Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

descartável

Ontem foi um dia-chave para meu processo de quebra de paradigma a respeito do que possuo. Depois do vídeo sobre desapego (colocado no ar no post de sábado), decidi ainda mais fortemente fazer disso um mantra na minha vida. Então, resolvi me munir de mais informação, que nunca é demais.

Depois de muito tempo enrolando lindamente, coloquei o documentário True Cost no Netflix para assistir. E que tapa na cara. Para quem não sabe, ele mostra durante 1h30 os impactos socioambientais da desenfreada indústria da moda no mundo, em especial com o advento das fast fashions.

Chorei de desgosto com a humanidade. Juro. Por outro lado, tudo o que venho pensando a respeito do consumo consciente também ganhou força. Afinal de contas, enquanto a gente pensar que aquilo que compramos é feito para acabar só porque não queremos mais, vamos estar colaborando para essa roda.

Um exemplo dado no documentário: você sabia que apenas 10% das roupas doadas para a caridade nos Estados Unidos são de fato vendidas em brechós – e, por consequência, reaproveitadas por alguém? E sabia que uma parcela significativa do restante vai para países como o Haiti, que teve sua indústria têxtil quebrada por conta do envio massivo de peças para lá? Ou seja, tem vezes que pensamos estar ajudando, quando, na verdade, estamos mais é atrapalhando. Fora a quantidade absurda de lixo têxtil, que demora cerca de 200 anos (!) para se degradar na natureza. Consumir menos e melhor é um imperativo hoje!

Lembrei das vezes em que adquiri uma coisa por impulso, sem a menor necessidade prática ou sem ao menos saber como iria usar. Mas também me recordei de peças que tenho no armário há muitos anos, que foram modificadas de acordo com o vai-e-vem do meu corpo e até mesmo recuperadas de estragos pontuais – a costureira sempre foi minha parceira para ajustes e consertos.

Por coincidência, uma amiga veio me visitar aqui em casa ontem, logo depois desse turbilhão de pensamentos. Ela acaba de conseguir um trabalho que requer certa vestimenta, mas sabe que não dá para sair por aí comprando o mundo em função dessa nova posição.

Me veio um estalo e a chamei para o quarto que faço de closet: lá, uma série de peças que mantenho com carinho na esperança de usar novamente (o que não é impossível, afinal, não estou hoje com o meu corpo habitual). Mostrei para ela e pedi para que experimentasse. Adivinhe: tudo serviu lindamente!

Assim, fiz uma coisa que o apego jamais me permitiria realizar: emprestei tudo o que ela quis por tempo indeterminado. E fiquei tão feliz quanto se tivesse sido ao contrário, se tivéssemos trocado de papel (quem é que não gosta de receber roupas bonitas assim, do nada?). <3

Meu coração se encheu de amor e minha cabeça só conseguia pensar: “por que não fiz isso antes?”. Veja, desapego pode ser também compartilhamento. Afinal, aquilo que temos não pode e não deve ser considerado descartável a ponto de querermos simplesmente nos livrar.

A ótica muda quando a roupa está em constante movimento – seja comigo, seja com ela, seja comigo novamente. Já parou para pensar nisso? Que tal experimentar também? Se para cada vez que alguém precisa de algo a gente pode suprir (e vice-versa), imagina só o tanto de compra que pode ser poupada!

E, assim, passamos a nos conscientizar de maneira a ajudar o todo, com menos apego, sim, mas também com menos descarte. Pense nisso! Uma excelente semana para você.

Imagem: Shutterstock

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
13 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

bronze splendor

Esse, o Bronze Splendor, é mais um dos produtos que a Eudora lançou especialmente para o Carnaval (cês lembram que já mostrei aqui o primer e os batons?) – apesar da data já ter passado, por enquanto ele ainda está disponível, então bora mostrar antes que ele saia de linha:

Blonze Spendor: maquiagem para o corpo e rosto

bronze splendor

Segundo a Eudora, o Bronze Splendor traz a união perfeita do efeito bronzeado com iluminador. Sua fórmula foi especialmente desenvolvida para promover secagem rápida, por isto, bastam poucos segundos para que o produto fixe totalmente na pele. A loção tem uma textura que facilita a aplicação e promete ser bem fácil de espalhar pelo corpo.

O que achei dele?

bronze splendor

Para começar, o Bronze Splendor tem uma cor bem bonita – bronze, como indica o próprio nome, com brilhos dourados. A textura lembra um pouco um gel – como eles prometem, é fácil de espalhar e deixa o tom da pele levemente bronzeado e com um toque dourado. Ele não deixa a sensação gosmenta na pele, seca rápido e o efeito fica bonito. Eu costumo usar bastante esse tipo de produto nas pernas, porque acho o efeito bem bonito – na foto abaixo, apesar de não ficar muito evidente assim de longe, a perna esquerda está sem nada e a direita com o Bronze Splendor.

bronze splendor

Porém, infelizmente nem tudo são flores – apesar de ele não deixar sensação gosmenta, ele não fixa por completo na pele – na primeira vez que usei, sentei com as pernas cruzadas e meus tênis (brancos) acabaram ficando bem brilhantes, risos. Nada que uma lavagem não resolva, mas é um produto que eu reservaria para eventos como Carnaval mesmo, em que não há grandes problemas se seus tênis/bolsas/roupas ficarem um pouco brilhantes.

Composição

Ingredientes: Aqua; Mica; Butylene Glycol; Caprylyl Methicone; Ci 77891; Glycerin; Cyclopentasiloxane; Aluminum Starch Octenylsuccinate; Ci 77491; Lauryl Methacrylate/Glycol Dimethacrylate Copolymer; Polyacrylamide; Ci 77499; Polypropylsilsesquioxane; Ethylhexylglycerin; Benzyl Alcohol; C13-14 Isoparaffin; Dimethicone Crosspolymer; Isododecane; Magnesium Aluminum Silicate; Laureth-7; Disodium Edta; Tocopheryl Acetate; Parfum; Benzyl Salicylate; Geraniol; Hydroxycitronellal; Linalool.

Preço e onde comprar

Como comentei lá em cima, o Bronze Splendor é uma edição limitada que foi lançada para o Carnaval – então se você tiver interesse nele, melhor comprar agora, porque ainda está disponível. Dá para achar nas lojas e quiosques da marca ou no site deles.

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
2 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Lá vem a louca do apartamentinho que só fala de decoração, dá licença! Sempre fazemos nossas listas de desejos cosméticas por aqui, não é? Pois hoje é minha vez de fazer a lista móvel/decorativa da casa nova, já que ela é imensa e não tem fim (a lista, não a casa). Começo desejando ganhar na mega sena, porque não tá fácil pra ninguém, minha gente. Vejo minha planilha de orçamento de coisas que preciso comprar e tenho vontade de sentar no chão e chorar. Mas seguimos em frente porque né, tamos ai com um passo de cada vez.

01. Buffet Portunhol da Oppa: a culpa é das meninas da UNE Arq + Design que colocaram ele no projeto em 3D do apartamento e me fizeram querer tudo igualzinho. Até a cor seria a mais lindona para a sala.

02. Mesa Lateral Cecília Dale: ache esse modelo super fofinho e seria bem prático para ter do lado da cama ou do sofá.

03. Pendente de cimento Bella Yamamura: é esse pendente que planejo ter no quarto, fazendo uma composição com 8 lâmpadas diferentes logo acima da cabeceira da cama. Acho que ficará bacana com as lâmpadas de filamento de LED.

04. Cesta Organizadora Casa que Tem: imagina que bacana para por na cozinha com temperos e coisas para cozinhar.

05. Escada Banquinho Casa que Tem: vou precisar de algo assim para alcançar as coisas nos armários da casa toda, já que meus 1,64 m não me permitem grandes alturas. 🙂

06. Bandeirola Hometeka: acho essa moda das bandeiras muito bonitinha, queria ter uma parede com várias delas.

07. Painel de recados e porta trecos Meu Móvel de Madeira: esse negócio me pareceu bem prático para deixar perto da porta e guardar chaves, bolsa e tudo mais que a gente sempre perde na hora de sair.

08. Mesa de Centro Hometeka: veja que ando numa vibe de móveis brancos, né? Adorei esse modelo, achei moderninho.

09. Poltrona Bump Oppa: não dá vontade de abraçar essa poltrona? Ela me pareceu fofa e super confortável!

10. Luminárias Casa Jupiter: sigo a conta deles no Instagram e tenho vontade de ter todas as luminárias que fazem nesse estilo industrial usando cobre. Se pudesse, colocaria na casa toda.

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
12 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários

Desapego, uma palavra que tem sido muito falada por aí – o que nem sempre a gente consegue entender é como colocá-la em prática de fato! Pensando nisso (e usando alguns exemplos pessoais meus), gravei esse vídeo para quem sabe ajudar você nessa empreitada! Para assistir, é só dar o play:

Devo reforçar que o xis da questão é você começar o processo devagar: desapego começa com uma mudança de pensamento, que às vezes é bastante necessária mas não exatamente fácil de lidar. O importante é que você passe, de pouquinho em pouquinho, a ser mais questionadora com suas escolhas de vida, seus apegos materiais, seus valores e por aí vai.

Sair da bolha do conforto não é moleza – e não pense que quem conseguiu está a anos luz de distância no caminho da evolução. Somos todos humanos e, portanto, falíveis. Além do mais, o importante não é comparar sua jornada com a de ninguém, mas ter a ciência de que você tem as rédeas da sua.

O desapego é multifacetado e funciona de maneiras diferentes para pessoas diferentes. Uma vez dentro da ideia é que você vai ver o que acha importante de fato manter na vida (pessoas, coisas, sentimentos) e aquilo que pode dispensar sem dor no coração, com a certeza de que o novo – ou o nada, que em muitos casos é libertador porque nos desobriga – virá.

Pense com carinho nas minhas palavras. Espero que, de alguma forma, elas possam ajudar você.

Bom sábado!

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
8 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários