determina também que as contas das mulheres serão transferidas para seus maridos ou para o parente homem mais próximo. No flash seguinte vemos mulheres indo às ruas protestar e sendo recebidas com tiros de metralhadora. Ainda faltam 3 episódios para eu terminar, mas o que se segue são mulheres divididas em castas: as empregadas, as mulheres troféu, as “tias” e as aias parideiras, que são praticamente escravas feitas para ter filhos de casais inférteis. Quem não se submete, é morto. Consegue me entender quando digo que é uma série de terror?

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
42 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Já viu todos os episódios das suas séries favoritas? Então que tal conhecer seriados diferentes? Estes 3 são alguns dos que estou vendo e adorando no momento.

The Get Down

Netflix fez tanta divulgação para sua nova série que, depois de ter adorado Stranger Things, estava com medinho de não gostar tanto assim da novidade. Nada disso, vi The Get Down em dois dias e gostei demais. São duas histórias paralelas, uma do menino Ezequiel descobrindo seu talento no rap e hip hop e outro da garota Mylene, filha de pais religiosos, querendo se tornar uma cantora famosa. A série é ambientada no Bronx dos anos 70 e tem uma fotografia sensacional. Cada cena é uma belezura. Se não viu ainda, corre pro computador!

the-get-down

The Night Of

Nasir rouba o táxi do seu pai para ir numa festa no Upper West Side em Nova York, mas no meio do caminho uma moça toda bonitona entra no carro achando que ele estava trabalhando. Naz fica animadão com sua “cliente” e acaba zanzando com a mulher pela cidade, no fim da noite, eles vão para o apartamento dela. Na cena seguinte descobrimos que a moça foi assassinada e que talvez ele seja o culpado, ou não. Só vi alguns episódios de The Night Of, então nada de spoilers nos comentários, hum! Ah, esse é da HBO e não tem na Netflix.

Mr. Selfridge

Para quem gosta de séries mais leves, com romances e também algumas intrigas – porque não?, vale a pena ver Mr. Selfridge. A série conta a história do empresário Harry Gordon Selfridge tentando alavancar a primeira grande loja de departamentos de Londres em pleno ano de 1910. A trama é bem bacaninha e é também interessante ver os costumes da época, como por exemplo O TERROR em colocar lingerie na vitrine da loja.

Agora é só pegar o potão de pipoca e se acomodar no sofá.

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
11 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários