Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

protetor solar eucerin

Falei que ia começar a leva de filtros solares por aqui, não falei? Depois do da Missha, esse protetor solar Eucerin é mais um dos que tenho testado ultimamente. Consequências da volta do calor, né? Aqui em Curitiba, pelo menos, o negócio esquentou que só. Mas vamos ao que interessa:

Protetor solar Eucerin: versão anti-idade FPS 50

protetor solar eucerin

Bom, esse protetor solar Eucerin com efeito anti-idade é um lançamento da marca. Mas fora ele, eles já tinham uma gama enorme – eu mesma já testei alguns. Tem versão com cor, versão sem cor e até uma versão CC Cream. A embalagem é igual para todos, o que é tanto bom quanto ruim. Bom porque o pump funciona bem; ruim porque né, são todas iguais. Ou seja, fácil de se confundir na hora de comprar. Tipo os protetores da La Roche, sabe? Mil tipos com embalagens quase iguais.

protetor solar eucerin

Mas vamos voltar ao protetor em si. Segundo a Eucerin, esse protetor combina em sua fórmula a Proteção Biológica Celular, que é a combinação entre a ação antioxidante do Licochalcona A e a proteção do DNA pelo Ácido Glicirretínico. Ele contém moléculas grandes e pequenas de Ácido Hialurônico, que hidrata a pele. Ainda de acordo com a marca, ele ajuda a reduzir os sinais de envelhecimento da pele, preenchendo até as rugas mais profundas. Sua textura é leve e de rápida absorção, com efeito matificante.

protetor solar eucerin

Ele é um protetor de textura leve, fácil de espalhar no rosto. Não é grosso nem deixa o rosto esbranquiçado. Assim que você aplica, dá para notar aquela textura clássica de protetor solar, levemente grudenta. Depois de um minutinho, ele começa a ser absorvido e deixa toque sedoso na pele – não fica melequento e nem te deixa com sensação de pele suada/suja, mas também não achei que ele é matificante.

Se fosse comparar com outro protetor solar do gênero, diria que se parece com o XL Protect da La Roche. Ou seja, protetor leve, deixa a pele sequinha, só não tanto como o Airlicium, por exemplo.

Agora, sobre o poder anti idade é um pouco difícil opinar. Primeiro porque isso é algo que vamos notar só daqui alguns anos, né? E em segundo porque, em tese, acho que todos os protetores solares ajudam na questão anti-idade, não? Afinal, eles ajudam a proteger a pele da radiação solar, que causa envelhecimento precoce.

Composição

protetor solar eucerin

Preço e onde comprar

O preço sugerido para esse protetor solar Eucerin é R$ 78,90, por tanto é bom dar uma pesquisada antes de comprar. Como ele é um lançamento, achei em poucas lojas online – aqui, por exemplo, ele está saindo por R$ 75. Em breve acredito que ele esteja disponível em mais lojas – seja online ou físicas mesmo.

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
4 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Escolher protetor solar não precisa ser motivo para dor de cabeça – afinal, esse é um cuidado necessário todos os dias, faça chuva ou faça sol! É por isso que trago aqui algumas dicas super interessantes que recebi do pessoal da Sundown e podem ajudar você nessa empreitada. Vamos ver juntas?

escolher protetor solar

Vale a pena escolher protetor solar gringo em vez de nacional?

O Brasil é um país referência em pesquisas, desenvolvimento e produção de proteção solar. Os produtos desenvolvidos e produzidos aqui são feitos especialmente pensando no tipo de pele e nos hábitos dos brasileiros, além de considerarem o clima do país. Sendo assim, não adianta “importar” essa tecnologia após uma viagem para aumentar a eficácia. Pelo contrário. Os produtos vendidos na Europa ou na América do Norte foram feitos sob medida para aquelas regiões, levando em consideração as características da população e o clima, que são muito diferentes do nosso. [Ou seja: a resposta é NÃO!]

Como definir o melhor protetor solar para o dia-a-dia?

Estudos meteorológicos indicam que o Brasil, por ser um país tropical, tem uma quantidade maior de radiação que chega a ser nociva à saúde humana se não houver cuidados apropriados com a proteção da pele durante a exposição solar. Devemos lembrar que o protetor solar deve ser um item básico no dia-a-dia da população. Para o uso no cotidiano, recomenda-se que a pessoa opte por fragrâncias mais suaves e com fácil aplicação. Para as outras situações, há uma vasta gama de itens com ações bronzeadoras, colorações diferentes e fragrâncias que remetem àquele momento feliz de praia, brincadeiras na água, férias e finais de semana [inclusive no aroma, né?].

De que forma deve-se observar o tipo de pele que receberá proteção?

O protetor solar deve ser adequado para cada tipo de pele e o consumidor deve sentir conforto durante o uso. Peles secas se adaptam melhor aos protetores que possuem o benefício de hidratação. Protetores que contam com antioxidantes em suas fórmulas podem ser aplicados com objetivo complementar a prevenção contra o envelhecimento precoce da pele. Para peles oleosas, são indicados protetores de toque seco e com o benefício do controle de oleosidade e brilho.

Veja todos os posts que já fizemos sobre protetores solares para pele oleosa aqui.

E as versões em spray, são confiáveis?

As versões em spray oferecem mais praticidade e são ideais para o momento de reaplicação do produto. Recomenda-se borrifá-los próximo a pele, fazendo movimentos de vai-e-vem e depois espalhando com as mãos para garantir uma cobertura homogênea. Os protetores solares em spray para pele molhada contam com a vantagem de poderem ser aplicados mesmo depois de um mergulho na piscina ou no mar.

Qual é a quantidade recomendada de aplicação?

A medida certa de protetor solar para cada parte do corpo é a equivalente a uma colher de chá. Para aplicar o protetor no corpo inteiro, a regra são nove colheres de chá: uma para o rosto, colo e o pescoço; duas para o tronco (frente e costas); uma para cada braço e, finalmente, duas para cada perna.

Mais duas informações importantes!

Quando exposta ao sol sem proteção, a pele leva um tempo determinado para ficar avermelhada. Quando se usa um filtro solar com FPS 15, por exemplo, a mesma pele leva 15 vezes mais tempo para ficar vermelha.

A recomendação da Sociedade Brasileira de Dermatologia para a escolha do melhor FPS consta no quadro abaixo. Inclusive, vale ler o Consenso Brasileiro de Fotoproteção lançado pela SBD no ano passado, de onde algumas das informações desse post foram retiradas!

escolher protetor solar

Hoje, existem protetores que protegem a pele imediatamente após a aplicação, mas é sempre importante buscar esta informação na rotulagem. O protetor deve ser reaplicado de duas em duas horas e no corpo inteiro se a pele estiver exposta continuamente ao sol. Caso não haja exposição constante, o ideal é reaplicar o protetor no corpo de duas ou três vezes por dia.

E então, gostou das dicas? Espero ter ajudado você a escolher protetor solar – seja para o dia-a-dia ou para os momentos de lazer sob o sol!

Foto: Shutterstock

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
13 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

bronzeada

Dois mil e dezessete já está operando milagres em mim, hahahaha! Por incontáveis verões, ir para a praia era sinônimo de me besuntar de protetor e voltar para casa vermelha feito um camarão mesmo assim. O sonho do bronzeado perfeito dava sempre lugar a litros de loção pós-sol e à pele descascando.

Mas not today, Satan! Acho que a chegada dos 30 anos – e a presença dos meus pais, os SARGENTÕES DO SOL, hahahaha – me deixou mais consciente. Fui para Santa Catarina no dia 01 e voltei ontem. O tempo lá estava uma maravilha, com tempo aberto o dia inteirinho e mar/piscina pra acompanhar.

Contrariando todas as expectativas baseadas nos verões passados, não fiquei fritando deitada na canga nem dei um mergulho ao meio dia. Quis fazer bem bonitinho dessa vez. E deu muito certo! Voltei pra Curitiba com uma marquinha de biquíni ~sensual~ e com a pele em dia. Tô feliz!

Basicamente, o que fiz foi respeitar o que todo dermatologista diz: sol precisa ser evitado das 10h às 16h. Sim, são seis horas a menos para aproveitar, mas vale muito a pena no fim das contas. Com os meus pais lá, acordava cedo e ia para a praia ou para a piscina de manhã. Então, só depois das 16h é que voltava.

No meio tempo, deu para almoçar, jogar um baralhinho, ficar deitada na rede, ler, bater papo… E esquecer os chamados insistentes do sol. No começo foi meio triste, mas depois que comecei a ver que estava ficando moreninha, em vez de camarão, me animei. E assim foi por alguns dias.

Fora o bônus do bronze ideal, ainda tem uma questão mais importante: o sol parece muito amigo, mas é perigoso pra caramba, né? Câncer de pele, manchas, envelhecimento precoce – tudo isso está associado à exposição incorreta também. Não dá para brincar! Perdi meu padrinho para o câncer de pele ano passado e isso mexeu muito comigo. Não custa respeitar os horários e passar protetor! 🙁

Falando nisso, usei filtro FPS 50 nos primeiros dias e reapliquei religiosamente por conta do suor ou dos mergulhos. A melanina se ativa da mesma maneira e ninguém sai da praia do jeito que chegou não (mesmo as mais branquelas, como eu)! Valeu muito a pena e espero continuar para os próximos verões!

Aproveitando o tema, deixo aqui um post bem útil sobre proteção solar com as dicas de uma dermatologista!

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
22 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários