Coisas de Diva Coisas de Diva Coisas de Diva

Minha experiência e tudo que você queria saber sobre adoção de cães

Lola

Acho que todo mundo já conhece a Lola, minha pastora e único cão da casa que foi comprado. Assim como a Nina, que foi adotada numa feirinha de de cachorrinhos e a Lady, que foi adotada através do Tomba Latas.  Lola e Nina já estão comigo faz 10 anos, Lady chegou faz 2 anos e agora temos mais uma novidade. Se prepara que o post é longo mas é de coração.

Minha experiência e tudo que você queria saber sobre adoção de cães

Sim, o Zé ficou! O começo desta história foi contado neste post, mas resumindo, num dia de chuva o pequeno apareceu na frente de casa, abri o portão para ele ficar no quentinho e desde então ele continua aqui. Como as outras meninas não estavam aceitando ele e o pau quebrava toda vez que tentava juntá-los, passei um tempão procurando um novo lar para ele. Infelizmente percebi como é difícil encontrar alguém que queira um cachorrinho, ainda mais difícil por ele não ter uma raça definida. Me partia o coração ver filhotinhos de raça passando pelo pet shop enquanto os SRD iam e vinham das feirinhas.

Minha experiência e tudo que você queria saber sobre adoção de cães

Nina

Então meu post de hoje é para contar minha experiência com adoção de cães sem raça definida e também para informar o máximo possível sobre o processo de adoção.

Mas antes de tudo, fica o agradecimento aos meus pais que me amam o suficiente para aguentar 4 malucos fazendo bagunça e sujando a casa toda. <3

Começando do começo, Lola foi comprada quando me mudei para essa casa, queríamos um cão grande e que impusesse respeito na proteção do lar. Pensamos que ter um Pastor Alemão seria uma boa forma de nos proteger. Logo em seguida veio a Nina. Fui comprar ração e tinha uma feirinha de adoção no Pet Shop. Ela me olhou, eu olhei pra ela e fim. Ela veio pra casa. A Nina tinha por volta de um ano quando adotei ela, então ela já havia crescido tudo que tinha que crescer e também já tinha sua personalidade definida: quietinha, boazinha, amorosa e alegre.

Minha experiência e tudo que você queria saber sobre adoção de cães

Lady

Depois de 9 anos, resolvi que queria mais um cachorro. Sendo assim, procurei o pessoal do Tomba Latas e dei uma olhada nas fotos que eles divulgam nas redes sociais. Procurei por um cãozinho pequeno e que fosse alegre para brincadeiras. Vi a Lady numa foto e achei ela uma figura, pedi para conhecer a maluca e fim. Ela ficou. Lady é alegre, bagunceira, meio medrosa e muito amorosa. No primeiro ano ela era bem maluca, quem acompanhou a gente nas redes sociais viu ela destruir todas as caminhas, pantufas e brinquedos que aparecia na frente. Mas agora, com dois anos ela está bem mais calma, ainda brincalhona, mas sem a dose extra de energia dos filhotes.

Uma coisa importante de dizer sobre ter vários cães é que um é sempre dominante, faz parte da consciência de matilha deles. A líder aqui em casa é a Lola – depois de mim RISOS, ela manda em tudo e é ela que aceita ou não os outros cães. Foi por isso que demorei tanto tempo para resolver ficar com o Zé indefinidamente. Como ele é filhote, queria brincar e morder as orelhas da Lola, o que acabava mal. Lola é mau humorada e não gosta de folia. Como eu ficava com medo da reação dela, acabava passando minha insegurança para o grupo e a confusão era geral.

Minha experiência e tudo que você queria saber sobre adoção de cães

Passei quase um mês deixando o Zé separado de todos, mas um dia meu irmão chegou aqui, abriu a porta e o bando simplesmente se encontrou na churrasqueira. Estava na cozinha e achei que seria o apocalipse, mas acredito que a energia e segurança do meu irmão ajudou a estabelecer a hierarquia e nada aconteceu. Teve estranhamento e Lola passou dias “pastoreando” o recém chegado, mas nunca avançou nele. Hoje Lady e Zé são melhores amigos e passam o dia rolando pelo quintal, brincando de lutinha e fazendo buraco na grama. Nina se junta a eles em alguns momentos e Lola só observa a bagunça de longe.

Minha experiência e tudo que você queria saber sobre adoção de cães

Lola

Hoje eu olho pra esses quatro cães e não consigo imaginar minha vida sem eles, eles fazem parte da família, sabe? Meu amor por eles é maior do que a aparência, proveniência ou qual raça eles possuem. Por isso, levanto aqui uma bandeira, se você quiser ter um cachorrinho, adote um! Você não vai se arrepender e terá amor incondicional para sempre.

Cada cachorrinho é diferente, cada um tem uma personalidade, gostos específicos e formas de reagir diferente. Se você pensa em ter um cão em casa, siga o conselho de Carla Moraes, uma das pessoas por trás do Tomba Latas, que diz que muitas vezes é melhor adotar um cão adulto, com porte e temperamento já definidos. Segundo ela, é melhor que as as pessoas tenham um cão adequado ao perfil de vida que elas tem. Por exemplo: pessoas que tem a vida mais tranquila dificilmente vão conseguir adequar a rotina a um cão ligado no 220 volts. Ela conta que ao escolher um cão para adotar, devemos considerar não só o tamanho dele, mas o peso e temperamento, principalmente para quem tem espaço restrito. Por isso o mais aconselhado é procurar um cãozinho nas feiras de adoção, conversar com quem está fazendo o lar temporário e ver se a vida juntos é possível. É preciso adotar não só com o coração, mas também com a razão, como a Carla diz. É uma questão de responsabilidade.

Minha experiência e tudo que você queria saber sobre adoção de cães

Nina

Se você quer muito um filhotinho, tenha consciência que é difícil prever o tamanho que ele vai ter depois de adulto. Os cães crescem até os 12 meses mais ou menos e dificilmente conseguimos prever o temperamento que terá depois de adulto. Então lembre que no primeiro ano a loucura vai ser garantida e buracos no jardim e objetos roídos serão parte do dia a dia. O processo de educar um cão é demorado e pede amor, firmeza e paciência.

Também é importante dizer que um cão é uma responsabilidade, além do seu carinho, ele precisará de vacinas, remédio e acompanhamento veterinário de vez em quando. Preveja isso no ser orçamento.

Minha experiência e tudo que você queria saber sobre adoção de cães

Lady com tosa de verão. 🙂

E por fim, se você gosta muito dos bichinhos mas não pode adotar, Carla Moraes dá algumas dicas de como ajudar:

– Compartilhe os posts das Ongs nas redes sociais. Divulgar cães para adoção, eventos e campanhas de adoção é uma ótima forma de ajudar;
– Seja voluntário nos eventos e campanhas;
– faça arrecadação de ração, remédios, roupinhas e coleiras. No caso do Tombazar, também é possível arrecadar e doar produtos novos para o bazar com renda revertida aos cuidados com os animais;
– faça lar temporário para um cachorro ou gato até ele ser adotado;
– faça transporte solidário de doações e de cachorros;
– ajude nas Vakinhas e campanhas para pagar as contas.

Categorias
Compartilhe nas redes sociais
89 Comentários: Nos conte o que tem a dizer
Visualizar Comentários
Nos conte o que tem a dizer

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
O que nossas divas já nos disseram
  1. Marina Torres

    Essa foto da Nina na grama está sensacional! Muito fofonilda<3

    • Mercia Camara

      Sabrina, eu já adorava seus posts no aplicativo Coisas de Diva. E agora, depois deste post sobre adoção, eu a admiro ainda mais, pois sou apaixonada por cães. Tenho um labrador amarelo e meu enteado adotou uma srd que considero minha neta e também amo de paixão. Parabéns pela atitude!

    • Sabrina, adorei sua iniciativa! Amo bichos independente de ter
      uma raça definida ou não. Nós também temos uma Lola, adotamos e amamos.
      Beijo grande

    • Maria de Lourdes Clement

      Adoro quem os adora ! Eu os amo a todos e quero lá saber de rsças, com raça, vira latinhas para mim eles são uns seres maravilhosos e com SENTIMENTOS, SIM !

  2. Roberta Martins

    Oi Sabrina!Tudo bem?
    Adorei o post.Já estava com saudade,principalmente da Lola.
    Bem-vindo,Zé!
    Beijos,
    Roberta.

  3. Lucia

    Adorei uma meninona de 2 anos e não me arrependo nem um pouco, e super recomendo! Não tem todo o stress de um filhote e tem todo o amor de sempre!

  4. Viviane

    Sá, eu tenho um Zé adotado tb!
    Ele estava na porta do prédio da minha mãe, fiquei morrendo de dó, mas fui pra academis. Quando voltei (2h depois), ele estava exatamente do mesmo jeito, deitado e triste, aí eu não resisti: “vem, entra, vou te dar um banho, comida e iremos procurar seu dono”divulguei fotos nas redes sociais e afixando cartazes pelo bairro (ele é um poodle cinza grande), ng nc o procurou e acabei ficando com ele. Já tive 4 cachorros, com ele e com o do meu marido (ganhei de presente de casamento mais um de brinde hehehe)são 6 que já passaram em minha vida. Apenas o Zé foi adotado e é impressionante a gratidão que ele sente por mim, e eu sou apaixonada por ele tb. Ele me olha de um jeito… como se tivesse agradecendo o tempo todo o que fiz por ele. Eu amo demais cachorros! As pessoas deveriam respeitar e aceitar que eles realmente são membros da família. E deviam entender tb que cuidar de bichinhos demanda gasto e atenção, muita gt acha que eles são apenas objetos, é importantíssimo pensar nisso antes de adotar. Enfim, adotar é melhor do que comprar… o amor fica do tamanho do mundo! É muito gostoso! Adorei a iniciativa, PARABÉNS!!

  5. Juliana

    Que história linda! Assim como vc, também sou uma apaixonada pelos seres de 4 patas! Hoje em dia tenho 8 peludos adotados cada um em uma circunstância diferente! Sofro muito com o descaso e abandono sofrido por eles, e meu maior sonho seria um mundo onde os animais fossem amados e despeitados por todos!

  6. Que lindo post, Sa! :’)
    Cheguei a te ver rapidinho numa feira do TL no Valentyna, quando o Zé ainda estava disponível para adoção. Eu tinha ido cuidar da Nina, p’ra quem já fiz lar temporário, e as meninas disseram que ele tinha se apaixonado perdidamente por ela sem ser correspondido. E tinha, o coitadinho chorava e passou a tarde procurando a danada, hahaha. Ele é MUITO querido!
    Fico bem feliz por saber que deu tudo certo com o resto da sua turma maravilhosa. Não conhecemos vocês, mas, depois de ler o blog todos os dias por anos, acabamos ~nos apegando, inclusive aos bichin’.
    Parabéns pela atitude e por dividir experiências tão importantes aqui. Um beijo!

  7. Que história linda! Assim como vc, também sou uma apaixonada pelos seres de 4 patas! Hoje em dia tenho 8 peludos adotados cada um em uma circunstância diferente! Sofro muito com o descaso e abandono sofrido por eles, e meu maior sonho seria um mundo onde os animais fossem amados e respeitados por todos!

  8. Mah

    Como eu sempre digo: amor não se compra.

    “Ah, mas o que seria então dos cães de raça se ninguém comprasse mais?”

    Em primeiro lugar, eles continuarão existindo porque sempre alguém vai comprar.
    Em segundo, se as pessoas não comprassem tão desenfreadamente, não teríamos verdadeiros criadouros de cães.
    A quem possa interessar, favor procurar sobre o tratamento e as condições das matrizes caninas. É escravidão animal!

    Se ainda assim a pessoa quiser muito um cão de raça, eu sugiro que compre de alguém que tenha um casal, ou cruze a fêmea uma vez por ano… coisa normal sabe? Não aquela exploração animal dos criadouros.

    Enfim…
    Não troco meu vira-latas por mil barras de ouro.
    É a alegria de casa. Costumo brincar que, há gastos sim (ainda mais por se tratar de apartamento, então a ração é super premium, pet shop toda semana, brinquedos mil), mas quem garante que esse dinheiro não seria gasto com remédios pra tristeza caso não existisse ele?

    Adotem 🙂

    • Ma SP

      Mah

      Sou super a favor da adoção de animais e não acho que um cão de raça tenha mais valor que um vira-lata, mas falar que amor não se compra já acho um exagero. Ou você acha que os cachorros comprados não amam seus donos e os donos não amam eles de verdade? Pense nisso. Muitas vezes a pessoa não adotou porque queria ter um cachorro com tais características que só encontra em uma raça específica. Você vai condenar a pessoa por isso? Mesmo ela dando muito amor ao animal? Só porque ele foi comprado e não adotado? Digo isso porque comprei uma pastora alemã justamente por isso, queria uma cachorra grande, protetora, obediente e carinhosa, características típicas da raça. Ela é a alegria da casa. Fui no canil antes, super sério. Falando nisso, está cheio de criadores sérios que não judiam dos seus animais.

  9. Thalita Laroca

    É por isso que eu amo esse blog! Amei o post e concordo com tudo que foi dito! Adotar é tudo de bom, a satisfação de dar um lar com amor e muito carinho para um animalzinho é simplesmente incrível e gratificante.
    Parabéns pela atitude Sá!

  10. Monica

    Clap clap clap!!! Linda atitude e lindo post!!! Sempre levanto essa bandeira: adote!!! Não compre!!! E adultos são, sim, a melhor opção pelos motivos que a Sá apresentou. Esse post só comprova que as divas são lindas por fora e por dentro!

  11. Magally Guitzzell

    Sabrina, do fundo do coração … obrigada ! Sou protetora de animais e resgato gatos vítimas de maus tratos e abandono. Vocês – profissionais atuantes na área de transmissão de informações – como blogueiras, são importantíssimas formadoras de opinião nos dias atuais e todo esclarecimento e apoio à linda causa de adoção de animais SRD é super benvindo ! Muito, muito obrigada !

  12. Juliana Zampoli

    Quanto orgulho! Ver um post sobre cães SRD e a importância da adoção em um blog que eu amo e acompanho todos os dias … UAAL!
    Eu sempre apoiei esta causa e tenho cinco amores adotados.
    Obrigada Sá! Usar o blog para levantar essa bandeira linda… só posso mesmo agradecer!

  13. Tereza

    Que lindos.. tenho 9 cachorros lá em casa, todos sem raça definida e encontrados na rua. Amo S2.

  14. Beatriz Aguiar

    Que linda sua atitude, Sa! Eu ganhei uma lhasa do meu namorado, mas meu sonho sempre foi adotar um animalzinho de rua. Procuro ajudá-los sempre, dando carinho e principalmente comida/ração. Na minha cidade tem muitos cachorrinhos de rua, e a ong não está mais dando conta. É dificil 🙁 Muitas vezes não encontramos donos para eles. Mas fazemos nossa parte.

    Por mais pessoas como você <3
    E eu ainda adotarei um quando tiver minha própria casa!

  15. Estela

    Parabéns pelo post e as atitudes! Eu tenho 2 adotadas, são meus amores, quem não tem não faz ideia da importância e da alegria que esses bichinhos nos dão!

  16. Debora

    Meu primeiro tb foi comprado e depois foram adotados – e so comprei o primeiro pq haviam devolvido ele 2x e qdo o cachorro é problemático eles devolvem e muitas vezes são fim no cachorro. Hj eu já não tenho como adotar mais – economicamente falando eu tenho o que posso seguramente manter, mas como o quintal é enorme, dou LT e vale muito a pena ..

  17. Edna Yumi Dias

    Eu apoio 100% a adoção, desde que me entendo por gente convivi com os amiguinhos de quatro patas, a minha primeira “aquisição” foi totalmente sem querer, eu tinha uns 6/7 anos, num domingo de manhã saí com minha mãe para ir à padaria qdo uma senhora nos parou e pediu para fazermos um favor, ela queria que ficássemos com a filhotinha dela pois pegaria um ônibus e não era permitido levar animais, e que no dia seguinte voltaria de carro para buscar a filhote, nunca mais voltou e ela, uma SRD amarelinha, virou minha “irmanzinha” de quatro patas, desde então todos os animaizinhos que passaram por mim foram adotados, hj tenho só uma gatinha pois moro num prédio meio chato, o tio do meu marido tbém é um protetor dos animaizinhos ele tem duas de raça(Golden Retriver e uma Yorkshire) e quatro adotados que foram achados pela rua, fora os que ele cuida por aí, e uma coisa é fato o amor o olhar de agradecimento que eles sentem por nós é algo que não dá para por em palavras, é amor verdadeiro e incondicional, eles nos amam independente da nossa condição, aparência, só querem ser amados, e o que eles nos dão de volta não tem preço. Fico feliz de saber que o Zé, ficou.

    PS: Curiosa com um caso que não lembro se foi vc Sá, ou a Thais, que postou uma foto no Facebook de um cachorrinho de gravatinha que estava perdido na rua, o que deu acharam os donos?

  18. Sacha

    Eu sou doidinha pra adotar um cachorrinho, mas a discussão é sempre a mesma.
    1) morro de dó de deixar o bichinho 24/7 no apartamento
    2) não sei se terei paciência de TODOS os dias descer com ele para passear 2x por dia
    3) não sei se tenho a determinação e paciência de ensinar o pequeno a ir no jornalzinho.
    4) tenho consciência que ainda não podemos bancar financeiramente um animal, pq eles tem um custo mensal e algumas emergências.
    Super sou afim de ser voluntaria nas feiras, ser uma das tias que ajudam eles a achar um lar.

    • Isso Sacha, tem outras formas de ajudar que valem muito a pena!

  19. Cynthia de Souza

    Lindo Sá!!!! Matilha maravilhosa 😉

  20. Márcia Daniella

    Parabéns pela dedicação à causa, Sabrina

  21. Liv

    Chorei aqui.
    Adotar um cachorro é adotar um amigo. Pra sempre.

    Adotei o meu… peguei da rua mesmo. Pequetito, cabia na palma da mão!
    Hoje ele está com 13 anos e é uma fera. Mas apesar do susto, (nunca pensamos em ter um cachorro bravo), conseguimos nos adaptar e aprender a lidar com ele.
    E é só amor. Incondicional.

    Post lindo, Sá!
    E os seus 4… são apaixonantes! Fico encantada cada vez que você posta algo deles! <3
    Beijo grande!

  22. Luciana

    Que bom que o Zé ficou! Eu imaginava que geralmente cachorros do mesmo sexo se estranhavam, segundo as palavras dos meus pais: “ah é macho e é fêmea, pode deixar junto que não briga”.
    Isso aconteceu em casa, uma tia minha ia para outra cidade e deixou a cachorrinha dela na casa da minha mãe e haviam 1 pastor belga macho e 1 poodle fêmea, não deu outra: as fêmeas se estranharam e o macho aceitou de boa a nova amiguinha, no primeiro dia.Deus te abençoe Sabrina!!

    • Acho que isso depende mais do temperamento deles do que do sexo.

  23. Aline

    Que atitude linda Sa!! Tenho 2 cães adotados também e amo demais. Um apareceu aqui na rua de casa e recolhemos, ele é bem viralatinha mesmo hehehe o outro meus pais pegaram no parque enquanto andavam, ele tinha 1 mês e meio e pesava menos de 2 quilos… Provavelmente se perdeu da ninhada que ele nasceu… Estava cheio de vermes e não conseguia comer por causa disso, por isso acho que ele morreria se não pegássemos ele. Hoje ele pesa cerca de 30 quilos e fomos descobrir que ele é um labrador misturado. A sensação de saber que você salvou uma vida é uma coisa maravilhosa, e eles são gratos eternamente pelo que a gente faz por eles. Recomendo muito adotar um cão, eles são maravilhosos!!

  24. Karine Gonçalves

    Parabéns… A presença de um amigo tão leal é algo indescritível. O amor que eles nos passam, é maior e mais verdadeiro do que qualquer outro sentimento.
    Há três anos minha mãe desencarnou e, há dois ganhei o melhor remédio para sair da depressão que estava, o Aiko, meu cachorro…
    Quem ainda não tem, deveria sim experimentar essa sensação de ter um amigo tão verdadeiro.
    Parabéns pelo post e pela consciência.

  25. Juliana Gama

    Amei o post! Adoro cachorro! Tenho uma cachorrinha, mas se tivesse espaço teria mais. Cachorro é amor! Amo, amo, amo..

  26. sylvia

    Esse post está perfeito! Diz tuuudo que precisa ser dito! parabéns!!

  27. Daiany Tonet Witt Julião

    Parabéns Sá, atitude maravilhosa. Que sorte o Zé teve de ter te encontrado. Também amo os animais e, fico muito feliz quando vejo outras pessoas que também amam e respeitam os bichinhos. Beijão.

  28. Elaine

    A gente luta todo dia pra conscientizar as pessoas da adoção mas putz..como é difícil! Elas parecem concordar mas vc vira as costas e lá vão elas comprar um bichinho..fico num desânimo tem hora.. Meu gatinho é tomba lata 100%..não troco ele por nada meu amorzao TB! Bjo meninas!

  29. Nossa Sá, amei o post, acho bem legal sua posição e a conscientização da adoção, apesar de eu ter comprado o Ozzy, penso que qualquer cãozinho é uma alegria para a casa, e mta gente acha q a única opção é adotar, pensa que não pode ajudar de outra forma e pode sim como vc falou !!! PARABÉNS !!! De verdade, parabéns, pelo post e pela atitude!!

  30. Flávia

    Sa, muito legal!!! Há quatro anos eu adotei um vira-lata que não tinha nem dois meses, que chamamos de Manolo. Ele é o cachorro mais companheiro desse mundo. Atencioso, educado, uma graça! Só nos dá alegria!!!
    É muito gostoso ajudar um bichinho que precisa e receber tanta gratidão em troca. Não tem nada que pague isso!
    Beijos

  31. Marina

    Histórias lindas! Vou aproveitar e contar a minha também.
    Tenho dois cães, uma é a Tsuki, adotei há uns 8 anos atrás. Ela lembra a Lady no temperamento, porém tem uns momentos meio agressivos, tipo possessão por brinquedos. Sou grata por ela estar na minha vida, não é todo mundo que consegue lidar com um cão temperamental, mas ela me ensina muito e eu me tornei mais paciente com isso.
    O outro é o Junior. Quando eu era criança eu amava o filme dos Dálmatas. Meu sonho era ter um, mas minha mãe sabia que era muito grande pra nossa casa. Então eu tinha dálmatas de pelúcia, camisetas, lençol, canecas e tudo que podia com o tema do filme. Há uns 4 anos atrás abandonaram 3 filhotinhos na frente da minha casa, chorei feito criança. Quem faz isso com filhotes? Largados na rua, uma noite meio chuvosa, não pensei duas vezes, recolhi. Eles ficaram na casa do meu ex, dois foram doados e um deles foi ficando e desistimos de doar. O que ficou era branco com orelhas pretas e uma mancha preta nas costas, mas conforme foi crescendo desenvolveu pintinhas!!! Sim, o meu sonho de infância se tornou realidade hahahaha! Quando você deseja muito alguma coisa o universo te dá 🙂 Quando ele tinha dois anos veio morar na minha casa, a adaptação foi super difícil, mas deu certo.

    Eles são tudo pra mim. Não tem como explicar o amor de um bichinho, a dedicação e a lealdade.

    Há algum tempo eu quis mais cães, mas não tenho espaço aqui. Então decidi ajudar os que precisavam de lar. Sou uma focinha da associação Ajude Focinhos em Curitiba. E vou confessar que quem me ajuda são eles! Imagino que você também tenha uma relação assim com o pessoal do Tomba Latas né Sá, a gente encontra amigos que amam cães também, é muito bom isso!

    Aos que querem um amigo informem-se antes sobre a adoção, sobre a quantidade de cães abandonados. E tenham certeza do que vão fazer. Não tem coisa mais triste do que ir buscar um cãozinho na casa do “adotante” porque ele “cresceu demais”, “late”, “derruba pelos” entre outras mil desculpas furadas. Ter um cão ou gato é assumir responsabilidade por outro ser que tem inúmeras necessidades.
    E quem não pode adotar venha nas feirinhas fazer um carinho nos cãezinhos, compre camisetas/canecas, doe ração, curta e compartilhe as paginas das ongs. O trabalho é de formiguinha mesmo, mas toda ajuda é bem vinda!

    Parabéns pelos filhotes, Sá. Que bom que você fez esse post, é essencial conscientizar as pessoas sobre a adoção. E desculpa o textão, mas é difícil não contar quando a gente tem experiências parecidas.

    Beijo!

  32. Quando eu era criança e ainda morava na casa dos meus pais, tive um cachorro, ou melhor, uma cachorra, a Pimpa, dálmata mestiça que foi comprada e que viveu 13 anos com a gente. Na época, ainda não conhecia direito esses esquemas de adoção, morávamos em uma cidade do interior e minha mãe prometeu que quando a nossa casa ficasse pronta (até então morava de aluguel!) a gente teria um cachorro… então, logo depois que a gente mudou fomos numa exposição de filhotes em uma clínica veterinária e voltamos com a Pimpa pra casa. Ela não tinha pedigree nem nada, mas era uma dálmata e esse foi o único cão de raça que pretendo ter na vida. 😉

    Fiquei um tempão pensando em ter cachorros mas é complicado tê-los em apartamento… e o tempo passou e eu e o namorido resolvemos ter adotar um gato! Uma amiga estava fazendo lar temporário pra uma maezinha e sua ninhada e ficamos perdidamente apaixonados por um dos filhotes. Telamos o apartamento e ele se tornou o terceiro morador aqui de casa! Um tempo depois resolvemos adotar um companheiro pra ele. Tudo foi bem planejado, mas o Teodoro testou positivo pra FeLV e o Leopoldo não tava vacinado contra essa doença comum em gatos. Tivemos que ficar quase dois meses com os dois separados num apartamento de 90m2! Um sufoco, pq eles detestam ficar presos desse jeito e nenhum deles queria dormir sozinho. O namorido ficou dormindo na sala e eu no quarto esse tempo todo, cada um com um dos gatos, rs. Enfim, o sufoco passou e agora eles se amam, brincam juntos, valeu a pena o empenho.

    Bichos são a melhor coisa do mundo e espero mesmo que esse teu post influencie mais pessoas a adotar (e não comprar!) bichinhos em busca de um lar!

  33. Isabela

    que coisa mais linda! assim como vc, tenho uma poodle que meus pais me deram quando fiz 9 anos, meu sonho era ter um cachorro e na época nenhum de nós sabia nada sobre adoção de animais. se fosse hoje, provavelmente teríamos adotado e não comprado. há uns 6 anos apareceu um vira lata lindo na porta da nossa casa, a princípio meu pai não queria que ele ficasse lá, mas ele insistia em dormir na nossa garagem e acabamos ficando com ele. hoje nao imaginamos nossa vida sem os dois, e pretendemos adotar outros. por mais que dê trabalho e despesa, somos muito mais felizes com eles, é incrível como são capazes de alegrar um dia ruim e como são companheiros. recomendo a qualquer pessoa que queira um cão que adote, e fico muito feliz de ver histórias como a sua sendo contadas, as pessoas precisam se conscientizar!

  34. Francielle

    Saaaa.. Amo meus nenis com todo meu coração!!
    Hoje tenho 5: O Billy, que mora com meus pais e é o xodó do meu pai, o Chico, meu primogênito e macho da casa, e as meninas Suzy, Belinha e Pipoca. Todos são de porte médio/grande, e eram bem pequenos quando filhote. Eu não me importo com tamanho, até porque minha casa hoje comporta mais uns 5 desses kkkk, mas essa questão de adotar adultos é muito importante, até porque eles sempre tem menos chance nas feirinhas.. No meu caso o Chico foi o único que fui atrás pra adotar, as meninas eu encontrei na rua e foi amor a 1a vista… Encontrei outros e já achei lares pra vários outros, mas essas 3 são minhas filhas e não consegui desapegar!! Tenho que limpar casa cheia de pelos, canil, potes, lençóis (dormem todos na mesma casinha, que é grandona e feita especialmente pra eles <3) mas amo essa rotina e não me desfaço dela nunca mais. Lambeijos do quinteto!! E muito legal ler todas essas histórias aqui. Por um mundo com mais amor verdadeiro e inexplicável!

  35. Francielle

    PS: aqui em casa como se pode imaginar, o macho é o dominante. As vezes maior chuva, ele sozinho na casinha, e as meninas na “varanda” da casinha, exxxpremidas, porque o bonitão não deixa elas entrarem.. São puras crianças mesmo <3

    • Sei bem como é, aqui tudo é da Lola, ela apenas permite que os outros usem as coisas – as vezes. 🙂

  36. ariane

    Sabrina, estou MUITO feliz por você ter decidido ficar com o Ze, que bom que a história teve final feliz!! Cachorros e gatos são tudo de bom,verdadeiros companheiro, carinhosos e leais. Eu amo a minha pequena.

  37. Kamila Pestana

    Sá, sua maravilhosa!!!! <3 <3 Muito amor envolvido nesse post!!!!
    Tenho três adotadas, na verdade resgatadas. Amo amo amo amo amo

  38. Ana Paula

    Sabrina, PARABÉNS!!!Tua declaração, certamente, irá motivar outras pessoas a adotarem um cãozinho de rua…eu chamo os meus (que são cinco) de “amiguinhos” e tb não imagino minha vida sem eles, pois já desisti de morar com meu namorado por causa deles, já que ele não aceita tantos…Enfim, se antes já gostava de ti agora tenho admiração, pq quem tira um animalzinho de rua, seja a espécie que for, demonstra empatia àquele que não pode pedir ajuda, comida, água, socorro (pois a maioria são vítimas de maus tratos por pessoas do mal) e isso demonstra o ser iluminado que tu és!!!Desejo que o universo conspire sempre a teu favor e que tu sigas ajudando esses nossos “amiguinhos”. Eu sou contra a compra de cães, pois muitos deles nascem de cadelinhas criadas em cativeiro para procriarem como máquinas e isso é cruel…Um grande abraço e parabéns por ter aberto este espaço em teu BLOG!!!

  39. Nivea Cruz

    Como grande amante dos bichinhos,adorei o post. Me como o fácil,até por que tenho algumas histórias pra contar sobre minhas adotadas (que ficaram com meus pais depois que me casei 🙁
    E você tocou num ponto crucial que poucos levam em consideração: o temperamento do animal. Muitas pessoas se preocupam com o tamanho,não levando em conta as necessidades de cada bichinho.
    Também gostei que você esclarece as diferentes formas de ajudar. Às vezes um pouco do seu tempo já faz a diferença! Seja pra ajudar num banho,nas Feirinhas ou com caronas,nem sempre é necessário dinheiro.
    E que você viva muito feliz com seus bichinhos!

  40. Samanta

    Post maravilhoso Sá <3 compartilho sua opinião. Tenho seis (!!!) bichos adotados em casa, três gatas e três cachorras. O amor que elas nos dão não está escrito, viu? De vez em quando me vejo me coçando de vontade de ter um pug, mas aí lembro do tanto de bichinho precisando de um lar e desisto na hora.
    Adotar é um presente pra quem é adotado e pra quem adota.

  41. Fernanda Gabriela

    Não posso adotar pq moro em apartamento pequeno e nem sequer posso ter animais em casa 🙁 mas apoio a causa sempre que posso. Para quem é de natal/rn recomendo o trabalho da “amor sem raça definida” amorsrd. 🙂

  42. Vanessa

    Que lindos todos os 4! Adotar é maravilhoso, temos 1 menina canina e 2 felinas aqui, todas adotadas que nos dão mta alegria. Gostaria que todos pudessem fazer isso um dia na vida pra verem o quanto é gratificante!

  43. Cristina Galli

    Parabéns pela atitude das adoções!
    Excelente post e explicações sobre adoção.
    Sou participante de Ong’s de animais há anos e sempre adotei cães e gatos durante minha vida.

  44. Polly

    Minha mãe queria comprar uma basset caramelo, mas no fim adotamos uma SRD branca e preta que é um amor de cão, muito doce e brincalhona <3

  45. Fatima Toledo

    Realmente, adotar é um ato de amor mas acima de tudo responsabilidade.
    Qualquer bichinho vai precisar de você até o fim da vida: vai precisar de amor, cuidados, disciplina, etc…
    Adotei 2 gatos por ter uma casa pequena, e cada um tem sua personalidade. Nenhum é igual ao outro. Achar que porque um é calmo todos serão, é um engano. Devemos estar preparados e com o coração aberto para aceita-los.

  46. Heloisa Carvalho

    Eu tenho 3! Uma SRD amarela, uma gata SRD (mas que dizem ser persa, rsrsr) e uma pequinês. Todas adotadas, castradas e muito amadas <3

  47. Priscila

    Adotar bichinhos não tem preço!!! É uma sensação muito boa, e o amor que eles têm por quem os “ajudou” é diferente, não tem como explicar. Só quem já adorou sabe o que estou falando.
    Fico feliz em saber que o Zé vai aparecer ainda mais por aqui!

  48. Karina

    Olá, bom dia.

    Ótimo post, um incentivo para adoção responsável. Infelizmente tem muita gente que não quer cachorro se for SRD, uma pena. Cachorro não é presente, não pode ser descartado nas férias/festas de fim de ano, tem que pensar bem antes de ter um.

  49. tati

    posso tá sendo radical, mas acho tão insensivel comprar cachorro qd se tem tantos precisando de lar. quem gosta de cachorro, gosta de qq um, não escolhe raça nem cara. quem procura raça, quer enfeite e status… mas enfim. é minha opinião e a que guia meus atos. parabéns pela atitude! viva os vira-latinhas!

    • Sue

      concordo com vc!

  50. Laura

    Quem gosta realmente de cachorro, não liga se ele custa caro ou é bonito pra exibir pros outroS! O que importa é o amor que a gente sente por ele e ponto!( e aqui eu incluo os gatos também). Amei tudo o que você disse… E fico muito feliz pelo Zé. Agora sim ele vai ser feliz!!! Ainda bem que ele achou você ( e seus pais nota 10). Um beijo a vocês por darem um lar tão especial a ele e por ajudar a tirar um cãozinho da rua!

  51. Sue

    Puxa amei seu texto!!! precisamos muito de mais incentivo para adoção existem muitos animais aguardando uma família…e amor não se compra!! Tenho 6 cachorrinhos sendo todos adotados!! Parabéns pela atitude!

  52. Fabiana

    Amei a matéria, amo animais, principalmente cachorros. Quando me casei, meu marido não gostava e apesar de querer muito acabei desistindo, até que um dia chuvoso, ele saiu para caminhar e viu um cachorrinho abandonado na valeta, ele foi embora mas não conseguiu esquecer o cachorrinho, voltou com o carro e uma caixa e levou o nosso Fidel para o veterinário. Ele era muito feiinho quando chegou, mas nós o acolhemos com muito carinho, ele tinha uns oito meses na época e hoje já tem uns cinco anos. Esse cachorro é o bichinho mais dócil que eu já vi, ele é muito mansinho, brincalhão, minhas crianças amam demais e eu não fico sem ele. Faz parte da minha família. Acredito que adotar um bichinho é um ato de amor e cidadania, e incentivo todos a fazer o mesmo, não vejo sentido em comprar animais.

  53. Camilla

    Q post legal Sá! Sempre fui a favor da adoção, muito provavelmente por meus pais nunca compraram um bichinho – atualmente 2 são de raça e 1 srd -, e acabou passando isso para mim.

    Há 4 anos sai de casa e decidi no final do ano passado que estava na hora de adotar um amigo. Procurei bastante, até que me apaixonei pela Lili, mas enquanto preenchia a ficha de adoção um cãozinho chorava muito, era o irmãozinho dela, o único que não havia sido adotado (a moça disse que as pessoas não o queriam pq era esquisitão: patas compridas, corpo magrelo e orelhas tortas).. Não me aguentei, levei o Luke comigo. Foi ótimo! Eles fazem companhia um para o outro e aprontam juntos. Estão com 6 meses, aprontam bastante, mas até que o saldo de coisas destruídas não foi tão grande hahaha

    Sou super a favor! Amigo não se compra, adote um cão!

  54. Dora

    Eu amo demais sua historia. Eu adotei um caozinho e agore é nossa vida toda!! Ele tem instagram @tikoperu lamentavlemente aca no Peru a adocao no é muito divulgada, mas ta melhorando pra caramba! Bj do Peru!! desculpa meu portugués que eu falo más minha escritura no é ótima.

  55. Bárbara

    Nunca tive um cão que fosse comprado, e meu último viveu comigo por 12 anos. Infelizmente o tempo dele chegou, mas a alegria que aquele cãozinho trazia é inesquecível. Parabéns pela iniciativa e que a adoção seja sempre incentivada!
    http://vidadecompras.blogspot.com.br/

  56. Denise

    Oi Sabrina, São posts como o seu que me fazem acreditar que a raça humana ainda tem jeito. rs
    Meus gatos são adotados e sempre incentivo a adoção de animais.
    Você é um amor !
    bjs

  57. Marília

    Me emocionei com este post!
    Parabéns por cuidar tão bem dos peludinhos, sorte do Zé que ficou aí, hehe.
    Já tive 7 cachorros, há 2 anos adotamos duas SRD. Vem sendo uma experiência maravilhosa!! Elas são muito carinhosas!!
    Ah! seus cachorros são lindos, todos!!!

  58. Graciela

    Tenho que confessar, adotamos uma SRD que parece muito com um pastor alemão, e o nome não podia ser outro a não ser Lolla, hehehehe
    hoje já esta com um ano, já roeu e comeu tudo que pode, agora parou,
    é muito amor, sempre tive cachorros adotados da rua, não vejo problema algum, incrível como eles são gratos!
    Que bom que eles se aceitaram e você pode ficar com ele.

  59. rogeria soares

    Entendo perfeitamente esse amor todo.
    Tenho uma vira latas adotada da rua, antes de um ano foi atropelada em frente ao meu serviço.Paguei duas cirurgias por uma patinha …rsrsrs
    Depois outra parida no asfalto e a mãe ainda morre.
    Conclusão….amamentei com leite em pó de animais, criei desde que nasceu.Hoje Francisca maria (Chiquinha) e Victoria Maria (Vic), estão lindas ,castradas,muito bem cuidadas.
    Minhas princesas e tem tudo do bom e do melhor!
    Amor verdadeiro,amor eterno!!!!!

  60. Raquel Santos

    Eu tenho 4 cães, um ganhado, uma comprada e dois adotados. Amo todos igualmente e não tenho problema nenhum em ter SRD’s. Sou louca por cachorros, trabalho numa vet e não me canso. Tenho vontade de adotar muitos mais (mas não tenho grana…) mas tb gostaria de ter algumas raças que gosto do temperamento. Amo pastor Alemão e não posso ficar sem, o meu está com quase 12 anos. Adotar é tudo de bom, gostaria que houvessem mais adoções responsáveis no Brasil… Quem sabe um dia a gente chega lá…

  61. Ju

    Sá amei o post! Tenho 3 gostosuras: Mel Dashund comprada e comigo há quase 13 anos, Laka vira-latinha linda de poodle adotada de um lar temporário ha quase 5 anos e Bob, vira-latinha meigo de Labrador que me escolheu como sua tutora quando entrou comigo pelo portao atravessando correndo da avenida em que moro. Fiz lar temporario dele por tres meses, ate convencer meu Pai que ele nao ia mesmo embora kkkk. Amo menus filhos, cada um na sua personalidade, e nao troco eles por nadaaaaaa. Ajudo protetoras de animais, com contribuicao financeira e de tempo, nas Feirinhas. A gente tem que ajudar como pode ne. Bjsss

  62. Maria Paula

    Precisei comentar neste post… Desculpem o desabafo! rs
    Eu também tive uma Lady. O melhor presente de Natal que eu já ganhei na vida. Aliás, o melhor presente. Minha “poodle-lata”. Minha melhor amiga. E hoje é meu anjinho de quatro patas. Faz dez anos que ela se foi, mas não consigo nem ao menos pensar nela sem chorar (como estou agora… rs).
    Hoje também tenho uma Lola, mas é uma gata preta! hehe Já é minha companheira há dez anos! Foi adotada em uma Ong de Londrina.
    E há menos de três meses, Amora chegou pra bagunçar! Mais uma gatinha adotada!
    Realmente, esses serzinhos são os melhores amigos que podemos ter! São os melhores anti-depressivos. Os melhores revitalizantes! E não tem preço.

  63. Parabéns pelo post, Sá!
    Eu sou gateira e todos os gatos que já tive nessa vida (uns 15 no mínimo) foram adotados. É incrível realmente a gratidão que eles sentem por poder fazer parte da nossa vida.
    Recentemente, adotei a Nina, uma gatinha agora com 3 meses que parece um jaguatirica. E, realmente, a energia de um filhote (seja de gato ou cachorro) definitivamente não é pra qualquer um. Eles choram, destroem coisas, querem brincar 98,5% do tempo, nos acordam no meio da noite e nos usam como arranhador. Mas tudo vale a pena. Mesmo com as perdas que já tive (ai, meu Café <3 gato preto maravilhoso e extremamente esperto que foi envenenado), não consigo dizer não quando vejo uma carinha me pedindo carinho…
    Um beijo pra vcs todos e bem vindo, Zéééé!

  64. Julia

    Que post lindo, Sá!
    Eu passei altos perrengues quando adotei a Tina em 2003, a Chloe em 2012 e a Georgina ano passado, mas cada objeto destruído valeu à pena e hoje não consigo imaginar minha vida sem elas. Não tem coisa mais gratificante do que ver a mudança daquele cãozinho amuado de rua para o bichinho alegre que faz a maior festa quando a gente chega do trabalho.
    Acho que se eu tivesse dinheiro e espaço, não haveria cão sem dono em Curitiba, haha.

  65. Keila

    Sá, você eh demais garota. Que post incrível. Há tempos venho acompanhando o blog e simplesmente eh o melhor. Sim, sim… transmite muita humanidade o jeito que vocês abordam os temas. Adoro você. Deus te abençoe!

  66. Anny Geber

    Adorei o post, Sá.. sempre que possível fale de suas experiências com os chorrinhos.. eu amo! Na minha casa temos 5, mas já tivemos 8… Um beijo ;*

  67. Vivian

    Sabrina, já era fã do blog, mas depois deste post vou fazer mega propaganda! Fazer o bem é muito bom e mostra que você tem bom caráter! Bjs

  68. Julia

    Acho lindo o ato de adotar, eu tenho 10 (pasmem todos de rua), nem todos foram nós aqui de casa que pegamos, a maioria foram deixados amarrados no meu portão e como você disse é muito difícil doar cachorrinhos sem raça definida, enfim acabamos ficando né, se todos tivessem a consciencia que você tem sobre adoção, castração enfim… teríamos menos problemas com animais abandonados.

  69. Nandi Trindade

    Que bela atitude Sá..
    Aqui em casa temos o Teco que é simplesmente a nossa vida…
    Um fato curioso.. quando o adotamos nos disseram que a mãe dele era meio basset… achamos perfeito, pois, morávamos em apto e ele não ia crescer muito… em resumo… ele cresceu e está longe de se parecer com um basset…só de perna ele tem uns 30cm e hoje está com 18 kgs gostosamente distribuídos, ahuahau…
    Pra quem não quer arriscar, concordo que é melhor adotar um cachorrinho já adulto!!

  70. Ma SP

    Que post lindo Sá! Emocionante!! Parabéns pela bela atitude de ficar com ele. Beijos

  71. Miriã Andrade

    É muito linda essa sua história e muito inspiradora! Adoro cachorrinhos e não vejo a hora de me mudar para uma casa maior para enfim ter alguns! 😉

  72. Gabriela R. Salomon

    Tenho uma cachorra e cinco gatos. Todos castrados e adotados! Quando a gente se apega, não tem jeito hehe 🙂

  73. Caroline Rodrigues

    AMEI SEU POST!
    Tem anos que acompanho calada mas nesse post eu resolvi falar!
    Parabéns!
    Um texto super humano sobre um assunto sério sem ser dramático. Espero que conscientize muitas pessoas.

    Uma dica: fala que seja adotando ou comprando, seja qual animal a pessoa resolva ter, esse fará parte da família pelos próximos 10 anos (expectativa) e não é só quando se tem filhote que precisa de atenção e cuidados.
    Porque me doí muito ver pessoas que tem animais por anos e depois quando eles envelhecem, não pensam em cuida deles e já abandonam ou sacrificam como se fossem descartáveis.Falo isso por experiência profissional como veterinária.

    Beijos e que seus animais continuem iluminando a sua vida.

  74. Nunca tive cachorro (só quando morei com uma amiga 1 mês e meio, mas acho que não conta), mas tenho dois gatinhos lindos adotados que são o amor de todos por aqui. O Ivan a gente pegou na Suipa, uma ONG aqui do rio que cuida de animais abandonados e encaminha pra adoção e a Berinjela eu achei na rua, muito filhote, miando na minha janela. O Ivan levou muito tempo pra se adaptar a ela, 1 ano, mais ou menos. Ficou mais arisco, menos sociavel. Mas passou, agora os dois se amam, vivem se lambendo, brincando… um amor só.
    http://www.issoaquiloetal.wordpress.com

  75. Olá!!! Vi seu post e me identifiquei, pois também adoooro animais e também estou com 4!! Só entende quem é louco por cachorro. E olha que eu tinha 8 e tive que doar 4!!! Compartilhei a experiência de doar cachorrinhos adultos: http://juleeb.blogspot.com.br/2016/02/minha-experiencia-doando-cachoros.ht
    É bem assim como vc citou, as pessoas preferem filhotes, não sabendo elas que muitas vezes adotar um cachorrinho adulto também é tudo de bom, pois já dá pra saber o porte, o temperamento e as vezes eles até já sabem fazer suas necessidades no lugar correto!!! rsrs
    Adorei o blog, estou conhecendo agora… Abraços!

  76. marcia h,

    emocionante a cada dia mais lhe admiro , adotar e as pessoas entenderem que são seres vivos e não objetos é importante !!! super a favor da adoção e como protetora de animais me emociona que estamos sim no caminho certo de levantar essa bandeira e orientar!!! adoção responsavel sempre é uma vida!

  77. […] Tempos atrás fiz um post falando sobre a história dos meus cachorrinhos e como é adotar cães sem raça,…. […]