Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Nem consigo acreditar que já faz mais de um mês que eu voltei da Itália. Ah, que saudade… Para relembrar os momentos vividos por lá, chegou a hora de fazer o último e derradeiro post sobre o assunto: um Guia de Viagem Itália com Florença, Pádua e Veneza, que foram as três cidades que conheci além de Roma. Bora viajar comigo?

Quer dicas específicas de Roma? Confira o Guia de Viagem parte I e parte II!

Viajando pela Itália de trem

Eu podia ter chegado em Roma antes do curso começar ou marcado a volta ao Brasil para depois só pra conhecer outros países da Europa. Mas decidi que, uma vez que estava na Itália, queria ~desbravar o país. E assim foi!

Sem o menor planejamento anterior, eu e minha mãe compramos passagens de trem para Florença, Pádua e Veneza aproveitando os dois finais de semana que tínhamos livres. Basicamente, fizemos isso no Termini, que é a estação central de trens de Roma. Por lá, assim como em outros terminais, existem equipamentos de compra de passagens automáticos e intuitivos, perfeitos para quem não se comunica bem em italiano. Você pode pagar em dinheiro (dá troco) ou em cartão dependendo da máquina.

Escolhemos as datas e horários de partida dependendo do tempo que tínhamos disponível – em Florença passamos o dia; já em Pádua dormimos num hotel barateza (reservado pela internet pela tecnológica senhora minha mãe) e no dia em que chegamos fomos a Veneza, que é ridiculamente perto indo de trem.

Os trens são super bons – como queria que existissem no Brasil! – porque te levam onde quer em pouco tempo e com o mínimo de conforto, às vezes superior ao dos aviões (!). As velocidades são variadas: há os mais rápidos e os mais lentos. Os valores das passagens são diretamente proporcionais às velocidades e, claro, ao luxo envolvido com os vagões especiais. Viajamos de classe econômica mesmo porque somos dessas e deu tudo muito certo.

A única coisa é que você precisa ficar bem atenta ao painel de partidas, porque em alguns casos o bilhete não traz a informação da plataforma, que só chega minutos antes do embarque. Eu e minha mãe ficávamos plantadas em frente a ele esperando os próximos acontecimentos. Ah, e os trens italianos são bem pontuais. Se acontecia algum atraso, ele era avisado rapidamente pelo painel. <3

Importante: na Itália, você precisa validar seu ticket antes de embarcar no trem. Isso é feito em maquininhas especiais que ficam espalhadas pelo terminal. Dentro do vagão, passa um fiscal verificando se isso foi feito – caso não, terá que pagar uma multa.

Florença

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

O primeiro sábado livre do meu curso em Roma foi dedicado à Florença, que fica a 273 quilômetros. Que cidade linda! Passamos o dia por lá conhecendo o que era possível pelo tempo que tínhamos, mas foi tudo muito bom, tanto que me deu vontade de voltar um dia para conhecer melhor.

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Do terminal de trem, pegamos um ônibus (tudo na base do italiano macarrônico, hahahaha) até a Piazza della Repubblica, que é um local ótimo por ser próximo de alguns pontos turísticos. Por lá, tem um lugar incrível chamado Caffè Gilli, que existe desde 1733 e serve os doces mais lindos que eu já vi, entre outras delícias. Só não tente tirar foto lá dentro, porque tomei uma bronca gigantesca da caixa do café – pois é, mas foi gostoso mesmo assim.

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Já sabia que Florença era a cidade da Chiara Ferragni, blogueira do The Blonde Salad, mas tinha esquecido completamente que foi ela quem tornou famosa a loja LUISAVIAROMA. Pois é, a tal multimarcas é florentina! Quando dei de cara com a fachada, resolvi entrar para conhecer e não me arrependi – é tudo muito lúdico e moderno lá dentro, fora as coisas maravilhosas que são vendidas – pena que caríssimas, porque são todas de marca.

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Um dos pontos turísticos mais comentados da capital da Toscana é a Piazza del Duomo, que abriga a enorme catedral de Santa Maria del Fiore, toda feita em estilo gótico-renascentista. Seguindo o mesmo padrão, há também, no local, o batistério de San Giovanni e o campanário de Giotto. Para entrar nesses monumentos, é preciso comprar ingresso e ter paciência, pois a fila sob o sol é gigantesca. Eu e minha mãe achamos que perderíamos o passeio se esperássemos para entrar – ficou pra próxima!

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

O bom é que decidimos andar em direção ao famoso Rio Arno e demos de cara com a Piazza della Signoria, que abriga o Palazzo Vecchio, um museu cheio de obras de arte e pinturas florentinas tradicionais que oferece uma vista magnífica da cidade em seu mais alto andar. Tivemos que conhecer rapidamente cada cômodo por causa do horário de retorno a Roma, mas valeu a pena. Infelizmente, o mais perto do David de Michelangelo que eu cheguei foi vendo a cópia em frente ao museu, porque o original está na galeria da Academia de Belas Artes de Florença.

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

O Rio Arno é lindo e divide a cidade. Em suas margens, há cafés, sorveterias, restaurantes e lojinhas. Foi por lá que conheci a Signum, onde comprei várias lembranças de Florença. Também existe uma profusão de pintores nas ruas, de quem comprei obras botânicas muito lindas que vão enfeitar minha casa – só falta emoldurar! Ah, não deixe de ir na Ponte Vecchio, repleta de construções que parecem cair sobre o rio a qualquer momento.

Pádua

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Fomos à Pádua no último final de semana na Itália por dois motivos: 1) é a cidade em que o Santo Antonio, do qual somos devotas, viveu e fez sua obra; 2) é perto de Veneza e dormir por lá ficou muito mais em conta pra gente.

De manhã, pegamos o trem até Pádua, que fica a 492 quilômetros de Roma, e chegamos perto da hora do almoço. Deixamos as malas no hotel que minha mãe reservou – B&B Hotel Padova – e voltamos para o terminal de trem para comprar o ticket até Veneza, onde passamos o restante do sábado (leia sobre o passeio a seguir).

O hotel não é longe da estação, porém, só tem um único ônibus que chega até lá, hahahaha! Apesar de não ser próximo aos pontos turísticos, foi uma boa porque o intuito de ficar ali era apenas passar a noite de sábado para domingo, quando finalmente conhecemos a cidade, pagando o mínimo possível. Ele é bem novinho e digno, além de ter um café da manhã padrão e um restaurante ok onde jantamos à noite (tudo pago à parte).

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

A cidade de Pádua é pequenininha e pacata, mas tem seu charme. Achei tudo muito organizado por lá! Logo depois do café da manhã, eu e minha mãe fomos até a basílica de Santo Antonio de Pádua (que dúvida), que é onde ele está enterrado. A igreja é linda e estar lá com a minha mãe foi muito emocionante. Rezamos na tumba do santinho, vimos seu manto marrom que permanece intacto e compramos lembranças para ajudar a paróquia. Vale dizer que, do ladinho da loja de suvenires, há também a Erboristeria del Santo. O lugar vende cosméticos, chás, doces e remédios naturais, tudo com produção local e valores revertidos à comunidade. <3

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Depois disso, nos propusemos a caminhar e ir descobrindo os arredores sozinhas. Então, fomos a pé até o Horto Botânico, que é um lugar grande e muito bem cuidado. Como precisava pagar pra entrar e não era muito barato, acabamos não entrando. Mas, pelo que vimos, parecia sensacional. Andando um pouco mais, chegamos na Prato della Valle, uma praça oval muito bonita onde estava rolando uma feirinha de antiguidades – adoro esses achados!

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Com tempo disponível – e muita dor nos pés – decidimos fazer um city tour de ônibus, que tinha parada em frente à basílica de Santo Antonio. Não foi tão caro e valeu a pena, porque pudemos conhecer outras partes de Pádua com explicações guiadas. O serviço é o mesmo que existe em outras cidades italianas, inclusive Roma.

Veneza

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Talvez minha tarde de sábado em Veneza, que fica a apenas 38 quilômetros de Pádua, tenha sido prejudicada por um motivo: era véspera da Festa do Redentor na cidade e ela estava absolutamente lotada de turistas. Foi tudo tão cansativo que eu e minha mãe não aguentamos ficar para ver a queima de fogos na baía, que acontece às 22h.

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Sempre imaginava Veneza uma cidade calma, romântica, idílica. Mas nem (ingenuidade minha, sim ou com certeza?). Além de ser bem movimentada, é cara demais por ser turística. Mais cara que Roma. Pra começar, chegando ao terminal de trem, eu e minha mãe tínhamos duas opções: pegar o barco de transporte público – que é mais barato mas tinha uma fila gigantesca – ou usar o barco táxi. Ficamos com a segunda opção porque entendemos que custava 50 euros para até 4 pessoas que iriam pro mesmo lugar. Duas turistas toparam rachar com a gente e pensamos: “que bom negócio!”.

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Tava estasiada, ficando em pé no barco atrás do piloto e tirando mil fotos de tudo. Até que o cara levou as gurias onde precisavam – pouco de distância da nossa parada – e disse pra elas: “50 euros, moças”. Aí eu perguntei: “mas a gente não podia rachar?”. Ele falou que não, que era 50 euros por trajeto e que se parássemos em outro lugar, mesmo que perto dali, tínhamos que pagar mais 50 euros. Só que, detalhe: não havia passagem por terra do local onde elas ficaram pra onde nós queríamos ir. Resumo: gastamos tipo 200 reais numa “corridinha de táxi”.

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Não preciso nem dizer que fiquei p* da cara, né. Enfim, Veneza, vamos lá que vai ser divertido. Descemos na área da Piazza San Marco e fomos passear. Nos enfiamos em mil ruazinhas, tomamos sorvete, olhamos as lojas (tem várias chiquérrimas por lá, mas fiquei mesmo com algumas lembranças da Il Papiro)… Mas parecia que pra onde íamos tinha uns mil turistas também. Ok, era de se esperar, mas confesso que fiquei assustada com a quantidade de gente.

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

Guia de Viagem Itália: Florença, Pádua e Veneza

E não teve passeio de gôndola – até poderia, mas com o gasto inesperado do barco táxi não rolou. E também não nos animamos para ir por água a outros locais. Ficou um trauma mesmo, hahahaha! De qualquer forma, achei a cidade interessante. As áreas em canal mais aberto eram mais bonitas. Já as que ficam entre pequenas passagens de água são escuras e sujas (normal, bate menos sol, dá mais limo…). Sei que talvez poderia ter visto/feito mais, mas olha, acho que Veneza é pra gente rica, não pra quem vai andar a pé. Sem ofensas, hein, essa é a minha impressão!

Bom, agora fechamos o Guia de Viagem Itália! Agora é esperar o ano que vem pra novas aventuras!

Se você prefere a França, que tal conferir os posts da Marina enquanto ela estava morando por lá?

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
55 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Que delííícia Thaís! Morro de vontade de conhecer a Itália, esses guias de viagem seus estão me deixando louca hahaha Ainda me falta o $ mas quem sabe um dia, lá é lindo demais! Não achei que Veneza ia ser essa loucura que você falou, também imaginava uma cidade mais tranquila, apesar de ser turística.
    http://www.simpleness.com.br

  2. Helaine Baggio

    Yey! Que post legal, Thais! Ainda mais pq foi na cidade de onde meus tataravós saíram pra vir pro Brasil (Pádua)…tenho muita, muita vontade de conhecer a Itália…acho que eu deveria ter nascido lá, só acho…hauahuahauah.

    • Que legal, Helaine! Você deveria conhecer um dia, é uma gracinha. Fora que tem o santinho mais lindo do mundo! <3

  3. ana

    adorei!! a minha viagem sozinha para roma está chegando… faltam duas semanas para embarcar!!! estou absurdamente ansiosa! a fase em que eu me preocupava em gastar dinheiro passou e foi substituída por muita ansiedade e felicidade. tbm vou a londres, amsterda e berlim.
    ah, se não se importar com a a correção, outro dia estava relembrando os tempos de escola e o coreto é “ter chegado” mesmo, e não chego.
    ciao, bella!!

    • Boa viagem! Aproveite muito, viu? Você vai adorar!

  4. Sylvia Aline

    mesmo com todos os contratempos, a viagem deve ter sido maravilhosa.

  5. Jade

    Adorei esse seu guia de viagem, Thaís! Me identifiquei muito com seu jeito de viajar, sem gastar muito, mas conhecendo o máximo possível do local. Também adoro andar sem muito planejamento pelos lugares e encontrar coisas por acaso, principalmente feirinhas 🙂

    • É a melhor coisa, né? Amo me perder em viagens! <3

  6. Márcia Daniella

    Belíssimas paisagens mesmo! Experiência inesquecível com certeza.

  7. Izabel

    Lindas fotografias!! Parabéns, ótimas dicas!

  8. Denise

    Olha Thaís, entendo sua decepção com Veneza porque tenho o mesmo sentimento em relação a Florença, porque no dia que visitei chovia demaaaaaissss e achei as atendentes de loja muito ríspidas. Ou seja, tenho que voltar para tirar a birra da cidade.
    Mas, Veneza é a cidade mais linda do mundo ! Pra onde se olha, se encontra beleza. Esta foi minha impressão e nem liguei pra a multidão. Tinha obsessão pelo Palácio Ducal e fiz uma visita bem tranquila. Amei e preciso voltar .
    bjs

    • Verdade, Denise! Às vezes uma experiência não pode definir nossa impressão sobre a cidade, né?

  9. Priscila

    Viajar é sempre um ótimo investimento, investir em si e investir em cultura.

  10. Heloisa Carvalho

    Engraçado, eu tenho vontade de viajar para vários lugares, mas o “bichinho” da Europa ainda não me mordeu! Mesmo assim, achei lindos os lugares por onde você passou =)

  11. Carol Couto

    Nunca fui a Itália, mas gostei do seu relato e ponto de vista de “gente normal” como a maioria dos brasileiro. Quando eu for me lembrarei de vc kkk.
    Bjus

    • hahahahaha! Lembre mesmo e use minhas dicas, hein? Beijão!

  12. Fernanda Gabriela

    Isso é que uma viagem de gente sem frescura e cabeça boa, mas MUITO PHYNA! Adorei o estilo de escrita bem “passeando com Thais”.
    PS: senti sua raiva do tal taxista das paradinhas. Gente, que absurdo!!!!!!! Tem que ter sangue de barata para manter o bom humor, viu? Haja paciência!

  13. Vanessa

    Europa é o amor da minha vida, já fui em alguns países, mas não à Italia. Ainda irei um dia! 🙂

  14. Fernanda

    Oi Thaís, adorei o post! Engraçado você ter essa impressão de veneza, talvez porque a cidade estivesse cheia, né… Quando fui estava super tranquilo, passeei pelas ruazinhas super tranquila, andei no barco de transporte público e tudo mais! Concordo que a cidade é cara, não andei de gôndola porque achei o olho da cara hahaha! Mas comia fatias de pizza o dia inteiro, porque restaurante realmente é bem caro! Já Florença fiquei com impressão péssima, muito vendedor ambulante, um inclusive um ficou seguindo eu e minha família, nos sentimos até ameaçados! Já conclui que a impressão que temos da cidade varia muito, dependendo da experiência que cada um tem, né? Mas adorei o post! Serve como uma desculpa pra você fazer mais viagens pra poder contar pra gente! 🙂

    • Opa, tem razão! Depende muito do dia, da quantidade de pessoas, do nosso cansaço – Veneza foi a última, então já estava meio podre, confesso. De qualquer forma, adorei as experiências todas! 🙂

  15. Karla

    Que delícia de post, Thais!!!! Adoro a Europa e, apesar de já conhecer a Italia, não me canso de ver essas fotos e lembrar das minhas viagens. A ultima, fui justamente acompanhar um amigo que estava escrevendo um livro sobre arquitetura italiana em Curitiba. Pela pesquisa dele, a maioria dos imigrantes italianos que vieram ao BR, são da região do Veneto (Padua, Verona, Vincezz…), de Veneza quase não veio gente. E, apesar de acha-la uma cidade linda, acho muito “muvucada”. fila pra tudo, mal se acha lugar para sentar e se eles puderem, te enganam mesmo. Já estive lá 3x, em épocas diferente do ano e sempre foi assim!! Mas tá valendo, não é?!?!? Viajar é muito bom e enriquece a alma!!!!

  16. Ai que delícia, amei esse post hehehehe quero muito (e vou) visitar Itália um dia <333 http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

  17. Aline

    Adorei o post! Fotos lindas. Me deu vontade de conhecer Pádua e Florença.
    Veneza é uma cidade cara mesmo, mas quando fui fiz quase tudo a pé. Graças ao trip advisor meu namorado achou uma “pasta to go” muito boa onde almoçamos 3 dias.
    Fiquei uns 4 dias lá e só peguei aquele barco de transporte público um dia porque estava chovendo muito. Ah, e um passeio de gôndola. O que é barato lá é o aperol spritz (o drink), bem mais barato que em Roma, se souber onde ir 🙂

    • Aí sim, hein? Praticamente venezianos! hahahaha 🙂

  18. Polyana

    Viagem é um dos melhores investimentos que alguém pode fazer. Conhece outros lugares, outras culturas, faz novas amizades. Se pudesse faria ao menos uma por ano. 🙂 adorei o post 😉

  19. Aline

    Eu amei Veneza, mas o transporte lá é meio ccomplicado. So pegamos o ônibus barco ate o aeroporto, o resto foi tudo a pé, inclusive ir da estação com malas até o hotel, passando por mil pontes tendo que erguer tudo toda vez. Agora parece engraçado mas na hora a gente queria morrer hahahah
    Mesmo assim, fiquei apaixonada pela cidade, diferente de tudo que já vi!

  20. Juliana A.

    Saudades da Itália <3
    Fiquei lá por 1 mês e meio e fui nos mesmos lugares que tu foste.
    Realmente Veneza é muito cara, mais cara que Roma e Florença, além de ser uma muvuca de gente no centro. Tu não te perdeu por lá? Mesmo com mapa eu me perdi várias vezes hahaha
    Quero voltar logo pra Florença, cidade mais linda do mundo!
    Bjs!

    • Pior que não me perdi, mas aquelas ruazinhas enganam bastante!

  21. Juliana

    Babando nas suas fotos!

  22. Miriã Andrade

    Adorei suas impressões dos lugares, Thais, está tudo anotadinho aqui! 😉

  23. Ane Elize r

    a passagem do trem também pode ser comprada pelo site da trenitalia.it. Tem também um aplicativo bem útil, onde você pode comprar passagem, ver a plataforma, o número do trem, da onde vem, se está atrasado, etc.

    • Ane Elize r

      O aplicativo tb é da trenitalia, basta procurar na App Store

  24. Paula

    Oi.. tenho parentes que moram na Itália e já fui a Veneza 7 vezes.. confesso que tb não gosto muito não.. parece a 25 de março,todo mundo querendo te vender algo e muitos querendo passar a perna! Alias scho que esse “barcotaxista” logrou vcs… 🙁
    Sempre vamos de trem (que tem que validar pq no bilhete não diz o dia e o horário,então a maquinista que valida imprime na passagem essas informações para que não seja reutilizada). E qd chegamos lá vamos sempre a pé até a praça San Marco. É legal pq vamos vendo as lojinhas e é bem fácil,é só seguir o fluxo. Já fui no carnaval no ano passado e estava frio,todo mundo cheio de casacos e alguns com máscaras! Legal,só que muito cheio e sem música (acredite,carnaval sem música!).
    Adorei seus relatos,tb sou dessas que prefere não gastar muito..
    ahh minha irmã cuida de um Bed & Breakfast em Padua,o nome é Torresino (ou algo assim hehe) fica dica pra proxima! Beijos, adoro o blog!

    • Olha, que coincidência! Não foi o que ficamos, mas quem sabe da próxima mesmo?

      Guria, quer dizer então que a gente podia ter ido a pé da estação de trem até a praça? Olhei no maps e parecia do outro lado do mundo, por isso pegamos o barco táxi!

  25. Na Itália só fui a Florença, mas fiquei muito encantada e quero voltar. Pena que veneza foi um pouco decepcionante, bom saber que é mais caro do que Roma.
    http://www.issoaquiloetal.wordpress.com

  26. Ai que coisa mais linda..
    Queremos passar a lua de mel lá.. e ainda conhecer uma vinícolas..
    Até marquei meu noivo no post do face pra ele ir se situando..rs rs 🙂

  27. Juliana

    Thaís, fui a Veneza em março desse ano e a cidade estava tranquila, limpa e sem muvuca (mas estava bem frio e tivemos que comprar casaco extra). Chegamos de trem via Termini, pegamos o vaporeto na estação (comprei o ticket de 72h – acho que custou uns 20 euros) e saltamos na parada Santa Maria del Giglio. Nosso hotel ficava na pracinha logo na descida da estação, foi muito fácil de achar (http://www.hotelala.it/ – tem bons preços fora da alta temporada). Nos quatro dias que passamos lá, utilizamos só o vaporeto, o que nos atendeu muito bem, porque gostamos de explorar as cidades à pé. Uma opção mais barata de alimentação é sair da área de San Marco e Rialto e tentar os barzinhos e cafés em Dorsoduro (é só atravessar a ponte Del’Acaddemia). A surpresa da viagem foi a apresentação do grupo Interpreti Veneziani na Chiesa di San Vidal (http://www.interpretiveneziani.com/). Ninguém fala dessa jóia da cultura local, mas vale MUITO a pena assistir.

    Em Florença, ficamos em um hotel perto da estação Santa Maria Novella (http://www.hotelarcadiaflorence.com/), que nos atendeu bem. Vale a pena adquirir o Firenze Card se puder ficar na cidade por 2 ou mais dias – custa 72 euros (ouch!) e dura 72 horas (http://www.firenzecard.it/?lang=en). O FC vale cada centavo, porque permite acesso a TODAS as atrações pagas, com direito a não ter de pegar fila (o que pra mim foi o must, pois a fila para a Galeria Ufizzi dura cerca de 02/03 horas!). Além disso, o FC vem com um um passe de ônibus que permite acesso a todas as linhas urbanas (a linha 12 leva à Piazzale Michelangelo e à Basilica de San Miniato Al Monte) e uma senha para acessar o wi-fi público, que é bastante honesto. Pelas nossas contas, o FC se pagou em um dia e meio. Para comer, utilizamos basicamente o Eataly, que tem opção pra todos os gostos e o melhor expresso que tomamos na Itália. Não tivemos sorte nos restaurantes locais (comida cara e ruim). A vida noturna estava fraca no inverno, mas recomendo o happy hour no Fiddlers Elbow Irish Pub, que fica na praça do Duomo (Piazza di Santa Maria Novella, 7).

    A Itália é um lugar mágico. Só penso em voltar! 😀 Beijos, meninas!

    • Juliana, que legais as suas dicas! Preciosas MESMO. Ah, agora vou ter que voltar! hahahahaha 🙂

  28. Marina G.

    Adorei seus posts sobre a viagem à Itália, Thais! Principalmente porque são bem realistas, seria bem o estilo de viagem que eu faria. Estou favoritando todos os posts aqui para planejar minha viagem quando for viajar (espero que num futuro próximo).

  29. caroline viana

    Adoroo os guias de viagem que vocês fazem <3
    Parabéns por essa série de posts muito bem feitos Thais! Muita informação legal (adorei a parte do transporte, tirando a facada no coração, fígado e baço do barco táxi)e fotos absurdamente lindas!
    Minha indiganção: fiquei com uma vontade de comer um desses doces kkkk

    • hahahahaha! Que bom que você gostou, fico feliz! 🙂

  30. Thais, adorei suas postagens sobre a Itália! Das cidades que você visitou eu não conheci Pádua, mas pelas suas fotos achei que vale bem a pena. Fui para a Itália em dezembro de 2011 e fiquei um mês, mas fiquei a maior parte do tempo em Firenze. Conheci vários lugares da Toscana, além de Roma e Veneza. Andamos muito a pé em Veneza também. Queria ter visitado a ilha de Murano mas não deu. Adoro ver postagens sobre viagens à Itália, mas dá um angústia de não ter conhecido tudo… kkkk só morando lá mesmo!
    Beijos

  31. Bárbara

    Fui para Itália uma vez, mas não fui a Veneza. A cidade parece linda, mas um contratempo é capaz de marcar mesmo. O bom que com o seu posto várias dicas surgiram nos comentários.

  32. Ligia Grabauskas

    Thais, dá uma segunda chance pra Veneza… <3
    Eu fiquei só uma tarde também por causa de horário de trem, mas não queria ir embora hahahaha, de tanto que amei. Eu fui no alto verão, mas acho que peguei um dia bom, tava bem ok de andar!
    Mas realmente foi bobagem pegar o barco, a melhor parte de Veneza é ir seguindo pelas ruazinhas, até chegar na praça… se fosse por querer usar o barco, tudo bem, mas aí poderia ter rolado o passeio de gôndola, né? 🙂
    E eu também AMO Florença. Gostei mais delas do que de Roma, aliás.

  33. Vivian

    Simplesmente amei viajar de trem pela Europa, incrível como este meio de transporte funciona tão bem lá né. Itália ainda não conheci, mas com certeza qdo voltar vai ser somente por lá, é muito lugar bonito pra conhecer. Valeu pelo post, amo dicas de viagens. Bjos 🙂

  34. Gabriela Ronchi Salomon

    Adoro a Itália, principalmente Roma. Estou adorando esses posts que está fazendo, Thais. Uma cidade que nunca me agradou foi Veneza. Sei lá.. é muita água kkkkkk agora que você falou que é cara, O DIA que eu for nem vou querer passar poe lá kkkkkkkk

  35. Renata

    Viajando com sua viagem rs

  36. Thábata

    Oi Thaís!!!
    Adoro o blog de vocês!! Fiquei as últimas 2 semanas sem acessar, pois estava viajando com meu marido… fui para Paris (lembrei da Marina) e Itália (lembrei de vc)!!! 😀
    Na Itália fomos para Florença, Veneza e Roma… e uma das dicas que vc deu que achei muito útil, foi o lance de não sentar em mesas maiores se vc está em 2 pessoas, por exemplo… rs. Presenciamos, várias vezes, turistas “levando xingo” porque chegavam e sentavam em mesas para 4 pessoas e era um casal. Graças a sua dica, não passamos por isso!! 😀 rs
    Amei Florença!!! Não consegui ver seu post com calma, mas pelo que vi vc não conseguiu ir até a Piazzela Michelangelo (onde tem a vista de Florença toda, bem do alto)… quando for de novo, recomendo… acho que foi o que mais fez eu me apaixonar por Florença, a vista é incrível!!
    Me decepcionei um pouco com Veneza também… mas fiquei dois dias, e consegui fazer o passeio até as Ilhas de Murano e Burano (a colorida) que são lindas! Particularmente gostei mais das ilhas, do que de Veneza em si. Também não tivemos vontade de andar de gôndola, e achamos muito caro! rs
    Enfim, parabéns pelo blog meninas! E os posts de viagens (tanto seu, quanto da Marina e Sabrina) sempre nos rendem ótimas dicas!! 😉
    Bjos

  37. […] Quem for apaixonada pela Itália, como eu, não pode perder os guias de viagem que fiz sobre Roma (aqui e aqui) e outros três destinos! […]