Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Opa, opa, voltei! E dessa vez para o que espero ser uma temporada de mais foco e organização sobre minha própria vida, hahahaha! Confesso para vocês que andei meio perdida com os últimos acontecimentos: a nova agenda de vídeos do nosso canal, o tempo de braço imobilizado/remédios/fisioterapia, a oportunidade de conhecer a neve que veio de supetão. Agora quero mesmo retomar as rédeas das coisas, por mais aleatórios que os acontecimentos costumem ser.

Com esse retorno à rotina, vi que já estava prestes a abraçar mais 500 coisas que andaram aparecendo, até que parei, respirei e decidi colocar o pé no freio – não no sentido de renúncia, mas de colocação de prioridades. Vi que precisava ser mais honesta comigo mesma e com o tempo que tenho em mãos. Você já se sentiu assim também, engolida pela vida? Pra mim foi desse jeitinho nos últimos meses. Tudo o que conseguir ver foi o tempo passar correndo, mal sabendo onde eu estava no meio desse turbilhão.

Acho que às vezes a gente perde um pouco o senso do que é mais importante que seja feito pela ânsia de querer abraçar o mundo. E assim passamos a viver no automático, como máquinas de eliminar demandas – sejam profissionais, pessoais, familiares, sociais… Volta e meia me vejo embrenhada nessa armadilha, o que me gera diversas sensações, entre tristeza, cansaço, dor de cabeça e, principalmente, a dificuldade em viver o tal do momento presente por conta da ansiedade pelo que está por vir.

Viver é uma viagem absolutamente randômica, eu sei. Mas não é por isso que a gente precisa deixar ela nos levar sem o menor questionamento. Afinal de contas, ainda somos as donas das nossas ações e reações, não somos? Se a gente não se colocar à frente dos fatos que a vida apresenta – ou até mesmo daquilo que trouxemos para nós mesmas – quem mais vai fazer isso?

Bola para frente e uma boa metade de semana para todas vocês!

Foto: Shutterstock

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
2 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Mala para a neve: o que levar para o friozão

Quando fui fazer a mala para a neve fiquei com medinho de não levar roupa suficiente e passar frio, mas agora que voltei dos 6 dias fora, posso contar o que efetivamente usei. Quem sabe não te ajudo para quando tiver a oportunidade de viajar para algum lugar friozão!

Viajei no final de abril, então nos Estados Unidos, já era primavera. Para você ter uma ideia, em Denver, a cidade onde chegamos, estava com temperatura por volta dos 20 graus, bem tranquilo. Já em Vail, que é no meio das montanhas e bem alto, a temperatura oscilava entre -6ºC e 18ºC, o que complica a vida de quem não está disposto a carregar a casa inteira na mala.

Para dias fresquinhos

Nessa categoria entra a temperatura por volta de 10ºC, que não chega a ser um frio lazarento, mas também não dá para sair de braços de fora na rua. Nessa hora eu usava aquelas meias grossas, que podem ser de zilhões de fios ou aquelas forradinhas que já comentei aqui no blog. As forradas esquentam mais! Também apostava nas botas, casaquinho e casacão. Por baixo de tudo isso dá até para usar um vestido ou camiseta de manga curta porque, em todo lugar que a gente entra, o aquecedor está a mil, então sempre passamos calor com roupa demais.

Como em Curitiba é super frio, tenho alguns casacos pesados de lã, mas caso você seja muito friorenta e tenha um dinheirinho guardado, vale a pena comprar lá fora mesmo, aqueles casacos gordinhos e forrados. Melhor ainda se for impermeável. Eles não são a coisa mais linda e fashion do mundo, mas esquentam muito mais que o melhor casaco que a gente encontre por aqui.

Veja também, o que levar na mala de viagem para Curitiba.

Mala para a neve: o que levar para o friozão

A bota de cano baixo e a sapatilha são da Tutu Sapatilhas.

Abaixo de zero

Esqueça o vestido, o negócio aqui vai ser fazer camada sobre camada de coisas quentinhas. Só enfrentei essa temperatura em um dia de viagem e nele fui de bota, meia calça forradinha, leging grossa, segunda pele, blusa de lã, casaco forrado, luva e protetor para orelha. Ainda dá para apostar em cachecol e uma touquinha. Lembre, se você for passear e ficar na rua, vai enfrentar o vento gelado! Mas toda vez que entrar em um café ou numa loja, vai morrer de calor no aquecimento. O truque é ter camadas! Nesse dia passeamos pela cidade e acabou nevando, fiquei feliz de estar com o casaco impermeável, assim não me molhei nadinha e só passei frio no rosto. RISOS

Mala para a neve: o que levar para o friozão

Mala para a neve: o que levar para o friozão

A bota foi comprada na Riachuelo faz uns 6 anos atrás. A blusa de lã é da Farm e o casaco foi comprado na Columbia nos EUA.

Para esquiar

Na montanha é frio, mas a gente se movimenta bastante carregando equipamento e descendo morro abaixo. Teve umas horas que até fiquei com calor – mas lembre que já estávamos no final da temporada de neve!

O recomendado aqui é apostar na meia calça grossa ou segunda pele, calça forrada e impermeável, blusinha segunda pele e o casaco grande forrado e impermeável. Se estiver muito muito frio, vale ter um casaco leve intermediário também.

Mala para a neve: o que levar para o friozão

Com o casaco e com a segunda pele.

Não esqueça as luvas impermeáveis, pois vai por mim, a gente cai bastante e ter algo entre a pele e a neve é uma boa ideia. Se você não tiver roupa impermeável e não quiser investir nisso, não tem problema, mas toda vez que cair ou nevar, sua roupa vai molhar e pode ser que comece a sentir muito frio. Para o invernão, leve também uma touca e cachecol. Bota para esquiar, capacete e equipamentos são alugados todos juntos.

Não esqueça o óculos de sol e de passar MUITO protetor solar. A neve reflete a claridade que é uma beleza e é dois palitos para se queimar.
Para quem vai para o Atacama, aqui tem um post muito completo com dicas do que levar na viagem.

O que levei e efetivamente usei

Para ajudar, segue uma listinha do que levei e usei mesmo para a viagem de 6 dias no final de abril, começo da primavera, para Vail no Colorado nos Estados Unidos. Nesta viagem teve esqui, passeio na cidade e também jantares mais arrumadinhos, então precisei levar coisas mais bonitinhas e outras mais quentes.

– 1 bota de cano curto
– 1 bota acima do joelho (uma bota só que dê para usar com calça e vestido já é suficiente, pirei aqui!)
– 1 sapatilha
– 4 meias calças preta forradas
– 2 meias calça preta finas
– 1 vestido
– 2 macaquinhos (frescura para não repetir roupa no jantar, mas um já dava)
– 2 camisetas
– 1 legging de tecido grosso
– 1 blusa de lã quentinha
– 1 calça impermeável (comprei lá)
– 1 jaqueta pesada impermeável (comprei lá)
– 2 casacos pesados que já tinha (acho que 1 só era suficiente, pois depois que comprei a jaqueta, só usei esse para sair a noite)
– 1 par de luvas
– touca ou protetor de orelha
– cachecol
– 1 bolsa que combine com todas as roupas
– 1 mochila pequena

Não esqueça: óculos de sol, protetor solar e hidratante para corpo, lábios, rosto e tudo mais. O ar é muito seco em Vail. Se esqueci de algo, me conta nos comentários! Vamos se ajudar!

Mala para a neve: o que levar para o friozão

Esse foi o dia mais gelado da viagem e não passei frio. De manhã cedo estava -6ºC. O protetor de orelha foi comprado na Disney em outra viagem.

Preço dos casacos e calças para o friozão

Como chegamos na primavera, encontramos várias promoções de roupas de frio. Em Vail e Breckenridge não tem uma variedade imensa de lojas, por exemplo, você não encontra uma Forever 21 pertinho. Mas tem bastante loja de roupas esportivas com modelos específicos para neve. Os casacos grandes, forrados e impermeáveis custam mais ou menos US$150, mas na promoção, saiam por US$30. O mesmo com as calças forradas e impermeáveis, que custam em média US$80 e estavam por US$25 na promoção. A blusinha fina de segunda pele estava por US$10. Caso vá esquiar e precise destas roupas específicas, também dá para alugar em lojas perto da estação de esqui.

Se você viajar para uma cidade maior, vale uma passada no shopping para encontrar um casaco mais quentinho. Ele não precisa ser desses específicos para esquiar e certamente vai custar bem menos que em uma loja esportiva.

Para quem não curte posts de viagem, pode ficar tranquila que já já volto com as resenhas, só preciso me organizar por aqui. 🙂

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
7 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Viu no nosso Facebook a votação de nossas leitoras elegendo o melhor shampoo antirresíduos? Não? Nós acompanhe por lá para participar das próximas vezes!

Dessa vez tivemos um monte de marcas citadas, mas o campeão absoluto e que levou a grande maioria dos votos foi o antirresiduos de Natura Plant. Eu mesma já usei e ele é achei super bom, ele limpa bem o cabelo e rende bastante.

Em segundo lugar veio a versão de Pantene, que ainda não conheço mas já fiquei super interessada para testar.

Em terceiro lugar veio o Seda Recarga Natural Pureza Detox, que não cheguei a testar, mas a versão para cabelos oleosos é bem interessante. Logo na sequência veio o shampoo antirresiduos da The Beauty Box, a resenha dele está aqui.

Na quinta posição ficou o shampoo Deep Cleansing da Vizcaya. Outras marcas apareceram na votação, mas sem um número considerável de votos.

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
11 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

esfoliante leite de amêndoas e mel

Semana passada falei do hidratante da linha de Leite de Amêndoas e Mel, cês lembram? Pois então, já que essa linha chegou por aqui faz pouco tempo, já tratei de testar também outro produtinho que recebi dela: o esfoliante.

Esfoliante linha Leite de Amêndoas e Mel, The Body Shop

esfoliante leite de amêndoas e mel

O esfoliante da linha Leite de Amêndoas e Mel é um creme com partículas de casca de amêndoas que esfoliam a pele e prometem remover as células mortas, deixando-a suave e hidratada, respeitando e preservando as barreiras naturais da pele.
Enriquecida com mel da Floresta Tropical Sheka, do Comércio Justo com Comunidade da Etiópia, óleo de amêndoas orgânico do Comércio Justo com Comunidade de Alicante, no sul da Espanha, e leite de amêndoas orgânico, do nordeste da Espanha, a linha de produtos promete também acalmar e prevenir o ressecamento, promovendo hidratação suave para aqueles que têm tendência à vermelhidão ou irritação.

esfoliante leite de amêndoas e mel

Bom, sobre o perfume dessa linha, já comentei no outro post que, mesmo sendo fã dos aromas docinhos, tinha ficado com medo deste em questão ser muito enjoativo – e não é, é bem gostoso e suave. Quem se identifica com meu gosto para perfumes pode provar sem medo, achei delicado. Sobre o esfoliante propriamente dito, ele tem uma textura bem cremosa, quase como um hidratante de banho mesmo, e partículas branquinhas menores e beges um pouquinho maiores.

Achei que ele deixa a pele macia e bem hidratada, mas a esfoliação em si é leve – se você é do tipo que gosta de esfoliação potente, eu não recomendo. Eu gostei dele, sim, mas honestamente, pelo preço, eu ficaria com o hidratante.

Composição

esfoliante leite de amêndoas e mel

Preço e onde comprar

O esfoliante de Leite de Amêndoas e Mel, da The Body Shop, custa R$ 99 a embalagem com 250 g – dá para comprar nas lojas e quiosques da marca e também pelo site deles.

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
3 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários