Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

As coincidências da vida são mesmo malucas. Já estava com outro post pensado para hoje, mas o pedido de duas leitoras no mesmo dia me fez mudar completamente de assunto. Aviso de antemão que esse é um texto completamente off topic, mas acredito que talvez possa ajudar mais gente por aí! Quem gosta dos nossos temas tradicionais não deve se preocupar: estou programando várias coisas bacanas para essa semana!

como superar o fim de um relacionamento

Mas vamos lá. A pergunta delas, de forma bem básica e generalista, se resumia a: “como superar o fim de um relacionamento?”. Acredito que não exista uma fórmula padrão para isso – afinal, as pessoas são diferentes e cada uma reage à sua forma, sem certo nem errado. Então, o que eu posso oferecer é um pouco da minha experiência de vida e das minhas reflexões pessoais! Não sou especialista em nada, mas acho que uma palavra amiga pode ajudar.

Tive dois namoros até hoje. Um durou 6 anos e o outro 1 ano e meio. No primeiro, fui eu que tomei a iniciativa de terminar. No segundo, vejam só, levei o famoso “pé na bunda” mesmo. E, quando é isso que acontece, parece inevitável não ficar arrasada. A gente se sente culpada, fica pensando onde errou, acredita que vai dar pra mudar tudo e reatar… Mas a verdade é que relacionamentos são feitos por duas pessoas – e não uma só.

Começa por aí: é preciso atirar para longe o sentimento de culpa. Por muito tempo, acreditei que somente as minhas ações minaram meu último namoro. Mas, depois de muitas noites mergulhada em pensamentos, comecei a me lembrar de atitudes dele que, ao meu ver, também nos colocavam para trás. Relações são formadas de maneira muito complexa: são duas personalidades, duas vivências, duas expectativas… Às vezes, tudo se afina; às vezes, não.

Aliás, já que falei em expectativas, vou continuar com esse tópico. Estamos constantemente em processo de idealização, ainda mais dentro de um relacionamento! É inevitável, faz parte da individualidade de cada ser humano. O problema é quando as nossas expectativas estão pautadas em coisas que ninguém nunca será capaz de oferecer. Engatar uma relação esperando que o outro supra todas as nossas necessidades emocionais é bastante perigoso.

E, acreditem, eu digo isso por experiência própria. Depois de dois namoros, posso dizer que não quero cair de novo nessa cilada. É por isso que, mesmo com todos os meus altos e baixos, tenho direcionado a vida para mim mesma, não daquele jeito egocêntrico, mas em termos de autoconhecimento mesmo! Hoje, os momentos que passo sozinha, com os amigos e a família valem cada dia mais. Consigo sentir amor em outras esferas, entendem?

Eu sei, não é a mesma coisa que ficar agarradinha com alguém no sofá vendo filme. Sinto falta disso, não vou mentir. Mas estou tentando aproveitar esse tempo de solteira para pensar em quais são as minhas reais motivações – será mesmo que elas precisam depender de um companheiro? Ter alguém para dividir a vida é uma delícia, mas a pessoa não pode ser a nossa única salvação no mundo. Acredito que pessoas bem-resolvidas possuem relacionamentos melhores, sem carência, sem exigências absurdas, sem responsabilizar o outro pela nossa felicidade!

Não, não é fácil. Eu demorei bastante para superar o último término. Fui atrás, chorei sozinha, fucei o ex de todo jeito pela internet… E, querem saber? Foi complicado, mas tive que seguir por esse caminho cheio de pedras para aprender coisas mais fundamentais sobre mim mesma. Hoje, meus pensamentos sobre o passado são cada dia menos presentes. E, quando chegam, me fazem lembrar que tem coisas que eu quero fazer diferente – por mim e pela felicidade que eu vou ter quando, porventura, encontrar outra pessoa legal.

Como minha sábia mãe sempre diz, a vida é um eterno aprendizado. E encarar rupturas faz parte disso! O processo às vezes é dolorido, mas traz um crescimento que a zona de conforto jamais conseguiria. Cito ainda um outro ditado, que eu adoro: o tempo é o senhor da razão. Tudo passa. Todo dia vem novinho em folha, cheio de novas possibilidades. E, se a gente não puder encará-lo com otimismo, não faz mal: tem amanhã também. <3

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
158 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Fer

    Nossa, caiu como uma luva.
    Eu por várias vezes quase puxei papo com vc no snap pra falar sobre isso, pedir dicas de como ficar bem depois de um término, mas fiquei com vergonha.
    Agora vc postando isso, comigo aconteceu praticamente a mesma coisa!
    Há um mês levei um pé na bunda. Estou devastada ainda, tive que procurar um psicólogo porque não estava aguentando. Estou no trabalho e escrevo isso com os olhos cheios d’água.
    Pra mim tá muito difícil, porque nosso relacionamento era ótimo, não tinha o que reclamar. E de uma hora pra outra tudo acabou, virou de cabeça pra baixo e está complicado levantar a cabeça e seguir em frente.
    E quando vejo vc curtindo a vida, meio que me inspiro a melhorar pra voltar a ficar bem.
    Ufa desabafei hehehehe
    Obrigada pelo post!

    • Heloisa Carvalho

      Puxa, Fernanda, tomara que essa dor passe logo. Mas você tocou num ponto importante, se estiver muito difícil superar sozinha, é muito importante procurar ajuda profissional…

    • Lorenna

      Levei um pé na bunda hoje depois de 3 anos de relacionamento, e vai por mim, esse texto me ajudou muito

    • Meninas, fico feliz por ter ajudado de alguma forma. <3 E a Helo está certa, se a situação estiver muito complicada, sou super a favor de procurar ajuda profissional. No meu primeiro término, foi a terapia que me auxilou a superar!

    • Carolina

      Gente…..o pós término é a treva pura…estou nessa situação tem dois meses e meio .Nos primeiros dias, alias, nas várias muitas semanas eu achei que ia enlouquecer mesmo.
      É difícil até de aceitar que o tempo vai curar tudo.Mas por muitas conversas que tive por aí ..parece ser verdade.No meu caso o tempo e outras atitudes estão fazendo doer menos.
      Eu ainda não estou bem…mas estou melhor do que estava.Cada pessoa tem seu tempo…algumas levam mais, outras menos.Mas todas devem saber que precisam ser fortes.E isso não é fingir que não está doendo ou que você as vezes quer simplesmente sumir…
      É aguentar a dor, vive-la e saber que vai passar. Alias, acreditar que vai passar.Depoimentos e textos como esse aqui no blog ajudam.Fortalecem.

    • Nathalia

      Fer,
      Passei pela mesma situação a 2 semanas…meu namoro era perfeito e tomei um pé. Chorei mto..sofri mto…o amo…mas estou aprendendo a ne reerguer a cada dia sabe? Hj uma amiga me falou uma coisa que me fez pensar: Nós não acreditamos no que Deus tem p gente!” E é verdade…são tantas as surpresas inesperadas…sejamos otimistas! Boa sorte. Bjins de quem está passando pelo mesmo momento ( u r not alone, rs)

    • Karina

      Eu comecei a namorar no início da minha faculdade, com um rapaz da mesma sala. Nós namoramos por 4 anos, e um dia, ele arranjou uma discussão boba pelo facebook, e terminou comigo. Simples assim. 4 anos juntos, e ele não teve a capacidade de sequer me encontrar pessoalmente e falar por que não queria mais.

      Foi horrível.

      Por alguns meses eu fiquei sem saber o que fazer, me culpando por ter acontecido isso, mas a verdade, é que hoje agradeço muito por ter acontecido dessa forma. Por que a gente só descobre a força que temos, quando somos obrigadas a usá-la.

      Depois desse término de namoro desastroso, eu, que sempre fui muito caseira e tímida, comecei a sair, resolvi fazer uma academia, decidi voltar a estudar. Resolvi viver a minha vida, que estava estagnada até então.

      Conheci uma pessoa maravilhosa, que talvez não tivesse dado tanto valor, se não tivesse sido tão machucada, e estou muito feliz.

      Então meninas, não desista nunca. Por que sim, até um pé na bunda tem o seu lado positivo. Ele te ajuda a ir para a frente.

  2. Emmy Bortoleto

    Nos momentos em que nos sentimos fragilizadas e sensíveis, não há remédio melhor do que ler e ouvir palavras gentis de conforto e suporte. Muito mais do que os tapinhas nos ombros e as frases clichês “tu é linda e inteligente, ele não te merecia”, ou até mesmo “ele não é o cara certo”, esta troca de experiências faz com que toda aquela angústia e tristeza dentro de nós, aos poucos, se dissipem.
    De fato, um relacionamento não é constituído por apenas um, é o conjunto que o move para frente. Além disso, relacionamentos não existem exclusivamente para suprir necessidades e carências. Não é preciso sermos autossuficientes, mas não podemos acreditar que um relacionamento é uma relação de dependência.
    E justamente por isso que estas trocas de experiências nos alertam sobre a necessidade de refletirmos (sem se culpar) sobre nossas ações, em uma perspectiva “de fora do furacão”, vermos em que ponto erramos e no que podemos melhorar. Como tu escreveu, o autoconhecimento é importante para a vida, não só para relações amorosas. Fundamental são as relações, posto que nos colocam em situações novas, propiciam interações com pessoas diferentes, em níveis de intimidade, muitas vezes, profundos. Mas mais fundamental que isso é saber retirar destas experiências as ferramentas para se conhecer e, assim, construir-se, sem a necessidade de outrem. Afinal, não temos como adivinhar o que vem pela frente. Parabéns pelo texto! 🙂

    • Disse bonito, Emmy. Você sabe que está com uma visão boa das coisas.. Dê tempo ao tempo! No mais, tamo junta! <3

  3. Heloisa Carvalho

    Olha, eu sou menos especialista ainda, pois o único namoro sério que tive acabou em casamento, rsrs. Mas acho que um passo importante é aceitar a dor. Vai doer, vai dar vontade de chorar até desidratar… Mas uma hora vai passar, e cada um tem o seu tempo. Outra coisa é lembrar que ninguém deve ficar ao seu lado por obrigação ou infeliz, então se a pessoa quer ir, deixa ir. Ou se você quiser ir, vai!
    Acho que a gente tem que tentar sempre dar o nosso melhor em um relacionamento, mas se não der certo… Paciência! Tem bastante gente nesse mundo pra tentar de novo, rs.

    • Nandi

      Concordo Heloisa, também acho que ninguém é obrigado (a) a se manter em um relacionamento que o deixa infeliz.. é dolorido sim, mas se para um lado está ruim, tem que acabar.. não tem como dar certo.

    • Fato, Helo! E acho mesmo que é importante viver o luto. Não com aquela culpa que comentei ali no post, claro. Ficar colocando a tristeza pra de baixo do tapete não é legal. Temos mesmo que viver a dificuldade – só que ela tem que passar!

  4. Simplesmente maravilhoso e olha motivador
    vc e 10
    bjsss

  5. Amanda

    Eu passei por um momento assim na minha vida. Eu não beijava o chão que ele pisava, eu lambia sabe? Só que eu sempre estava em último lugar na vida dele, e por me amar eu resolvi acabar. Também vivi o fim de um relacionamento lindo, e nenhum dos dois foi fácil. E foi nesse momento que eu descobri um poema do Mario Quintana “O segredo não é correr atrás das borboletas, é cuidar do jardim para que elas venham até você.” Gente, eu recitava esse trecho todos os dias, o dia todo. Chorava e falava isso pra mim mesma, e eu superei. Não foi fácil, muito pelo contrário, mas eu consegui. Espero que esse poema possa ajudar a vcs como me ajudou. E se quiserem alguém pra conversar, meu fb é esse aqui (https://www.facebook.com/amanda.marinho.754) . Sintam-se abraçadas e amadas! <3

    • Carol

      Nossa, não estou passando por este dilema no momento. Mas fiquei impressionada com a sua abnegação em publicar o seu face e se dispor a conversar com quem precise de um ombro amigo. Isso se chama GENEROSIDADE, muito raro nos dias atuais. Parabéns, essa atitude é pra poucos. Fiquei tocada!

    • Lindo isso, né, Carol! Também me emocionei. Amanda, fico muito feliz em ver que as dificuldades que passou foram superadas e fizeram de você hoje uma mulher mais forte e disposta a ajudar outras pessoas! Também adoro esse poema, acho de uma sensibilidade e verdade incríveis! <3

  6. Viviane

    Post muito legal. adorei! Passei por uma situação igual há quatro anos atrás e menina, foi difícil. Sofri, chorei e chorei mas no fim passou. Hoje m sinto feliz. Nesse meio tempo fiquei sozinha mesmo, precisava d um tempo p m reencontrar e perceber que a vida é bem mais do que uma relação amorosa. Busquei fazer o q gosto, mudei hábitos, fiz coisas diferentes e pode acreditar, consigo lembrar daquela época sem ressentimento algum. Parei d tentar encontrar um culpado, não deu certo pq não tinha q dar certo. E aceitei. Levo comigo como aprendizado. Não m importo d estar sozinha há tanto tempo e nem ligo quando aparece alguém praticamente m chamando d coitada por não ter um namorado nem um marido… Engraçado né, q ainda exista essa ideia d q mulher não pode ser independente e q precisa d um homem… Mas quer saber? Amo minha companhia e m amo o suficiente p esperar o cara certo aparecer:)

    • Keylla

      Vivi, muito legal sua linha de pensamento. Com certeza, todo relacionamento é um aprendizado. Adorei o final do seu texto 😉

      bjs!

    • Juliana

      Nossa, você falou tudo que eu precisava ouvir.
      As vezes tenho dúvidas se eu fiz a coisa certa, terminar com o ex. A carência também fortalece essa dúvida. Tenho muita vontade de construir minha família e por isso tenho muito medo de ficar só. Mas eu sei que eu preciso ficar sozinha e amadurecer para o próximo relacionamento não ter tantos erros como o anterior. To realmente me conhecendo, mesmo com medo, mas seguindo em frente, esperando em Deus o melhor pra mim. Espero que eu consiga ser a melhor companhia que eu preciso e não depender dos outros para ser feliz.
      Bjs!

    • Viviane, que lindo o que você escreveu. Realmente, essa pressão social pelo casamento ainda existe e é um saco, porque às vezes nós mesmas caímos na armadilha que criamos depois de termos sido criadas pra ter família, casa, marido… Mas a verdade e que não há mal algum em querer tudo isso, o problema é ficarmos incompletas, infelizes, se não tivermos! Tento trabalhar essas sensações em mim também. <3

  7. Raíssa

    É complicado mesmo, acho que todo relacionamento tem uma espécie de luto. Eu fui colocando metas para conseguir me distanciar: “só vou pensar em falar com ele daqui a um mês” ou “não vou procurá-lo na internet essa semana”. No meu caso, meu ex foi bem babaca, o que facilitou meu trabalho ao não querer falar com ele. Esse negócio de cavucar a internet atrás de informações (ou qualquer outra coisa para não perder o contato) é uma baita cilada. Quando fui conseguindo cumprir as metas, minha vontade de ir atrás e continuar naquela situação foi diminuindo. Por que eu iria atrás de uma pessoa que me trata como uma completa estranha depois de tudo que a gente passou? Eu não tenho que convencer ninguém de que eu sou uma boa pessoa e que eu valho a pena – NINGUÉM merece fazer isso.
    Cada um tem seu jeito de lidar. Sou bem racionalista e tentei me manter assim depois do namoro. Estatística e cientificamente, reatar namoros e investir em um relacionamento capenga é furada: eu tentei deixar isso sempre em mente.
    Uma “descoberta” dessa fase foram os vídeos da Amy Young, uma “conselheira” de relacionamentos e empoderamento feminino que eu acho maravilhosa e assisto sempre. Recomendo fortemente para quem sabe um pouquinho de inglês: https://www.youtube.com/user/AMYoungster

    • Ana

      ” EU NÃO TENHO QUE CONVENCER NINGUÉM DE QUE EU SOU UMA BOA PESSOA E QUE EU VALHO A PENA” , foi a melhor frase q eu escutei nos últimos dez anos. Vou levar pra vida! Obrigada

    • Keylla

      Concordo que reatar namoro é um tanto furada. Penso no seguinte mantra quando termino um relacionamento: “aquilo foi o velório, ninguém vai ao velório duas vezes!”

    • Raíssa, adorei o seu sistema de metas para se desvincilhar das tentações pós-termino. Obrigada também pelas palavras que a Ana bem apontou, perfeitas! Vou olhar o canal que indicou. Beijão!

  8. Tatiana

    acho que as pessoas se cobram muito em relação a isso; querem superar, querem estar bem logo, querem começar outro relacionamento o quanto antes. como já disseram nos comentários – e também você, Thais, de uma outra forma -, é importante vivenciar todo o processo. p’ra mim funcionou, ao menos. depois do fim do meu ex-namoro, lembro de um dia em específico no qual realmente acreditei que morreria de tanta dor (era físico, uma coisa que nunca tinha vivido), e hoje, quatro anos depois, tenho certeza de que tinha que ter sido assim. era parte das etapas que eu precisava viver p’ra me recuperar e voltar a olhar p’ra mim com respeito e carinho.
    depois de tanto tempo e com toda a lama superada há muito, também sinto falta de um namoradinho. mas a verdade é que eu jamais aceitarei de novo menos do que mereço, e esse aprendizado valeu e vale mais do que qualquer outra coisa. <3

    • Com certeza, Tatiana! Você tem razão. Viver o luto – sem culpa, só bato nessa tecla – é importante também, faz parte do processo, nos deixa mais fortes! <3

    • Nancy

      Parabéns por suas frases, eu ainda vivo um luto, mas com ajuda profissional, hoje sei que não devo convencer ninguém que sou boa. Isso de ir duas vezes a um mesmo funeral, é o pior que se pode fazer. Também aprendi na dor que jamais aceitarei menos dou que eu valho e mereço.
      Ainda dói, mas cada acordar é um mar de possibilidades…a vida é bela, não podemos esquecer porque um dia miramos mal,
      Vamos viver cada sol e nos permitir senti-lo na nossa pele!
      Abraços…

  9. Keylla

    Oi, Thaís

    Cada vez gosto mais desses posts reflexivos e que deixam o consumo um pouco de lado. Pode fazer mais vezes! Aprovada!
    Eu terminei todos os relacionamentos que tive, nunca tomei o pé, mas foi sofrido igualmente. Até nos darmos conta que o apego não é amor e que, às vezes, estamos num relacionamento por pura zona de conforto é um passo doloroso até o término.
    Fiquei anos sozinha até conhecer meu atual marido. Que não tem nada de perfeito, mas tem os VALORES que eu sempre quis daquele que seguisse comigo.
    Acho que um bom caminho para superar o fim do relacionamento é ter GRATIDÃO por aquela pessoa que nos envolvemos. Sim, gratidão. Mesmo por que tenha ficado machucada, tenho certeza que algum aprendizado essa pessoa te proporcionou. Alguma evolução pessoal ela te causou. E segundo, reconhecer que estão em fases (de vida) diferentes. E isso torna tudo mais leve.
    Vejo pelas minhas decisões. Sempre quando terminei foi um por um motivo MEU, não posso jogar no outro a responsabilidade da minha felicidade. E quando nos damos essa permissão de deixar o outro ser feliz para sermos felizes tudo fica mais leve.
    Essa é a minha visão para relacionamentos. Acho que quando menos nos cobrarmos e não cobrarmos os outros damos as chance de SER! E ser com liberdade é maravilhoso!

    Beijos, sua linda!

    • Viviane

      Sábias palavras… concordo plenamente

    • Lindo, Keylla, LINDO. Esse lance da gratidão foi sensacional. Porque, na verdade, a vida é mesmo feita de encontros, e todos eles mudam a gente de alguma forma. <3

  10. Karla

    Lindo texto, Thais!! Quando nos amamos, conhecemos nossos mais profundos desejos e nos colocamos em primeiro lugar em nossas vidas, pode ter ctza que o resto flui. E como eu sempre digo: até um pé na bunda nos empurra pra frente. Fui casada 4 anos e posso te dizer que foi o melhor pé na bunda que levei!!! hahahaaha!!! No começo achei que realmente não ia dar conta (da vida, do $$, do recomeço). Mas esses dias, fazendo uma auto análise, lembrei daquele começo… Caraca, quanta coisa boa aconteceu e sim, dei conta de tudo e mais um pouco!!!! Boa sorte para vc e todas que estão “recomeçando!!! 😉

    • Perfeito, Karla! Reconhecemos nossas pequenas vitórias depois que o tempo passa, com toda certeza. Obrigada!

  11. Keylla

    Oi, Thaís
    Cada vez gosto mais desses posts reflexivos e que deixam o consumo um pouco de lado. Pode fazer mais vezes! Aprovada!
    Eu terminei todos os relacionamentos que tive, nunca tomei o pé, mas foi sofrido igualmente. Até darmos conta que o apego não é amor e que, às vezes, estamos num relacionamento por pura zona de conforto é um passo doloroso até o término.
    Fiquei anos sozinha até conhecer meu atual marido. Que não tem nada de perfeição, mas tem os VALORES que eu sempre quis daquele que seguisse comigo.
    Acho que um bom caminho para superar o fim do relacionamento é ter GRATIDÃO por aquela pessoa que nos envolvemos. Sim, gratidão. Mesmo que tenha saído machucada, tenho certeza que algum aprendizado essa pessoa te proporcionou. Alguma evolução pessoal ela te causou. E segundo, reconhecer que estão em fases (de vida) diferentes. E isso torna tudo mais leve.
    Vejo pelas minhas decisões. Sempre quando terminei foi um por um motivo MEU, não posso jogar no outro a responsabilidade da minha felicidade. E quando nos damos essa permissão de deixar o outro ser feliz para sermos felizes tudo fica mais leve.
    Essa é a minha visão para relacionamentos. Acho que quando menos nos cobramos e não cobramos os outros damos as chance de SER! E ser com liberdade é maravilhoso!

    Beijos, sua linda 🙂

  12. Tarcila

    Só quero te dizer muito obrigada por este post.
    Minha psicóloga disse que passamos por uma fase de luto pois a pessoa não está mais presente e também tem as relações familiares envolvidas, os pais dele que você gostava, cunhada, sobrinhos, primos, tios…eles também “morrem”.
    O bom é que isso vai passar e passa, infelizmente não é do dia pra noite mas passa.
    Beijos

    • É verdade, Tarcila! A minha também dizia exatamente isso. O bom é que, apesar da dor, sabemos que sim, tudo passa! <3

  13. Myrian

    Término de relacionamento é doloroso e complicado. O lado bom é que a gente é obrigado a parar e olhar para dentro, refletir sobre as nossas atitudes, expectativas talvez demasiado exageradas para com outro ser humano. Aí a gente é obrigado a crescer, a encarar de frente os nossos erros, principalmente o nosso descaso para com os nossos sentimentos para poder agradar o outro.
    Acredito que quando finda um relacionamento é porque um dos dois não está inteiro na relação, ou não está sendo verdadeiro consigo mesmo.
    O importante é fazer essa reflexão e continuar aberto para o amor.

  14. Amanda

    O pensamento que me ajudava a superar era : o que é meu tá guardado !

    Era quase um mantra e deixou tudo mais leve de aceitar!

    • Com certeza! E já emendo com Lua de Cristal porque sou dessas: TUDO O QUE TIVER QUE SER SERÁÁÁÁÁÁ <3

  15. Mel

    Thais, amei seu texto!! Nem precisa mais falar de make, pode continuar como psicóloga mesmo q tá ótimo!! Kkkkkkkkk
    Como todo mundo, já dei e levei um pézão… Achei q fosse morrer de depressão, mas passou… Demorou, mas um dia passou… Preferi não ir atrás pq claramente não ia adiantar, apenas dei tempo ao tempo e me apeguei nos amigos, que me ajudaram muito, com os papos e as risadas…
    Faça sempre posts assim, as leitoras agradecem!! Bjão

  16. O tempo sempre salva, né… depois de relacionamentos longos a gente meio que desaprende a viver sozinha. Eu tive dois relacionamentos bem longos e fiquei solteira entre eles só alguns meses, então estou numa fase maravilhosa de aprender a ficar sozinha e curtir muito as amigas. O importante é curtir essa fase também, não achar que ficar solteira é só um limbo entre dois relacionamentos, mas é também um momento maravilhoso da nossa vida.
    http://www.issoaquiloetal.wordpress.com

    • Verdade, Julia! Tem muitos pontos positivos também! Eu adoro minha liberdade, estar com as pessoas que amo, me permitir conhecer gente nova…

  17. Maithê Marques

    Bah, esse post não poderia vir em melhor hora.. vou resumir minha história: tive um relacionamento por um ano e meio. Nos víamos quase todo dia, viajei pra conhecer a sogra, ele ia direto na casa dos meus pais. Porém, nunca me pediu em namoro, nunca postamos foto (não que isso seja fundamental, mas quem não gosta de mostrar pro mundo um pouco de felicidade do lado de quem ama, né?). Enfim, eu era feliz mesmo que não rotulássemos nossa relação. Porém, em setembro/2015 brigamos por algo muito bobo e até fevereiro/2016 não terminamos, nem continuamos.. ficamos mais enrolados que nunca. E isso me desgastou, me magoou, me machucou. Decidimos terminar tudo que tínhamos, porém não conseguimos nos afastar. Eu mudei de cidade pra tomar distância, mas nos falávamos todo dia. Eu já estava numa mistura de sentimentos. Tinha ele no meu dia a dia, mas não tinha a presença, o carinho, a companhia. Em todo esse período de “término sem término” eu não conheci ninguém, não saí com ninguém. Porém isso mudou final de semana passado. Reencontrei ao acaso um antigo conhecido e estamos nos aproximando e isso está me fazendo um bem enorme. Tive força e coragem de falar pro ex que queria distância definitiva porque ter contato com ele não me fazia bem.
    Em resumo… o novo menino está demonstrando muito interesse, fazendo de tudo pra me agradar. Tô me sentindo leve, feliz, tendo interesse nos outros e me amando mais… Como há meses não me sentia.
    Então é isso, gurias. Não deixem que alguém, por mais especial que tenha sido, trave a vida de vocês, impeça (mesmo que indiretamente) vocês de serem felizes. Se não foi com ele, com certeza tem alguém nesse mundão pronto pra colocar um sorriso no rosto de vocês e aquecer teu coração.
    Um beijo!

    • Caramba, Maithê! Que história! A gente nunca sabe, mas vai que tudo isso (incluindo o fato de ter se mudado de cidade) te levou a conhecer essa pessoa nova? Não dá para negar a mágica da vida, né? <3

  18. Maithê Marques

    E não esqueçam: NADA DÓI PRA SEMPRE!

    • Bianca Santos

      Nossa Maithê, li seu comentário e juro por Deus, me assustei pq parece minha história. Em cada detalhe, a diferença é que eu só pus o ponto final antes de ontem e ainda dói muito. Apesar de ter partido de mim essa decisão, ouvi coisas que me doeram muito e não esperava depois de todo o tempo. Pior de tudo, trabalho com ele e ainda vou ter q ver todos os dias. Enfim, infelizmente não foi a primeira decepção, mas e pegou de surpresa tudo isso. Obrigada pelas palavras. Peço a Deus que eu tenha a mesma força e vença como vc e muitas outras meninas que vejo aqui.

    • Maithê Marques

      Oi Bianca! Pode ter certeza que entendo bem teu sentimento… mas abre teu coração pro mundo que o mundo te retribui. Depois de muitos meses achando que ele era o cara, “o único”, eu vi que passei meses me iludindo sozinha. Então vai ser feliz, guria! Não é fácil, nem um pouco.. mas a gente é forte, a gente supera!! Beijo grande e força!

    • Bianca, agora, mais do que nunca, você vai precisar ser forte. E acreditar também que a mudança veio pra melhor. Não vai ser fácil, mas eu tenho certeza de que você está bem amparada. Um abraço apertado!

  19. Natália

    Querida Thais e leitoras, olá!

    Primeiro, devo dizer que sinto uma enorme empatia pelo blog de vocês, aliás, há muito se tornou meu blog preferido. Apesar de o tema central ser destinado à beleza e moda, adoro a diversidade que o blog adere a outros temas de forma sutil, e como vocês expões que cada post deve ser dedicado para as pessoas se sentirem melhor consigo mesma e não se ater a um padrão imposto pela sociedade. Além do mais, me identifico muito pelo fato de vocês serem blogueiras mais velhas (dessas que não estão saindo da adolescência), mas ainda cultivarem um espírito jovial.

    Apesar de não ser o tema central do blog, como você expos, eu gosto muito das reflexões que vocês postam. As da Sabrina realmente me emocionaram. Mas hoje estou aqui com o intuito de complementar o seu post, e, quem sabe, mostrar para essas meninas mulheres que fim de relacionamento apenas se trata de mais um obstáculo para alcançar objetivos melhores.
    Então, segue aqui a minha história, e quem sabe, possa ajudar alguém, de alguma forma. Eu namorei cinco anos, e terminei meu relacionamento, pois descobri que estava sendo traída. Sabe, eu sempre fui o tipo de mulher muita segura, alegre, “de atitude”, mas esse namoro me consumiu aos poucos. Cada ano que passava eu me sentia mais insegura, mais retraída e mais infeliz. Eu mudei completamente, para pior. Os primeiros anos foram ótimos, mas os últimos foram horríveis. E eu não sei explicar porque eu nunca conseguia terminar, acho que eu tinha medo do término, mesmo sentindo que não o amava mais. Até que a traição veio para fazer o bem, e eu terminei. Ninguém acreditava que aquilo tinha acontecido comigo, nem eu mesma. Até que após um mês de reflexões e tristeza eu decidi voltar a ser quem eu era, e ainda melhor! Retomei todas as minhas amizades, fiz novas amizades, voltei a sair, voltei a ler muito, estou com viagens planejadas e até compradas por esse mundo, estudando mais, e com muito mais maturidade e sabedoria.

    O que eu quero dizer é que esses relacionamentos que não dão certo são cruciais para nos fazer amadurecer, até porque nós aprendemos com os erros e não com os acertos. Com o termino do meu, eu aprendi a desapegar imediatamente quando eu vejo que aquela pessoa não me faz bem, aprendi que ninguém é metade de ninguém, que nos somos inteiras, e que o/a companheiro(a) está ali para nos adicionar coisas e não para preencher, aprendi que não devemos abandonar quem somos ou os nossos sonhos, porque eles são a essência do nosso ser, e deixar isso de lado é deixar de ser você mesma. Sabe, quando eu vejo alguma amiga sofrendo por alguém eu questiono: “por que você não larga a mão dessa pessoa? Sabe, tem tanta gente no mundo inteiro. Se for para sofrer que seja então com uma pessoa diferente”. Sabe, o problema não está em sofrer com fim de relacionamentos, mas está em insistir nesse sofrimento ao permanecer em algo que não lhe faz bem. Às vezes segurar machuca mais que deixar ir. E por fim, não tenham medo de sofrer, porque isso significa que você está vivendo. Se apaixone, e termine se não der certo, e se apaixone de novo. Pior são essas pessoas que não vivem, pois têm medo do sofrimento. Para finalizar sempre pregue o bem, e aja com respeito e amor, porque se tem uma coisa em que eu acredito é na lei do universo: tudo que vai, volta. Se você for uma boa pessoa, vai colher coisas boas, disso eu tenho certeza. Pode demorar, mais vai! Meninas, fim de relacionamento é só uma fase que quando passar vai ter te transformado para muito melhor, acredite! Vai estar mais madura, mais confiante. Devo dizer que no meu caso o que aconteceu foi “maravilhoso”, pois me transformou infinitamente para melhor.

    • Danielle

      Natália, suas palavras me tocaram muito, sua história também!
      Hoje já tem três anos que saí de uma relacionamento de quatro anos e meio e posso dizer que aprendi muito com as dores que passei. Não terminei por traição (descobri só depois do fim), mas terminei o relacionamento porque não sabia mais quem eu era, abri mão de mim mesma para fazer todas as vontades dele e tentar de todas as formas manter a relação, o que foi a maior bobagem… Depois do fim procurei uma psicóloga que foi um anjo e me ajudou a reencontrar o meu “eu”!
      Ter olhado pra dentro de mim me fez perceber que não preciso ser o que o outro espera que eu seja, que existiria sim alguém capaz de me amar como eu sou.
      Enfim, me afastei aos poucos do meu ex, porque afinal, mesmo sendo eu quem deu o ponto final, quatro anos não são quatro dias, e nos falamos por um tempo até que me afastei definitivamente. Se você já está seguindo em frente, o afastamento definitivo acelera muuuito o processo!
      Tenho certeza que a dificuldade do fim me ensinou muita coisa, hoje sou muito feliz com meu novo namorado em um relacionamento leve, e me sinto a vontade podendo ser eu mesma e sabendo que sou amada como sou.
      Uma grande dica da minha psicóloga na época, foi escrever meus sentimentos, ler e reler até cansar, até aquilo se tornar banal, e isso ajudou muito.
      Nenhuma dor é para sempre, e acredito que o amor próprio é o principal caminho para superar o fim. Espero que todas consigam superar seus finais e tenham muitos momentos felizes, beijos!

    • Natália e Danielle, que lindo o que vocês escreveram! Dá vontade de colocar num quadro, de emoldurar. Obrigada mesmo por terem a generosidade de compartilharem suas histórias!

  20. Andre

    Apesar do blog ser direcionado para o público feminino, ultimamente (sobretudo com o aplicativo) tenho gostado muito mesmo do Coisas de Diva hehe. E você Thais, nas suas postagens (sejam elas reflexões como essa ou assuntos mais comuns) me transmite uma generosidade, típica de alguém que faz um trabalho com muita seriedade e também muito carinho. Obrigado por esse post! 🙂

    • Que amor! Poxa, obrigada, mesmo, André. Fico feliz da vida quando meninos comentam por aqui, ainda mais os que têm a sensibilidade de entender a cabeça feminina. Obrigada!

  21. Juliana

    Nossa, adorei o post, Thais! Veio em boa hora, estava precisando ler isso! Por mais que a gente tropece, caia… temos que levantar e continuar a andar. A vida é isso, né?
    Beijo!

  22. Lísiane R. Dornellas

    Que texto maravilhoso! Apenas isso. Obrigado Thais e ao CDD!

  23. Priscila

    Estou nessa situação e fiquei curiosa pelo motivo do termino do seu relacionamento longo, que me identifico!

    • Pois então, viramos irmãos. Transcendemos completamente aquele amor de casal, o sexo, essas coisas. Mas isso não sustenta um relacionamento, né? Foi então que, com muita dor, chegamos à conclusão de que era momento de terminar. Foi difícil, mas importante para os dois. Restou muito carinho e desejo de ver o outro feliz!

  24. Ferreira

    Meu primeiro namoro durou quase 4 anos. E quando acabou, foi aquele sofrimento, e o fato de ter sido a minha primeira experiência em um relacionamento tornou a situação ainda mais delicada. Mas, como vi acontecer com outras mulheres que comentaram, o meu ex também não foi nada bacana comigo. O término foi doloroso. Eu fiquei arrasada, e por um tempo sempre buscava ver fotos dele. Mas aquilo me fazia tão mal que um dia decidi que iria fazer o possível para me distanciar dele e do nosso relacionamento. Excluí ele das redes sociais, da lista de contato do whatsapp… Aconteceu de ele vir puxar assunto comigo várias vezes, como se nada tivesse acontecido. Perguntando como eu estava, mandando músicas que ouvíamos. Mas sem tocar no assunto. Eu tive que ser forte e ignorar, não dar bola e seguir em frente. Foquei na minha vida, na faculdade, nas amizades, na família. Passei a me valorizar, valorizar quem me ama de verdade e comecei a entender melhor os motivos do término e assim vi que no final foi muito melhor pra mim. Pois eu não teria a coragem de ser daquele relacionamento, e foi preciso isso acontecer para eu enxergar!
    Infelizmente essa é uma situação delicada que a maioria das pessoas tem que passar, mas o meu conselho é: passa. A dor passa, com o tempo, pode demorar, mas passa. Se foi melhor assim, só o tempo irá dizer. Mas como a Thaís disse, tire esse tempo pra você, pra se conhecer, valorizar o que você tem! E só assim você poderá se sentir pronta para seguir em frente, talvez com um novo amor, que realmente te valorize.

    • Ferreira

      coragem de sair **

    • Perfeito! Você foi forte – e esse sentimento de vitória ninguém é capaz de tirar de você. <3

  25. Caramba!!!!
    Adorei demais (aliás curto muito esses posts que fazem a gente parar e refletir um pouco).
    Tb tive relacionamentos longos (um de 7 anos e um de 5 anos) e hoje até sou grata por tudo que aprendi…

    O meu primeiro namoro terminou depois de 2 anos (levei um pé na bunda, que doeu demais..) depois de alguns dias a gente voltou e até o fim ficamos nesse acaba, volta, acaba, volta..
    Tanto que acabou terminando porque não existia mais sentimento.. a gente parecia dois estranhos…

    O meu último relacionamento durou 5 anos.. e agora estando de fora, vejo que foi um relacionamento que não fez bem.. que só sugou minhas energias e me afastou das pessoas que mais amo…
    sei que há tb minha parcela de culpa por desistir assim da minha vida e me anular pra acompanhar o então namorado… e lembro até hj que quando terminamos, foi como se uma tonelada saísse das minhas costas..
    Ambos são pessoas legais (não tem nada a ver com namorado.. isso não deu certo pra mim), mas são pessoas que merecem ser felizes, assim como eu.

    Acho que a gente supera o relacionamento, porque o mundo não pode parar pra gente curar nossas dores..
    Quer curtir um luto? Acho válido!!
    Quer meter o pé na jaca e chorar??? Borá lá!!

    O que a gente não pode abrir mão é de aprender com nossos erros e mais do que tudo, sabermos o que não queremos pra gente….

    A felicidade existe sim… e mais do que em relacionamentos, ela está dentro de nós… e não devemos esperar que uma outra pessoa nos proporcione isso..

    Uma coisa que eu acredito é que a gente tem que ser feliz com a gente mesmo.. amar demais a gente mesmo…
    quando encontramos alguém pra caminhar junto, é quando a gente se transborda..
    Ri e curte todos os momentos como se fossem únicos (e na verdade são neah?)

    Nossa que textão…rs
    Mas pra quem tem alguma dúvida de como superar, só digo uma coisa:
    Bota um sorriso lindo nessa cara e bora ser feliz!
    Vc com vc!!!

    O que vem é consequência!!!!

    • “quando encontramos alguém pra caminhar junto, é quando a gente se transborda..”

      Que linda essa frase! E Mi, eu sei um tiquinho da sua história. Fico imensamente feliz em te ver feliz hoje em dia!

  26. Carolina Grunewald

    Thais,

    Nunca comento aqui no blog (apesar de o ler todos os dias religiosamente), mas precisava me manifestar em relaçao ao seu post.

    Em primeiro lugar, parabéns pela iniciativa! E em segundo, queria dizer que um dia li uma coisa muito legal: nós estamos sempre tornando as pessoas melhores. Os nossos ex namorados foram “melhorados” pelas ex’s deles, e nós os melhoramos para as próximas namoradas. É difícil pensar que quem gostamos está sendo um namorado melhor para outra pessoa, mas do mesmo jeito que estamos contribuindo e deixando os nossos pedaços com quem passa por nós, é bom acreditar que em algum lugar do mundo também tem uma mulher acrescentando muito para um homem que um dia pode ser nosso companheiro. E que (in)felizmente vai ser “melhor” do que foi pra ela.

    Então que bom que é viver sabendo que estamos sempre passando por trocas assim!

    Um beijo!

    • Perfeito, Carolina! Sabe que eu também já havia refletido sobre isso? É a mais pura verdade! Inclusive, já escrevi uns versos a respeito uma vez:

      Tudo o que é teu um dia já foi de alguém.

      Tudo o que é teu já foi entregue também.

      Tudo o que é teu, é teu, de mais ninguém.

      Senão não seria eu.

  27. Mara

    Li esse post hoje aqui e esse texto em outro site, e achei legal indicar aqui também pois tem a ver.

    http://mulhersemfrescura.com.br/?p=2548

    PS: adoro o CDD e esses textos mais reflexivos

  28. Lydia

    Obrigada, Thaís e meninas dos comentários! Às vezes a gente precisa ler certas coisas. Hoje eu entendi que não estou sozinha, por mais que me sinta assim. <3

  29. Estela

    Eu também já levei um pé, sofri muito, me culpei muito, ficava pensando até em coisas totalmente banais para ele ter me deixado… Mas sim, passou, me levou pra frente e hj sou tão amada que nem consigo acreditar hehe. Fico pensando que se não fosse esse pé eu nunca teria coragem de gastar o pouco dinheiro que ganho indo a Paris sozinha. E foi assim que eu realizei sonhos e fiquei viciada em viagens.
    Eh acho que temos que aceitar que o sofrimento faz parte e não nos cobrarmos tanto. Pode durar muito ou pouco, mas um dia passa. E não adianta forçar a barra ficando com aquele cara que vc nem quer.
    Para mim, deixar de saber sobre ele e sobre todo mundo que tinha contato com ele foi necessário e ajudou muito. Viajar, tocar projetos que a gente sempre quis, mas nunca realiza. Ver seriados (olhei House inteiro com meu primo), aprender coisas novas, exercícios, cursos.
    Toda crise é uma oportunidade, levar um pé também. Acredite, acontece com todo mundo, as vezes não é culpa de nenhum dos dois é foque nas maravilhas que virão!

  30. Mariana Vicconi

    Tomei um fora hoje. Coincidência esse post. rs

    • Aproveita pra ler os comentários também. Talvez sejam a luzinha de que você está precisando! <3

  31. Nandi

    Depois de um término de namoro meio chato, minha mãe me consolou com a seguinte frase: é melhor um fim trágico, do que viver uma tragédia sem fim… sábio né?!
    Infelizmente muitos casais se acomodam e vivem um relacionamento mais ou menos, onde ambos são infelizes, se desrespeitam e o que antes era amor, vira dor!!
    Precisamos ser inteiros, se não, não vale a pena!
    Hoje em dia sou muito otimista e prefiro acreditar que o amanhã será sempre melhor… se o namoro, casamento, rolo acabou, coisa melhor vem por ai!!!

  32. Márcia Daniella

    Obrigada por dividir isso com a gente, Thais. Fui “miss amor platônico ” minha adolescência toda e boa parte da juventude! Amavaaaa desesperadamente, mas não recebia o mesmo amor de volta mesmo quando conseguia namorar os meninos com quem tanto queria me relacionar. Um dia, olhei para o lado e percebi que alguém sentia por mim o mesmo que eu estava sentindo pelas pessoas erradas. Foi assim que comecei a namorar meu atual marido. A pessoa certa pode aparecer a qualquer momento e é um encontro tão bonito.

    • Keylla

      Márcia, querida

      Que vontade de te abraçar! Rsrsrs Estamos juntas, garota! Minha história é tipo, igual a tua hahahahha
      Me senti representada hj aqui!

    • Que amor! E miss amor platônico? TELL ME ABOUT IT. Sempre fui igualzinha, mas já melhorei muito pro meu próprio bem!

  33. Fernanda Gabriela

    Thais adorei sei modo de enxergar as coisas. Acho o cumulo mulheres se acabando, se diminuindo por ex isso ou aquilo. Antes de tudo temos que ficar de olho na nossa auto estima e amor próprio. Nenhum relacionamento substitui isso. Eu fico sempre atenta a isso, mesmo sendo casada e com a mesma pessoa há muito tempo: eu dependo exclusivamente do meu relacionamento para ser feliz? Eu me amo para além disso? Somos felizes em casal, mas relacionamento é uma parceria e não uma muleta.
    Bjs a todas e força nessas perucas!

    • Verdade, Fernanda! E que legal que continua se questionando no bom sentido, sem se deixar levar pela zona de conforto!

  34. lurdes

    Parabéns pelo post Thaís. Vai ajudar muitas leitoras. É comum passar por isso,mas muitos não sabem como lidar. E quando sabemos que outras pessoas também passaram por isso e superaram nos sentimos mais forte,confiante.

    • Tem razão! Nossos problemas são muito semelhantes aos de outras pessoas!

  35. Mariana

    Vou compartilhar uma dica com vocês: praticar a independência. Antes, durante e depois de um relacionamento.

    Muito bom ter companhia pras nossas aventuras, pra ficar em casa fazendo vários nadas, pra todos os momentos. Mas acho que cada pessoa precisa ter sim um pouco de vida fora do relacionamento. Ser exclusivamente dos amigos de vez em quando, ser exclusivamente da família de vez em quando, ser exclusivamente do trabalho de vez em quando, ser exclusivamente do (a) parceiro (a) de vez em quando, ser exclusivamente sua de vez em quando.

    Não ter medo de fazer as coisas sozinha. Não ficar dependendo de ter companhia para comer uma batata frita no fast-food, para comprar um livro e uma roupa no shopping, para ver um filme no cinema…

    Comecem achando alguma atividade solitária e rotineira que dê prazer, como por exemplo ir fazer esportes, ou almoçar sozinha, ver uma série só sua… Um momento no qual VOCÊ e seus pensamentos são o foco.

    JURO PRA VOCÊS, criar esses hábitos ajudam muito a minimizar o tamanho da tristeza de ficar sozinha depois de um pé na bunda.

    • Gostei muito do que colocou aqui, Mariana@ Acho que é até um pouquinho do que comentei lá embaixo… e se você já estiver acostumada a ter essa independência e a próxima pessoa com quem você se relacionar já te conhecer assim, tudo se torna mais fácil…

    • Nossa, disse tudo, Mariana! Precisamos estar sempre em sintonia com nosso eu, independentemente do status amoroso! Perfeitas palavras, dica para a vida!

  36. Ro

    Aconteceu e acontece comigo…

    Saí de um relacionamento há 2 anos, infelizmente amei quem não merecia. O pior de tdu é que mesmo depois de tdu, ainda não esqueci a pessoa. Namoramos durante 2 anos 3 meses.
    Assim q ocorreu o término senti alívio pois eu me dedicava a ele por inteira, fazia todas as vontades e caprichos dele e ele se doava smp pela metade. Tivemos mtos momentos bons junts mas nos momentos ruins só eu lutava pra estabilizar o relacionamento.
    Passado poucos dias do término do nosso namoro ele começou namorar outra pessoa. Neste momento meu mundo desabou. Por tdu ter sido tão recente levando a entender q ele me traía com essa pessoa.
    O tempo foi passando e comecei correr atrás dele p voltarmos. Ele disse q não ia voltar pq ele tinha jurado p ele mesmo q não ia voltar pq eu tinha sido injusta ao terminar c ele.
    O tmpo foi passando e eu sofrendo cada x mais pq smp o amei. Mas tive q seguir minha vida dia após dia sem ele. E infelizmente até hj me pego pensando mt nele 🙁
    Estou lutando evitando lembrar dele mas está difícil.
    Preciso aprender arranca lo de meus pensamentos.

    • Não é fácil mesmo, Ro. Mas poxa, será que esse cara é mesmo merecedor de uma pessoa como você? E tem mais: será que você está mesmo preparada para estar num relacionamento? Digo isso porque se doar completamente ao outro esperando o retorno em igual proporção pode ser tão perigoso… Às vezes a gente precisa parar e olhar mais pra dentro, pras nossas necessidades, os nossos caprichos, sabe? Espero que tenha lido tantas dicas que foram dadas aqui e possa, aos pouquinhos, seguir em frente. Um beijo e um abraço apertado!

  37. Fernanda

    Adorei o texto Thais! Leio o blog todos os dias há anos e nunca comentei. Mas não poderia deixar de passar aqui para dizer que são textos como esse que me fazem ser uma leitora fiel do blog. Reflexões maduras sobre a vida e relacionamentos são o diferencial do CDD, que é muito mais do que simplesmente um blog de beleza com ocasionais dicas de viagem. Você, Sabrina e Marina são mil!
    Sobre o tema do post, como quase todas por aqui eu também já tomei um pé na bunda. Tinha sido um namoro de 4 anos, com planos de casamento e na época doeu muito. Era uma dor emocional e física, sabe? Parecia que não ia passar nunca. Mas passou. Sempre passa. E como já disseram acima, o pé na bunda me empurrou para frente. Aprendi a me amar mais, a gostar (e muito!) da minha própria companhia, retomei antigas amizades, fiz novas amizades, viajei, comecei outra faculdade, dei uma virada na minha vida profissional e, quando isso já não era mais importante ou prioritário, conheci outra pessoa. E essa outra pessoa não me completava. Eu já era completa! Costumo dizer que ele me transborda. Hoje tenho certeza de que só pude construir esse relacionamento sólido porque lá trás a decepção me obrigou a crescer. Minha mãe sempre diz que há males que vem para bem. No meu caso veio.

    • Incrível como o “conhecer outra pessoa” acontece sempre quando a gente menos espera, né?

    • É verdade, Lívia! E Fernanda, que relato legal. Adorei a parte de ele te transbordar… Lindo isso! Parabéns! <3

  38. Gabriela

    Adorei o texto, vc é show!

  39. A questão é que em um relacionamento são duas pessoas (óbvio, eu sei) então não tem como ~culpar~ um lado só.
    Já namorei bastante nessa vida. 6 anos (eu terminei, pq brigávamos demais e aquilo acabava comigo) e depois mais 3 anos (levei um pé na bunda, ele disse que não me amava mais e nem se sentia atraído por mim). Fiquei devastada em ambas as vezes mas na segunda vez meu amadurecimento falou mais alto. Foquei em mim e foi ótimo!
    Meu namoro atual é uma delícia. Ele teve um relacionamento de quase 10 anos com a mesma pessoa antes de me conhecer então tbm passou pelos mesmos perrengues que eu. Acho que dá certo porque não botamos expectativas demais nas costas um do outros e, segundo ele mesmo fala, a gente não se enche o saco rs respeitamos nossa liberdade a duras penas conquistado. Pode ser que não seja pra sempre, pode ser que um dia acabe, mas hoje ele não é meu mundo e meu universo, então eu sei que tudo vai ficar bem se houver um fim. Eu não sou uma metade que precisa ser completada 😉
    Um beijo!

    • Não ser mais a metade que precisa ser completada: é isso, Lívia! Obrigada pelas suas palavras.

  40. Amanda

    Quanta história..chega a ser engraçado ver que mais gente passa pela mesma coisa e mesmo que sejam aconselhadas que está errado, precisam passar por isso e quebram a cara. Estou passando por isso, depois de um relacionamento de 7 anos, um pé na bunda e ele em menos de um mês estar namorando outra pessoa e até uns dias atras mandar mensagens dizendo que estava morrendo de saudade, são coisas que a gente não consegue entender mas a vida segue…está sendo bem difícil e sei que vai demorar pra sarar mas como todas disseram, um relacionamento precisa de duas pessoas que queiram ser felizes juntas. Realmente eu entrei no blog como sempre faço pra ver os posts de beleza e me deparo com este post que direciona a mim, parece que agora tanta coisa faz sentido, que tanta coisa se aplica a mim..engraçado rsrs. Mas com ctz tudo isso ajuda quem está passando por isso. Vlw Thais

    • É preciso ser forte, Amanda, porque tem ex que vou te contar também, avacalha demais com a gente! Desejo somente o melhor pra você!

  41. Jucilene Andrade

    Vi esse post agora e é exatamente isso que eu to passando.Até a semana passada tava numa boa com ele, viajando , fazendo planos pra casar e de repente tudo caiu como um castelinho de areia!Meu namorado me traiu e pra completar a menina com quem ele saiu esta gravida, é uma situação simplesmente desalentadora , to sem chão nesse momento,desesperada com vontade de cavar um buraco e sumir, sete anos de namoro jogados na lata do lixo.A principio ele me pediu perdão, disse que ia mudar, que eu era a mulher da vida dele e perdoei mesmo assim, disse que iria ficar com ele por amor mesmo que ele tivesse filho com essa outra queria casar comigo mesmo assim , depois a criatura começou a passar mal e ele pra não se sentir culpado foi dar assistência a essa menina resultado: me pediu um tempo pois não tinha como me dar atenção com ela gravida , mas creio que esse tempo é o fim mesmo, acho que não vai ter volta, to simplesmente desolada , pagava maior pau pra ele, fazia tudo certo , fui fiel e não o trai em nenhum momento e ele fez essa sujeira comigo.É de cortar o coração!!

    • Poxa, Jucilene, que história. Mas sabe, você precisa acreditar que isso foi, de alguma forma, pra melhor. Eu sei que é um saco ouvir isso quando se está sofrendo pelo outro, mas peço que tente! Você certamente, se o perdoasse e voltasse, conviveria com uma eterna pulga atrás da orelha. Isso não é legal. As pessoas erram, sim, mas eu também acho que a coisa toda de alguma maneira não estava funcionando mais. Pense em você, volte a se conectar. Vai passar. <3

  42. Gabriela R. Salomon

    Belas palavras, Thais. Meu namoro, e único, dura mais de 6 anos, mas claro que a gente passou por momentos ruins :/. Antes disso, já levei vários foras, de meninos que eu gostava muito e me deixava muito para baixo. Mas assim a gente vai aprendendo.

  43. barbara

    Ah, Thais.. se eu pudesse ter lido isso ontem.. ia economizar um montão de lágrimas 🙁
    terminei há um mes e meio, ok. Mas sabe qd bate aquele desespero pra voltar com a pessoa? Eu até estava aceitando conversar com ele pra voltar, só que ONTEM descubro que ele já tem uma namorada nova e que já levou ela até pra tomar vinho (sendo que cmg não tinha dinheiro nem pra jantar no habibs) e apresentou pra família.. e eu fico como? destruída, é claro.
    Então, acho que vou fixar esse post na minha parede, pq JURO. tá doendo tanto mas tanto que dá vontade de morrer. É isso <3

    • Eu imagino, Barbara. Mas olha, se for necessário, pega as partes mais importantes pra você e cola mesmo num lugar visível. As meninas disseram coisas incríveis nos comentários. Minha dica é: fuçar só vai te fazer sofrer mais. Experiência própria da pessoa que vos fala. Às vezes, o que os olhos não veem, o coração não sente. Se for pra ir atrás, vá atrás dessa pessoa que tá perdidinha aí dentro de você! Um beijo, viu? <3

  44. Patrícia Tuneli

    Não vou criar textão, mas como já te disse no chat do Snap; vc tem me dado motivação para seguir em frente.
    Estava bem deprê após o final de um relacionamento e seus snaps, sua vida compartilhada me deram uma nova visão. E esse texto hoje veio justamente a calhar, pois já estava pensando no que fiz de errado para ele ter me dado o pé na bunda.
    #sousuafã

    Beijos

    • Linda! Fico imensamente feliz em poder, de alguma forma, ajudar!

  45. Carolina Ferreira

    Oiii meninas!!!!
    Adoro as makes, as dicas. mas curto muito quando vocês postam outros assuntos, para podermos refletir.
    não serviu só para quem terminou o namoro, serviu para nos valorizar, nos conhecer e lembrar que namoro não é só um, e que se nós não estivermos bem com agnt mesmo, as coisas podem não dar certo!!!
    Acho muito valido que as vezes vocês abordem outros temas! Dividirem suas vivencias…. afinal, nem só de maquiagem vive uma mulher!!! Adoro vocês!!!!

  46. Anônimo

    Bonito ver como as pessoas conseguem superar as adversidades da vida …
    Eu sempre fui aquele tipo de pessoa romântica, que acredita em príncipe encantado e isso só complicou minha já complicada vida.
    Meu primeiro namorado era tudo para mim, mas como eu sempre respeitei minha família ultraconservadora, não viajava, não dormia fora de casa, era o tipo certinha, ele me traiu. Foi uma decepção enorme! Demorei meses para superar. Depois de um tempo, ele se casou com uma pessoa com o mesmo nome que o meu, na data e igreja que dizia que iríamos casar. Essa foi uma parte tão dolorosa, que fiz a loucura de começar a namorar o primeiro cara que apareceu. Esse outro cara, todos diziam não ser uma boa pessoa, mas eu já estava tão desacreditada no amor, que não ligava … Sabe quando tanto faz ? Mas ele se mostrava tão apaixonado e eu acreditei nele. Ficamos noivos e marcamos nosso casamento. Não o amava, mas ele me iludiu tanto se mostrando o verdadeiro príncipe que eu imaginava existir…
    Os meses se passaram e o casamento ficava cada vez mais próximo. Tudo resolvido, tudo escolhido, tudo certo. Só faltava o grande dia chegar. Quando estava faltando 4 meses para o casamento, descubro que tinham duas mulheres grávidas dele. Foi uma decepção muito grande, pois eu realmente acreditava que ele seria um bom marido e companheiro para o resto da vida. Tudo acabou de um segundo para o outro e eu não sabia como seguiria em frente depois de tanta humilhação … Chorei diariamente durante um bom tempo e era criticada por todos, pois eles me avisaram do caráter dele. Ou seja, eu era a errada da história.
    Ainda mais desiludida com a vida, já não esperava mais realizar o meu maior sonho. A vida inteira esperei pelo dia do meu casamento, mas já tinha conformado que seria aquela pessoa que cuidaria dos pais e terminaria a vida sozinha. Eu sei que hoje em dia as mulheres não são assim, mas eu sempre fui, acho que nasci na época errada. Para mim, a felicidade está atrelada a um relacionamento. Na minha cabeça, é impossível ser feliz sozinha! Decidi então, não namorar mais ninguém. Foi uma escolha difícil de tomar, pois abri mão do meu sonho. Foi uma fase difícil da minha vida. Virei aquela pessoa triste.
    Um belo dia, aparece alguém. Não queria mais namorar, então, ficamos amigos. Tudo em nós combinava, ele parecia realmente ter sido feito para mim. Foi inevitável o namoro acontecer.
    Namoramos muito tempo e ele nunca foi o namorado dos meus sonhos, mas eu respeitava e não exigia nada dele. Era um relacionamento muito bom. Com a experiência dos relacionamentos anteriores eu percebi que o que eu sentia antes, pelos outros, não era amor, era uma ilusão. Mas por ele eu daria a minha vida. Ele era tudo para mim. Nosso namoro era um relacionamento muito maduro e pé no chão. Finalmente o meu príncipe tinha me encontrado. Eu rezava e agradecia a Deus toda noite, por ele ter me proporcionado encontrar tudo que eu queria numa única pessoa. Realmente eu era muito abençoada.
    Como nem tudo é do jeito que a gente quer, o meu jeito mais recatado não fazia bem para nós, mas de maneira nenhuma eu daria um desgosto assim para a minha família… Ele terminou comigo por isso, mas menos de 24 horas depois decidimos que a solução seria o casamento. Assim ficaríamos mais unidos e viveríamos a nossa vida numa outra cidade. Marcamos nosso casamento para a data mais próxima possível. Eu sentia amor nos atos dele, e da minha parte, nem preciso dizer que estava nas nuvens, né ! rs. Mal sabia eu que a pior parte da minha vida até agora estaria prestes a acontecer… Faltando uns dias para o nosso casamento, recebo uma foto, dele com outra mulher. Ela me escreveu coisas absurdas, me humilhou muito e eu perdi o chão. Não sabia o que fazer… Não faltava nem uma semana para o casamento, e eu não suportaria passar por tudo aquilo de novo… Conversamos muito. Não foi fácil. Ele me contou tudo o que tinha acontecido. Decidimos não contar nada a ninguém, manter nossos planos e seguir com o casamento. Não sei se foi a melhor escolha. Como fazer agora, depois disso tudo ? Como fingir que estava tudo bem ? Não sei como, tirei forças não sei de onde. O casamento aconteceu como planejado, tudo perfeito. menos eu. Eu já não sabia mais o que pensar, parece que pegaram a minha vida e colocaram num liquidificador. Essa era a sensação. Estava tudo errado, tudo bagunçado e eu não tinha forças nem ânimo de colocar tudo no lugar. Até hoje, meses depois, eu me sinto fora de lugar. Por que quando consegui realizar meu sonho, alguém veio tentar destruir tudo ? Sei que a culpa foi dele também, mas como pode existir alguém tão mal assim ? Ela não me conhecia, para que fazer isso comigo ? São tantas perguntas sem respostas …
    Hoje em dia, ele é o melhor marido do mundo! Cada dia tenta compensar o que sofrimento que me fez passar. Nunca foi bom namorado, mas é o marido do sonho de qualquer pessoa. Nesse nosso começo de casamento tão turbulento, com tantas conversas sérias, não sei como consegui, mas perdoei e confio demais nele. Sei que não faria nada disso comigo novamente. Minha cabeça ainda é uma confusão, não está tudo no lugar, mas posso dizer que sou feliz. tenho um marido incrível, um verdadeiro companheiro. Talvez fosse necessário nós passarmos por isso. Não vejo lado bom nessa história, sofri e ainda sofro demais a cada dia pela decepção que eu tive, mas vou levando, tentando ser boa para ele como ele é para mim. Talvez o medo de perder o fez enxergar que não me dava o valor necessário.
    É isso, pessoal. Espero que ao ler essa história vocês tenham mais esperança de dias melhores. O tempo passa e a vida vai se ajeitando… As vezes as coisas não acontecem como queremos, mas o resultado é igualmente bom. ” Coisas ruins acontecem para trazer coisas melhores ainda”

    • Renata

      Olá, a impressão que dá é de que vc é muito carente. Sinceramente, me desculpe, mas senti pena de vc… Resolvi comentar pq acho que vc pode se resgatar! Talvez vc esteja precisando aprender a ter amor próprio. Muitas vezes, colocamos nas mãos de outras pessoas a nossa vida e felicidade e nos esquecemos de que a vida não é um conto de fadas. Existem momentos, bons e ruins, e não é possível viver o “feliz para sempre”. Para mim, foi essencial entender que eu me basto, posso ser feliz sozinha ou acompanhada, pois não quero ser completada. Acredito que todos somos completos (inteiros) e relacionamento é uma parceria, e não uma projeção no outro. Acho fundamental me valorizar, me aceitar, me entender e não aceitar nada que não seja o que mereço. Por mais que gostemos de alguém, precisamos nos amar em primeiro lugar. Enfim, só queria dizer pra vc se amar sempre e, consequentemente, pensar se isso é td que vc quer e merece mesmo!

    • Anônima

      Li todo o relato. Estou sem palavras… Guria, como vc pode se por tão pra baixo? Achar que tem que sua felicidade está atrelada à alguém ou se auto-rebaixando (“o meu jeito mais recatado não fazia bem para nós”). Tem várias partes do texto que me chocaram, e não foram seu atual ou seus ex que te sacanearam. Eles só fazem com a gente o que permitimos.

    • Poxa, consegui me colocar no seu lugar, enxergar a sua forma de pensar, sentir por você. Mas penso, minha amiga, que você não está de fato respeitando a si própria. Me desculpe ser tão dura ao dizer isso, não quero de forma alguma magoar você! Me parece que o lance todo de casar era mais forte do que o desejo de encontrar, de fato, alguém que te ame e te respeite, sabe? Hoje mesmo no Snapchat disse que prefiro mil vezes encontrar um amor sincero pra vida toda do que casar com toda a pompa e circunstância… O que duraria mais? Aquele dia ou uma vida toda ao lado de alguém? De coração, você precisa pensar. Meu sentimento é de que foi, por uma série de motivos, levada a se casar apenas por se casar. O que te sobra agora? Se ele está sendo um bom marido, fico feliz. Mas tente pensar mais em você, no que gosta, nos seus desejos… Não deixe tudo tão na mão dele. É um conselho de coração mesmo. Um beijo grande!

  47. Carol Laviski

    Oi meninas!!

    O post também foi mto bom pra mim, assim como ler todos esses comentários! É reconfortante saber que não sou a única passando por essa situação e ver as histórias de superação é como uma luz no fim do túnel.
    No meu caso, o namoro já tinha 7 anos, sendo que é o segundo pé que eu levo da mesma pessoa! Além de ser meu primeiro e único namorado. A primeira vez que ele terminou sofri muito e depois de 7 meses sem contato ele reapareceu, eu resolvi perdoar e voltamos. 2 anos após isso tudo, há um mês ele terminou novamente. Não estávamos brigando, a relação pelo menos pra mim parecia indo super bem, a convivência era ótima… por isso está tão difícil de aceitar.
    Me doei muitoooo nesse relacionamento. Hoje já estou com 28 anos, estava com ele desde os 21. Já estou achando que passei da idade, (além de alguns familiares que ficam martelando isso na minha cabeça também),todas as amigas casando, tendo filhos. Por mais que eu não relacione a felicidade ao casemento, a pressão das pessoas chega a incomodar.
    To desolada e completamente perdida! Estou tentando não manter contato, mas ainda não me livrei daquela fuçadinha nas redes sociais! “/
    Não queria me alongar, mas acabei desabafando!
    Desejo o melhor para todas nós! E sempre acreditar!

    • Keylla

      Carol, querida…

      Seu relato me comoveu. Vc está tão nova… cheia de planos e com tanta vida pela frente. Além disso, passou por um relacionamento que trouxe muitas experiências para sua vida. Tenho certeza que está numa fase da vida ótima para escolher parceiros com mais maturidade e maior visão de valores pessoais.
      Será que no fundo a cobrança não e sua tbm e não apenas da sua família? 28 aninhos!! Vc tá na juventude ainda…. tem muito pela frente… Olhe o que tem pela frente e não pelo que deixou pra trás.

      Beijos no coração e muita luz nessa sua nova fase!

    • Estou no mesmo barco que vc!!
      Namorei 11 anos e já tomei 3 pés nas bunda da mesma pessoa…
      Primeiro namorado… difícil de esquecer, ainda mais por estar tanto tempo juntos…
      Muito difícil superar… difícil de enxergar uma luz no fim do túnel… sem contar que fiz 29 anos e passo pelo mesmo problema de sentir que já passei da idade, por ver todo munda casando, tendo filhos, etc…
      🙁

    • Carol e Melina, também já passei pelo sentimento de “vou ficar pra titia”. Mas, querem saber? Cada dia que passa deixo isso mais de lado e aprendo a mostrar para as pessoas que me cobram essas coisas que elas devem me respeitar. Não vou casar por casar, nem ter filhos por ter. Quero relações verdadeiras e significativas para mim! Mas, a mais especial delas, na qual eu venho trabalhando hoje, é a minha comigo mesma! <3

  48. Gabi

    Nossa, acho que todas nós estávamos em sintonia pra que você escrevesse esse post. Levei um pé na bunda no último sábado, estávamos juntos a 2 anos e 7 meses =( e tá sendo muito, mas muito difícil. Nosso namoro era ótimo, mas ele estava confuso e achou melhor assim. Ainda estou na fase que você passou: de ir atrás, chorar horrores e com esperanças de uma volta, mas a cada dia me convenço mais de que isso não vai ser possível e vou me acostumando aos pouquinhos com a ideia. Enfim…o jeito é focar em mim mesma e lembrar que o tempo realmente cura tudo, e ainda nos ensina.

    • Verdade, Gabi! Desejo muita força e luz no seu caminho! <3 Vai passar SIM!

  49. Aaaaah Thais…tu tem que parar com esse negócio de me fazer chorar sabia?!
    É tão bom esses seus textos…nos ajuda a seguir em frente um pouco menos difícil.Não que seja fácil mas é “menos pior”.
    Como já conversamos uma vez, pra mim términos não foram fáceis principalmente por ter que continuar vendo todos os dias e agir com sorriso no rosto mas por dentro estar corroendo de tristeza.Graças a suas palavras eu tô conseguindo viver beeem melhor(depois de uma noite sem dormir e chorando horrores rs) pensar mais na minha felicidade,em me amar independente de outra pessoa.
    Claro a gente sente falta de ter alguém principalmente nesse friozinho bom pra ficar namorando debaixo das cobertas rs. Mas ninguém morre pela falta de homem né não?!
    Aproveitando esse post,quero te agradecer muuuuito pelo que fez e continua fazendo.Não sabe o tamanho da gratidão que tenho e sempre terei por você. Se eu for pra Curi ver meu amigo vou querer te ver e te dar um blaster abração de agradecimento (além de alguns mimos rs).
    Beeeijos,

    • Mas é claro, Ká! Estamos e estaremos juntas! Você sabe o quanto sua história me tocou. Hoje, te desejo toda felicidade que puder, seja sozinha ou acompanhada! Um beijo grande de Curitiba!

  50. Adriane P do Nascimento

    Nossa, que post bem escrito, super verdadeiro…..pra estarmos bem com alguém, primeiro devemos estar bem sozinhos. Bjs

  51. Miriã Andrade

    Lindo seu texto! Também já passei por isso e foi uma fase muito difícil, entrei em depressão e fiquei muito magra, não comia, não tinha vontade de fazer nada…mas a dor foi passando e encontrei meu grande amor, que hoje é meu marido. Hoje fica o amadurecimento, experiência e aprendizado!

  52. Esse post caiu como uma luva!!!
    Acebei de sair de um relacionamento de 11 anos, como todas vcs estão ou já estiveram, estou sofrendo muito!
    A gente se questiona, se culpa, repassada tudo na cabeça entendo entender o que aconteceu, o que poderia ter feito diferente, mas enfim, nada disso resolve o problema…
    Estou tentando focar na questão do tempo… de que ele ameniza a dor… de que só ele é capaz de fazer com nós consigamos nos reerguer!!
    Tudo que eu quero é que esse momento passe logo!!!

    Obrigada a todas que deixaram seus comentários aqui e a Thais por esse texto!!!

    Bjim

  53. Carol Laviski

    Melina e Keylla,

    Obrigada pela força!
    Acredito que boa parte da cobrança com a idade possa ser minha mesmo!
    É uma fase estranha, pensar que já tinha todo um planejamento com uma pessoa depois de tanto tempo e ter que recomeçar do zero quando vc nem sabe por onde começar.
    O negócio é me amar de verdade, sem ficar pensando se as amigas estão casando e tendo filhos e pensar que tudo tem sua hora né! Eu não tenho vontade casar agora e mto menos ter filhos, mas bem no fundo rola aquele medinho de não encontrar alguém que valha a pena e o tempo passar! “/

    De qualquer forma tenho certeza de que nada acontece por acaso, seja o que Deus quiser!!!

    Beijos

  54. Thais

    Terminei um casamento de 7 anos em 2015, apesar de ter terminado eu terminei amando, sabe aquele último grito q vc dá pra outra pessoa “cair na realidade” e cuidar do relacionamento, pois bem, cmg não funcionou, ele escolheu ter sucesso profissional ao invés de manter o q sempre o apoiou até ele atingir o sucesso q hj tem.
    Eu senti isso q mtas meninas relataram, uma tristeza tão profunda q chegou a doer fisicamente, fiquei dias sem comer, nem dormir, confesso q senti vergonha pq sempre achei q isso fosse mímimi de mulher, até acontecer cmg (sou bem cética rs).
    Bom meninas, não vi ng falando sobre isso, mas NÃO TENTEM ser amigas do ex se vc AINDA sentir algo por ele, a tonta aqui fez isso e jogou no lixo 7 meses de tentativas de superação, dps de 7 meses caí nessa do “vamos tentar ser amigos” (estavamos só na amizade msm, nenhum dos dois falou em voltar), durante 4 meses até q foi bem, dps os sentimentos mal resolvidos atrapalharam td e “terminei pela segunda vez”. Não façam igual eu fiz, se não superou não cogite amizade, vc só vai sofrer td de novo, agora cá estou dps de 1 ano de término sofrendo como se tivesse terminado a 1 mês graças a essa burrice rs.
    Sei q tem gente q diz q tem amizade com ex numa boa (digo amizade msm, de mandar msg, de ligar, de dividir problemas e alegrias, não um mero tratamento civilizado de conhecido rs), cmg nunca rolou amizade, mas por experiência própria eu digo, só tentem se vcs tiverem ctz q não sentem mais nada mesmo!
    Bjs

    • Xará do céu, você tem toda razão. Esse lance de ser amiga do ex funciona só depois de muito tempo, de muita coisa a ser resolvida pelos dois. Pelo menos é o que penso! Acho bem legal quando o amor entra nessa transcendência, mas é algo que precisa partir de ambos – do contrário, sempre haverá no fundinho aquela esperança. Mas não se culpe por ter “errado” nisso, você aprendeu! E agora, mais uma vez, está focada na pessoa mais importante do mundo: VOCÊ! <3

  55. Thais

    Ps: assim q terminei de digitar o comentário começou a tocar no YT (estava em uma lista aleatória q não faço ideia de quem criou) uma música q diz assim:

    Não existe saudade mais cortante
    Que a de um grande amor ausente

    Até arrepiei qdo ouvi.

  56. D. Ribeiro

    Não vim contar meu relato de vida e mostrar como superei.Queria mesmo desabafar sobre situação que tenho passado e que me incomoda a ponto de… vir no Blog que tanto admiro e mimimizar para que alguém possa me dar uma luz (já falei com uma pessoa e outra, mas não soube agir ainda) .
    Bom, sempre fui uma pessoa que sofre calada, em todos os âmbitos da vida, tenho MUITA dificuldade em falar o que sinto (idiota, né?) Guardo tudo pra mim, e isso me sufoca a ponto de me deixar sem ar.
    Claro que eu poderia procurar ajuda psicológica, mas aguardo condiçõe$ para isso. Também já sofri com baixa estima, e acredito que melhorei um tiquinho, analisando que meu atual namoro (um ano e meio) me faz refletir que sou uma ótima namorada (até os amigos dele dizem).
    Sou aquele tipo “de boa”, que não reclama de nada, não questiona nada, o deixo livre para ter os momentos dele, não sou aloka ciumenta (mas guardo tudo pra mim) Resumindo, seguimos tranquilos e até hoje NUNCA brigamos.
    Mas alguns meses antes de ele me conhecer, ele teve um rolo com uma menina de outra cidade, por menos de 1 mês e meio, que pelo que soube, terminaram bem mal resolvidos, resultando que até hoje ele busca por ela no Facebook diariamente (mesmo ela tendo o excluído). Eu sei disso pois já vi com meus olhos, várias vezes (fica no histórico de busca, nem foi eu que fucei! ele que deu a rata) mas o que fiz? Nada, pois não sei questionar, nao sei como entrar no assunto (não quero parecer stalker).
    Desde sempre, ele tem uma afixação por trabalhar no mesmo lugar que ela, na outra cidade, tentando então várias entrevistas e contato com a empresa, mas não o contrataram.

    Sei que por mais que eu seja “boa”, penso comigo que ele pensa nela (sempre) e tem uma enorme curiosidade de saber dela (que está solteira). Ele disfarça muito bem, pois me trata bem. Mas dentro de mim, tenho muita raiva.

    Minha situação fora disso não é boa, não tenho a minha vida completa, e tudo está bagunçado nos outros âmbitos, por isso me sinto carente, e com medo de terminar (Nem sei como terminar, pois não sei me expressar. Ridículo, né?).

    O que pensam sobre? Alguém já passou por isso?
    Como reagiriam?
    E no meu lugar?

    Tenho muito amor por todas vocês, e desejo felicidades mil S2
    :*

    • K.

      Oi, D

      Tudo bom? Primeiramente, tenho muito respeito pela sua história. Também já sofri muito por não conseguir me expressar, não exercer a minha personalidade e pela falta de autenticidade. Isso me machucava muito. Sofria, pois tbm era sempre de boa, não pegava no pé, não questionava… Enfim, uma pamonha! Digo isso pq se a pessoa é assim, blza. Mas eu não era. Eu era pamonha mesmo. Queria falar e ser ouvida, queria me expressar, mas tinha medo de perder as relações, de não gostarem de mim. Era muito mais fácil ser amada sendo ” a perfeita” né? Faltava coerência com o meu pensar e o meu agir.
      Até que um dia, num rolo de MESES com alguém que já me conhecia há anos, resolvi desencanar. Estava me doando, doando o meu tempo que é o bem mais precioso por alguém que não estava na mesma fase e energia que eu. Não tinha os mesmos objetivos a dois. O problema não era ele, era eu mesma. Que estava vendo os sinais e não tomava uma atitude.
      Aí eu decidi mudar. “Terminei” o que tínhamos e parti para outra. Resolvi mudar como pessoa e me expressar mais. Pouco tempo depois conheci o meu atual marido e no namoro eu já falava algo se não gostava. Foi difícil para alguém que sempre dependia de aprovação, mas foi libertador. Meu marido é uma pessoa muito autêntica e admirava (admiro!) muito ele por isso. Ele me ajudou a crescer como pessoa.
      O meu ex-rolo quando viu que me “perdeu” veio com tudo, querendo assumir e namorar, mas aí já era tarde… Eu não era a mesma! O amor não espera, tem sede!
      Quem sou eu para dizer o que vc tem que fazer, mas saiba que não está sozinha. No fundo sempre sabemos qual caminho tomar. Tem uma “voz”, a nossa intuição, que nos diz o que é melhor. Às vezes estar na zona do conforto torna tudo mais calmo, sem medo mas nos deixa na inércia. Pode ser doloroso e dar medo, mas viver quem realmente somos é transformador e libertador. Tudo flui nas diversas áreas da vida.
      Boa sorte na sua caminhada e muita luz e paz!

    • D., obrigada por vir compartilhar sua história! E o mesmo pra K., que disse coisas tão legais vividas por experiência própria! <3

      O que eu, Thais, faria, seria conversar com ele de uma vez. Expressar com calma que já estou entendendo tudo e que isso me deixa triste, porque parece que aquele namoro não tem lugar para mim. Desculpe a franqueza, mas eu não conseguiria ver isso e ficar quietinha - respeito absurdamente você, mas acho que tem horas na vida em que é preciso verbalizar.

      Se for essa sua decisão, faça com calma, como sempre teve. Porque, às vezes, quem muito guarda estoura com uma facilidade absurda. Tem que ser num dia bom, numa hora cabível - para sua autoproteção, eu digo! No mais, desejo muito que as coisas deem certo. <3

  57. Tamiris Oliveira

    Muito legal o texto Thaís. Difícil hoje em dia as pessoas falarem abertamente sobre relacionamentos, e principalmente sobre términos. Coisas tão normais na vida de todo mundo, mas ninguém quer se expor nas horas de dificuldades né?
    Estou te acompanhando no snap, sensacional o comentário da Heloísa, não temos mesmo que convencer ninguém que somos uma boa pessoa. Reconheci isso depois de um término. Pois apesar de ter sido eu a terminar o namoro, ao meu ver por covardia do sujeito em o fazer, terminei acreditando que como ele tanto dizia tinha mesmo muita coisa errada comigo e que portanto o problema devia ser esse.
    Então acho que para os finais de namoro o mais importante é isso mesmo: saber enxergar que não tem nada de errado com você e que você não precisa provar isso a ninguém aliás. Se não deu certo dessa vez, haverão outras que darão. 😉

  58. Karina Freitas

    Meus amores, eu estou fazendo tratamento de acupuntura,e na primeira sessão o terapeuta que na verdade acabou virando meu amigo, me fez a seguinte pergunta?
    Karina vc já sofreu uma desilusão amorosa?
    Isso após eu ter dito q não tenho ninguém no momento, respondi , quem não teve?
    Você nunca teve?
    Não foi uma má resposta, ms a realidade é que pessoas passam pela vida da gente, deixam um pouco de si, e acabam levando um pouco de nós …..mtas devem ter ouvido isso já na vida.
    Eu estou com 40 anos, e isso não chega a ser um problema p mim, tipo, a quarentona solteirona….
    Não me sinto assim, a sociedade impõe que devemos, nascer, crescer, estudar, casar e reproduzir, eu já penso que cada pessoa tem uma missão a cumprir,se tiver que ser , poxa que legal!!!
    Se não sigo minha vida , afinal de contas não devemos , nossa felicidade aos outros, e sim a nós mesmos…
    Já tive vários namoros , e alguns destrutivos,daqueles q vc empurra com a barriga por medo de ficar sozinha, de não conhecer outra pessoa .
    Meu maior medo era chegar nessa idade sem ter me casado, etc, etc….Essas coisas q a sociedade impõe , o importante é ser feliz…..o resto é consequência.
    O que cada um de nós tem que viver , vai fazer nossa historia.
    Eu amo o blog, o canal, e acompanho os snaps adoro vcs
    Um super bejo!!!!!

  59. Bárbara

    Obrigada, apenas. Depois de terminar um relacionamento de 5 anos ontem e estar basicamente destruída, senti um conforto. Obrigada.

    • Puxa, fico feliz em ter ajudado de alguma forma. <3

  60. Carol

    Acabei de terminar um relacionamento de 8 anos e seu texto veio a calhar. Espero que dor passe rápido! Obrigada!

  61. Lidiane

    Adorei o texto, Thais! Eu também terminei um relacionamento de um ano e meio há um mês. Eu optei por erguer a cabeça e seguir em frente, mas ainda penso muito no ex, as vezes me sinto culpada outras tenho raiva dele. Pra mim o mais dificil é desvencilhar desses pensamentos. Agora eu queria saber de voce, como lidar com termino e as redes sociais. Eu nao o deletei do facebook nem do instagram, mas vivo nesse dilema. Foi meu aniversario 15 dias atras e ele nao me deu parabéns, o que me deu mais motivo pra deleta-lo. Mas as vezes acho que se eu deletar vou inflar mais o ego dele. Obrigada. Bjs

    • Por experiência própria, o melhor é você não tê-lo mais nas redes sociais. A tentação de fuçar e assumir coisas que nem sempre são verdade é grande! Um dia, quando as coisas entre vocês estiverem bem resolvidas, até penso que podem ser amigos. Mas agora está tudo muito fresco, sabe?

  62. Anna

    Parabéns pelo texto, Thaís! Confesso que ia passar reto por ele,mas depois que vi você toda emocionada no snap resolvi dar uma chance. Terminei um relacionamento extremamente abusivo e traumático com uma pessoa que me humilhou e machucou (fisicamente,inclusive) de todas as formas possíveis e imagináveis. Ter que ouvir constantemente da pessoa que você ama que você não é bonita o suficiente,magra o suficiente,inteligente suficiente é arrasador. Ser espancada depois de aguentar tudo isso,durante um período de doença séria, é como se ter sua autoestima dinamitada. Nunca mais tive contato depois disso, mas saí desse namoro me sentindo a coisa mais sem valor do universo. É reconfortante saber que não estou sozinha nesses pensamentos!
    P.S: por favor,nunca pare de fazer snaps,você é uma fofa! Me divirto demais!

    • Fofa é você! <3 Que Deus cure qualquer feridinha que possa ter ficado aí nesse coração. Você é forte e é merecedora de muitas coisas boas!

  63. Oi, Thaís!! Meu nome é karine sou nova nesse mundo de blogs e vou dizer que hoje tenho aprendido muito com isso. Acompanho vc e as meninas divas pelo snap e outras midias sociais e tenho visto muito vc relatar os comentários que tem recebido por este post e resolvi ler. Fim de relacionamento não é nada fácil. Tive 3 namorados e o último durou por 8 anos e meio e terminamos à 11 meses. Ainda não superei, ainda o amo demais mas não corro mais atrás, não imploro e nem nada, fico quietinha na minha. Já ouvi ele dizer pra mim que ianda me ama muito e pra não esquece-lo e nem tirá-lo do coração mas q voltar agora, nesse momento não é o melhor. E, que na hora certa Deus nos unirá de novo. Nesse tempo de relacionamento terminamos uma vez por 1 ano e depois reatamos e foi melhor que nunca depois. Mas, passamos por momentos muito difíceis, como 2 abortos espontâneos e outros obstáculos que a vida colocou no nosso caminho. Muitas vezes, depois do termino, pensei que não conseguiria mais seguir em frente, que não saberia como recomeçar, mas a vida nos obriga a isso, querendo a gente ou não.Choro até hoje, sinto muita saudade e é uma saudade tão grande que dói o coração, mas resolvi entregar nas mãos de Deus e pedir para que seja feito o melhor. Mas, esses 11 meses me fizeram mudar, voltei a pensar em mim, a me amar novamente (só uma mulher q sofreu abortos sabe o quanto é doloroso), a enxergar a vida de outra forma, voltei a me olhar no espelho e me amar mais e ver que eu preciso estar feliz comigo para estar feliz com alguém. E tem mais, nesse meio tempo também fui demitida do emprego de onde estava por quase 8 anos. Ou seja, mais uma porrada da vida e mais uma vez parei e pensei: “peraí, alguma coisa Deus quer que eu aprenda ou mude” e assim sigo meus dias. Lutando por um emprego, buscando cada vez mais a mim e até criei um blog em parceria com uma amiga (www.pitacodelas.com.br), inspirada por vcs, de verdade!! Sinto muita solidão às vezes e não consegui me envolver com ninguém ainda e nem a me interessar por alguém e torço pra que um dia meu coração seja preenchido de novo, pq já estou com 37 anos e acredito no amor.

    • Karine, sua linda! Jamais deixe de acreditar nele. Sinto muito por tudo o que passou, tenho certeza de que não foi nada fácil. Mas continue tendo fé porque a vida é cheia de surpresas… E aquilo que sai do nosso caminho é porque vai abrir espaço pra um montão de coisas novas! Procure se conhecer mais e ficar bem. Um beijo grande!

  64. Zuleide

    Nossa, perfeito pro momento que estou passando. Meu namoro de 2 anos e 8 meses acabou há dois dias e tô nesse momento de ficar remoendo, querendo saber onde errei. Mas apesar disso tudo, também consigo enxergar que já não havia futuro, mas isso não diminui o sofrimento, pois quando estamos com alguém e achamos que essa pessoa era a certa, fazemos planos e ver eles frustados dói muito.
    Mas estou tentando superar, sei que a estrada pode ser longa, mas é como ele me disse em nossa ultima conversa, vida que segue. Nunca doeu tanto uma palavra como essa doeu, mas no final ele teve razão.

  65. Irmã

    Oi, meninas!
    Há dias não passava por aqui e hoje, fuçando, achei essa postagem. Estou passando por essa situação e, de alguma forma, foi reconfortante ler isso e os comentários.

    Para mim, foram 5 anos e 8 meses de namoro, primeiro e único namorado. A princípio ele parecia mais envolvido do que eu (naquele momento estava em uma tempestade de novidades que sempre sonhei em minha carreira). Vivíamos bem, trabalhávamos juntos e esse convívio era gostoso. Com 1 ano veio o pedido de noivado e, surpreendentemente um desespero, pois mesmo sem saber explicar o exato motivo, eu sabia que não queria. Foi horrível procurar as melhores palavras para recusar a proposta, mas, consegui fazê-lo entender que embora “ficasse muito feliz” com a intenção dele, naquele momento não me via fazendo aquilo e que o anel no dedo não era tão importante para mim nem mudaria meus sentimentos.
    O tempo foi passando e fui vivenciando atitudes dele cada vez mais decepcionantes. O cara tem 30 anos é extremamente dependente da mãe, super mimado, não se mexe por um bom emprego, joga vídeo game e assiste filmes o dia inteiro e eu, por ser justamente o oposto me incomodava muito com isso. Terminei minha graduação, fiz pós, mestrado, passei num concurso público, iniciei 2 doutorados e iniciei uma nova graduação, tudo isso ao mesmo tempo de trabalhar em 3 lugares diferentes. Numa discussão, onde eu o sugeri se comprometer mais com a vida, ouvi que “eu era a foda e ele um merda”. Fui professora de ensino superior, homenageada por minhas turmas e, nas cerimônias de minhas homenagens ele sempre estava cansado e não comparecia. O cara nunca esteve comigo em nenhuma vitória minha nem em momentos de apoio…
    Nesses quase 6 anos, por algumas vezes eu tive vontade de terminar, por me sentir vazia, abrindo mão de mim mesma, mas nunca tive coragem. Na verdade, acho que sempre tive mais pena dele do que de mim. Praticamente não fazíamos nada para mim, sempre para ele… cinema? só filmes que ele queria; passeio no shopping? dava mau humor; comida? Só as dele! Mas, ultimamente estava tudo bem, pelo menos a meu ver, inclusive com ele sugerindo viajarmos, enviando mensagens de saudade e de amor; quando, há 20 dias o dito cujo me aparece dizendo que acabou, que não gostava mais de mim!
    Tudo bem que eu sempre ouvi de todos ao meu redor que “ele não era para mim”, não me acompanhava e tal e, no fundo tenho mesmo essa sensação, percebo que me perdi nesse relacionamento, abri mão de muitas coisas e nunca tive recíproca. Sei também que não devemos criar expectativas sobre os outros, mas… No momento me sinto leve e ao mesmo tempo carregando uma estranha angústia… Não sei se me acomodei com a rotina que tínhamos, parece estranho, pois em alguns momentos tenho a impressão de que sinto mais falta da rotina do que da pessoa… sinto falta daquela mensagem no celular em determinada hora, da ligação no fim do dia (que muitas vezes já nem acontecia mais), de dormir junto aos fins de semana. Acho que me restou um estranho apego! rs
    Tenho 28 anos e, assim como alguém disse mais acima, sinto que me doei muito nesse relacionamento. É estranho esse vazio e a pessoa desaparecer totalmente depois de quase 6 anos de relação… me sinto com 6 anos perdidos! Hoje estou “livre” da vontade de stalkeá-lo (tenho vontade mas, não busco informações). Nas últimas fuçadas descobri que no dia seguinte o sujeito estava numa boate (coisa que nunca fez comigo, sempre alegando não gostar e faltar dinheiro) e que com 15 dias do rompimento comigo ele já estava namorando novamente (só a menina sinalizou nas redes sociais, ele não)…

    Desculpem o post gigante, mas, não me contive na oportunidade de desabafar!

    Desejo que possamos sempre nos reinventar, buscando o melhor. E, vamos cuidar de nós, meninas!

    • Que história, gata! Mas não se sinta assim não… Sabe por que? Ao meu ver, você negligenciou suas vontades por um tempo, mas já está ciente disso e não vai fazer as mesmas coisas de novo com outra pessoa! É aprendizado, sempre. E tem outra coisa: quero te elogiar pela determinação em não anular tua vida por completo enquanto esteve com ele. 28 anos e professora universitária com doutorado? Que mulher maravilhosa! <3

  66. Cristiane

    Que coisa, sigo o blog diariamente e li esse post no dia que publicou, eu estava bem e feliz no meu relacionamento, achando que enfim tinha encontrado o cara certo, li pensando: nossa já passei por isso mas ainda bem que passou… E hoje vim aqui reler, pois levei o “pé na bunda” na ultima terça. Estou naquela fase da negação ainda, chorando, ficando sem comer, achando que vai ter volta. Me questionando porque não deu certo… Me sentindo rejeitada… Não foi um namoro longo, e no meu caso isso me deixa ainda pior, pois meus últimos relacionamentos não passaram da marca de 5 meses… Sempre fico com a sensação de que conquisto a pessoa e logo afasto… Foi bom ler o post novamente e ler alguns comentários… Sei que ainda tenho uns dias negros pela frente, mas vai passar.

  67. […] Tem alguém aí passando por aquele luto de fim de relacionamento? Então não percam esse post! […]

  68. Rafael R

    Olá tenho 33 anos, sempre namorei ao longo da minha vida, tive relacionamentos anteriores de anos aqual sempre ficava super bem após o término. Sendo que nesse último a qual durou 3 anos e eu terminei porque sabia que ela não gostava e sentia o mesmo a qual sinto por ela. No início até que fiquei bem, mas hoje após um mês e alguns dias estou me sentindo devastado, o dia e a noite está sendo muito difícil, pedi para sair após o almoço do trabalho pois estava com uma ansiedade e aperto no peito monstruoso. Cheguei em casa e fui direto para o quarto dormi, melhorei um pouco mas a angústia, ansiedade, etc voltaram novamente. Li alguns relatos das leitoras e me identifiquei bastante pelo fato de terem algumas coisas em comum. Chorei bastante agora na parte da noite pra que assim eu tente melhorar um pouco. Bem, espero que isso um dia passe.

  69. Le

    Perfeito esse texto! Estava procurando ajda pela internet para me distrair e tentar ver que isso não aconteceu comigo, li todos os comentários. Também levei o pé na bunda duas vezes da mesma pessoa. O nosso namoro durou 2 anos entre idas e vindas, dessa vez ele terminou comigo pq estávamos brigando demais e ele precisava respirar e eu mesmo lendo o que li, sim ele terminou comigo por whatszap, ainda sim eu insisti, implorei amor, atenção e ele só me ignorando, decidi que daria o espaço que ele queria, me anulando, fiquei triste, chorando enquanto não tinha notícias dele durante essas semanas. Até que ele veio me procurar como se nada tivesse acontecido, pelo whatszap, não veio conversar e nem se quer me ligar ligou, comecei a tomar vergonha na cara e ele veio me acusar, me ofender, colocando toda a culpa em mim, pelo término, por eu não ter procurado ele, por náo ir atrás dele! E passou a se fazer de coitado, mandando foto triste e eu caindo nisso, até que acho foto dele em balada, sorrindo e feliz. Errei em ir atrás e achar aquela foto um absurdo e com isso depois de ler minhas reclamações, me ofendeu e me bloqueou em todas as redes sociais, falando com todas as letras que acabou e eu era maluca. Eu estou naquela fase que não sei o que fazer, perdida, não consigo parar se chorar. Como tantos outros comentários que li, eu também me anulei, larguei todos os meus amigos por ele, vivia em função dele, o que ele pedia eu estava lá pra fazer e eu não tinha metade desse amor. Tô sem chão, mas acredito que isso vá passar e que Deus e o futuro tenha algo maravilhoso pra mim.

  70. Maria

    Por que é tão difícil superar o fim de um relacionamento? Vivi 7 anos de equívoco..pq para ele não significou nada..estou muito mal, o tempo todo lembrando, quando começo a ficar bem..a lembrança volta e tudo desmorona novamente.

  71. Maria

    Gente, estou passando por uma dor muito forte, realmente é como dor física, pior ainda por não ter um remédio para aliviar. Foram 7 anos amando demais, ele terminou comigo em dezembro e não consegui superar, já está com outra e mesmo assim andou me procurando, falando que me ama e depois no outro dia já falava que só queria saber como estou, isso só está fazendo com que a ferida aumente mais, estou sem chão, me distraio um pouco e depois já estou desesperada chorando. Não como direito, não durmo nada bem. Sofro de gastrite nervosa e essa de o tempo resolver tudo, acaba comigo pq tudo q passo de ruim meu estômago reclama. Peço a Deus todos os dias pra esquecer, mais tudo q faço é pensar, lembrar e até sonhar com ele. Estou desesperada.